Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

R.E.M. anuncia a sua separação após 31 anos

Por Fabian Chacur

O R.E.M., uma das melhores e mais influentes bandas da história do rock, anunciou nesta quarta-feira (21) o seu fim. O comunicado está postado em seu site oficial, o www.remhq.com, que no momento está praticamente impossível de ser acessado.

A banda, que se manteve na ativa durante 31 anos, começou sua mensagem de despedida da seguinte forma:

“A nossos fãs e amigos: decidimos encerrar a banda. Estamos felizes por tudo o que conseguimos realizar. A todos que foram tocados por nossa música, nosso mais profundo agradecimento.”

O grupo integrado por Michael Stype (vocal), Peter Buck (guitarra) e Mike Mills (baixo) garantiu, no mesmo comunicado, que a separação ocorreu de forma pacífica, sem brigas ou desentendimentos.

“É a hora de seguirmos adiante, embora não tenha sido fácil tomar tal decisão. Já dizia um sábio que  o importante ao ir a uma festa é saber a hora de partir. Construímos algo extraordinário juntos, e agora iremos embora. Tudo precisa acabar, e queríamos fazer a coisa certa, do nosso jeito.”

Essa decisão pode explicar o fato de o grupo não ter saído em turnê para divulgar seu mais recente álbum, Collapse Into Now, lançado há seis meses. Era habitual eles irem para a estrada nesses casos.

O grupo surgiu na cidade americana de Athens em 1980, e tinha como outro integrante original o baterista Mike Mills, que saiu do time em 1997 após ter sofrido problemas de saúde.

Com um som que misturou rock, country, folk, rock e pop, o R.E.M. tornou-se o verdadeiro arquétipo do que se rotulou como rock alternativo, ou college rock, ou indie rock, nos anos 80.

Murmur (1983) é considerado um dos melhores trabalhos de estreia da história do rock, mas a banda gravaria coisas ainda melhores em sua carreira, como Fables Of The Reconstruction (1985), Out Of Time (1991), Automatic For The People (1993) e o recente Accelerate (2008).

Em 1987, eles conseguiram atingir o mainstream roqueiro com o álbum Document (1987), e em seguida saíram do selo independente IRS rumo à multinacional Warner, na qual estrearam em 1989 com Green.

O R.E.M., no entanto, conseguiu manter sua postura independente e longe dos golpes publicitários e concessões típicas do mundo pop, concretizando a dura tarefa de vender muitos discos e ao mesmo tempo continuar sendo respeitado pelos roqueiros mais conscientes.

Segundo a empresa Soundscan, que desde 1991 faz a medição de vendas de álbuns no mercado americano, o R.E.M. vendeu por lá, nos últimos 20 anos, 19.3 milhões de cópias.

Michael Stype e sua turma tocaram no Brasil duas vezes: em 2001, no Rock in Rio, e em 1998, em turnê que passou por São Paulo em antológicos shows na Via Funchal.

Eis uma perda realmente enorme no universo do rock. Felizmente, restam seus discos e DVDs para a gente matar saudades, sempre que se fizer necessário.

Ouça Everybody Hurts em versão ao vivo:

6 Comments

  1. snif, snif! Eu tenho vários cds e adorava ouvi-los na minha adolescência.
    Marcou vários momentos meus.
    …Mas, pelo menos eu vi ao vivo! =)
    p.s: tenho um amigo que faz parte do fã clube, deve estar chorando litros!
    Saudações, Chacur!

  2. Lamentável esse fim. Mas ao menos temos os discos e os DVDs para matarmos saudades!Obrigado pela visita e volte sempre!

  3. Essa vai fazer falta . Tudo bem que a banda passava por alguns tropeços aqui e ali , mas , sempre se podia ter aquela esperança de que eles viessem com alguma coisa como as dos aúreos tempos . Engraçado que o último disco eu ainda não ouvi por completo , mas da última década , o que mais me agradou foi mesmo o Reveal , que já tem lá uns dez anos . Mas realmente , dá pra dizer que no mínimo eles colocaram no mercado , que seja , uns cinco discos que devem fazer parte de qualquer discoteca qualificada . Bom , só nos resta esperar o que cada um pode fazer daqui pra frente , grande Fabian .

  4. Vai fazer falta, mesmo, caro Marcelo. Deixa passar um pouco mais o tempo para mais gente concordar conosco… Ainda mais se levarmos o nível do rock atual, que não é exatamente dos melhores. Grande abraço e muito obrigado pela visita qualificada de sempre!

  5. Pena viu, cresci ouvindo estes caras, os bons se vão , é uma pena, ultimamente a música vem só perdendo gente que ama e faz música com o coração.

  6. É, Joel, o R.E.M. fará muita falta mesmo. Grande banda!!! Fica a torcida para que os seus ex-integrantes continuem fazendo bons trabalhos, agora em nova fase de suas vidas. Grande abraço e obrigado pela visita!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑