Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: central das artes (page 1 of 2)

Vera Figueiredo faz show no Central das Artes dia 28/11

vera figueiredo-400x

Por Fabian Chacur

Neste sábado (28) às 21h, uma das melhores e mais badaladas bateristas brasileiras marca presença no palco do Teatro Central das Artes (rua Apinajés, nº 1.081- Sumaré- fone 0xx11-3865-4165), com couvert artístico a R$ 20,00. Trata-se de Vera Figueiredo, cujo som instrumental já cativou fãs no Brasil, América e Europa. Ela dará uma prévia de seu próximo álbum, Brasileira.

Vera terá a seu lado Gê Cortes (baixo acústico) e Marcos Romera (piano e teclados). O repertório do show inclui músicas dela como O Perfume e À Cara Gê, e também uma homenagem a Jacob do Bandolim com Santa Morena. Teremos ainda Chacalonga, do percussionista e compositor mexicano Victor Mendoza, e Rua Vergueiro, de Romera, entre outras músicas instrumentais do set list da apresentação.

Vera Figueiredo começou a ficar conhecida no cenário musical como integrante do quarteto instrumental feminino Kali, com o qual gravou um LP em 1985 pela gravadora Som da Gente. Nele, tocou junto com Gê Cortes, sua parceira musical ainda hoje. Depois, partiu para uma carreira solo que se iniciou em termos discográficos com o LP Vera Figueiredo & Convidados (1990), lançado pela gravadora Baratos Afins. Vera Cruz Island (2001) é outro lançamento bacana dessa fase.

Além disso tudo, Vera também se dedica há mais de 23 anos ao ensino de bateria e percussão, tendo criado o Instituto de Bateria Vera Figueiredo ( www.ibvf.com.br ) e lançado vídeos sobre o tema. De quebra, a baterista também faz parte da banda Altas Horas, que atua no programa da Globo apresentado por Serginho Groisman. Ufa!

Vera Figueiredo- show no Programa Instrumental Sesc Brasil (íntegra):

Grupo Dois Por Quatro toca o seu som no Central das Artes

dois por quatro-400x

Por Fabian Chacur

Quem é fã de música instrumental brasileira de primeira linha tem um bom programa para esta terça-feira (9) em São Paulo. Trata-se do show do grupo Dois Por Quatro, que mostrará seu som pautado pelo choro em apresentação programada para ter início às 21h no Teatro Central das Artes-Sub 3 (rua Apinajés, 1,081- Sumaré- fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00.

O Dois Por Quatro atua como um grupo regional tradicional de choro, mas sem se prender de forma radical ao formato, estando dessa forma aberto para investir em maxixe, sons de gafieira e outras vertentes da música brasileira. Eles buscam requinte e capricho nas sutilezas, mas sem nunca perder o apelo dançante e a espontaneidade típicas do chorinho, o “jazz brasileiro”.

O grupo traz em sua escalação Leandro Oliveira (flauta), Allan Abbadia (trombone), Wesley Vasconcelos (violão 7 cordas), Deni Domenico (cavaco) e Yves Finzetto (pandeiro). Eles já se apresentaram ao vivo em vários países europeus. Em 2014, foram um dos cinco grupos brasileiros que nos representaram no Congresso de Indústrias Culturais (MicSur), realizado em Mar del Plata, Argentina, selecionados pelo Ministério da Cultura do Brasil.

Além de seus shows habituais, o Dois Por Quatro também executa (habitualmente na Europa) concertos didáticos, master classes e workshops sobre o chorinho, nos quais dão uma geral na história do gênero e enfatizando seus nomes mais importantes. Ou seja, é um grupo que investe fundo no lado cultural e histórico da música que executa com tanta fluência e talento.

Bem Brasil (ao vivo)-Grupo Dois Por Quatro:

Belga Greg Houben exibe seu jazz no Central das Artes-SP

Greg Houben_16(baixa)-400x

Por Fabian Chacur

Se há algo que costuma dar certo no mundo da música é a colaboração entre músicos de várias origens. Um bom exemplo é o Greg Houben Trio. Em sua atual formação, o grupo conta com um belga e dois brasileiros que mergulham no universo jazzístico com categoria. Eles são a atração desta sexta (8) às 21h no Teatro Central das Artes-Sub 3 (rua Apinajés, 1.081- Sumaré- fone (0xx11) 3670-4040), com couvert artístico a R$ 20.

Filho do respeitado saxofonista e flautista belga Steve Houben, Greg é ator, cantor e trompetista, e desenvolve em seus shows um repertório composto por standards do jazz, composições próprias e, na fase atual, até mesmo clássicos da MPB como Avarandado (Caetano Veloso) e Trocando Em Miúdos (Chico Buarque-Francis Hime).

A mais recente escalação do Greg Houben Trio inclui, além de seu líder, dois destacados músicos brasileiros no setor da música instrumental e do jazz. São eles o guitarrista Lupa Santiago e o contrabaixista Sidiel Vieira. A parceria tem como marcas a sutileza, a criatividade e a consistência, fruto de anos de experiência dos três em diversos projetos.

Greg Houben Trio em 2009 (com outra formação):

Lais (Lupa Santiago)- Lupa Santiago e Paulo Braga:

São Paulo Ska Jazz mostra seu belo coquetel sonoro em SP

SAO PAULO SKA JAZZ-400x

Por Fabian Chacur

Que tal misturar o swing do ska com a liberdade de improviso do jazz, sem perder nada em termos de swing e apelo dançante? Eis a fórmula usada pela São Paulo Ska Jazz, banda paulistana que se apresentará nesta terça-feira (14) às 21h na Central das Artes- Teatro Central das Artes Sub 3 (rua Apinajés, 1.081- Sumaré – fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00. Mais informações em www.centraldasartes.com.br .

Liderado pelo músico e compositor Marcelo Calderazzo, a São Paulo Ska Jazz tem um CD em seu currículo, e prevê para maio o lançamento do próximo. O repertório de seus shows mescla composições próprias como A Onda e Saludo com clássicos alheios de várias áreas, entre os quais The Godfather (Nino Rota), Three Little Birds (Bob Marley), Get Lucky (Daft Punk), Adios Nonino (Astor Piazzola e Take Five (Paul Desmond).

Além de Calderazzo (baixos acústico e elétrico), o grupo conta com Manu Falleiros (sax tenor, alto e soprano), Marcelo Pereira (sax barítono, alto e flauta), Douglas Freitas (trombone), Reynaldo Izeppi (trompete e flugelhorn), Ramon Montagner (bateria e programação eletrônica), Sidney Ferraz (teclados e piano) e Aquiles Faleco (guitarra).

Three Little Birds– São Paulo Ska Jazz:

A Onda – São Paulo Ska Jazz:

Speakin’ Jazz Big Band mostra seu som no Central das Artes

speakin-jazz[1]-400x

Por Fabian Chacur

Os fãs do estilo big band do jazz terão nesta segunda-feira (2/3) às 21h uma boa oportunidade de curtir e muito um show daqueles bem especiais. A estrela da noite é a Speakin’ Jazz Big Band, que marcará presença no bar e restaurante Central Das Artes-Teatro Central das Artes Sub 3 (rua Apinajés, 1.081- Sumaré- fone 0xx11- 3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00. ( www.centraldasartes.com.br) .

Formada em 2011, a Speakin’ Jazz Big Band tem como marca o fato de respeitar a estrutura básica de uma big band tradicional, ou seja, inclui cinco saxofones, quatro trombones, quatro trompetes, bateria, contrabaixo, guitarra e piano. Seu repertório é abrangente, indo desde o swing clássico de Count Basie Big Band até o jazz refinado de Thad Jones & Mel Lewis Big Band.

A atual formação do grupo tem como integrantes: Gerson Galantes – sax alto (lead), Rodrigo Nascimento – sax alto, Diego Lisboa – sax tenor, Marcelo Curumin – sax tenor, Hector Galhardo – sax barítono. Trompetes:Otavio Nestares (lead), Marcos Will (split lead, Henrique Messias Marcos Braga. Trombones: Joab Nascimento (lead), Douglas Felício Ruben Marley Roberto Michael – trombone baixo. Guitarra: Vinícius Gomes. contrabaixo Acústico: Gustavo Sato. piano: Fernando De Gino. bateria: Bruno Tessele. (sujeito a alterações).

Speakin’ Jazz Big Band ao vivo- Central das Artes(2013-só audio):

Sing Sang Sung – Speakin’ Jazz Big Band:

Rogerio Rochlitz mostra o seu swing no Central das Artes-SP

rogerio rochlitz 400x

Por Fabian Chacur

Se hà um artista brasileiro atualmente capaz de fazer mùsica instrumental com sofisticação, swing e acessibilidade ao público médio, ele atende pelo nome de Rogèrio Rochlitz. Ele mostra o repertòrio de seu mais recente DVD, Cores Ao Vivo (leia a crìtica aqui) em show nesta terça-feira (16) às 21h no bar e restaurante Central das Artes (rua Apinajès, 1.081- Sumaré- fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00.

Com mais de 20 anos de estrada, Rogerio Rochlitz tocou com vários artistas antes de se dedicar a uma produtiva e consistente carreira solo que já rendeu quatro CDs, sendo o mais recente o excelente Mòbile (leia a crìtica aqui). Sua capacidade de misturar vários estilo da mùsica brasileira sem cair no rotineiro ou no rebuscado demais è altamente elogiável, e o resultado è um som que pode te fazer dançar ou curtir atentamente. Coisa de craque.

No show de hoje, Rogèrio terá a seu lado uma banda afiada e composta por João Poleto (flauta e sax), Amílcar Rodrigues (trumpete e flugelhorn), David Rangel (baixo) e o consagrado João Parahyba (timbatera), este ùltimo conhecido por seu trabalho ao lado de feras como Jorge Benjor e Ivan Lins e integrante do Trio Mocotó. No repertòrio, mùsicas do DVD e também algumas do próximo CD, que Rochlitz promete para 2015.

De Casa Pra Rua– Rogério Rochlitz e grupo:

Ricardo Baldacci Trio mostra o jazz vintage em São Paulo

Ricardo Baldacci Trio

Por Fabian Chacur

Quem curte a vertente mais tradicional, vintage mesmo, do jazz, certamente se dará bem ao conferir um dos shows do Ricardo Baldacci Trio. Eles serão a atração desta quinta-feira (23) às 22h no bar e restaurante Central das Artes (rua Apinajés, 1.081- Sumaré- fone 0xx11-3670-4040- www.centraldasartes.com.br ), com couvert artístico a R$ 20. Um belo programa musical.

Com quatro anos de estrada, o trio é integrado por Ricardo Baldacci (vocal e guitarra), Hercules Gomes (piano) e Ricardo Ramos (contrabaixo), e investe na vertente jazzística predominante nos anos 30 e 40 do século passado, com ênfase no ritmo e nas boas letras e melodias e rotulado por alguns como swing jazz dançante. Uma delícia de se ouvir e dançar, especialmente para os fãs da lindy hop, uma das vertentes mais badaladas da dança jazzística.

Baldacci e seus colegas lançaram recentemente o segundo CD, Tain’t What You Do, It’s The Way You Do It, que traz quatro composições próprias e onze standards de autores como os irmãos Gershwin, Jimmy Van Heusen e outros não tão conhecidos, mas com qualidade artística equivalente. O trabalho teve a colaboração de Bill Moss e Jim Czak, especializados na produção e engenharia de som de trabalhos de jazz desse porte.

O CD também conta com a participação do trio vocal sueco The Hebbe Sister. Por sinal, o Ricardo Baldacci Trio já tocou naquele país, assim como no Paraguai e em vários lugares do Brasil, incluindo ai quase dois anos de uma temporada no icônico Terraço Itália, em São Paulo. Eles lançaram em 2011 o DVD ao vivo Hello Mr. Cole.

Tain’t What You Do, It’s The Way You Do It– Ricardo Baldacci Trio:

Grupo Trovadores Urbanos e sua exposição comemorativa

trovadores urbanos-400x

Por Fabian Chacur

Criado há 25 anos com o intuito de misturar teatro, música e poesia no formato de serestas, o grupo Trovadores Urbanos foi muito além do que se poderia imaginar. Como forma de celebrar esses anos todos de sucesso, foi inaugurada no dia 19/8 no bar e restaurante Central das Artes (rua Apinajés, 1.081- Sumaré- fone 0xx11-3670-4040) uma exposição de fotos dessa trajetória, que pode ser vista gratuitamente no local até o dia 21 de setembro.

O projeto Trovadores Urbanos trazia como elemento inovador a possibilidade de as pessoas encomendarem serestas para homenagear seus entes queridos com canções que marcaram a história da nossa música popular. Com o tempo, sua formação original, que inclui até hoje Maida Novaes, Juca Novaes, Valéria Caram e Eduardo Santana, não dava mais conta de tanta demanda, o que exigiu a criação de um elenco com mais de 50 músicos autônomos.

O quarteto já fez shows pelo Brasil e exterior, e tem sete CDs em seu currículo: Trovadores Urbanos (1994), Serenata (1996), Brejeiro (1998), Canções Paulistas (2000), Copacabana (2003), Canções Paulistas Ao Vivo (2007- CD e DVD) e Amor Até o Fim (2010). Eles tiveram participações especiais nesses trabalhos de nomes como Silvio Caldas, Guilherme Arantes e Toquinho.

Além de quatro turnês internacionais e incontáveis shows pelo Brasil afora, os Trovadores Urbanos também participaram das novelas globais Vila Madalena e O Cravo e a Rosa e dividiram o palco com artistas como Jair Rodrigues, Inesita Barrozo, Paulo Vanzolini, Alaíde Costa, Demônios da Garoa e Família Caymmi, só para citar alguns.

Nesses 25 anos de atividade, calcula-se que tenham sido feitas mais de 100 mil serenatas pelo Brasil pelo elenco de Trovadores Urbanos, que também possuem projetos sociais muito interessantes. Quem for à exposição poderá depositar em uma caixa de correio em formato de coração sua história de amor. Os sorteados ganharão serenatas mensais que serão realizadas durante 2015.

Trovadores Urbanos no Auditório Ibirapuera (2010) :

Rubinho Ribeiro e Somonós e hits no Central das Artes (SP)

RUBINHO-400x

Por Fabian Chacur

Rubinho Ribeiro é um cantor e músico com extensa e bem-sucedida atuação em estúdios de gravação. Décadas mesmo. No entanto, para ele é indispensável o contato com o público. Isso ocorre em suas apresentações ao lado da banda Somonós. Um desses shows será realizado nesta quarta-feira (30) às 21h no bar e restaurante Central das Artes (rua Apinajés, 1.081- Sumaré- fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00.

Mesmo com toda a sua experiência em gravações, Rubinho considera a realização de shows ao vivo como uma boa forma de manter cada vez mais apurada a saúde espiritual de todo músico. E é exatamente isso o que ele faz ao lado de Paulo (Popó) Rapoport (contrabaixo), Nina Novoselecki (sax e flauta), Pepa D’Elia (bateria) e Marinho Boffa (piano).

O repertório que Rubinho Ribeiro e Banda Somonós nos oferecem traz standards da música pop e do jazz interpretados de uma forma própria. Entre outros clássicos, temos Here There And Everywhere, Sugar, Never Can Say Goodbye e Night In Tunisia, relidos de forma melódica e com espaços para que todos possam mostrar seu talento e bom senso em termos musicais. Tipo do programa bom para se fazer a dois.

Here There And Everywhere– Rubinho Ribeiro e Somonós:

Sugar, com Rubinho Ribeiro e Somonós:

Standards marcam o show do David Kerr & Canastra Trio

Por Fabian Chacur

David Kerr & Canastra Trio serão a atração desta quinta-feira (5) às 22h do restaurante e bar Central das Artes (rua Apinajés, 1.081-Sumaré- fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00. O repertório sofisticado e delicado certamente fará a alegria de quem curte jazz e especialmente os grandes standards da música americana da primeira metade do século XX. Belo material.

David Kerr (voz e trompete), Rodrigo Braga (piano), Gustavo Sato (baixo) e Edu Nali (bateria) mergulham de cabeça nos grandes clássicos do jazz americano formato canção, selecionando a dedo composições de mitos como George Gershwin, Duke Ellington e Cole Porter, só para citar alguns. Não por coincidência, várias delas integraram o repertório de Frank Sinatra, o grande mestre dessa praia e um dos responsáveis por eternizar tais canções.

Músicas como Cheek To Cheek marcam uma era na música americana (dos anos 1920 aos 1940, mais ou menos) na qual as músicas mais populares eram ao mesmo tempo acessíveis ao ouvido do público comum da época e extremamente sofisticada. Falavam de amores encontrados e perdidos, de solidão, de esperanças, de alegria, da vida. E ficaram definitivamente no imaginário de quem ama música de altíssima qualidade.

Ouça Cheek To Cheek (ao vivo), com David Kerr & Canastra Trio:

Older posts

© 2017 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑