Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Rita Lee disponibiliza músicas gratuitamente

Por Fabian Chacur

A nova versão do site oficial de Rita Lee (www.ritalee.com) oferece aos fãs do melhor rock and roll um verdadeiro tesouro.

No endereço http://www.ritalee.com/?page_id=761, você terá acesso aos 32 álbuns que a rainha do rock brasileiro gravou em carreira solo e com os Mutantes.

Exceto músicas que gravou especialmente para trilhas de novela e outros projetos de forma avulsa, tudo o que ela registrou nesses 43 anos de produtiva carreira se encontra lá.

Você clica na capa de cada álbum e tem a opção de escolher as músicas, que aparecem com a letra e a opção de audição na íntegra, no sistema streaming, ou seja, pode-se ouvir quantas vezes se quiser, mas não dá para baixar.

Enquanto isso, a cantora e compositora paulistana continua preparando dois novos CDs e fazendo shows da turnê ETC..

Os próximos serão em Curitiba (Teatro Positivo, dia 26), São Paulo (Teatro Bradesco, 1º e 2 de abril) e Buenos Aires (Teatro Gran Rex – 20 de maio).

Mondo Pop recomenda seis discos de Rita Lee para você começar a sua viagem gratuita e deliciosa por sua obra:

BUILD UP (1970)

Curioso primeiro trabalho solo de Rita que contém como destaques dois covers. Um é José, versão de Nara Leão para Joseph, de Georges Moustaki, na qual fica difícil acreditar que não é Fernanda Takai quem está cantando (ou a própria Nara!), e o outro, And I Love Her, dos Beatles, que fica mais rocker e experimental e vira And I Love Him.

Atrás do Porto Tem Uma Cidade (1974)

Inclui um dos maiores clássicos do rock nacional de todos os tempos, Mamãe Natureza, verdadeira profissão de fé na vida e no rock and roll repleto de energia e estilo. Seria um dos primeiros grandes petardos de Rita Lee a mostrar um estilo próprio e distante dos Mutantes que a revelaram de forma tão marcante. A partir daqui, ela era única.

Fruto Proibido (1975)

O que parecia ainda um monte de sementes sendo devidamente plantadas e regadas nos trabalhos anteriores virou, aqui, uma colheita repleta de riqueza musical. É um clássico atrás do outro, incluindo Ovelha Negra, Dançar Pra Não Dançar, Agora Só Falta Você e Esse Tal de Roque Enrow. Espetacular, presença constante nos melhores discos do rock brazuca.

Babilônia (1978)

Aqui, Rita se firma de vez como roqueira em petardos como Jardins da Babilônia, Miss Brasil 2000 e Que Loucura e vai ainda além nas balançadas Agora é Moda, Eu e Meu Gato (com fortes toques de Honky Cat, de Elton John, mas sem cair no mero plágio) e a deliciosamente pop Disco Voador. Começava a surgir um pop rock a brasileira. O meu favorito da Tia Rita.

Rita Lee (1979)

O poder pop de Tia Rita se manifesta na belíssima e latina Mania de Você (com fortes ecos de From The Beginning, de Emerson, Lake & Palmer), no reggae Maria Mole e no pop rock Chega Mais, enquanto o rockão marcou presença na sensacional Papai Me Empresta o Carro. E tem a balada pop e envolvente Doce Vampiro. Um marco do pop rock brazuca.

Rita Lee (1980)

Espécie de confirmação do formato do álbum anterior, tem como destaque a explosiva Lança Perfume, com seu timbre de teclados a la What a Fool Believes, dos Doobie Brothers, e um balanço e letra irresistíveis. Traz também o rockão Orra Meu, as latinas Baila Comigo e Caso Sério, a delicada Shangrilá… Nascia o pop rock nacional dos anos 80!

2 Comments

  1. vladimir rizzetto

    March 19, 2011 at 2:30 pm

    Salve, Fabian!
    Salve a tiazona do rock!
    Já faz, acho que uns 5 anos, que não acompanho os novos trabalhos de Rita Lee e, portanto, não posso falar nada do que ela tem feito recentemente.
    Mas, dos clássicos eu me meto a falar!
    Ótimas escolhas, meu caro Fabian! Meu único ‘senão'(na verdade nem chega a ser um ‘senão’) vai para o Build Up.
    O disco é interessante, mas, eu diria que ele é um tanto ousado e estranho para meu gosto, e por mais paradoxal que possa parecer minha opinião, devo admitir que ele é ‘Rita Lee’ pra caramba, pois, estão ali algumas de suas traquinagens típicas, acompanhadas pelo antigo parceiro e marido e não menos traquina e gênio, Arnaldo Baptista!
    Desse disco em diante é diversão pura!
    Atrás do Porto tem Uma cidade é deliciosamente bom! Entre tantas coisas que o rock pode ser: juvenil, irreverente, divertido e até ingênuo, este álbum tem doses certeiras disso e de tantos outros predicados!Profissão de fé do rock brazuca! Acertou em cheio, Fabian!
    “… ando jururu I don’t Know What to Do…” Isso é rock!!!!!!!!!!!!
    Mamãe Natureza, Menino Bonito, tantas coisas legais, aliás, esta última, é Queen puro, não acha, Fabian?
    Ah, mas e o Fruto Proibido? Estado-da-arte do rock brasileiro! Ousado, rockeirissimo, brasileiro, eterno, etc… e etc…
    Este é o meu favorito!
    Babilônia é outro discaço, um pouquinho menor, se comparado ao Fruto Proibido, mas, só por ter Jardins da Babilônia, é digno do status de clássico!
    Rita Lee 79 e 80 são álbuns que eu vivi e ouvi mais intensamente, pois, tinha, na época do lançamento, 10 e 11 anos, respectivamente, e fui implacavelmente arrebatado pela irreverência e feeling musical da Rita! Lembro-me com riqueza de detalhes quando vi o lançamento do clip de Lança Perfume, no Fantástico, entre comentários caretaços do meu pai: “ficar de quatro, que isso?… maconheira… sem vergonha…”
    Hahahahahahahahahahahahaha
    Ou seja, quanto mais uma música é odiada pelo seu pai, sinal que ela é muito boa!!!
    E se a situação se inverter? Tô véio e tenho um filho. E se rolar algo semelhante?
    hahahahaha
    Voltemos ao Rita Lee 79. Tem algo mais petulante e juvenil do que Papai me Empresta o Carro? Tô precisando dele pra levar minha garota ao cinema…
    Ah, esse tal de rock en rou…
    Eu te amo, Rita!

    Grande abraço, Fabian!

  2. admin

    March 24, 2011 at 1:24 am

    Belos comentários, Vladimir! Rita Lee é realmente a rainha eterna do rock brazuca, nunca terá para ninguém! Grande abraço e apareça sempre por aqui!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑