Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

O genial Burt Bacharach volta a SP em abril

Por Fabian Chacur

A palavra gênio nunca é usada de forma exagerada quando o nome em questão é Burt Bacharach. O maestro, compositor e músico americano, autor de um caminhão de clássicos da música pop, voltará a São Paulo no dia 20 de abril, quando fará um show com sua orquestra no HSBC Brasil, com ingressos de R$ 150,00 a R$ 400, 00 (www.hsbcbrasil.com.br).

Nascido em 12 de maio de 1928 em Kansas, nos EUA, Burt Bacharach iniciou sua carreira nos anos 50, e encontrou sua cara metade em termos artísticos ao conhecer o saudoso letrista Hal David, morto em setembro de 2012 (leia mais sobre ele aqui).

Juntos, Bacharach e David compuseram inúmeros sucessos do mais alto quilate, entre os quais Anyone Who Had a Heart, Mexican Divorce, (They Long To Be) Close To You, Walk On By, Raindrops Keep Falling On My Head, Reach Out For Me, Baby It’s You e I Saw a Little Prayer, só para citar alguns, gravadas por Deus e o mundo.

Com melodias insinuantes, arranjos sempre classudos e as letras sempre inspiradas e originais, a dupla Bacharach/David entrou para os anais da música pop graças às suas criações dos anos 60 e 70. As gravações dessas canções com a orquestra de Burt também são certeiras, com aqueles vocais doces e orquestrações que fogem do brega e do convencional.

Bacharach voltou às paradas de sucesso nos anos 90 ao gravar o álbum Painted From Memory (1998) em parceria com o roqueiro britânico Elvis Costelo, álbum que inclui uma de suas mais inspiradas canções, God Give Me Strenght. Alias, a dupla prepara um espetáculo para a Broadway com o ator Mike Myers, enquanto Burt promete ainda para este ano sua autobiografia, Anyone Who Had a Heart, que será lançada pela editora Harper-Collins.

*obs.: essa matéria é dedicada a você, saudoso Toninho Spessoto, o maior fã e especialista em Burt Bacharach que conheci na minha vida!

God Give Me Strengh – Elvis Costello e Burt Bacharach:

Mexican Divorce, com Burt Bacharach:

7 Comments

  1. Nessa música que você postou, “Mexican Divorce”, o vocal é da Cissy Houston, bem melhor e “bem mais viva” que sua filha Whitney, que me perdoem o maldoso jogo de palavras… pelo que me informei na época em que a Whitney morreu, Mamãe Cissy está muito bem com seus 80 e tantos anos, cantando em corais gospel.

  2. Não sabia disso, Cláudio. Adoro a voz da Cissy, que teve um grande hit na época da disco music, Think It Over, produção de Michael Zager. Aliás, foi no álbum Life’s a Party (1978), da Michael Zager Band, que Whitney Houston estreou em disco. Amo essa versão de Mexican Divorce, lembro exatamente de onde estava quando a ouvi pela primeira vez, e eu era criança…Wonder Years total!!! Grande abraço e obrigado pela visita qualificada!

  3. E, se alguém traduzir essa postagem do “Mondo” pra Mãe Cissy, ela vai querer me matar por eu ter escrito “80 E TANTOS anos”!!! Imagine só que eu tinha escrito “80 e poucos…”, mas a internet falhou na hora de eu postar, então reescrevi tudo substituindo por “80 e tantos”, oh, deus, tivesse eu checado antes na internet, como acabo de fazer agora, teria a info que ela vai completar 80 anos APENAS no próximo dia 30 de setembro! (Eu e minha mania de desviar o assunto, até agora nada de comentários sobre o Burt Bacharach, então lá vai o meu: um músico tão importante no cenário mundial quanto o Tom Jobim; equivalem-se tanto que a obra de ambos é rotulada às vezes como “easy listening”, ou música para elevador ou sala de espera de consultório, o que é absolutamente incorreto) ab’çãopr’ocê.

  4. Cara, nenhum comentário sobre este artigo, só dizer que descobri sua coluna agora e achei muito, muito boa mesmo. Estou lendo os outros tópicos, sempre muito preciso no que fala e ainda é fonte de ótimos músicos. Parabéns, espero que o site dure bastante!

  5. admin

    March 4, 2013 at 2:33 pm

    Devidamente corrigido, Cláudio. Adorei seu comentário sobre Jobim e Bacharach, altamente pertinente. Easy Listening, na minha opinião, é um rótulo usado por muitos de forma pejorativa, mas pensemos bem: se é fácil de ouvir, é sinal de que a música é boa, não é mesmo? Melhor easy do que hard listening ehehehehehe Dois gênios com obras realmente expressivas, e que dá gosto de ouvir, ontem, hoje e sempre. Caro Abreu, muito obrigado pelos elogios, que acabam sendo o combustível que me anima a prosseguir. Grande abraço, tuuuudo de bom e volte sempre que puder/quiser!!!!

  6. Concordo com o Foá: Bacharach é tão importante e talentoso quanto Tom Jobim, apesar de o americano ser menos respeitado pela “ignorantsia” da crítica musical. E ele, sim, tem mais de oitenta anos de idade… Ano passado este Mondo Pop já havia feito uma bela homenagem a Hal David, co-autor dos maravilhosos hits de Burt Bacharach. Para quem não leu na época:

    http://www.mondopop.net/2012/09/morre-o-genial-letrista-pop-hal-david/

  7. admin

    March 4, 2013 at 3:15 pm

    Concordo em gênero, número e grau com você, Neder. E valeu pelo link e por valorizar o meu humilde tributo ao genial Hal David, parceiro em inúmeros hits de Burt Bacharach. Grande abraço e é uma honra ter visitas qualificadas como a sua aqui em Mondo Pop.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑