Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Morre aos 60 anos o brilhante baterista Azael Rodrigues

azael rodrigues-400x

Por Fabian Chacur

O Brasil perde mais um grande músico. Trata-se do baterista Azael Rodrigues, que tinha 60 anos de idade. Sua morte foi anunciada e lamentada nesta quarta-feira (23) nas redes sociais por vários daqueles que tiveram o privilégio de tocar com ele. Maiores detalhes sobre o fato não foram divulgados. O músico tem um daqueles currículos invejáveis.

Nascido em São Paulo em 15 de maio de 1955, Azael de Magalhães Rodrigues Júnior teve participação importante na trajetória do Premeditando o Breque (Premê), uma das bandas de ponta da chamada Vanguarda Paulistana, nos anos 1980. Com eles, fez inúmeros shows e gravações, entre eles a do álbum Quase Lindo. Ele marca presença no recente documentário Quase Lindo (leia a resenha do DVD aqui).

Azael ficou marcado como um dos principais bateristas da música instrumental brasileira. Integrou o grupo Divina Increnca, que no início dos anos 1980 esbanjava criatividade em sua mistura de música brasileira e jazz, reunindo os ótimos Felix Wagner (teclados) e Rodolfo Stroeter (baixo). Eles lançaram um álbum autointitulado que se tornou clássico nessa vertente de nossa música.

As baquetas do músico paulistano estiveram a serviço de Cesar Camargo Mariano (álbuns Prisma-1985 e Ponte das Estrelas-1986), Pau Brasil, Arrigo Barnabé, banda Mantiqueira e Jorge Benjor, entre outros. Ele investiu recentemente na banda Azael Rodrigues & Network. Nos últimos meses, preparava nova versão do Divina Increnca, que estava gravando um novo trabalho, com a participação do tecladista Rogério Rochlitz, conforme depoimento do mesmo nas redes sociais.

Se esse currículo todo não fosse suficiente, Azael ainda trabalhava como professor, ensinando bateria e rítmica desde 2005 no Conservatório Souza Lima, em São Paulo. A nova encarnação da Divina Increnca se apresentou ao vivo em 2016, comemorando os 35 anos do lançamento de seu álbum de estreia e em vias de preparar um novo trabalho. Uma pena esse projeto ficar incompleto, ao menos aparentemente.

-Solo de bateria- Azael Rodrigues com o Divina Increnca:

Viva Rodgers– A Divina Increnca:

Perguntas e Respostas, Afoxé, Voo Livre, e Tosca– Divina Increnca:

7 Comments

  1. Claudio Finzi Foá

    April 7, 2016 at 2:17 pm

    Fabian,
    a fotobiografia dos Mutantes que você comentou aqui:
    http://www.mondopop.net/2015/10/livro-com-fotos-dos-mutantes-sera-lancado-com-show-em-sp/
    traz fotos do Azael quando ele era membro da banda psicodélica SCALADACIDA.
    Você sabia disso? Eu não!!

  2. admin

    April 11, 2016 at 10:38 pm

    Também não sabia disso, Claudio! Como diriam por aí, o mundo é pequeno….rsrsrsr O engraçado é a formação desse grupo tão efêmero, que incluía o Azael, o guitarrista Fabio Gasparini e o baixista Sérgio Kaffa. Grande abraço e obrigado pela audiência qualificada!

  3. Claudio Finzi Foá

    April 12, 2016 at 2:16 pm

    E o Ritchie, aquele do “Menina Veneno”, também era do Scaladácida.
    abçs

  4. admin

    April 12, 2016 at 7:39 pm

    Isso, exatamente, Claudio. Aí, o grupo não deu certo e ele partiu para dar aulas de inglês, depois integrou o grupo Vimana com o Lobão e nos anos 80…..Menina Veneno!!! Grande abraço e tudo de bom!

  5. admin

    April 12, 2016 at 7:40 pm

    E já que a gente está se divertindo com o currículo dos caras do grupo, esse Fábio Gasparini é o mesmo Fábio do Sunday, que nos anos 80 integraria o Magazine do Kid Vinil. Eita!!!!

  6. Azael deixou dois discos inéditos recentemente lançados. Cantilena em duo com o músico e compositor João Marcondes, e o disco Coletivo São Paulo-Milào com o pianista italiano Antonio Zambrini, André Santos e também com João Marcondes. Disponível no Spotify, Deezer, iTunes. Vale conferir.

  7. Valeu pelas preciosas dicas, Antônio Sila. Brigadão, e volte sempre que quiser ou puder.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑