Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

DVD flagra Rolling Stones em fase iluminada

Por Fabian Chacur

Em 1978, vivíamos o auge do punk rock, e bandas como os Rolling Stones (na época já com 16 anos de estrada) eram taxadas de dinossauros pelos mais radicais. Mas nada como desafiar quem tem fôlego e talento para superar os céticos e os “novidadeiros”.

Naquele ano, a banda de Mick Jagger lançou um de seus melhores álbuns, o energético e diversificado Some Girls, com direito a disco music em Miss You, country de raiz em Far Away Eyes, balada rock em Beast Of Burden, releitura soul em Just My Imagination (hit nos anos 60 com os Temptations) e rock sacudido em When The Whip Comes Down e Shattered.

Em 18 de julho de 1978, eles fizeram um show perante três mil pessoas no Will Rogers Auditorium, em Ft. Worth, Texas. Um teatro bem intimista, rara chance de ver de pertinho uma das melhores bandas de rock de todos os tempos.

É o registro desse espetáculo histórico, com qualidade cinematográfica de áudio e vídeo, que acaba de chegar às lojas brasileiras via ST2, nos formatos DVD e Blu-ray, com o título Some Girls Live In Texas ’78.

Contando com apenas dois músicos de apoio, os tecladistas Ian Stewart (Stu, o eterno 6º stone) e Ian McLagan (ex-Small Faces e Faces), o grupo vivia o início de sua fase com o guitarrista Ronnie Wood. O ex-integrante dos Faces, no entanto, prova aqui que se entrosou rapidinho na nova banda.

O repertório do espetáculo inclui sete faixas de Some Girls, dois clássicos de Chuck Berry (Let It Rock, que abre o show, e Sweet Litttle Sixteen) e clássicos da banda como All Down The Line, Star Star, Happy, Tumbling Dice, Brown Sugar e Jumpin’ Jack Flash.

O local, bem mais intimista do que as arenas e estádios nos quais os Stones passaram a tocar a partir do fim dos anos 60, permitiu um registro mais de perto dos músicos, revelando muito da personalidade de cada um.

O carisma e o jeito irreverente de Jagger, a descontração desencanada de Keith Richards e Ronnie Wood, a timidez e a tensão no olhar de Bill Wyman e a eterna elegância de Charlie Watts surgem sem filtros, escandaradas.

Mas o melhor mesmo é a performance da banda. Mick Jagger está cantando como nunca, e com um pique absurdo, enquanto os músicos esbanjam eletricidade e energia, especialmente o verdadeiro dínamo humano Charlie Watts, que dá a impressão de que nem mesmo a explosão de uma bomba atômica o faria perder uma única batida que fosse.

Existem inúmeros DVDs bacanas no mercado registrando os Stones ao vivo, mas creio que este aqui é verdadeiramente imbatível em todos os quesitos.

Nos extras, rola uma entrevista feita em 2011 com Mick Jagger na qual ele comenta aquele período da carreira da banda.

Também temos a participação do quinteto no programa televisivo Saturday Night Live em outubro de 1978, com direito a Jagger contracenando com o comediante Dan Aykroid e cantando três músicas (Beast Of Burden, Respectable e Shattered) com o grupo. Reparem como Jagger está quase sem voz.

O DVD traz uma vantagem em relação ao Blu-ray: um CD de áudio com a íntegra do show. Para quem não entende o porque os Stones são frequentemente rotulados como a melhor banda de rock and roll de todos os tempos, vale ver e ouvir esse Some Girls Live In Texas ’78 urgente.

Beast Of Burden, com os Rolling Stones, do DVD Some Girls Live In Texas ’78:

Veja Shattered, com os Rolling Stones, do DVD Some Girls Live In Texas ’78:

4 Comments

  1. Alexandre Damiano

    March 7, 2012 at 12:41 am

    Muito legal essas musicas Fabian, valeu pelo post !!

  2. fabian chacur

    March 7, 2012 at 2:46 am

    E isso é só uma amostra do DVD/Blu-ray, que é bom de ponta a ponta, meu caro Alexandre! E os extras são bem bacanas, também. Grande abraço e obrigado pela visita qualificada de sempre. Não suma!!!

  3. “Some Girls” realmente é um dos pontos altos da carreira da banda. A fase era tão boa que quando ouvi o disco bônus do relançamento recente fiquei de queixo caído com a qualidade das músicas inéditas. A maioria das faixas são tão boas quanto as escolhidas para o repertório do disco principal. É muito raro faixas bônus serem tão boas assim. Geralmente são versões demo, alternativas, essas coisas. Com “Some Girls” é diferente: as faixas inéditas são tão ótimas quanto as principais.
    Ainda a respeito do pique em que ele estavam na época, ouvi dizer que o repertório do disco “Tatto You”, que é um dos meus favoritos da banda, traz várias sobras desta época. Você sabe se é verdade, Chacur…?
    Agora preciso conferir o DVD. Até o momento, meu favorito é “Rolling Stones Live at the Max” (seguido de “Shine a Light”). Vamos ver se vai haver alteração no primeiro posto.

  4. fabian chacur

    March 8, 2012 at 3:58 pm

    Caro Neder:
    Concordo com você em relação ao material inédito incluído na edição especial de Some Girls. Quantas bandas/artistas podem se dar ao luxo de deixar de fora de um álbum músicas tão legais como aquelas, e durante tantos anos? Meu Deus! Quanto ao Tattoo You, trata-se de um excelente álbum que eles fizeram aproveitando várias músicas feitas inicialmente para os álbuns Some Girls e Emotional Rescue. Reza a lenda que Start Me Up, por exemplo, foi gravada inicialmente com um arranjo reggae. Outra informação é que só três músicas teriam sido compostas especialmente para Tattoo You, entre elas Heaven. Também gosto muito desse disco, especialmente das músicas Start Me Up, Hang Fire, Waiting on a Friend e Slave. Grande abraço, obrigado pela visita qualificada e volte sempre!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑