Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: janeiro 2017

Ruy Faria e Fast Eddie Clarke são os desfalques da música

ruy farias ex-mpb4-400x

Por Fabian Chacur

Ruy Faria e Fast Eddie Clarke nunca estiveram juntos, seja em palco, estúdio de gravação ou mesmo entrevistas. Eram de países e áreas musicais muito distintas entre si. Os dois, no entanto, tem duas coisas em comum, uma boa, a outra nem tanto: eram ótimos no que faziam, e infelizmente nos deixaram, Clarke nesta quarta (10) aos 67 anos, e Faria nesta quinta (11), aos 80 anos. Ambos se tornaram famosos integrando grupos.

Nascido no Rio de Janeiro em 31 de julho de 1937, Ruy Faria foi um dos fundadores do MPB4 em 1965 ao lado de Magro Waghabi (1943-2012), Aquiles e Miltinho. O grupo que surgiu no meio universitário logo se tornou um dos mais importantes no quesito vocal, sempre com repertório impecável e arranjos criativos e personalizados.

A carreira do quarteto é intimamente ligada à de Chico Buarque, com quem gravaram e fizeram shows em diversas ocasiões, e de quem gravaram inúmeras composições. Em sua discografia, o MPB4 traz clássicos do porte de Cicatrizes (1972), Canto dos Homens (1976), Bons Tempos, Heim?! (1979) e Vira Virou, só para citar alguns.

Para tristeza dos fãs da boa musica, Ruy saiu do MPB4 em 2004, em uma briga que é melhor não entrarmos em detalhes. Em 2005, lançou o álbum Só Pra Chatear em parceria com outro grande amigo de Chico Buarque, o cantor, compositor e músico Carlinhos Vergueiro. Vale lembrar que o grupo continua na ativa, hoje tendo Dalmo Medeiros e Paulo Malaguti Pauleira nas vagas de Ruy e Magro.

Nascido na Inglaterra em 5 de outubro de 1950, Edward Allan Clarke começou a se tornar conhecido no cenário rocker inglês ao integrar o grupo Zeus, de Curtis Knight. Em 1976, entrou no Motorhead, integrando a chamada formação clássica da banda ao lado de Lemmy Kilmister (baixo e vocal) e Philty Animal Taylor (bateria).

Com uma mistura de punk e heavy metal que abriu as portas para tendências como o hardcore e o thrash metal, o Motorhead viveu seus anos de ouro com Clarke, lançando álbuns seminais como Overkill (1978), Ace Of Spades (1979) e o espetacular ao vivo No Sleep ‘Til Hammersmith (1980), que chegou ao topo da parada do Reino Unido.

Em 1982, Fast Eddie Clarke resolveu sair do Motorhead, e criou sua própria banda, a Fastway, que viveu seus momentos de maior sucesso na década de 1980, embora se mantivesse na ativa (entre idas e vindas) durante muitos anos. Fastway (1983) e All Fired Up (1985) são seus álbuns mais badalados e com maiores vendagens.

O Motorhead e Clarke se reencontrariam ao menos em duas ocasiões, após a separação entre eles. Em 1985, no aniversário de dez anos de sua carreira, a banda fez um show registrado no VHS The Birthday Party (lançado também em CD em 1990) e em 2000, em show documentado pelo DVD/CD Live At Brixton Academy (lançado em 2003).

Dá para se imaginar Fast Eddie Clarke e Ruy Faria juntos, cantando e tocando uma nova versão de Ace Of Spades, ou quem sabe A Lua? Obviamente que não, mas a tristeza de seus fãs neste momento é absolutamente relevante e enorme. Que possam descansar em paz e ser recebidos por seus ex-parceiros que já estão do outro lado do mistério…

No Sleep ‘Til The Hammersmith- Motorhead (em streaming):

Nilze Carvalho apresenta seu novo projeto em show no Rio

Nilze Carvalho_ Foto Choro Canção (Crédito Tyno Cruz)-400x

Por Fabian Chacur

Nilze Carvalho é uma daquelas artistas das quais a gente não exagera ao dizer que começaram a carreira ainda no berço. Afinal de contas, a trajetória desta cantora, compositora, bandolinista e cavaquinhista teve início quando ela ostentava apenas cinco aninhos de idade. Ela se reencontra com as suas origens musicas neste sábado (28) e domingo (29), sempre às 20h, no Solar de Botafogo (rua General Polidoro, nº 180- Rio de Janeiro- fone 0xx21- 2543-5411), com ingressos de R$ 20,00 a R$ 40,00.

Precoce, Nilze gravou quatro álbuns dos 12 aos 14 anos de idade, uma série intitulada Choros de Menina nas quais foi acompanhada, em dois volumes, pelo histórico grupo Época de Ouro, um dos mais importantes e badalados da história do chorinho. Com o tempo, ampliou os seus horizontes musicais e mostrou muito talento, sendo que seu mais recente CD, Verde Amarelo Negro Anil, recebeu muitos elogios e concorreu a prêmios em 2015.

Choro Canção mostrará a artista de 47 anos nascida em Nova Iguaçu (RJ) investindo em um repertório com obras oriundas desde o século 19 até os dias de hoje, assinadas por autores como Joaquim Antônio da Silva Callado, Pixinguinha, Bororó, Edu Krieger, Marisa Monte e Arnaldo Antunes. Entre outras músicas, teremos Flor Amorosa, 1×0, Curare, Novo Amor e De Mais Ninguém. Nilze (que tocará bandolim, violão e cavaquinho) será acompanhada por Hudson Santos (violão sete cordas) e Netinho Albuquerque (percussão).

Chorei– Nilze Carvalho:

Ana Carolina estreia no Rio o seu novo show Ruído Branco

Ana Carolina Credito Nelson Faria-400x

Por Fabian Chacur

Em dezembro, Ana Carolina lançou o seu primeiro livro, Ruído Branco. Essa sua primeira incursão pelo universo das publicações literárias é agora seguida de um novo show, que leva o mesmo título e mostrará aspectos diferentes da atuação desta cantora, compositora e musicista. A estreia ocorre nesta sexta-feira (27) às 21h no Rio no Teatro Bradesco Rio (avenida das Américas, nº 3.900- loja 160 Shopping VillageMall- Barra da Tijuca- fone 0xx21- 3431-0100), com ingressos de R$ 80,00 a R$ 200,00.

Ruído Branco tem em seu conteúdo poemas, contos, letras de canções inéditas e também reproduções de alguns dos quadros que a artista mineira de 42 anos pintou. No show, ela lê algumas páginas da obra e também apresenta canções próprias e de outros autores. Algumas serão poemas musicados, como A Pele, Qual É e O Velho Piano. Das obras alheias, uma será Oceano, de Djavan. Para acompanha-la no palco, teremos o multi-instrumentista Mikael Mutti.

Oceano (ao vivo)- Ana Carolina:

Blitz mostra seu Aventuras II em São Paulo com dois shows

img_2721-400x

Por Fabian Chacur

A Blitz lançou no finalzinho de 2016 um novo álbum, Aventuras II, o primeiro de inéditas desde Eskute Blitz (2009). Como forma de mostrar as músicas deste trabalho e também repassar seus grandes hits, o grupo carioca volta a São Paulo para shows nesta sexta (13) e sábado (14) às 21h30 no Teatro J. Safra (rua Josef Kryss, nº 318- Barra Funda- fone 0xx11-3611-3042), com ingressos custando de R$ 60,00 a R$ 180,00.

O título do novo álbum remete ao do trabalho de estreia, As Aventuras da Blitz (1982), e conta com um extenso elenco de convidados especiais. Marcam presença, entre outros, Andreas Kisser (Sepultura), Paralamas do Sucesso, Roberto Frejat, Davi Moraes, Fernando Magalhães, George Israel, Zeca Pagodinho, Seu Jorge, Sandra de Sá, Rodrigo Santos, João Fera, Dadi, Flávio Guimarães, Pretinho da Serra e Alice Caymmi.

Na estrada desde o início dos anos 1980, o grupo carioca mantém de sua formação clássica o eterno líder Evandro Mesquita (vocal, guitarra e violão), Billy Forghieri (teclados) e Juba (bateria). Completam a escalação atual Rogério Meanda (guitarra), Claudia Niemeyer (baixo), Andréa Coutinho (vocais) e Nicole Cyrne (vocal). Sempre com shows elaborados e bem produzidos, a Blitz se mantém atual e relevante, embora sem desprezar seu passado de glórias.

Nu Na Ilha– Blitz e Paralamas:

O Rio Novo Rock inicia shows em 2017 nesta quinta-feira

overdrive-sarava-2-400x

Por Fabian Chacur

Entrando em seu quarto ano de existência, o projeto Rio Novo Rock inicia sua programação de 2017 com shows de duas bandas emergentes do cenário rocker brasileiro. Já passaram pelo evento Dônica, Medulla, Far From Alaska, Selvagens à Procura de Lei e Vespas Mandarinas, entre outros. Desta vez, teremos Overdrive Saravá (FOTO) e Ego Kill Talento. As apresentações rolam nesta quinta(12) a partir das 20h no Imperator- Centro Cultural João Nogueira (rua Dias da Cruz, nº 170- Meier- fone 0xx21- 2597-3897), com ingressos a R$ 10,00 e R$ 20,00.

Na estrada desde 2012 e oriunda de Niterói (RJ), a banda Overdrive Saravá é integrada por Gregory Combat (vocal), Lucas Botti (guitarra), Thiago Henud (guitarra), Matheus Freire (baixo) e Renan Carriço (bateria). Seu trabalho parte de várias tendências da música brasileira, mescladas de forma criativa e original a elementos do rock internacional. Influências distintas como Raul Seixas, Led Zeppelin, Teatro Mágico, Raimundos e Cartola norteiam sua musicalidade.

Em seu primeiro álbum, Overdrive Saravá, lançado em 2016, o quinteto nos traz oito faixas, entre as quais Mandacaru, Guerreiro do Serrado e 666 Noite. Por sua vez, o Ego Kill Talent surgiu em dezembro de 2014, e lançou até o momento três EPs, com direito a abrir shows para bandas internacionais como Marilyn Manson e Rammstein. O evento também terá as participações da DJ Suirá e do VJ Chico Abreu.

Overdrive Saravá- ouça o CD em streaming:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑