Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Page 2 of 331

Agnaldo Timóteo, 84 anos, cantor de vozeirão e sem papas na língua

Agnaldo-Timoteo

Por Fabian Chacur

Tive a oportunidade de participar de uma entrevista coletiva de Agnaldo Timóteo lá pelos idos de 2006, e o achei, pessoalmente, bem mais simpático do que em suas aparições na TV. Ele não tinha medo de falar o que pensava, mesmo que pagasse caro por isso, e dessa forma ganhou inimizades e antipatia. Mas aparentemente nunca traiu suas convicções, o que é algo a se elogiar. Ele nos deixou neste sábado (3) aos 84 anos, no Rio de Janeiro, mais uma vítima do novo coronavírus, após ter ficado internado por 17 dias. Grande perda para a nossa música.

Nascido em Caratinga (MG) em 16 de outubro de 1936, Timóteo desde sempre se mostrou um fiel seguidor da escola de cantores românticos de vozeirão do tipo Nelson Gonçalves, Orlando Silva e Francisco Alves, e não se deixou influenciar pela bossa nova ou outros gêneros musicais do tipo mais contido. Antes de gravar seu 1º disco, em 1961, ganhou a vida do jeito que dava, tendo sido, inclusive, motorista da cantora Angela Maria, que não só o incentivou a seguir a carreira artística como, posteriormente, fez show e gravou com ele.

O primeiro sucesso veio em 1965 com A Casa do Sol Nascente, versão em português para The House Of The Rising Sun, que tornou o grupo britânico The Animals conhecido no mundo todo. Em 1967, invadiu as paradas de sucesso com Meu Grito, do amigo Roberto Carlos, que ele conheceu antes do artista virar o Rei. Os Brutos Também Amam, já nos anos 1970, foi outro hit que ele ganhou do autor de Detalhes.

Além de versões e algumas canções de sua autoria, entre as quais a corajosa e polêmica A Galeria do Amor, ele também gravou autores badalados, como Chico Buarque (Olhos nos Olhos) e Gonzaguinha. Deste último, ele gravou Grito de Alerta, que na verdade o compositor escreveu inspirado em conversas que teve com Timóteo. O cantor mineiro explicou essa curiosa situação em um depoimento publicado no livro Gonzaguinha e Gonzagão- Uma História Brasileira, de Regina Echeverria (2006- Ediouro):

“Eu fiquei pau da vida com o Gonzaguinha porque aquela história era minha, eu deveria ter sido até parceiro dele na música. Eu falei: puta que pariu,m Gonzaguinha, então eu te conto uma história da minha cama e você dá a música para a Bethânia gravar?”, comentou sobre o fato de Maria Bethânia ter tido a chance de gravar em primeira mão essa canção, que fez muito sucesso em 1980.

Em 1982, quando seu sucesso comercial começava a decair, ele se candidatou a deputado federal pelo Rio de Janeiro, e foi eleito. Tinha início o seu envolvimento com a política, que lhe rendeu alguns mandatos no Rio e também em São Paulo, mas que lhe trouxe grandes antipatias por causa de suas posições conservadoras e por vezes difíceis de se entender por serem de alguém de origem tão modesta em termos financeiros.

Mesmo assim, manteve-se gravando discos e fazendo shows durante esses anos todos. Timóteo, inclusive, chegou a vender seus CDs lançados de forma independente em praças públicas, em momentos mais complicados de sua trajetória. Mas o vozeirão nunca o traiu, como podemos ver em uma live feita por ele em janeiro com fins beneficentes, nas quais o sujeito solta a voz com a categoria habitual.

Meu Grito– Agnaldo Timóteo:

Ricardo Vignini faz lives e uma campanha para lançar álbum

ricardo vignini 400x

Por Fabian Chacur

No dia 20 de março de 2020, Ricardo Vignini faria um show no Sesc 24 de Maio, em São Paulo, para lançar o seu álbum Reviola. No entanto, a inesperada pandemia do novo coronavírus chegou e bagunçou a vida de todos, especialmente aqueles da área cultural. Sem desanimar, o violeiro, compositor e produtor cultural buscou alternativas. Ele realiza nos dias 3 (sábado) e 4 (domingo), sempre às 18h, duas lives (o link está aqui), com participações especiais dos amigos Zé Geraldo e Tuia. E vem mais por aí.

Sem cruzar os braços nesses meses tão controversos e repletos de incertezas, Vignini gravou mais dois álbuns, Sessões Elétricas Para Um Novo Tempo e Cubo, e agora está em plena campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) para viabilizar o lançamento desses três trabalhos em um CD triplo cujo título coletivo é 30 Anos, remetendo à celebração das três décadas de carreira do artista. Os discos contam com participações de Lenine, Guarabyra, Zé Geraldo e outros artista do mesmo alto gabarito.

Inquieto, criativo e versátil, o artista paulistano investe em uma frutífera carreira solo e também integra os grupos Matuto Moderno e Moda de Rock, nos quais mostra como expandir de forma exponencial os limites da viola caipira, sem no entanto abandona a essência desse instrumento musical tão presente em nossa música popular. O projeto de crowdfunding também envolve o lançamento físico de seu livro Ricardo Vignini-Viola Caipira-Partituras-Tablaturas. Saiba mais sobre os CDs e o livro aqui.

Minuano (ao vivo)- Ricardo Vignini:

Cheap Trick faz releitura de um grande clássico de John Lennon

Cheap Trick por David McClister

Por Fabian Chacur

Uma das faixas mais ácidas do maravilhoso álbum Imagine (1971), de John Lennon, é Gimme Some Truth. Trata-se de um rock vigoroso, cuja letra sem papas na língua detona os políticos e a sua capacidade de mentir o tempo todo. Como permanece mais atual do que nunca, ela acaba de ser regravada pelo grupo americano Cheap Trick, que a lançará no dia 9 de abril como parte de In Another World, seu novo álbum de estúdio, o 22º de uma discografia que teve início em 1977.

O arranjo é bem próximo da gravação do ex-beatle, embora um pouco mais pesada, e mostra que o quarteto ianque permanece com um pique dos mais elogiáveis. A atual formação da banda traz seus integrantes originais Robin Zander (vocal e guitarra-base), Rick Nielsen (guitarra) e Tom Peterson (baixo), tendo atualmente na bateria Daxx Nielsen (filho de Rick) na vaga que foi durante décadas de Bun E. Carlos.

Em comunicado enviado à imprensa, a banda integrante do Rock And Roll Hall Of Fame comenta sobre o espírito reinante neste novo trabalho: “Esse disco em especial reflete o mundo atual e o que estamos passando”, conta Zander. “Sempre fomos uma banda com um olhar positivo, esperançoso, mesmo quando éramos irônicos. Mas agora que estamos ficando mais velhos, vemos que não temos muito o que comemorar ao nosso redor”.

Eis as faixas de In Another World:

1-The Summer Looks Good On You

2- Quit Waking Me Up

3- Another World

4- Boys & Girls & Rock N Roll

5- The Party

6- Final Days

7- So It Goes

8- Light Up the Fire

9- Passing Through

10-Here’s Looking At You

11-Another World reprise

12-I’ll See You Again

13-Gimme Some Truth

Gimme Some Truth– Cheap Trick:

Garbage lança single e promete um novo álbum para 11 de junho

Garbage - Divulgação

Por Fabian Chacur

Após cinco anos, o grupo americano Garbage avisa que lançará um novo álbum de inéditas. No Gods No Masters, prometido pela gravadora BMG para sair no dia 11 de junho, será o 7º trabalho de estúdio da banda liderada pelo produtor e baterista Butch Vig e pela carismática cantora Shirley Manson. Para atiçar a curiosidade dos fãs, foi disponibilizado nesta terça (30) o vigoroso single The Men Who Rule The World, com direito a um belo clipe de animação.

A nova canção flagra a banda, que além de Vig e Shirley também conta com Duke Erikson (guitarra e baixo) e Steve Marker (guitarra e teclados), totalmente sintonizada com o complicado momento pelo qual passa o mundo. Trata-se de um protesto vigoroso contra o capitalismo selvagem e seus malefícios. A cantora explica a motivação por trás do novo álbum, em comunicado enviado à imprensa:

“Esse é o nosso sétimo disco, e esse número e seus múltiplos significados afetaram o DNA do conteúdo do trabalho. As sete virtudes, as sete dores da religião, os sete pecados capitais. Foi nosso modo de tentar achar algum sentido nessa loucura que é o mundo e esse caos sem limites que nos metemos”.

Na ativa desde 1993, o Garbage já se apresentou ao vivo no Brasil, e mescla rock com eletrônica de forma vigorosa e original, sem perder um apelo pop. Butch Vig, para quem não se lembra ou não sabe, é o produtor do álbum Nevermind (1991), que impulsionou o Nirvana rumo ao primeiro escalão do rock.

The Men Who Rule The World (clipe)- Garbage:

Augusto Lima lança 1º single solo produzido pela TGM Recordings

augusto lima 400x

Por Fabian Chacur

Augusto Lima foi um dos mais de 650 inscritos no concurso Sua Música Na TV, cujo vencedor teria como prêmios a inclusão de sua música em uma série do SBT Interior e também a cobertura dos gastos de gravação e produção de um single. O nível dos candidatos era tão bom, no entanto, que o produtor musical paulistano Pedro Canaan, que promoveu a competição em parceria com a Claudinei Assis Produções, resolveu oferecer a produção gratuita para mais dois concorrentes. E o 3º colocado, o cantor, compositor e músico gaúcho Augusto Lima, acaba de lançar seu single, Algum Lugar, já disponível nas plataformas digitais.

Com 21 anos de idade, Lima é oriundo da cidade de Portão (RS), e mergulhou no mundo da música aos 12 anos de idade. Nos últimos tempos, integra a banda Presidente Jack. Algum Lugar marca a sua estreia como artista solo, e equivale a uma vigorosa mistura de new bossa com rock ardido, no qual o jovem artista mostra seu potencial. O single leva o selo TGM Recordings, capitaneado por Pedro Canaan, também conhecido por integrar a banda The Dead Season.

Para Augusto, ter conseguido gravar este single equivale a uma oportunidade bastante importante para seus projetos enquanto músico: “Passar no concurso, ter que viajar para São Paulo para conhecer o Pedro, gravar com a TGM Recordings e finalmente lançar a música, foi uma coisa que mudou completamente a minha vida. Tudo está acontecendo muito rápido. Parece que estou vivendo um sonho, demorou muito pra cair a ficha”.

Algum Lugar– Augusto Lima:

Zeca Baleiro e Rita Benneditto em single repleto de São Luis

zeca baleiro single 400x

Por Fabian Chacur

São Luís do Maranhão tem algumas características culturais marcantes. Duas delas: um número expressivo de grandes nomes no cenário musical do nosso país e uma preferência bastante significativa pelo reggae, sendo considerada por muitos como a capital brasileira do envolvente ritmo criado na Jamaica. Zeca Baleiro e Rita Benneditto, dois desses craques musicais, acabam de lançar o single Com o Afeto das Canções, uma gravação mais maranhense do que nunca e repleta de parceiros daquele estado nordestino.

A composição é de Joãozinho Ribeiro, conterrâneo de Zeca e Rita e com quase cem canções gravadas em sua trajetória artística. Foi ele quem convocou o maestro Zé Américo para produzir e arranjar Com o Afeto das Canções. Além de se incumbir de piano, teclados e programações, Américo teve o apoio de Israel Dantas (violão e guitarra), Fernando Fofão (baixo), Moisés Mota (bateria) e Carlos Pial (percussão). A cantora registrou sua participação no Rio de Janeiro, enquanto Baleiro fez isso em São Paulo, ambos de forma remota.

O autor explica o que o motivou a escrever esse reggae delicioso e com muita leveza e clima pop: “Em tempos tão sombrios, Com o Afeto das Canções traz uma mensagem de esperança e liberdade, na certeza de que um outro mundo fraterno, justo e solidário, ainda é possível”.

Com o Afeto das Canções (clipe)- Zeca Baleiro e Rita Benneditto:

Peter Frampton lança clipe com bela homenagem a David Bowie

peter frampton capa 2021

Por Fabian Chacur

David Bowie e Peter Frampton se conheceram ainda muito jovens, quando o saudoso astro britânico foi aluno do pai do autor de Baby I Love Your Way, Owen Frampton. Ele homenageia o amigo no álbum que irá lançar no dia 23 de abril, Frampton Forgets The Words, no qual ele e sua banda de apoio releem 10 faixas de outros compositores de forma instrumental, incluindo Loving The Allien, lançada por Bowie em 1984 no seu álbum Tonight.

Loving The Allien está sendo divulgada com um belo clipe que mescla cenas registradas de forma remota com Frampton e seus músicos e fotos e filmagens dos dois amigos, sendo que uma delas traz os Framptons pai e filho e Bowie. Os registros foram feitos na época em que os músicos trabalharam no álbum Never Let Me Down (1987) e na turnê que divulgou esse trabalho do autor de Heroes, a Glass Spider. Uma das cenas mostra Bowie apresentando o guitarrista em um dos shows feitos por eles nesse período.

Além da composição de Bowie, o álbum instrumental nos oferece clássicos do porte de Avalon, faixa-título do último álbum do Roxy Music lançado em 1982, e Are You Gonna Go My Way, que deu nome ao álbum de 1993 de Lenny Kravitz. Peter Frampton também lançou, em outubro de 2020, uma autobiografia, intitulada Do You Feel Like We Do?: A Memoir.

Loving The Allien (clipe)- Peter Frampton Band:

Norah Jones lançará seu 1º álbum completo ao vivo em 16 de abril

norah jones capa album

Por Fabian Chacur

No dia 16 de abril, chegará ao mercado musical nos formatos CD simples, LP de vinil duplo e digital …’Til We Meet Again, 1º álbum completo ao vivo da carreira de Norah Jones. O conteúdo reúne 14 faixas registradas ao vivo entre 2017 e 2019 em shows realizados pela cantora, compositora e musicista nos EUA, França, Itália, Argentina e Brasil. Em nosso país, foram registradas seis canções, entre elas Falling, escrita por ela em parceria com o ex-integrante do Los Hermanos Rodrigo Amarante.

A seleção de repertório vai desde o primeiro grande hit de Norah, Don’t Know Why, de 2002, até faixas mais recentes lançadas inicialmente em single. It Was You é a primeira amostra do álbum já disponibilizada nas plataformas digitais. Uma das surpresas é a releitura de Black Hole Sun, hit do grupo Soundgarden nos anos 1990, que ela canta no melhor estilo piano e voz para homenagear o saudoso vocalista da banda, Chris Cornell.

Eis as faixas de …’Til We Meet Again:

1- Cold, Cold Heart (Live)
2- It Was You (Live)
3- Begin Again (Live)
4- Those Sweet Words (Live)
5- I’ve Got To See You Again (Live)
6- After The Fall (Live)
7- I’ll Be Gone (Live)
8- Just A Little Bit (Live)
9- Falling (Live)
10-Tragedy (Live)
11-Sunrise (Live)
12-Flipside (Live)
13-Don’t Know Why (Live)
14-Black Hole Sun (Live)

It Was You (live)- Norah Jones:

Péricles Cavalcanti celebra 30 anos de Canções com shows

pericles cavalcanti 2 por diego ciarlariello

Por Fabian Chacur

Em 1991, Péricles Cavalcanti já tinha uma boa estrada como compositor, tendo escrito, entre outros um hit clássico de Gal Costa, Negro Amor, versão de It’s All Over Now, Baby Blue (Bob Dylan) feita com Caetano Veloso. No entanto, foi só naquele ano que ele enfim lançou seu primeiro álbum solo. E é para celebrar os 30 anos de Canções que o artista está exibindo shows especiais em seu canal no Youtube (o link está aqui), em todos os sábados de março e abril, sempre às 18h.

Acompanhado por Pipo Pegoraro (teclados, guitarra, baixo e MPC), Cláudio Faria (trompete) e Marcelo Monteiro (sax e flauta), Péricles mostra versões renovadas de músicas de Canções, além de algumas dos outros álbuns que o cantor, compositor e músico carioca de 73 anos gravou desde então. Entre outras, teremos Príncipe das Marés, Eu Queria Ser Cássia Eller, Blues e Meu Bolero, sendo que esta última ele gravou em seu álbum de estreia tendo a participação especial do amigo e parceiro Caetano Veloso.

Os shows tem como local um palco preparado no Estúdio Loop, em São Paulo, com cenário criado pelo arquiteto Ícaro Villaça inspirado pela capa do LP, registrada pelo premiado fotógrafo Bob Wolfenson. Além de Caetano e Gal, também gravaram músicas de Péricles nomes como Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhoto, Gilberto Gil e Cássia Eller. Canções valeu a ele o prêmio de melhor compositor pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte).

Ouça o álbum Canções em streaming:

The Cribs lançam clipe com clima da imprensa musical dos anos 80

the cribs

Por Fabian Chacur

Quem tem de 30 anos para cima certamente se lembra dos jornais semanais britânicos especializados em música, como New Musical Express e Melody Maker. Eram uma das principais fontes de informações para os aficionados em rock e pop nos anos 1980 e 1990. Como forma de relembrar daquela época, em que eram exatamente esses moleques, o grupo britânico The Cribs acaba de lançar um clipe totalmente ambientado naquele ambiente, para divulgar Siren Sing-Along, faixa de seu mais recente álbum, Night Network, lançado no exterior em novembro de 2020.

O grupo, hoje formado pelos irmãos gêmeos Gary Jarman (baixo e vocal) e Ryan Jarman (guitarra e vocal) e seu irmão mais novo Ross Jarman (bateria), conta sobre a importância desses jornais para alimentar suas paixões pela música pop, em comunicado enviado à imprensa:

“A imprensa musical semanal sempre foi uma salvação para crianças isoladas como nós – uma janela para uma vida mais emocionante e vibrante da qual fomos cortados … então foi realmente um momento perfeito para Nick Scott (o diretor do videoclipe) prestar homenagem a essa nostalgia, visto que temos trabalhado e filmado enquanto estamos separados um do outro e fantasiamos sobre poder voltar a ser uma banda de novo!”

The Cribs surgiram em 2001 e estouraram em termos de popularidade no Reino Unido em 2009 com seu 4º álbum, Ignore The Ignorant. Estre trabalho marcou a estreia discográfica na banda de ninguém menos do que Johnny Marr, ex-guitarrista dos Smiths, que permaneceu com eles de 2008 a 2011. O grupo tem em sua discografia 8 álbuns de estúdio e uma coletânea. Night Network atingiu o 12º posto na parada britânica.

Siren Sing-along (clipe)- The Cribs:

« Older posts Newer posts »

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑