Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: live sessions at mosh

Guitarrista Tony Babalu faz 2 shows gratuitos em São Paulo

Tony Babalu (Foto Leandro Almeida) (1)-400x

Por Fabian Chacur

Tony Babalu é um daqueles nomes que provam a força do músico brasileiro. Guitarrista desde os anos 1970, ele participou da lendária banda Made In Brazil, produziu vários artistas e também desenvolve um trabalho solo de primeira linha. Essa fera do rock e da música instrumental brasileira fará dois shows gratuitos em São Paulo, nos dias 9 (sábado) às 19h e 10 (domingo)às 18h, na Galeria Olido- Vitrine de Dança (avenida São João, nº 473- Centro- SP- fones: 0xx11 3331-8399 e 3397-0171). Programa imperdível para fãs de música instrumental com eme maiúsculo.

O guitarrista e compositor lançou recentemente o excelente álbum solo Live Sessions at Mosh (Amellis Records/Tratore), um dos melhores trabalhos da história do rock instrumental (e da música instrumental como um todo, sem restrições) já feitos no Brasil (leia a resenha de Mondo Pop aqui). Altamente recomendável.

No show, Babalu contará com o apoio de banda integrada por Leandro Gusman (baixo), Adriano Augusto (teclados) e Percio Sapia (bateria). Teremos duas participações especiais de guitarristas. No sábado (9), Kim Kehl (também ex-Made In Brazil e dos Kurandeiros), e no domingo (10), Xando Zupo (das bandas Pedra e Patrulha do Espaço). No repertório, os seis temas incluídos no CD e também alguns inéditos.

Vecchione Brothers– Tony Babalu:

Brazilian Blues– Tony Babalu:

Suzi (live)- Tony Babalu:

Tony Babalu esbanja classe e experiência em seu novo CD

tony babalu-Live-Sessions-at-Mosh-400x

Por Fabian Chacur

Tony Babalu é um guitarrista e compositor com vasta experiência e um não menos vasto currículo. Conhecido por sua atuação com o legendário grupo Made In Brazil, já produziu trabalhos alheios, participou de outras bandas e, melhor de tudo, sempre honrou seu instrumento. E isso continua em Live Sessions At Mosh, seu novo CD, uma maravilha sonora.

Na ativa desde os anos 1970, Babalu é daqueles músicos versáteis, que toca essencialmente com pegada roqueira, mas cuja versatilidade o leva a trafegar por outras sonoridades com uma desenvoltura nada comum. Blues, funk, soul, MPB, country, folk, ele investe em seu instrumento como se não houvessem segredos. O cara conhece todos os atalhos.

Live Sessions At Mosh é um trabalho composto por seis faixas instrumentais gravadas ao vivo no estúdio Mosh, em São Paulo, um dos mais importantes e bem equipados do Brasil. Como o título já entrega, foi gravado ao vivo. Além de Babalu, temos o experiente Franklin Paolilo (outra lenda do rock brazuca que também tocou no Made) na bateria, Adriano Augusto nos teclados e Leandro Gusman no baixo. Um timaço entrosado e com muita fome de bola.

Ao contrário de outros trabalhos nessa linha, nos quais o virtuosismo excessivo acaba afastando o público em geral e tornando sua audição algo mais indicado a músicos, este CD de Tony Babalu é um álbum instrumental no qual ninguém joga notas fora. Tudo gira em torno de cada tema, com direito a bom gosto, sensibilidade e muita energia.

Cada faixa nos dá direito a uma verdadeira viagem sonora. Valsa à Paulistana, que abre os trabalhos, é uma delicada valsa com pegada jazzística. Pompeia’s Groove nos oferece um funk rock sacudido e repleto de timbres energéticos. Logo a seguir vem Suzi, balada de 9 minutos de duração que é lirismo puro, com muita intensidade e delicadeza.

A força do blues é o mote de Brazilian Blues, uma verdadeira tour de force de quase 12 minutos durante os quais Babalu esbanja feeling, categoria e variações sobre um gênero que alguns pensam ser fácil de ser tocado, mas em cuja aparente simplicidade reside uma complexidade que só os craques conseguem atingir sem sair chamuscados.

Halley 86 é outro momento de reflexão do álbum, que é encerrado por Vecchione Brothers, bela homenagem aos irmãos Oswaldo e Celso Vecchione (os mentores do Made In Brazil) com direito a pegada a la AC/DC, solos nervosos e muita energia. Um final apoteótico para um dos melhores discos instrumentais do nosso velho e bom rock and roll.

Gravado de forma analógica em tradicionais fitas de rolo, Live Sessions At Mosh é um álbum que soa vintage e atemporal, e no qual Babalu também oferece generosos espaços para que os músicos que o acompanhem mostram a sua arte. Tudo em nome da música, da boa música. Um discaço que todos os críticos que importam já elogiaram. Rara unanimidade positiva em um mundo musical atual repleto de enganações. Aqui, só verdade, felizmente.

Pompeia’s Groove– Tony Babalu:

Vecchione Brothers – Tony Babalu:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑