Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: lobão

Power trio de Lobão tocará em SP em junho

Por Fabian Chacur

Lobão se envolve em tantas polêmicas e discussões na mídia que certamente há quem se esqueça de como o cara é talentoso como cantor, compositor e músico. Uma boa oportunidade de se conferir essa categoria toda é o show que ele fará em São Paulo no ainda distante dia 21 de junho a partir das 22h no Cine Joia, com abertura a cargo do ótimo e afiado grupo Vespas Mandarinas.

O roqueiro carioca virá com sua formação power trio, que inclui ele próprio nos vocais, guitarra e violão, Dudinha Lima no baixo, violão e vocais e Armando Cardoso na bateria. Ele teve boa passagem pelo mesmo local em outubro de 2012, quando divulgava o álbum e DVD gravados ao vivo Lobão Elétrico Lino Sexy & Brutal- Ao Vivo Em SP. A ideia é mesclar lados B do seu repertório, hits certeiros e algumas inéditas.

O repertório, aberto a surpresas como de praxe, terá entre outras A Balada do Inimigo, Baby Lonest (do maravilhoso álbum O Rock Errou, de 1986, criminosamente inédito em CD até hoje), Seda, Esfinge dos Estilhaços e a inédita O Que É A Solidão Em Sermos Nós. As performances do power trio do Velho Lobo mesclam muita energia, personalidade e também momentos dedicados à sutileza.

Na abertura, o grupo Vespas Mandarinas mostrará músicas de seu álbum de estreia, o badalado Animal Nacional. Integram o time Chuck Hipolitho (vocal e guitarra, ex-Forgotten Boys e ex-VJ da MTV), Thadeu Meneghini (guitarra e vocal), André Dea (bateria) e Flávio Guarnieri (baixo), um time coeso que tem como inspiração o melhor do rock brasileiro dos anos 80, além de elementos de punk, pós-punk e rock básico.

Embora o show esteja ainda longe, os ingressos já estão sendo vendidos, e no esquema de lotes. Ou seja, quem comprar agora pagará, no primeiro lote, R$ 50,00 (inteira) e R$25,00 , preços que irão sendo aumentados conforme o tempo passa. O Cine Joia comporta 992 pessoas e fica na Praça Carlos Gomes, nº82-Liberdade- fone (0xx11) 3101-1305 www.cinejoia.tv .

Baby Lonest, com Lobão e seu power trio, ao vivo no Rio:

Ouça Animal Nacional, das Vespas Mandarinas, na íntegra em streaming:

As várias faces do Lobão Mau e do Lobão Bobo

Por Fabian Chacur

Mais uma vez o glorioso João Luiz Woerdenbag Filho, 55 anos, mais conhecido pelo nome artístico Lobão, consegue criar uma grande polêmica em torno de declarações incisivas e agressivas dirigidas aos mais diferentes nomes da música, política e cultura brasileira. Não por acaso, está lançando um novo produto, no caso o livro Manifesto do Nada na Terra do Nunca, onde tais declarações estão inseridas.

Conheço muito bem a figura. A primeira entrevista que fiz com ele foi no já longínquo ano de 1986, quando ele lançou o que eu reputo ser seu melhor trabalho, o álbum O Rock Errou. Desde então, tive a oportunidade de participar de entrevistas coletivas ou fazer exclusivas com ele em pelo menos mais dez ocasiões nesses quase 30 anos.

Em cada uma delas surge um Lobão. Ora mais simpático e tranquilo, ora agressivo, ora até mesmo com jeito de quem tomou umas e outras, para dizer o mínimo. Mas algumas características se mantiveram sempre: a verborragia, as opiniões contundentes, a inteligência, o jeitão de manipulador e de quem diz as tais “verdades”. Sempre dá ótimas entrevistas.

Desta vez, as vítimas de sua língua ferina são Mano Brown, a produtora cultural Paula Lavigne, a presidente Dilma Roussef o Rei Roberto Carlos…Sobrou até para Sérgio Reis, quem diria… E, como de costume, a metralhadora giratória do cantor, compositor e músico carioca angariou apoios e ataques das pessoas mais diferentes possíveis.

Nem vou entrar no mérito das coisas que ele disse nesta nova blitzkrieg opinativa, embora a forma como ele as faz tenha esse abominável formato de “não tenho medo de dizer as verdades”, ou seja, como se tudo o que o autor de Me Chama afirma fosse a verdade absoluta e tudo o que os outros falam são mentiras covardes e imperdoáveis. Ninguém é detentor absoluto das tais “verdades”, Big Wolf. E você sabe bem disso.

Apoiar ou criticar integralmente aquilo que Woerdenbag Filho diz é entrar em uma fria. Ao ler suas declarações, sempre dá para concordar e discordar de muita coisa. O mais ponderado, sempre, é analisar cada opinião dele e tirar suas próprias conclusões. Agora, uma coisa é fato: ele adora atirar nas chamadas “vacas sagradas”.

Se desta vez são Mano Brown, a Doutora Dilma, “Reiberto” Carlos e Paula Lavigne os principais atingidos, em outras ocasiões os alvos foram Caetano Veloso, Gilberto Gil, Herbert Vianna e tantos outros. Nada de novo no front. E isso costuma ocorrer com mais frequência quando ele lança novos trabalhos.

A obra do artista Lobão é altamente relevante, mas repleta de altos e baixos, o que o torna um fantástico proprietário de telhado de vidro. Vasculhem suas entrevistas nesses anos todos e descubram incoerências em praticamente todas elas. Em uma das coletivas de que partipei, por exemplo, ele detonou os próprios fãs, dizendo que eles “só sabem pedir autógrafos”.

Durante outra entrevista concedida a mim, desta vez uma exclusiva feita em um final de tarde, a assessoria de imprensa da gravadora perguntou se ele poderia conceder mais uma. A resposta: “claro, eu faço tudo o que precisar, pois preciso divulgar muito esse show para lotar o Olympia (extinta casa de espetáculos onde ele iria cantar)”.

Portanto, meus caros, esse filme é bem idoso, e no fim, o Big Bad (or Good) Wolf sempre ganha no final. Seus trabalhos são bem divulgados, alguns artistas estendem as polêmicas e o nome de Lobão circula forte na mídia durante um bom período de tempo. Quer saber? “Eu não quero mais nenhuma chance, eu não quero mais revanche”.

Ah, e não pretendo comprar esse novo livro, não, como não comprei a autobiografia dele. Fiquei satisfeito em ler trechos do mesmo, que já me deram uma boa amostra do que se tratava. Está de bom tamanho. Afinal, tal qual ele, também tenho de pagar minhas contas, que não são poucas. Se um dia ganhar de presente…

Ouça Revanche, com Lobão, do álbum O Rock Errou:

Lobão lançará CD/DVD ao vivo em outubro

Por Fabian Chacur

Conhecido por suas entrevistas polêmicas e ainda comemorando o sucesso de sua autobiografia, Lobão prepara-se para fazer aquilo que teoricamente é sua ocupação principal, ou seja, músico.

Está programado para outubro o lançamento de Lino, Sexy & Brutal, novo CD/DVD do cantor, compositor e multi-instrumentista carioca, uma produção da sua Universo Paralelo em parceria com a gravadora Deck.

Gravado ao vivo no Citibank Hall (SP), o trabalho inclui clássicos do repertório do artista como Me Chama, Canos Silenciosos, Rádio Blá e Vida Bandida, mescladas a momentos menos conhecidos do grande público, entre os quais podem ser citados Vamos Pro Espaço e Balada do Inimigo.

Teremos também uma releitura de Ovelha Negra, clássico de Rita Lee, com participação especial do lendário guitarrista Luis Sérgio Carlini, parceiro de Rita em várias músicas e integrante da banda que tocou com a roqueira nos anos 70, a Tutti Frutti.

Fazem parte da banda do Grande Lobo os músicos André Caccia Bava (guitarra), Armando Cardoso (bateria) e Dudinha Lima (baixo), além do próprio roqueiro nos vocais e guitarra.

Resta saber se entre uma e outra música o artista não aproveitou para baixar o pau em Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque, como tem feito em suas entrevistas mais recentes.

E também fica a dica: que tal a produção de um DVD no qual sejam reunidas algumas dessas inúmeras entrevistas concedidas pelo autor de Viva Bandida durante todos esses anos? Seria provavelmente um campeão de vendas…

Veja mais uma das polêmicas entrevistas de Lobão:

Ouça a versão original de estúdio de Canos Silenciosos, de Lobão:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑