Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Ray Davies relê hits dos Kinks com estrelas pop

Por Fabian Chacur

Quanto mais descubro sobre a obra de Ray Davies, mais fico seu fã em termos musicais.

O cantor, compositor e líder dos saudosos The Kinks, banda britânica cuja carreira teve fim há 15 anos, merece a alcunha de autêntico gênio do rock and roll.

Em 2010, ele resolveu dar uma relida em 14 de seus momentos mais significativos como autor gravados originalmente por seu ex-grupo, acompanhado por amigos famosos de várias gerações.

O álbum gerado por esse projeto, See My Friends, foi lançado pela Decca Records (selo hoje integrante do conglomerado Universal Music), e é mais uma prova da natureza atemporal dessas canções.

O elenco é estelar, a começar por Bruce Springsteen, que divide microfones com Davies na belíssima Better Days, faixa de abertura do álbum e uma das menos conhecidas do set list, embora ótima.

Jon Bon Jovi e Richie Sambora, do Bon Jovi, participam de uma ótima versão da épica Celluloid Heroes, emocionada/emocionante homenagem aos heróis do cinema de todos os tempos.

O clima mais pesado fica por conta do Metallica, que encara You Really Got Me com fúria e resultado equivalente à célebre versão do Van Halen lançada nos anos 70.

Paloma Faith encaixa com perfeição a sua voz com a de Ray na sempre empolgante Lola, enquanto Amy MacDonald, uma das grandes revelações da atual geração da soul music, dá nova energia à ótima Dead End Street.

A voz áspera e gostosa de Lucinda Williams e o The 88 acrescentam muito a Long Way From Home, enquanto o grupo serve como ótima base para a releitura de David Watts, que alguns conheceram na regravação do The Jam nos anos 70.

Gary Lightbody ajuda Ray a reviver o eterno encanto da fascinante Tired Of Waiting, uma das minhas favoritas dos Kinks.

Billy Corgan, do Smashing Pumpkins, energiza bem All Day And All Of The Night, interpretada aqui em pot-pourry com Destroyer.

A nota triste fica por conta de ‘Till The End Of The Day, que reúne o The 88 e Alex Chilton, ex-líder das seminais bandas Box Tops e Big Star.

O resultado é ótimo, e esta foi a primeira gravação realizada para o projeto, no dia 4 de julho de 2009. A tristeza fica por conta de ter sido uma das últimas atuações de Chilton, que morreria no dia 17 de março de 2010, aos 59 anos.

No encarte, Ray Davies faz comentários sobre cada música, além de dar detalhes sobre cada releitura. A ficha técnica de cada faixa também está presente.

See My Friends é um daqueles álbuns que nos permitem uma ideia bem precisa da qualidade do trabalho artístico de um criador, no caso o genial Ray Davies. Uma delícia!

Veja Waterloo Sunset com Ray Davies ao vivo em 2010:

2 Comments

  1. vladimir rizzetto

    July 15, 2011 at 1:01 am

    Intigante, Fabian!
    Gostaria de ouvir essas releituras do Kinks, com o criador participando juntamente com outros artistas.
    E, pelo menos as músicas que você cita, são do melhor período da banda. Pra falar a verdade, eu conheci melhor os Kinks a bem pouquíssimo tempo e o que mais me encantou foi a fase dos anos 60.
    Muita coisa de alto nível!

    Abraço, Fabian!

  2. Caro Vladimir: esse disco é realmente muito legal, pois dá toda a impressão de ter sido feito por prazer, não só por algum desejo de Davies de se aproximar mais do público atual. As participações especiais funcionam bem. Lógico que as versões originais dos Kinks das músicas relidas continuam sendo as melhores, mas valeu o projeto. Recomendo com entusiasmo o ao vivo de 1980 One For The Road, que em breve eu vou resenhar aqui para a seção Discos Indiscutíveis. Grande abraço e muito obrigado pela visita sempre qualificada!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑