Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: julho 2017

Lencker lança o CD Forasteiro com um show em São Paulo

italo lencker-400x

Por Fabian Chacur

O cantor, compositor e músico paulistano Lencker está lançando o seu primeiro álbum, Forasteiro, disponível em CD e em versão digital pela gravadora Kuarup. Ele mostra o repertório desse trabalho com um show em São Paulo nesta sexta-feira (28) às 21h no Espaço Cia da Revista (Alameda Nothmann, nº 135- Centro- fone 0xx11-2122-4070), com ingressos custando de R$ 20,00 a R$40,00 e participações especiais de Bruna Moraes e Natan Oliveira.

Ítalo Lencker começou a compor e a tocar aos 14 anos, e tem como uma de suas inspirações o tio-avô Zé Menezes, que criou trilhas sonoras e vinhetas para programas da TV Globo como Os Trapalhões, Viva o Gordo e Chico City. Desde o início, mostrou uma tendência a não se concentrar em apenas uma sonoridade, viajando pelas várias possibilidades da MPB e incluindo nessa mistura elementos de jazz, música erudita e latinidades diversas.

Forasteiro equivale a uma bela estreia, com arranjos sofisticados, vocalizações impecáveis e dez canções autorais muito bem escolhidas, trazendo letras poéticas, românticas e irônicas em doses precisas. A música nordestina é o eixo, com direito a forró, baião e outras variações da cultura musical de lá. Mas também estão presentes bossa nova, samba, soul e jazz, só para citar algumas outras influências presentes.

Se o repertório é bem consistente, vale destacar algumas das faixas, como a belíssima Amuleto, dueto com Bruna Moraes que provavelmente será repetido no show, já que ela é convidada do mesmo, ao lado de Natan Oliveira. A sacudida Baião Digital, que conta com a presença de Ricardo Herz nos violinos, é uma boa amostra desse baião renovado e apontando para o futuro. Um CD repleto de belas e inspiradas sutilezas que merece ser apreciado de ponta a ponta.

Amuleto– Lencker e Bruna Moraes:

Morre Chester Bennington, o vocalista do grupo Linkin Park

chester-bennington-400x

Por Fabian Chacur

Chester Bennington, o vocalista da banda de nu metal americana Linkin Park, foi encontrado morto nesta quinta-feira (20) em sua casa, nos EUA. As evidências apontam na direção de um suicídio como causa de sua morte prematura, aos 41 anos de idade. A notícia chocou seus colegas de grupo, pois nos próximos dias eles iriam iniciar uma nova turnê.

Outros elementos intrigantes cercam a passagem do astro americano. Ele nos deixou na mesma data em que Chris Cornell, ex-cantor dos grupos Soundgarden e Audioslave e seu grande amigo, iria completar 53 anos. Vale lembrar que Bennington cantou a musica Hallelujah, de Leonard Cohen, no funeral do amigo, e se mostrou extremamente abalado pelo fato. Cornell abriu shows do Linkin Park no final da década passada, e fazia dueto com o amigo em alguns deles.

O Linkin Park vivia um ótimo momento, pois seu mais recente álbum, One More Light, saiu em maio e rapidamente se tornou seu quinto trabalho a atingir o primeiro lugar nos EUA. Eles também lançaram há pouco um novo videoclipe, ou seja, nada parecia indicar um desfecho tão terrível. Só nos resta aguardar para saber mais informações, e também se a banda seguirá adiante ou não, agora sem seu cantor.

Criada em 1996 em Agoura Hill, Califórnia, a Linkin Park ganhou embalo exatamente com a entrada de Chester Bennington, vindo do Arizona, em 1999. O álbum Hybrid Theory (2000) apresentou uma banda promissora no então efervescente cenário do chamado Nu Metal, mistura de heavy metal e hip-hop. Foram mais de 11 milhões de cópias vendidas. O álbum seguinte, Meteora (2003), consolidou o grupo no meio roqueiro mundial, e foi o primeiro a atingir o topo da parada ianque, façanha que repetiriam por mais quatro vezes.

O grande charme do trabalho da banda é a mistura da voz potente e angustiada de Bennington com os raps espertos de Mike Shinoda. Apesar dos problemas com drogas e bebidas assumidos publicamente por seu cantor, o grupo conseguiu se manter na ativa com turnês e álbuns bem-sucedidos comercialmente. Eles também conquistaram fãs ilustres como Jay-Z, com quem lançaram em 2004 o álbum Collision Course (2004), que lhes valeu um Grammy.

Outro elemento meio sinistro na trajetória de Chester Bennington, se analisarmos o seu triste fim, é o fato de ele ter sido o vocalista do Stone Temple Pilots no EP High Rise. Vale lembrar que o cantor original dessa banda, Scott Weiland, também morreu de forma trágica, em 2015. O cantor, nascido em 20 de março de 1976, é mais um roqueiro que se vai de forma precoce, deixando no ar a sensação de o quanto a pressão do megaestrelato deve ser dura de ser suportada.

O Linkin Park se apresentou ao vivo no Brasil em diversas ocasiões, sendo a primeira em 2004 e a última em maio deste ano, como uma das atrações principais do Maximus Festival Brasil, no Autódromo de Interlagos, perante uma plateia composta por mais de 40 mil pessoas e ao lado das banda Slayer e Profets Of Rage.

Numb– Linkin Park:

Show Os Filhos dos Caras vai passar por Rio e São Paulo

jair_oliveira_foto_yuri_pinheiro-308-400x

Por Fabian Chacur

São três amigos que possuem em comum o fato de serem filhos de grandes nomes da música popular brasileira. Como forma de fazer um tributo ao legado desses pais famosos, eles resolveram criar o show Os Filhos dos Caras, que será apresentado no Rio de Janeiro nesta sexta (21) às 21h no Teatro Bradesco Rio (avenida das Américas, nº 3,900- loja 160- Shopping VillageMall- Barra da Tijuca- fone 0xx21-3431-0100), com ingressos de R$40,00 a R$ 160,00.

O espetáculo também passará por São Paulo no dia 4/8 às 21h no Teatro Bradesco (rua Palestra Itália, nº 500- 3º piso- Bourbon Shopping São Paulo- fone 4003-1212), com ingressos de R$ 30,00 a R$ 160,00.

Mas quem são os caras em questão? Vamos lá. Jair Oliveira (foto), cantor, compositor e músico, é filho de Jair Rodrigues, um dos grandes intérpretes da história da MPB, com seu gingado e versatilidade. Wilson Simoninha, como o nome já entrega, é rebento de Wilson Simonal, o rei do swing da MPB. Fecha o trio Leo Maia, que tem como pai ninguém menos do que Tim Maia. Três lendas da nossa música infelizmente já pertencentes ao outro lado do mistério.

O show mostrará o trio em performances coletivas, em músicas como Alguém me Avisou e País Tropical, e em momentos individuais, nas quais cantarão clássicos do porte de Nem Vem Que Não Tem, Mais Que Nada, Não Deixe o Samba Morrer, Simples Desejo, Do Leme ao Pontal e Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar). A acompanha-los, os músicos Marcelo Maita (teclados), Robinho Tavares (baixo), Daniel de Paula (bateria), Márcio Forte (percussão) e Dílson Laguna (guitarra).

Alguém me Avisou– Os Filhos dos Caras:

Ricardo Vignini lança o novo CD solo com show em Sampa

Ricardo-Vignini---crédito-Gabriel-Galvani-5-400x

Por Fabian Chacur

O paulistano Ricardo Vignini é um dos responsáveis pela ampliação do campo de ação da viola caipira. Esse instrumento, tão fortemente incluído na música brasileira, espalha seus acordes e solos mágicos pelos mais diversos estilos, nas mãos deste músico, também produtor, compositor e produtor. Ele lança o 2º álbum solo, Rebento, com show nesta quinta (20) na comedoria do Sesc Pompeia (rua Clélia, nº 93- Pompéia- fone 0xx11-3871-7700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Com mais de 27 anos de carreira, Vignini gravou cinco CDs com a banda Matuto Moderno, integra o duo Moda de Rock com o violeiro Zé Helder e também lançou em 2010 seu primeiro CD solo, Na Zoada do Arame. Ele participou do ótimo CD Carbono, de Lenine, e acompanhou o brilhante astro pernambucano em sua apresentação no Rock in Rio, em 2016. O músico também leciona viola caipira há 18 anos, e produziu diversos CDs alheios nos últimos 15 anos.

Rebento traz 13 faixas inéditas e autorais, sendo 10 compostas só por ele e outras três com parceiros diversos. Totalmente instrumental, o álbum serve como prova concreta e decisiva de como a viola pode ser utilizada em diversos contextos musicais de forma original e inspirada, passando aqui por country, rock, música brasileira, folk e até rock progressivo, esbanjando versatilidade e com melodias e harmonias concebidas por quem tem bom gosto e talento.

Participam do álbum músicos do altíssimo calibre de Christiaan Oyens (parceiro de Zélia Duncan), Lucio Maia (guitarrista do Nação Zumbi), Ary Borger, Marcos Suzano e diversos outros. No show desta quinta, Vignini terá a seu lado André Rass (percussão), Ricardo Carneiro (violão e guitarra), Sérgio Duarte (gaita), Ari Borger (piano) e Bruno Serroni (violoncelo). O show integra o projeto Plataforma, do Sesc Pompeia.

Ouça o CD Rebento, de Ricardo Vignini, em streaming:

Sandália de Prata faz show de lançamento de novo álbum

sandalia_de_prata-2016-5289-Credito Patricia Ribeiro-400x

Por Fabian Chacur

Com 14 anos de estrada, a banda paulistana Sandália de Prata se firmou como uma das melhores do Brasil, esbanjando swing e categoria em sua fusão de samba rock, funk, soul, gafieira e muito mais. Sua sonoridade dançante e contagiante gerou um novo fruto, o álbum Maloqueiro e Elegante, cuja versão em vinil está sendo lançada com um show em São Paulo neste domingo (16) às 19h no Auditório Ibirapuera (avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº- Portão 2 do Parque Ibirapuera- fone 0xx11-3629-1075), com ingressos a R$ 10,00 e R$ 20,00.

Criada em 2004 na Zona Sul de São Paulo, a Sandália de Prata conta atualmente em sua formação com Ully Costa (vocal), Dado Tristão (teclados), Ocimar de Paula (baixo), Everson Gama (guitarra), Wendel Soares (bateria), Tito Amorim (percussão), João Lenhan (trompete), Jorginho Neto (trombone) e Rafael Ferreira. Trata-se de um time entrosado e que lembra as antigas bandas de gafieira, com repertório próprio e alguns covers matadores.

Entre essas releituras, destaque para Check My Machine, de Paul McCartney, lançada como lado B do single Waterfalls em 1980 e um improvável hit nos bailes black brasileiro nos anos 1980 que a Sandália de Prata incorporou com categoria ao seu set list. A discografia da banda inclui os álbuns Sandália de Prata (2006), Samba Pesado (2009), Desafio ao Galo (2011) e o novo Maloqueiro e Elegante.

Ego Ferido (clipe)-Sandália de Prata:

Monique Kessous volta a SP e mostra repertório delicioso

Monique-030-Edit-400x

Por Fabian Chacur

Há mais de dez anos na estrada, Monique Kessous vem cativando um público significativo graças a sua mistura de folk, pop e MPB, com direito a canções deliciosamente melódicas e bem interpretadas. Após um ano, ela volta à cidade para nos mostrar mais uma vez o repertório de seu mais recente álbum, Dentro de Mim Cabe o Mundo. O show rola nesta quarta-feira (5) às 21h no Teatro Viradalata (rua Apinajé, nº 1.387- Perdizes- fone 0xx11-3868-2535), com ingressos custando R$ 25,00.

A cantora, compositora e musicista carioca de 33 anos tem em seu currículo outros dois álbuns, além do mais recente: Com Essa Cor (2008) e Monique Kessous (2010). Em 2011, ela ganhou o Prêmio Multishow na categoria Artista Revelação. Seis de suas músicas foram incluídas em trilhas de novelas globais, sendo a mais recente Eu Sem Você, que embala cenas da atração das 19h da emissora carioca, Pega Pega.

O repertório do show trará faixas do mais recente trabalho e também dos anteriores, com direito a canções como Frio, Calma Aí e Levo Minha Vida Assim. Ela também já teve parcerias com astros como Ney Matogrosso. Leia mais sobre Mondo Pop com Monique Kessous aqui.

Eu Sem Você (clipe)- Monique Kessous:

Milton Nascimento volta a SP e apresenta Semente da Terra

milton nascimento-400x

Por Fabian Chacur

Em março, Milton Nascimento estreou em Belo Horizonte a sua nova turnê, que o traz de volta aos palcos após mais de um ano de ausência. O show, intitulado Semente da Terra, aporta em São Paulo neste fim de semana, mais precisamente neste sábado (1º/7) às 22h e domingo (2/7) às 20h no Espaço das Américas (rua Tagipuru, nº 795- Barra Funda- SP- fone 0xx11-2027-0777), com ingressos que custam de R$ 70,00 a R$ 240,00.

Em seu novo espetáculo, o Bituca de Três Pontas dá uma geral em grandes momentos de seus extenso e cativante repertório, dando ênfase a canções que enfocam questões indígenas, raciais, sociais e trabalhistas, sem, no entanto, cair em um tom panfletário. O repertório traz maravilhas do porte de O Que Será (A Flor da Terra), Cálice, Maria Maria, Tudo Que Você Podia Ser, Clube da Esquina 2, Fé Cega Faca Amolada e A Terceira Margem do Rio, entre outras.

Milton vive um momento especial em sua vida. Em outubro, comemorará 75 anos de vida e também os 50 anos do lançamento de seu primeiro grande sucesso, a emblemática Travessia. De volta a Minas Gerais, ele mora desde o ano passado em Juiz de Fora, e afirmou recentemente, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, que está novamente se dedicando a novas composições, o que gera a expectativa de novos trabalhos em um futuro não muito distante.

A Terceira Margem do Rio– Milton Nascimento:

Festival no Rio reúne feras do rock 80, hip hop e sertanejo

Plebe-Rude-400x

Por Fabian Chacur

Para quem não aguenta mais notícias ruins que atualmente predominam no noticiário brasileiro e mundial, eis uma bacana. Será realizado de 14 a 16 de julho no Rio de Janeiro o Festival de Inverno Rio, com noites dedicadas a hip hop, rock brasileiro e sertanejo. Os ingressos já estão a venda, e custam, em seu primeiro lote, de R$ 40,00 a R$80,00 por dia. O local será a bela Marina da Glória, cuja reabertura ocorrerá com este evento. Mais informações: 0xx21-3180-0156 e também aqui.

O evento começa no dia 14/7 (sexta) a partir das 20h com o bloco temático Hip Hop Rio. Estão escalados integrantes expressivos da cena hip hop carioca de todos os tempos. O elenco inclui Black Alien, Filipe Ret, Gabriel e Pensador e Planet Hemp, que mostram as várias tendências do rap feito no Rio e com direito a repertório significativo.

No dia 15/7 (sábado), a partir das 18h, é a vez de Rock Brasil 35. O título é referente aos 35 anos do estouro de Você Não Soube me Amar, da Blitz, marco zero do rock brasileiro dos anos 1980. E o elenco é caprichado. Além da própria Blitz, estarão em cena Frejat (ex-Barão Vermelho, um dos baluartes daqueles tempos), Humberto Gessinger (ex-Engenheiros do Hawaii) e a Plebe Rude (FOTO), timaço com toneladas de hits em suas bagagens marcadas por muita estrada e público fiel.

A programação será encerrada no dia 16/7 (domingo) a partir das 16h com Sertanejo in Rio, show que traz para as plagas cariocas duas das duplas de maior sucesso da cena sertaneja atual. Henrique & Juliano e Maiara & Maraisa certamente agitarão os fãs da Cidade Maravilhosa com toda a sua sofrência, hits dançantes e bom humor escancarado em suas canções de sucesso como 10%, Sorte Que Cê Beija Bem, Você Faz Falta Aqui, Vidinha de Balada, Parece Piada e Recaídas, por exemplo.

Até Quando Esperar (ao vivo 2011)- Plebe Rude:

The Maine lança novo single e prepara nova turnê brasileira

the maine-400x

Por Fabian Chacur

A banda americana The Maine acaba de divulgar um novo single. Trata-se de Black Butterflies & Déja Vu, apresentada no Youtube com um lyric vídeo. Este é a segunda música divulgada de seu próximo álbum, Lovely Little Lonely, que está previsto para sair no dia 7 de abril. Antes, a música Bad Behavior havia sido disponibilizada deste seu sexto CD de estúdio. E eles já tem novos shows marcados para o Brasil.

Com seu clima envolvente e pop, o single é definido assim pelo vocalista e tecladista John O’Callagham: “Esta música é para os momentos, lugares ou pessoas que de alguma forma transformam a sua língua em pedra. Aqueles momentos em que as palavras realmente não possuem o poder de expressar adequadamente uma situação. Para mim, foi escrita em um momento em que o mundo ficou claro para mim por apenas um instante… Quando os problemas se dissipavam e eu não conseguia me expressar usando as 26 letras que conheço.”

Na ativa desde 2007 e oriundo da cidade de Temple, no Arizona (EUA), o The Maine traz, além de O’Callagham, os integrantes Jared Monaco (guitarra-solo), Garret Nickelsen (baixo), Patrick Kirch (bateria) e Kennedy Brock (guitarra-base). Atualmente, eles lançam seus trabalhos por um selo próprio, 8123, além de manter um festival com o mesmo nome. Seu trabalho de maior repercussão foi Black & White (2010), que atingiu o nº 16 na parada americana.

Com público cativo no Brasil, eles já estiveram por aqui, incluindo uma passagem em 2012 que rendeu um DVD gravado ao vivo em São Paulo em julho daquele ano e intitulado Anthem For a Dying Breed (2013). Confira abaixo o calendário de sua nova turnê brasileira:

15/07 – Tropical Butantã – São Paulo
16/07 – Bar da Montanha – Limeira
18/07 – Teatro CIEE – Porto Alegre
19/07 – Local a confirmar – Curitiba
21/07 – Arena Futebol Clube – Brasília
22/07 – Teatro Bradesco – Belo Horizonte
23/07 – Circo Voador – Rio de Janeiro

Black Butterfiles & Déja Vu– The Maine:

© 2017 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑