Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Documentário mostra o genial George Martin

Por Fabian Chacur

Há exatos 50 anos, um jovem produtor britânico resolveu contratar uma ainda mais jovem banda de Liverpool que havia sido recusada por literalmente todos os seus concorrentes, incluindo a matriz do conglomerado do qual seu humilde selo Parlophone fazia parte, a EMI. Houve até quem o ironizasse. Gostaria de ver a cara desses detratores hoje…

Graças a essa decisão arriscada, o tal produtor, Sir George Martin, deu a primeira e decisiva chance para que os Beatles pudessem exibir seu talento. Nos anos seguintes, eles não só dominariam o mundo como se tornariam o mais importante grupo de música da história, seja qual for o seu estilo musical. Beatles For Ever!

Para quem deseja saber um pouco mais sobre a vida desse profissional incrível e ser humano aparentemente adorável, acaba de sair por aqui, via ST2, o documentário Produced By George Martin, que saiu este ano e foi exibido por aqui na edição 2012 do festival de documentários musicais In-Edit.

Nele, temos o relacionamento entre ele e os Beatles como tema principal, incluindo entrevistas recentes com Paul McCartney e Ringo Starr ao lado do mestre. Mas a trajetória desse verdadeiro mito da música nascido no Reino Unido em 3 de janeiro de 1926 é apresentada em toda a sua amplitude, indo além de “apenas” relacionar sua vida com os Fab Four.

Do início como estudante de música aos tempos da 2ª Guerra Mundial, o emprego como produtor na EMI, a conquista do cargo de diretor artístico do selo Parlophone, a produção de discos de comédia com o ator Peter Sellers e a descoberta de John, Paul, George e Ringo estão aqui. Também temos outros momentos marcantes de seu extenso currículo.

Entre eles, o trabalho de Martin com grupos como America, Mahavishnu Orchestra, Jeff Beck e outros, a criação de seu próprio estúdio, o Air, a forma como a versão caribenha, situada na ilha de Montserrat, foi devastada por uma dessas terríveis manifestações da natureza, e de como ele luta contra a surdez. O relacionamento com o filho, o também produtor Gilles, é outro foco bacana da atração bancada pela BBC.

Além do filme, o DVD traz como atratativo 52 minutos de material adicional, o que torna a experiência de conhecer um pouco da vida de George Martin ainda melhor. Meu amigo Raul Bianchi teve a honra de conhecer esse cara pessoalmente, quando Sir George Martin veio ao Brasil. É para se roer de inveja! Mas ao menos temos este DVD para minorar nosso prejuízo…

Veja o trailer de Produced By George Martin:

6 Comments

  1. vladimir rizzetto

    November 15, 2012 at 7:11 pm

    Salve Fabian!

    George Martin não é chamado de “5º Beatle” à toa.
    Se tomarmos apena o quarteto inglês como referência, temos material abundante para avaliarmos com precisão o tamanho de sua importância para o rock e a música pop.
    Tomemos como exemplo, as três versões de Strawberry Fields Forever do Anthology 2, na qual o produtor recebe uma demo tosca e a transforma numa peça colossal e obra-prima da psicodelia.
    A catártica Day in Life, a lisérgica Tomorrow Never Knows, os metais clássicos de Penny Lane, as cordas “Hitchcockianas” de Eleanor Rigby e outras dezenas de maravilhas, onde GEorge Martin viabilizou e desenvolveu todas as ideias dos Beatles, certamente representam as “sagradas escrituras” da arte de produzir.
    Para aqueles que mesmo assim, tentarem minimizar a importância de George para os Beatles, basta dar uma ouvida em alguns discos solos dos ex-Beatles, que terão a exata medida do talento desse profissional e de sua contribuição.
    Não conheço a fundo o trabalho pós Beatles de George, apenas alguma coisa do America e do Jeffe Beck. E, no caso do último, não é por acaso que Blow by Blow é um dos melhores discos do guitarrista inglês.
    O trabalho de George em Cause We’ve Ended as Lovers, Freeway Jam e principalmente, Diamond Dust é simplesmente devastador.
    Aproveitando o gancho, outro produtor que admiro muito é Bob Ezrin, que tem no seu currículo os mais geniais discos de Alice Cooper, Kiss, entre outros. Aliás, o último cd do Alice, Welcome to my Nightmare 2, também produzido por Bob é sem exageros, um clássico.
    Também aprecio o trabalho de Martin Birch, um engenheiro de som que se tornou produtor. É ele quem assina a produção dos melhores discos do Rainbow, Whitesnake, Iron Maiden, e vários outros.
    Fabian, me desculpe por sair um pouco do assunto central, é que este assunto de produção de discos é algo que eu sempre tive muito interesse.

    Abração

  2. Caro Vladimir: seus comentários são sempre deliciosos e bem escritos, ou seja, pode sair do assunto central quantas vezes quiser por aqui. Curto muito os produtores citados por você. O Bob Ezrin trabalhou até com o Pink Floyd, mas acho que ele chegou ao auge ao lado do Alice Cooper. Se você se interessar, posso te indicar dois livros (em inglês) sobre produtores. Grande abraço e obrigado por sua visita sempre qualificada a Mondo Pop!!!

  3. vladimir rizzetto

    November 16, 2012 at 10:51 am

    Obrigado, Fabian.

    Meu inglês não é lá essas coisas, mas, agradeço se me informar.

    Abraço

  4. Oi, Fabian

    Perguntar não ofende: ST2, cadê as legendas em português????

  5. A ST2 em seus anos iniciais primava pelo extremo cuidado com esse tipo de detalhe. De uns tempos para cá, infelizmente essa distribuidora nacional deu uma avacalhada, lançando alguns de seus dvds, como esse do George Martin e um sobre o Roxy Music, sem legendas em português. Lamentável, tipo da economia que não gera benefícios a ninguém, nem a eles, pois quem compra um documentário sem legendas tem tudo para ficar pê da vida….. Grande abraço e tudo de bom para você, André!

  6. Também tive a honra de conhecê-lo, mas na Inglaterra. Atencioso, educado, um gentleman. Além de tudo que se poderia dizer sobre sua obra musical. Genial!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2017 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑