Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: cantoras pop

Tina Turner, os 80 anos de uma rainha da música pop mundial

tina turner-400x

Por Fabian Chacur

É infalível. Toda vez que ouço a bela introdução da música What’s Love Got To Do With It as lágrimas começam a brotar dos meus olhos. Tem a ver com a emotividade que herdei da minha saudosa mãe, mas também pode ser explicado pelo significado dessa incrível canção escrita por Terry Britten e Graham Lyle. Ela marca o momento em que Tina Turner, em 1984, atingiu o primeiro lugar na parada americana de singles e sacramentou uma das mais espetaculares voltas por cima da história da música.

Aos 45 anos de idade na época, essa verdadeira guerreira superava quase dez anos de uma luta intensa para recuperar sua relevância no cenário da música, após sair literalmente sem nada de um turbulento casamento musical e pessoal com o talentoso, mas detestável e truculento Ike Turner, com quem conviveu por quase duas décadas. O que essa mulher sofreu nas mãos desse sujeitinho ultrapassa os limites do humanamente suportável.

Mas Anna Mae Bullock, que neste 26 de novembro de 2019 completa 80 anos de idade, não só suportou como teve a coragem de dar um basta naquela situação. Além do lado pessoal, também tinha a ditadura musical, que o marido barra pesada lhe impunha. Tudo bem, ele foi muito importante para que aquela jovem e ingênua garota de Nutbush, Tennessee, conseguisse aparecer com sucesso no cenário da música, no finalzinho dos anos 1950.

Com shows eletrizantes e gravações valorizadas por sua voz potente, Ike & Tina Turner se tornaram uma das atrações mais empolgantes do circuito da soul music nos anos 1960. No entanto, a partir da segunda metade dos anos 1960, o formato de seus shows e gravações foi ficando mais padronizado, e só mesmo a incrível energia da cantora conseguia atrair as atenções do público.

Percebendo esse potencial imenso e mal utilizado, o genial produtor Phil Spector propôs trabalhar com Tina em um trabalho-solo, que Ike autorizou sem muita convicção. O resultado foi a incrível River Deep Mountain High (1966), uma das grandes gravações protagonizadas por ela. A repercussão abaixo do esperado no mercado americano deu uma arrefecida nessa promissora carreira-solo.

Até 1976, Ike & Tina Turner tiveram bons momentos em termos de shows e discos, mas não é de se estranhar que o maior sucesso desse período tenha sido uma impressionante releitura de Proud Mary, do Creedence Clearwater Revival. Tina queria ter a liberdade de cantar o que quisesse. E essa liberdade veio quando a violência de Ike tomou proporções tamanhas que só restou à artista sair fora, com a roupa do corpo e não muito mais.

Demorou um pouco para conseguir um rumo, mas contou com a ajuda de amigos famosos como os Rolling Stones e Rod Stewart, para quem abriu shows. A entrada em sua vida do empresário Roger Davies, no início de 1980, marcou o momento em que as coisas começaram a se encaminhar de forma positiva. E, em 1984, enfim aquele projeto de megadiva do rock se concretizou. E veio com tudo, para tirar o atraso com juros e correção monetária sonora.

A partir de então, todos sabem o que aconteceu. Novos hits, como Private Dancer, Typical Male, Paradise Is Here e dezenas de outros, milhões de discos vendidos, shows em estádios pelos quatro cantos do mundo (Brasil inclusive, com direito a Pacaembu e Maracanã lotados, em 1988) e as pernas mais elogiadas da cena pop como uma espécie de bônus em meio a tanto talento artístico e musical.

Tina Turner virou um dos exemplos mais fortes do poder da mulher, e de como a violência doméstica em relações afetivas é um câncer que precisa ser combatido de forma veemente. Ela sofreu, mas sobreviveu, e colheu os mais belos frutos. Nada mais merecido. Viva essa maravilhosa Acid Queen! Tudo de bom pra ela, sempre. E que venham novas lágrimas ao ouvir What’s Love Got To Do With It. São lágrimas de felicidade e admiração!

What’s Love Got To Do With It (clipe)- Tina Turner:

Cher lançará álbum de covers do grupo Abba em setembro

cher-400x

Por Fabian Chacur

Cher é uma das estrelas do filme Mamma Mia 2- Here We Go Again (no Brasil, Mamma Mia- Lá Vamos Nós de Novo), ao lado de Meryl Streep e extenso elenco. Para quem achou interessante o envolvimento dela com a música do Abba, uma notícia adicional dentro do mesmo universo. A cantora anunciou que lançará no dia 28 de setembro pela gravadora Warner o álbum Dancing Queen, com dez releituras de hits do célebre grupo sueco.

A premiada cantora, atriz, apresentadora e ativista política americana explicou as razões pela qual optou por esse novo projeto, em declaração divulgada em press-release pela gravadora:

“eu sempre gostei do Abba e vi o musical original de ‘Mamma Mia’, na Broadway, três vezes. Depois de filmar ‘Mamma Mia! Here We Go Again’, eu me lembrei novamente das músicas maravilhosas e pensei ‘por quê não fazer um álbum com música deles? As músicas eram mais difíceis de cantar do que eu imaginava, mas estou muito feliz com a forma como saiu. Estou muito animada para as pessoas escutarem. É um momento perfeito. ”

O CD foi gravado e produzido em sessões de gravação realizadas em Londres e Los Angeles por Mark Taylor, o mesmo produtor por trás do megahit Believe, que trouxe a estrela pop de volta às paradas de sucesso de todo o mundo há 20 anos. A primeira faixa a ser divulgada é Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight), que Madonna usou em 2005 como base de seu sucesso Hung Up.

Confirma a tracklist completa de Dancing Queen:

1. Dancing Queen
2. Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)
3. The Name Of The Game
4. SOS
5. Waterloo
6. Mamma Mia
7. Chiquitita
8. Fernando
9. The Winner Takes It All
10. One Of Us

Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)– Cher:

Carla Bruni e o French Touch, um álbum de belas releituras

carla bruni french touch-400x

Por Fabian Chacur

Acaba de sair no Brasil, via Universal Music, o sexto álbum de estúdio de Carla Bruni. Trata-se de French Touch, no qual a cantora e compositora italiana radicada na França desde os sete anos de idade se dedica a reler do seu jeito onze hits de diferentes origens, com direito a canções extraídas dos universos do jazz, rock, synth pop, country e até heavy metal.

A cantora nascida em Turin, Itália, em 23 de dezembro de 1967, e radicada há muito em Paris, mostrou muito bom gosto e versatilidade na seleção do repertório. Duas das canções já estão sendo muito ouvidas pelos fãs nas plataformas digitais, Miss You (dos Rolling Stones) e Enjoy The Silence (do Depeche Mode), que ganharam nova vida na charmosa voz da cantora que já namorou Eric Clapton e Mick Jagger e foi primeira-dama da França como esposa de Nicolas Sarkozy.

O álbum traz um dueto com o genial astro country americano Willie Nelson em um de seus maiores sucessos, a deliciosa Crazy. Também estão no repertório Jimmy Jazz (The Clash), The Winner Takes It All (Abba) e Highway To Hell (AC/DC), entre outras. A cantora iniciará no próximo dia 23 a turnê de divulgação de French Touch, prevista para passar por mais de 20 países. Ainda não se sabe se ela incluirá o Brasil nessa sequência de shows. Tomara que sim!

Enjoy The Silence– Carla Bruni:

Shania Twain lança um single e anuncia novo CD de estúdio

shania twain now capa-400x

Por Fabian Chacur

Longos 15 anos se passaram desde que Shania Twain lançou seu mais recente álbum de estúdio, Up!, que atingiu o topo da parada americana em 2002. Para felicidade de seus milhões de fãs, a cantora e compositora canadense não só divulgou um novo single, como também já anunciou a data em que sairá seu novo trabalho, 29 de setembro, nos formatos CD, LP de vinil e digital. Trata-se de Now, cuja capa ilustra este post.

O single Life’s About To Get Good tem uma pegada pop dançante com leve tempero country, e está obtendo ótima performance nas plataformas de streaming e redes sociais. Um bom início para a divulgação de Now, que em sua versão standard traz 11 faixas e tem como difícil missão competir com as incríveis vendagens de seus trabalhos anteriores, entre eles Come On Over (1997), que vendeu mais de 40 milhões.

Desde o lançamento de Up!, muita coisa aconteceu na vida e na carreira desta grande cantora country-pop. Ela se separou em 2008 de Robert John Mutt Lange, que era seu produtor, parceiro musical e considerado o grande responsável pela bela estrela atingir o megaestrelato. A moça também teve problemas com suas cordas vocais, superou-os, voltou à ativa na TV e também em longa temporada em Las Vegas.

Life’s About To Get Good– Shania Twain:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑