Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Mark Farner dá aula de hard rock em SP

Por Fabian Chacur

O horário e o local eram apavorantes: uma da madrugada do último domingo (18) no Palco São João, da Virada Cultural 2014. Mas a atração era tentadora. Nada mais, nada menos do que Mark Farner, cantor compositor e guitarrista do lendário Grand Funk Railroad, uma das melhores bandas da história do rock and roll como um todo e do hard rock melódico em particular. Valeu (e como!) o risco corrido!

Desde o início da apresentação, que na verdade teve início apenas às 01h40 do domingão, ficou claro que o astro americano, aos 65 anos de idade, continua em plena forma, com aquele vozeirão dos anos 70 e uma performance na guitarra das mais vigorosas. A seu lado, Richard Baker (teclados), Hubert (The H-Bomb) Crawford (bateria e vocais) e Lawrence Buckner (baixo e vocais).

Um timaço dos mais entrosados que soube honrar o ótimo repertório do Grand Funk. Os hits foram sendo enfileirados um a um: Rock & Roll Soul, Footstompin’ Music, Creepin’, Bad Time, The Loco-Motion, Some Kind Of Wonderful…Uma delícia ouvir essas maravilhas sendo bem tocadas e com a voz e guitarra que as lançaram originalmente em desempenho impecável.

No fim, às 02h46, com um bis que incluiu um solo de bateria e a mitológica I’m Your Captain (Closer To Home), o show se encerrou com aquele forte gostinho de quero mais. O público presente curtiu bastante, mesmo tendo de enfrentar o frio e os “amigos do alheio” que estavam por perto para tentar estragar a festa roqueira. Sorte que, ao menos neste show, tudo deu certo.

Chega a ser engraçado pensar atualmente que, durante boa parte dos anos 70, o trabalho do Grand Funk Railroad era simplesmente detonado pela crítica americana. Qual seria a razão? A simplicidade direta de suas letras? A energia básica e o teor melódico de suas músicas? A aura de “povão” de seus integrantes? Seja como for, os hits de Mark Farner e sua banda continuam deliciosos em pleno século 21, e bem defendidos por seu lider.

Footstompin’ Music, com Mark Farner (ao vivo) :

Bad Time, com Mark Farner (ao vivo):

The Loco-Motion, com Mark Farner (ao vivo):

2 Comments

  1. vladimir rizzetto

    May 27, 2014 at 1:10 am

    Salve baluarte, tudo bem!

    Ah, como eu gosto do Grand Funk! Uma das bandas que eu mais amo.
    Simples, poderosa, ganchuda e repleta de energia, é assim que eu veja esta banda.
    Aliás, é oportuno dizer que não existe Rolling Stones sem Mick Jagger, Nirvana sem Kurt Cobain, Queen sem Freddie Mercury e… Grand Funk sem Mark Farner!
    P###
    Ainda existe essa “aberração”? rs
    Gostaria muito de ter visto, mas pelo que li, a virada foi um tanto conturbada…

    Abração

  2. admin

    May 27, 2014 at 3:41 pm

    Grande Vladimir Rizzetto!!! É sempre uma honra receber sua visita por aqui. Cara, concordo plenamente com a sua análise, e tremo só de pensar como dever ser esse Grand Funk sem o Mark Farner. Prefiro ele sem a banda, pois de quebra o cara trouxe grandes músicos com ele. Foi um belo show, mas realmente estava meio assustador por lá. Valeu a pena, apesar de tudo, pois vi um dos meus ídolos de infância!!! Grande abraço e volte sempre, fera!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑