Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: lançamento (page 2 of 3)

Banda Neuttra lança primeiro álbum com um show no Rio

neutra banda de rock-400x

Por Fabian Chacur

A banda Neuttra mostra o repertório de seu álbum de estreia, autointitulado, com um show único no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (3) a partir das 20h30 no Bar do Elias (rua Olegário Maciel, nº 162- Barra da Tijuca- RJ- fone 0xx21-3435-4977), com ingressos a R$ 15,00 (R$ 7,00 na lista amiga, e-mail cenna3assessoria@gmail.com).

Oriunda da Baixada Fluminense, a Neuttra traz em sua formação Gabriel Martins (vocal e guitarra), Rodrigo Correia (baixo) e Anderson Oliveira (bateria). No início, eles faziam covers de diversas bandas, mas logo perceberam que investir em repertório próprio seria o melhor caminho, e assim o fizeram. Como influências, citam Twenty One Pilots, Scalene, NX Zero, Foo Fighters e Stone Sour.

Após a divulgação do clipe de Me Leva, Amor, a banda nos trouxe seu primeiro álbum, com direito a uma mistura de rock e pop com letras falando sobre amores, desamores, as madrugadas e tudo o que se associe a esse universo. Um dos lemas da banda é “uma guitarra na mão e uma ideia na cabeça”. Entre outras, temos no álbum Lembranças, Então Vai, Terra do Nunca, Te Encontrar e Segredos.

Me Leva, Amor– Neuttra (clipe):

Débora Watts lança seu 1º CD autoral com um show no Rio

debora watts-400x

Por Fabian Chacur

Depois de cantar clássicos da MPB durante muitos anos nos EUA, Débora Watts resolveu se dedicar a composições próprias, processo que teve início em 2013. A cantora e agora também autora vem ao Brasil para mostrar o repertório de seu primeiro CD com músicas de sua autoria, Um Samba Ao Contrário. O show será realizado no Rio de Janeiro nesta terça-feira (6) às 21h no Bar Semente (rua Evaristo da Veiga, nº 149- Lapa- fone 0xx21), com ingressos a R$ 20,00.

Natural de Saquarema (RJ), Débora mora nos EUA desde 1993. Por lá, recebendo incentivo de seu marido, o pianista John Allen Watts, passou a se apresentar em locais como o Brooklyn Museum e o Flushing Town Hall, acompanhada por músicos de lá e interpretando pérolas do samba, MPB, bossa nova e baião. Quando resolveu escrever suas próprias canções, teve como inspiração craques como Chico Buarque, Edu Lobo, Chiquinha Gonzaga, Tom Jobim e Noel Rosa, entre outros.

Um Samba ao Contrário traz 14 músicas feitas por Débora, nas quais uma sonoridade acústica marca presença em canções que vão do samba ao chorinho, passando por maxixe, valsinha e até bolero. No repertório, destaques para as canções Vampiros, O Vento e a Flor, Vou Te Contar Um Segredo, A História de Nós Dois e Calma.

No show no Rio, ela será acompanhada por Rogério Caetano (violão de 7 cordas), Luis Barcelos (bandolim e cavaquinho), Guto Wirtti (baixo acústico), Rafael Barata (bateria) e Kiko Horta (acordeon), boa parte dos músicos que marcaram presença no álbum, gravado no Rio por Carlos Fuchs no estúdio Tenda da Raposa e mixado/masterizado nos EUA por David Darlington, que possui um Grammy em seu currículo.

Vampiros– Débora Watts:

Madonna lançará Rebel Heart Tour em diversos formatos

madonna-400x

Por Fabian Chacur

Madonna não lança um álbum à altura de seu passado de glórias desde Music (2000). A partir daí, seus trabalhos dedicados a faixas inéditas primam pela irregularidade. Os shows, no entanto, mantiveram-na no primeiro escalão do pop mundial, graças a muito profissionalismo, criatividade e ousadia. No dia 15 de setembro, ela lança Rebel Heart Tour, registro de sua mais recente tour mundial que ressalta esse clima de “rainha dos shows grandiosos”.

Este novo trabalho de Madonna chegará ao público nos formatos DVD, Blu-ray com bônus, CD simples e CD duplo, além das respectivas versões digitais para cada versão. A direção do filme ficou a cargo de Danny B. Tull e Nathan Rissman, enquanto a arte de capa foi feita por Aldo Diaz. Vale lembrar que uma versão prévia esteve na tela do canal americano por assinatura Showtime em dezembro de 2016.

O repertório traz 22 músicas que cobrem os mais de 30 anos de carreira da cantora e compositora americana, com direito a Material Girl, Candy Shop, Illuminati, Music, Who’s That Girl e Holiday, trazendo novos arranjos, efeitos visuais espetaculares e coreografias de tirar o fôlego. Aquele tipo de espetáculo padrão “Broadway Plus” que a artista sabe fazer como poucos, e com recursos técnicos de cair o queixo.

A mais recente turnê mundial da Material Girl teve início em 9 de setembro de 2015 em Montreal, Canadá, passou por 55 cidades de quatro continentes e durou sete meses. Foram 82 apresentações, mais uma adicional e especial, intitulada Tears Of a Clown e realizada em Melbourne, Austrália. Exatos 1.045.479 pagantes proporcionaram uma arrecadação de 169.8 milhões de dólares. Garota material mesmo!

Trailer Rebel Heart Tour- Madonna:

Cantora Fátima Fonseca lança O Espelho com show em SP

Fatima Fonseca - Foto Paulo Uras-400x

Por Fabian Chacur

O Espelho é o primeiro CD da cantora e compositora paulistana Fátima Fonseca. Lançado pela via independente, o trabalho traz oito faixas interpretadas em português, castelhano e inglês. Ela mostra esse repertório e mais outras canções em show neste domingo (12) às 20h30 no Café Piu Piu (rua Treze de Maio, nº 134-Bela Vista- fone 0xx11-3258-8066), com ingressos a R$ 25,00.

O álbum coroa a parceria artística entre Fátima e o pianista, compositor e arranjador David Pasqua, que é autor ou coautor de cinco das oito canções do CD, sendo duas delas assinadas pelos dois. Ele também se incumbirá, no show deste domingo, de piano e arranjos da banda de apoio da cantora, que também traz como integrantes Diego Trindade (guitarra), Marcelo Rocha (baixo) e Edson Ghilardi (bateria), com participação especial de Marcelo Mejia (autor da faixa Desde Que Tú No Estás, um dos destaques do disco).

Além de faixas autorais, como Como Um Ímã e Rio de Moinhos, o trabalho de estreia de Fátima Fonseca também conta com composições alheias, entre elas We’ve Only Just Begin (Paul H. Williams-Roger S.Nichols), grande hit com os Carpenters. Descendente de portugueses, a artista recentemente fez um show de lançamento do CD na cidade de Viseu, em Portugal, no qual também cantou alguns fados.

O Espelho (clipe)- Fátima Fonseca:

Priscila Amorim esbanja ginga em seu 1º disco, Pra Começar

priscila-amorim-400x

Por Fabian Chacur

Foram 15 longos anos. Durante esse período, Priscila Amorim cantou em bares e espaços culturais, e dividiu em algumas ocasiões o palco com artistas como Monarco, D.Ivone Lara, Oswaldinho da Cuíca, Almir Guineto, Tereza Gama e Clube do Balanço. Com garra e sem pressa, concretiza agora, enfim, o seu primeiro CD, intitulado Pra Começar. Para felicidade geral de seus fãs e incentivadores, valeu a pena essa espera toda. Bela estreia!

De forma inteligente, Priscila soube se cercar de gente experiente nessa sua primeira incursão pelo mundo do disco. De cara, escolheu como produtor Bira Haway, veterano profissional que assinou trabalhos de muito sucesso de grupos como Soweto, Exaltasamba, Molejo, Revelação e inúmeros outros. Ele soube arregimentar músicos e arranjadores que deram à voz da estrela da companhia uma moldura perfeita, sem complicações mas sem simplificação excessiva.

O repertório, por sua vez, traz boas composições inéditas de hitmakers do cenário do samba do naipe de Serginho Meriti, Arlindo Cruz, Chiquinho dos Santos, Xande de Pilares, Jorge Aragão, Paulo Cesar Pinheiro e Roque Ferreira. Também foram escolhidas duas canções clássicas de grandes autores, Cartola e Nuno Ferreira (Festa da Vinda) e Noca da Portela e Sérgio Fonseca (Canta Meu Povo Canta).

Nessas décadas que atuo como crítico e jornalista especializado em música, já ouvi vários discos com esse mesmo perfil, e nem sempre esse auxílio luxuoso resultou em algo positivo. A razão costuma ser sempre a mesma: a “estrela da companhia” não desempenhou a contento. Felizmente, esse não é o caso deste Pra Começar. Priscila Amorim mostra que nasceu para cantar samba, com direito a muita ginga, timbre vocal delicioso e maturidade como intérprete.

As onze faixas do CD fluem com desenvoltura, dando ao ouvinte uma bela amostra de samba com jeitão popular, sim, mas sem cair no banal. Pelo contrário. A faixa-título, Feliz do Homem Que Chora, Quem Me Ilumina, Festa da Vinda e Me Leva Contigo são possíveis destaques de um trabalho consistente que vai direto ao assunto, sem mais delongas. Fica a torcida para que não tenhamos de esperar mais 15 infindáveis anos para um novo trabalho dessa ótima intérprete.

Pra Começar (CD completo em streaming)- Priscila Amorim:

Sururu na Roda lança o novo DVD/CD, gravado no Japão

sururu-na-roda_-foto-divulgaa%c2%a7ao-1-400x

Por Fabian Chacur

No fim de 2014, o grupo brasileiro Sururu na Roda fez uma turnê pelo Japão, com direito a 22 shows em 20 cidades diferentes. Um deles, realizado no Kanagawa Prefecture Hall, em Yokohama, foi registrado em áudio e vídeo, e agora sai em CD e DVD com o título Made In Japan. O trio fará o show de lançamento no Rio de Janeiro nesta quarta-feira (14) às 20h no Teatro Rival Petrobrás (rua Álvaro Alvim, nº33/37-Cinelândia- fone 0xx21-2240-4469), com ingressos a R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00.

O novo trabalho marca a comemoração dos 15 anos de carreira do grupo integrado por Nilze Carvalho (vocal, cavaquinho e bandolim), Fabiano Salek (voz e percussão) e Silvio Carvalho (voz, percussão e cavaquinho). O registro dessa tour japonesa equivale a um dos momentos mais emocionantes da carreira do trio, e mescla clássicos da MPB como A Voz do Morro, Trem das Onze, Retalhos de Cetim e Saudade da Bahia com músicas autorais, entre as quais Sururu Formado e Errei.

A discografia do Sururu na Roda inclui os CDs Arco da Velha (2001), Sururu na Roda (2004, com participação de Chico Buarque), Que Samba Bom-Ao Vivo (2008), Se Você Me Ouvisse- 100 Anos de Nelson Cavaquinho (2011) e o DVD Sururu Na Roda Ao Vivo (2014). Com seu trabalho, eles ajudaram a revitalizar o samba no Rio, conseguindo atrair um novo público para o mais brasileiro dos ritmos musicais.

Sururu Formado– Sururu Na Roda:

Pitty lança registro de turnê e inova com formato de vídeo

pitty capa dvd sete vidas ao vivo-400x

Por Fabian Chacur

Pitty inova com seu novo lançamento. O vídeo Turnê Sete Vidas Ao Vivo já está disponível desde o último dia 13 no formato digital. O arquivo está sendo oferecido no formato Full HD, em resolução superior à da versão física, que chegará às lojas no próximo dia 25 (segunda-feira). A plataforma criada pela gravadora Deck e pela Loja Comunicação possibilita que o vídeo adquirido pela via virtual possa ser visto em computadores, smartphones e tablets.

Quem quiser adquirir o vídeo digital pode fazê-lo aqui. O show custa R$ 19,90, sendo que quem desejar adquirir também o making of pagará R$24,90 pela dobradinha. O DVD físico, cuja pré-venda já está sendo feita no mesmo link mostrado acima, tem o preço sugerido de R$34,90.

Em termos de conteúdo, são duas partes distintas. A primeira traz um show na íntegra, gravado na Áudio Club em São Paulo e com 86 minutos de duração. O repertório inclui músicas do mais recente trabalho de estúdio da roqueira baiana, Sete Vidas, entre as quais Serpente, a faixa título e Um Leão, e hits de seus mais de dez anos de carreira, como Máscara, Me Adora e Equalize, em performances vibrantes.

A segunda parte é Dê Um Rolê, documentário dirigido por Otávio Souza com 54 minutos de duração que traz registros da turnê de Sete Vidas Brasil afora. Contém cenas dos shows, bastidores, entrevistas com os músicos e público, flagrantes bacanas etc. O destaque fica por conta da música Dê Um Rolê, releitura do clássico dos Novos Baianos e faixa de trabalho do novo lançamento. Curiosidade: só foi tocada uma vez na tour, justamente no show do Áudio Club.

Dê um Rolê (ao vivo)- Pitty:

Veja o trailer do DVD:

Corina Magalhães explora do seu jeito a mineirice no samba

corina magalhaes capa cd-400x

Por Fabian Chacur

Tem mais uma mineira das boas no samba. Trata-se da cantora Corina Magalhães. Com 32 anos de idade e natural da cidade de Cambui (MG), a moça estreia em disco de forma segura e inspirada, mostrando que se preparou muito bem para executar essa tarefa, algo que infelizmente muitos artistas não fazem em seus primeiros trabalhos. O álbum, intitulado de forma simples e direta Tem Mineira no Samba, é um verdadeiro banho de swing, classe e sutileza. Bom demais da conta!

O conceito por trás do CD que abre a discografia desta intérprete é simples, mas muito bem desenvolvido. Ela selecionou 13 composições de autores mineiros de várias épocas, mais uma, Guerreira, escrita por dois cariocas (João Nogueira e Paulo Cesar Pinheiro), que, no entanto, foi feita e gravada pela mais famosa e bem-sucedida sambista mineira de todos os tempos, a saudosa Clara Nunes.

Com um repertório muito bem selecionado, o próximo passo foi criar uma moldura musical adequada e que se afastasse do óbvio, e nisso Corina mais uma vez se mostrou craque. Sua concepção musical temperou o baticum sambista com bons elementos de chorinho e especialmente de jazz, apostando na sutileza, nas nuances e em um delicioso diálogo entre voz e instrumentos em vários momentos, algo típico dos intérpretes jazzísticos mais bem dotados.

O resultado é um disco que flui gostoso a cada faixa. Uma grande qualidade desta mineirinha é o fato de se valer de um registro vocal doce e suave sem cair em uma mesmice, ou seja, sem se lambuzar de doçura e correr o risco de nos oferecer um trabalho sem variações e proibido para diabéticos. Nada disso. Corina prova que é possível ser suave e ao mesmo tempos nos oferecer variações de timbre e interpretação das mais expressivas, sem gritar ou exagerar.

Corina se porta bem na árdua missão de nos oferecer novas leituras para algumas músicas bem conhecidas, como Sem Compromisso (Geraldo Pereira-Nelson Trigueiro), Ai Que Saudade da Amélia (Ataulfo Alves-Mário Lago), Escurinho (Geraldo Pereira) e Falsa Baiana (Geraldo Pereira). Todas elas aparecem aqui de roupa nova, não se assemelhando a releituras anteriores e soando muito legais.

As três que ela pinçou da obra dos geniais João Bosco e Aldyr Blanc ficaram matadoras. São elas Casa de Marimbondo, Prêt-a-Porter de Tafetá e A Nível de…, esta última um dos momentos mais bem-humorados e sarcásticos da dupla mineiro-carioca. Em Aqui é o País do Futebol (Milton Nascimento-Fernando Brant), a intérprete dá uma aula no quesito suavidade-tensão, trocando de registros com uma categoria absurda.

Das novas gerações, boa representante é a deliciosa Galo e Cruzeiro, do versátil Vander Lee. E tem três do mestre Ary Barroso, Faceira, Camisa Amarela e Morena Boca de Ouro. E quer saber? Melhor você ir atrás e descobrir por si só esta bela obra, uma das estreias mais consistentes dos últimos anos. Muita cantora por aí tem se metido a cantar samba atualmente, mas poucas com esta consistência, esta categoria e essa fluência. Coisa muito, mas muito fina mesmo!

obs.: ah, e também merece muitos elogios a apresentação visual do CD, simplesmente espetacular, com direito a belíssima capa tripla no formato digipack, com direito a um belo encarte com as letras e ficha técnica. Coisa de primeiro mundo.

Aqui é o País do Futebol– Corina Magalhães:

Guerreira– Corina Magalhães:

Faceira– Corina Magalhães:

Baia lança CD A Fúria do Mar com show no Circo Voador

baia 400x

Por Fabian Chacur

Maurício Baia iniciou sua carreira em 1992 como integrante do grupo Baia e os Rock Boys, com o qual gravou três CDs entre 1995 e 2001. Em 2006, lançou seu primeiro trabalho solo, Habeas Corpus, e desde então vem cativando fãs com seu som próprio. Ele está lançando um novo álbum, A Fúria do Mar, já disponível nas principais plataformas digitais, e fará show para mostrar as novas canções nesta sexta-feira (4) a partir das 22h no Rio no Circo Voador (rua dos Arcos, s/nº fone 0xx21-2533-0354), com ingressos a R$ 50,00 e R$ 100,00.

Com sua mistura de rock, blues, pop e outros estilos musicais, este cantor e compositor baiano radicado no Rio há 30 anos mostra várias tendências em seu novo álbum. A veia política aparece nas faixas Ladrão Que Rouba Ladrão e Suite Bourbon 1407, esta última centrada na Operação Lava Jato. Mas o amor e a esperança também marcam presença, tendo como mote o nascimento de sua primeira filha, Dora, ocorrido em 2014 e que rendeu uma faixa com o nome da herdeira.

Baia terá a seu lado no show, cuja abertura ficará a cargo de Rubel, os músicos Caesar Barbosa (guitarra), Carlos Sales (bateria), Wlad (baixo) e Fabrizio Iorio (teclados). Além das músicas de A Fúria do Mar, Baia também dará uma geral em momentos bacanas de seus mais de vinte anos de carreira. Vale lembrar que ele gravou um DVD/CD nesse mesmo Circo Voador, lançado em 2010 com o título Baia No Circo.

A Fúria do Mar– Baia:

Malabar– Baia:

Vagabundo Confesso– Baia:

Suíte Bourbon 1407- Baia:

Zé Pi lança seu 1º CD solo em show no Sesc Pompeia-SP

ze pi-400x

Por Fabian Chacur

Zé Pi tem uma trajetória bastante agitada em termos profissionais, com vários itens bacanas em seu currículo. Agora, chega a vez de investir na carreira solo. Seu primeiro álbum individual, Rizar, saiu há pouco, e ele mostra o repertório desse trabalho neste sábado (20) às 21h na comedoria do Sesc Pompeia (rua Clélia, nº 93- Pompeia- fone 0xx11-3871-7700), com ingressos a R$ 5,00 e R$ 10,00. O show faz parte da Mostra Prata da Casa, e também inclui a banda gaúcha Dingo Bells.

Na estrada desde 2005, Zé Pi integrou a banda Druques, com a qual gravou um CD. Ele também fez parte do grupo Tigre Dentes de Sabre, além de ter participado de álbuns de artistas como Tulipa Ruiz, Cérebro Eletrônico e Jumbo Elektro. Entre 2008 e 2012, foi compositor e produtor das trilhas sonoras da Cia. Teatro Oficina. Seu dueto com Tulipa, Só Sei Dançar Com Você, integrou a trilha de uma novela global.

O músico, que cantará e tocará guitarra, terá a acompanha-lo Arthur Kunz (bateria), André Lima (teclados), Moisés Moita Mattos (guitarra), Otavio Carvalho (baixo) e um quarteto de cordas formado por Buda Nascimento e Fábio Silva (violinos), Renato Rossi (viola) e Leandro Tenório (cello). Farão participações especiais no show o guitarrista Luiz Chagas (que tocou com Itamar Assumpção e é pai de Tulipa Ruiz, de quem é músico) e a cantora Juliana Kehl.

Rizar, primeiro trabalho solo de Zé Pi, traz elementos de várias tendências do rock, do pop e da MPB, com direito a melodias doces, momentos mais agitados e fusões inesperadas. Fique à Vontade, Anoiteceu, Acredito e Se Você Soubesse são alguns de seus melhores momentos. O álbum conta com participações especiais de Tulipa Ruiz, Luiz Chagas, Barbara Eugênia e Karine Carvalho, entre outros.

Se Você Soubesse– Zé Pi:

Acredito– Zé Pi (com Barbara Eugenia e Karine Carvalho):

Anoiteceu– Zé Pi (com Leo Cavalcanti):

Older posts Newer posts

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑