Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

George Benson esbanja swing e tesão em novo CD

georgebensonpor Fabian Chacur

George Benson tem 66 anos, mas soa como se fosse ao menos uns 20 anos mais novo. Na estrada desde os anos 60, tornou-se inicialmente um respeitadíssimo guitarrista de jazz. Quando resolveu também cantar e investir em uma sonoridade mais pop, virou estrela a partir de 1976, com o CD Breezin’ e a balada This Masquerade.

Na sequência, gravou maravilhas da fusão funk-soul-disco-jazz-pop, como Give Me The Night, Love Ballad, On Broadway, Turn Your Love Around, Love x Love e tantas outras. Com o tempo, passou a alternar momentos mais jazzísticos com incursões pop. Sempre com categoria.

Mas Songs And Stories, seu novo CD, vai além do que andou fazendo nos últimos tempos. Se os trabalhos mais recentes eram bacanas, este aqui é excepcional, comparável a álbuns como Give Me The Night e Breezin’.

Trata-se de um trabalho pop, mas extremamente swingado e inspirado. Ele se divide entre releituras de clássicos antigos e canções novas de primeira, todas assinadas por autores do primeiríssimo time.

No setor inéditas, temos a fantástica Family Reunion, de Rod Temperton, inglês autor de clássicos absolutos como Give Me The Night, Thriller e Rock With You,  só para citar algumas. A nova está no mesmo nível das citadas.

As regravações são de primeira. A escandalosamente swingada Nuthin’ But a Party, de autoria dos saudosos irmãos Roger e Larry Troutman, do grupo Zapp, tem a participação do ótimo Norman Brown nos vocais e guitarra, e como diriam os antigos, levanta até defunto da tumba.

Nesse mesmo clima dançante e com espaços para muito swing e solos bacanas de guitarra e scat singing (aqueles vocais feitos em cima das notas da guitarra típicos de George Benson e do jazz) também se encaixam Exotica, do lendário baixista Marcus Miller (que toca em quase todo o CD) e Living In High Definition, de Lamont Dozier, que fez sua fama na Motown Records.

Quem curte as baladas vai adorar Come In From The Cold, puro soul, Rainy Night In Georgia, que fez sucesso anteriormente na voz de Brook Benton, e Someday We’ll All Be Free, do inesquecível Donny Hathaway, aquele que gravou com Roberta Flack clássicos como Back Together Again, Where Is The Love e The Closer I Get To You.

Naquele pique mezzo dançante mezzo romântico, se encaixam a releitura de Don’t Let Me Be Lonely Tonight, de James Taylor e gravada no Brasil com Toninho Horta, William Magalhães, Paulinho da Costa e outros músicos da qui, e Show Me The Love, de integrantes do Toto.

Para não dizer que o disco é perfeito, peca apenas a última faixa, uma releitura com jeitão de instrumental de churrascaria de Sailing, clássico de Christopher Cross, também gravada no Brasil.

De resto,  Songs And Stories é um verdadeiro banho de categoria, inspiração, swing e canções deliciosas. Ótima trilha sonora para dançar, namorar, ter prazer……

2 Comments

  1. George Benson me traz muitas lembrancas. Essa musica “Give Me The Night” realmente marcou. A epoca dos “Rollers”, como chamavamos na epoca os locais onde patinavamos ao som de musicas como essa.
    Prah quem nao conhece o trabalho dele, sugiro que escute, mas jah vou avisando, viciar nele eh muito facil, mas sem prolemas, porque seria um vicio muito saudavel !!!

  2. É, Romano, o som desse verdadeiro gênio da música realmente vicia. Mas é aquele tipo de vício saudável, sem contraindicações, como você tão brilhantemente colocou. Grande abraço e muito obrigado pela visita e pelo comentário pertinente, só para variar!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑