Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: abril 2014

Festa Folk é atração no Bourbon Street-SP

Por Fabian Chacur

Alguns dos mais talentosos nomes da nova geração da música folk brasileira estarão nesta terça-feira (29) a partir as 20h em São Paulo no Bourbon Stret Music Club (rua dos Chanés, 127- Moema- fone 0xx11-5095-6100). O evento, apropriadamente intitulado Festa Folk, traz como convidado especial o consagrado cantor e compositor Renato Teixeira, com couvert artístico a R$ 40,00.

O time traz o cantor, compositor e músico Tuia Lencioni, ex-integrante do grupo Dotô Jeka e atualmente investindo em bela carreira solo que tem como fruto mais recente o excelente CD Jardim Invisível. Wilson Teixeira, por sua vez, alterna trabalhos individuais com o projeto 4 Cantos, enquanto Bezão, ex-membro do grupo Rossa Nova, atualmente prepara o seu primeiro álbum solo, ainda sem data certa para lançamento.

Oriundo de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Jonavo também está aprimorando material para um novo trabalho solo. Chico Teixeira, que já tocou em inúmeros shows do pai Renato Teixeira, agora divulga seu álbum Mais Que Um Viajante. Adriana Violeira Farias, do grupo Barra da Saia, toca viola e canta, sendo o elemento feminino do projeto. E nem é preciso dizer que músicas como Romaria, Amora e Tocando Em Frente, clássicos do convidado especial, devem estar no repertório dessa festa folk.

Veja entrevista de Tuia Lencioni no Programa Em Cartaz:

Trio de 2 toca no Central das Artes-SP

Por Fabian Chacur

Trio de 2? É isso mesmo que você leu. São dois músicos, Rômulo Gomes (violão e baixo) e Xande Figueiredo (bateria), que buscam com sua sonoridade reproduzir de forma criativa o que normalmente seria feito por três músicos tocando baixo, violão e bateria. Eles são a atração desta terça-feira (29) no restaurante Central das Artes (rua Apinajés, 1.081- fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00. Boa oportunidade de se conferir músicos talentosos e com belos currículos.

Em suas trajetórias, Rômulo e Xande já tiveram a oportunidade de tocar e participar de gravações com astros do naipe de João Bosco, Maria Bethânia, Johnny Alf, Gilberto Gil, Gal Cosyta, Simone, Emílio Santiago, Caetano Veloso, Cazuza, Edu Lobo e inúmeros outros. No show, eles mostram repertório próprio e inédito com clássicos da MPB escolhidos a dedo.

Ouça Cai Dentro, com o Trio de 2:

Quinteto Vento Em Madeira fará show em SP

Por Fabian Chacur

Os fãs de música instrumental brasileira terão um bom programa em São Paulo no próximo dia 23(quarta-feira). O Quinteto Vento Em Madeira irá se apresentar às 20h na Sala do Conservatório da Praça das Artes (avenida São João, 281- Sé – fone 0xx11-3397-0327), com ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada). O evento faz parte da oportuna série Instrumental no Conservatório.

A essência do quinteto surgiu nos anos 70, quando Léa Freire (flauta e sax) e Teco Cardoso (flauta e sax) se conheceram no CLAM, a escola de música criada pelos integrantes do lendário Zimbo Trio. Desde então, suas afinidades musicais aumentaram e geraram vários trabalhos. Um deles foi o CD Cartas Brasileiras (2007), de Léa, com produção musical de Teco.

Faz parte desse CD a música Vento Em Madeira, a sementinha que gerou o quinteto, cujos outros integrantes são Tiago Costa (piano e arranjos), Fernando Demarco (baixo) e Edu Ribeiro (bateria e percussão). As composições são dos integrantes do grupo, cuja abordagem musical é definida de forma bem clara por Teco: “Algo entre o espontâneo e a liberdade da música popular improvisada e o acabamento e o rigor da música de câmara erudita”.

O quinteto já lançou dois CDs bastante elogiados no cenário da música instrumental brasileira, Vento Em Madeira (2011) e Brasiliana (2013), ambos com a participação da consagrada e badalada cantora Mônica Salmaso. O repertório do show inclui músicas como Felipe na Área, Espiral das Pipas, A Coisa Ficou Russa, Frango no Trevo e Mamulengo, entre outras.

Veja o Quinteto Vento Em Madeira em show em 2012 em São Paulo:

Dino Barioni toca no Central das Artes

Por Fabian Chacur

Conhecido por seu trabalho como arranjador, diretor musical e músico de apoio, Dino Barioni mostra um outro lado do seu talento liderando seu próprio quarteto em show que será realizado nesta terça (15) às 21h no restaurante, creperie e bar Central das Artes (rua Apinajés, 1.081- Sumaré- fone 0xx11-3865-4165), com couvert artístico a R$ 20.

Dino tocará guitarra semiacústica e bandolim durante o show, e terá a seu lado Giba Favery (bateria), Ogair Rosa (teclados) e Robertinho Carvalho (baixo). O som instrumental tem como base choro, samba e jazz, e o repertório traz clássicos da nossa música como Noites Cariocas (Jacob do Bandolim) e O Trem Tá Feio (Tavinho Moura) e também composições próprias, entre as quais destaca-se Ladainha.

A carreira de Dino Barioni conta com momentos muito importantes e parcerias significativas. Uma das mais expressivas foi com a excepcional cantora Célia, com quem fez inúmeros shows e gravou um CD em dupla, o ótimo Faço no Tempo Soar Minha Sílaba, no qual mostra um entrosamento impecável com a grande intérprete, uma das melhores da história da MPB. Ele também tem boa e frutífera parceria com o tecladista João Cristal.

Dino Barioni e João Cristal ao vivo:

Paradise Lost fará show no Clash Club (SP)

Por Fabian Chacur

A banda britânica Paradise volta ao Brasil para show único no dia 12 de abril (sábado) às 19h em São Paulo no Clash Club (rua Barra Funda, 969- Barra Funda- 0xx11-3661-1500 e www.ingressosparashows.com.br), com ingressos custando de R$ 110 a R$ 200. A apresentação faz parte da turnê comemorativa de 25 anos de carreira do ótimo quinteto, intitulada Tragic Illusion Tour.

Criada em 1988 em Hallifax, na Inglaterra, a banda mantém de sua formação original Nick Holmes (vocal), Greg MackIntosh (guitarra), Aaron Aedy (guitarra) e Steve Edmondson (baixo), sendo que Adrian Erlandsson (bateria) integra o time desde 2009. No início, tinham influências de Black Sabbath, Kreator e Celtic Frost, entre outros times do metal, com uma pegada bastante pesada e agressiva.

A partir de seu segundo álbum, Gothic (1991), o quinteto ampliou seus horizontes musicais e incorporou elementos de rock gótico (Sisters Of Mercy), eletrônico (Depeche Mode) e até pitadas de música erudita, sem barreiras. Seu álbum Draconian Times (1995) é considerado um dos melhores desse estilo mais lento e compassado de metal, também conhecido como doom metal e com fãs fieis nos quatro cantos do mundo.

Além de um repertório próprio muito bom, que inclui músicas como Enchantment, Tragic Idol, One Second e Say Just Words, o grupo britânico também é craque em reler canções alheias com categoria, vide o que fizeram com How Soon Is Now?, dos Smiths, e Walk Away, do Sisters Of Mercy (incluída como faixa-bônus da versão brasileira do álbum Draconian Times, lançado na época pela Roadrunner/Sum Records).

Say Just Words (videoclipe), com o Paradise Lost:

Walk Away, com o Paradise Lost:

How Soon Is Now?, com o Paradise Lost:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑