Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Caetano Veloso manda ver seus transambas

Por Fabian Chacur

Nos anos 80, Caetano Veloso tentou uma aproximação mais forte com o rock que se fazia naquela época.

A principal tentativa de um álbum convincente com essa sonoridade new wave, pós-punk ou como você preferir foi Velô (1984).

No entanto, os músicos que participavam na época da banda do genial e sempre controvertido cantor, compositor e músico baiano não se mostraram adequados para a tarefa.

Músicas como Podres Poderes sempre soaram nos meus ouvidos como rocks feitos por quem não gosta de rock, que acha esse estilo musical muito “simples” e tenta complicá-lo de forma tola e excessiva.

Mais de 20 anos depois, o eternamento inquieto tropicalista de origem enfim encontrou os músicos certos para revigorar sua música na direção rocker pós punk.

Os álbuns(2006), Cê ao Vivo (2007) e zii e zie (2009) são misturas vigorosas de rock básico e minimalista, MPB e muito mais.

Pedro Sá (guitarra), Marcelo Callado (baixo) e Ricardo Dias Gomes (bateria), hoje também conhecidos como Banda Cê, esbanjam versatilidade e incorporaram com sapiência influências de Talking Heads, Pixies e outras seminais bandas oitentistas.

MTV Ao Vivo – Caetano zii e zie, que a Universal acaba de lançar em DVD e CD, é outro capítulo impecável dessa fase controvertida e produtiva desse sempre controvertido e produtivo artista.

O repertório mistura músicas dos dois discos de estúdio feitos por eles com releituras instigantes de clássicos do Tropicalismo e pérolas pinçadas de outras eras caetânicas.

O cenário inclui uma asa delta, que, somada às cenas mostradas pelo telão de alta definição, geram a impressão de que os músicos estão voando. E, de certa forma, estão mesmo.

A Voz do Morto, Três das Cores, Maria Bethânia (em versão de arrepiar), Odeio, A Base de Guantánamo e Força Estranha são destaques de um espetáculo vibrante, gravado ao vivo nos dias 7 e 8 de outubro de 2010.

Nos extras, temos um documentário e mais nove músicas gravadas durante a longa temporada Obra Em Progresso, durante a qual Caetano amadureceu o repertório de zii e zie antes de entrar em estúdio para gravá-lo.

Pelo andar da carruagem, Caetano Veloso continuará protagonista do que de melhor a MPB tem para nos oferecer, além de ter vigor suficiente para atrair novas gerações.

Veja o clipe de Odeio, de Caetano Veloso:

3 Comments

  1. [i]”São Paulo em cheio nas luzes da Bahia
    tudo de bom e ruim
    era o fim, é o fim, mas o fim é demais também

    odeio você, odeio você, odeio você”[/i]

    Dicotomia de amor e ódio na voz de Caetano, pois é, [b]será[/b] que odeia tanto assim a ponto de se valer de uma canção?

    bela música, belo clip!

    Saudações , Chacur!

  2. admin

    March 13, 2011 at 12:43 am

    Vai saber quem ele odiou tanto para escrever essa ótima música, um rockão!!!! Obrigado pela visita e volte sempre, Carla!

  3. Quem? Paulinha, a mesma que homenageou em Branquinha, Voce é linda, etc…

    Sobre o Velô é bem isso mesmo…ótimas composiçoes, mas com uma produçao péssima.

    Um ótimo disco, porém datado. Já Cê e Zii e Zie sao obras primas, e fizeram sucesso em todo o planeta.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑