Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: março 2016

Trio Curupira mostra seu som afiado em show grátis em SP

?????????????

Por Fabian Chacur

Com 20 anos de trajetória, o Trio Curupira é conhecido por seu som instrumental criativo e com fortes raízes na música brasileira. Uma belíssima oportunidade de se conferir esse trabalho consistente e instigante é o show que eles farão nesta quinta-feira (24) às 15h no SL Music Hall- Souza Lima Ensino de Música (rua José Maria Lisboa, nº745- Jardim Paulista- fone 0xx11-3884-9149), com entrada gratuita.

Com 20 anos de carreira, o Trio Curupira é integrado atualmente por André Marques (piano, escaleta, flautas, rabeca e percussão), Fábio Gouvêa (baixo, guitarra, violão, flautas, percussão) e Cleber Almeida (bateria, percussão, escaleta e violão caipira). No currículo, quatro CDs bastante elogiados: Curupira (2000), Desinventado (2003), Pés No Brasil Cabeça No Mundo (2008) e Janela (2013).

O currículo dos integrantes do Trio Curupira é dos melhores. Marques toca desde 1994 com Hermeto Pascoal, é diretor musical e arranjador, e já tocou com John Patitucci e Hamilton de Holanda. Almeida faz parte da banda Mantiqueira e do grupo de Antônio Nóbrega, e atuou com Dominguinhos, Sadao Watanabe e Raul de Souza, enquanto Gouvêa entrou no time em 2002 e também investe em carreira solo.

Foi Não Foi– Trio Curupira:

Desvario– Trio Curupira:

Assum Preto– Trio Curupira:

Kaoll mostra músicas de Odd em show no Sesc Consolação

kaol grupo Credito Studio B-400x

Por Fabian Chacur

Rock instrumental criativo e da melhor qualidade é o que nos oferece o grupo brasileiro Kaoll. Eles mostram o repertório de seu mais recente álbum, Odd, em show gratuito que será realizado nesta segunda-feira (21) às 19h no Teatro Anchieta- Sesc Consolação (rua Doutor Vila Nova, nº245- Vila Buarque- fone 0xx11-3234-3000). Os ingressos devem ser retirados uma hora antes do show.

Tudo começou em 2008, quando o guitarrista Bruno Moscatiello lançou seu primeiro trabalho solo, intitulado Kaoll 04. Já no formato grupo, o Kaoll gravou o CD Auto-Hipnose (2010) e fez shows com o lendário guitarrista Lanny Gordin, professor e mestre de Bruno. Eles também fizeram shows tocando músicas do Pink Floyd, e admitem influências de Jethro Tull, King Crimson, Marco Antônio Araújo e Led Zeppelin.

Odd, lançado em 2014, mostra Bruno e seu parceiro Yuri Garfunkel (flauta e viola caipira) mostrando muita coesão e fluidez sonora. São nove faixas autorais e instrumentais, com participações especiais nobres como as do baixista Billy Cox, que tocou com Jimi Hendrix, João Parahyba (percussão), Paulo Garfunkel (clarone e clarinete) e Ricardo Vignini (viola), entre outros. Um belo lançamento pela via independente.

Moscatiello e Yuri terão a seu lado no show no Sesc Consolação Gabriel Catanzaro (baixo), Fabio Leandro (teclados), Janja Gomes (percussão) e Rodrigo Reatto (bateria). Vale lembrar que o Kaoll já fez shows na Europa e tem se consolidado no cenário roqueiro, mesmo apostando em uma sonoridade fora dos parâmetros habituais do rock no Brasil.

Aquiles Barbecue- Kaoll:

Lucinha Turnbull reaparece e faz show no Sesc Belenzinho

Lucinha Turnbull (VT2) - Foto Moises Santana - 2016-400x

Por Fabian Chacur

O paulistano terá nesta sexta-feira (11) às 21h uma raríssima oportunidade de ver o show de uma das mulheres mais cultuadas dentro do cenário do rock brasileiro. Trata-se da cantora e guitarrista Lucinha Turnbull, conhecida por sua atuação ao lado de Rita Lee, Tutti Frutti, Gilberto Gil e outros. O local será o Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nº 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos custando de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Lucinha terá a seu lado uma banda composta pelos experientes Tonho Penhasco (guitarra, violão e vocal), Thadeu Meneghini (baixo), Zé Ruivo (teclados) e Carneiro Sândalo (bateria), além dela própria nos vocais e guitarra/violão. Será o primeiro show solo dela de expressão em 35 anos, o que dá uma ideia da raridade do acontecimento. Na época (1980), ela estava lançando seu único álbum solo, Aroma, lançado na época pela EMI-Odeon e fora de catálogo há muito tempo.

O repertório do show trará inéditas como Me Acalma, parcerias da guitarrista com Mathilda Kovac (Classe Média Requentada), Rita Lee (Bobagem) e Paulo Leminski (Frio) e músicas feitas especialmente para ela por Gilberto Gil (Aroma) e Gonzaguinha (Luminosa). Canções do Tutti Frutti como Mamãe Natureza e Ando Jururu e covers de Beatles e Bob Dylan também estarão na programação.

Nascida em 22 de abril de 1953, filha de pai escocês e de mãe brasileira, Lucinha mudou-se para Londres, onde participou do grupo folk Solid British Hat Band. De volta ao Brasil, abriu um show dos Mutantes no Teatro Oficina (SP) e ficou muito amiga deles, em especial de Rita Lee. Quando a estrela saiu dos Mutantes, as duas montaram a dupla Cilibrinas do Éden, que durou pouco e participou do célebre festival/mostra Phono 73.

A formação inicial do Tutti Frutti teve Lucinha nos vocais de apoio e guitarra, e ela gravou com a banda o álbum Atrás do Porto Tem Uma Cidade (1974). Ela saiu do time no ano seguinte, e montou mais um grupo de rápida duração, o Bandolim, com Péricles Cavalcanti e Rodolfo Stroeter. Em 1977 participou dos discos Refavela, de Gilberto Gil, e Refestança, álbum ao vivo que reuniu Gil e Rita Lee.

Em 1980, assinou com a EMI-Odeon e lançou o álbum Aroma, seu único trabalho solo. Ela tocou e gravou com artistas como Caetano Veloso, Edgard Scandurra, Erasmo Carlos, Luis Melodia e George Duke, além de ter tido uma de suas composições gravada por Cassia Eller no álbum O Marginal, de 1992. O show no Sesc poderá gerar um CD ou DVD gravado ao vivo. Tomara! Fica a torcida.

Aroma– Lucia Turnbull:

Música no Ar– Lucia Turnbull:

Toda Manhã Brilha o Sol– Lucia Turnbull:

Show arrecadará fundos para a banda Nove Zero Nove (RJ)

NoveZeroNove_1-400x

Por Fabian Chacur

O Rio Novo Rock (RNR), evento que há um ano e meio abre bons espaços mensalmente para as bandas mais bacanas do atual cenário do rock carioca, realiza nesta quinta-feira (10) a partir das 20h uma edição extra reunindo as bandas Nove Zero Nove e Clashing Clouds, mais as presenças do DJ Kleber Tuma e do VJ Chico Abreu. O local é o Imperator Centro Cultural João Nogueira (rua Dias da Cruz, nº 170- Meier- fone 0xx21-2597-3897), com ingressos a R$ 10,00 e R$ 20,00.

A causa é das mais nobres. No dia 6 de fevereiro, o apartamento do vocalista Mauricio Kyann foi atingido por um incêndio, que acabou com tudo o que o cantor tinha e também levou de quebra boa parte dos equipamentos de sua banda, a Nove Zero Nove. O nome do quinteto, por sinal, saiu exatamente do número desse apartamento, sua espécie de sede informal. Toda a renda pertencente ao RNR no evento será revertida para a banda.

Formada por Mauricio Kyann, Paulo Pestana, Marcius Machado, Eliza Schinner e Rafael Cabral, a Nove Zero Nove está na estrada desde 2009, e investe em um som energético, fruto de um mix de grunge, hardcore, rap e rock. Cova Rasa é uma de suas músicas mais legais. Por sua vez, a Clashing Clouds começou a carreira em 2010, e faz um som próximo do pós punk e do rock alternativo, só que do seu jeito. As duas bandas já tocaram com sucesso no RNR, na edição de dezembro de 2014.

Ouça EP do Nove Zero Nove em streaming (2013):

Cova Rasa– Nove Zero Nove:

Olivia Newton-John encanta com a sua classe e bela voz

olivia newton john live-400x

Por Fabian Chacur

Em uma época em que artistas enchem seus shows de efeitos especiais e armações para tentar esconder talentos com frequência bem limitados, Olivia Newton-John ofereceu ao público presente na noite desta quinta-feira (3) no Espaço das Américas o que sabe fazer de melhor: cantar. Afora uma luz discreta, dois telões de alta definição e uma banda afiada, a estrela pop mostrou como se faz um show no qual a música dá as cartas. Pura classe e talento.

O show começou às 22h19 com Have You Ever Been Mellow, um de seus primeiros sucessos nos anos 1970, e serviu como amostra do que viria. Acompanhada por sete músicos (teclados, guitarra, baixo, bateria, vocais, vocais e vocais+sax), com destaque para o vocalista Steve Real, que fez as vezes de Cliff Richards e John Travolta, Olivia se mostrou totalmente entrosada com seu time, aparentando se divertir e muito.

Simpática, Olivia deu uma boa geral em sua carreira, seguindo basicamente o repertório de seu show de Las Vegas, que por sua vez gerou o álbum ao vivo Summer Nights Live In Las Vegas. Músicas do filme Xanadu (a faixa título, Magic e Suddenly) e de Grease- Nos Tempos da Brilhantina (You’re The One That I Want, Summer Nights, Hopelessy Devoted To You) empolgaram o público.

Um pot-pourry uniu três clássicos de sua veia roqueira, as ótimas Make a Move On Me, A Little More Love e Totally Hot, enquanto a fase country teve como destaques If Not For You (de Bob Dylan), Please Mr. Please e If You Love Me (Let Me Know). O jazz apareceu em Cry Me a River, e tivemos até uma homenagem ao Brasil em The Girl From Ipanema, que ela interpretou com muito carinho e categoria.

A vitória contra um câncer de mama nos anos 1990 foi o mote para duas canções do show, a latina e dançante Not Gonna Give Into It e a balada Grace & Gratitude. I Honestly Love You, belíssima balada e seu primeiro grande sucesso, ela guardou para o final. No bis, tivemos Over The Rainbow e Fulfilled, esta última tocada ao vivo pela primeira vez e faixa que estará em um futuro disco do vocalista de apoio.

Olivia Newton-John não aparenta os 67 anos que tem, e impressiona ao cantar todos os seus hits nos tons originais gravados por ela nos anos 1970 e 1980. O show durou por volta de 1h40 (contando o bis) e equivale a uma incrível prova de sobrevivência e vigor de uma das grandes estrelas da música pop, que enfim nos visita. Demorou para a linda loira vir cantar por aqui, mas ela fez valer tanta espera.

Magic (Live-2015)- Olivia Newton John:

A Little More Love (Live 2013)- Olivia Newton-John:

I Honestly Love You (live-2013)- Olivia Newton-John:

The Baggios e Fleeting Circus tocarão no Rio Novo Rock-RJ

The Baggios por Snapic 55 A-400x

Por Fabian Chacur

O Rio Novo Rock (RNR) realiza a sua terceira edição do ano nesta quinta-feira (3) a partir das 20h no Rio de Janeiro com shows das bandas The Baggios (foto), que está confirmada para participar da versão 2016 do festival Lollapalooza Brasil, e Fleeting Circus. As apresentações terão como local o Imperator- Centro Cultural João Nogueira (rua Dias da Cruz, nº 170- Meier- fone 0xx21-2597-3897), com ingressos a R$ 10,00 e R$ 20,00. A DJ Flora Mariah e o VJ Chico Abreu também marcarão presença.

Integrado por Julio Andrade (guitarra e vocal) e Gabriel Carvalho (bateria), o The Baggios surgiu na cidade de São Cristóvão, em Sergipe, e está na estrada há dez anos. Em seu currículo, três álbuns (entre os quais Sina, de 2013) e três EPs, nos quais mostram um rock com pegada de blues e elementos de música regional como tempero.

Por sua vez, os cariocas do Fleeting Circus tem em sua escalação Taynã Frota, Rodrigo Seven, Felipe Vianna, Lucas Faria e Daniel Seven. Na estrada desde 2011, eles tiveram a música Fake Station incluída na trilha sonora da novela global Guerra dos Sexos, e também fizeram a trilha para o espetáculo circense Unicirco Rock Show, dirigido pelo consagrado Jorge Fernando. Seu som mistura psicodelia, new prog e outras tendências do rock moderno.

Com um ano e meio de existência, o Rio Novo Rock (RNR) tem como objetivo abrir espaços para as novas bandas do cenário carioca e também de outros lugares do Brasil. Até hoje, já tivemos 20 edições, com a presença de 41 bandas, 20 DJs e um público total de aproximadamente 10 mil pessoas. Em 2016, o evento será realizado sempre na primeira quinta-feira de cada mês.

Fake Station-Fleeting Circus:

O Azar Me Consome– The Baggios:

Será inaugurado novo espaço para big bands em São Paulo

jurufrevo-400x

Por Fabian Chacur

Será inaugurado no próximo dia 7 (segunda-feira) às 21h um novo espaço para a música instrumental em São Paulo, mais especificamente para as big bands. O local é o Teatro Commune (rua da Consolação, nº 1.218- fone 0xx11-3476-0792), com entradas a R$ 20,00. Com programação a cargo da produtora Lucia Rodrigues, teremos em todas as segundas-feiras apresentações das mais quentes bandas da atual cena. A Orquestra Jurufrevo foi escalada para abrir os trabalhos.

A inspiração para essa excelente ideia veio da big band criada em 1973 pelo hoje consagrado maestro Nelson Ayres, que na época conseguiu tocar durante sete anos, sempre às segundas-feiras, em São Paulo. Por sua vez, Lucia Rodrigues programou bandas como a Mantiqueira a partir de 1994 e durante dez anos no Supremo Musical, um dos espaços mais badalados pelos apreciadores da música instrumental.

A Orquestra Jurufrevo busca um resgate renovado e com o seu próprio molho de ritmos brasileiros como o frevo, o baião e outros desdobramentos bacanas da música brasileira. Em seu repertório, foram incluídos arranjos e composições de Capiba, Duda, Severino Araújo, Sivuca, Dominguinhos e outros nomes do primeiro time da nossa música, além de algumas obras de autoria de seus integrantes.

A programação de março (com shows sempre às 21h) também incluirá performances da Reteté Big Band nos dias 14 e 28, mostrando um trabalho oriundo de dez anos de estrada. No dia 21, será a vez da Jazzco, formação que desde 1974 apresenta sua versão própria do som instrumental. Vale relembrar: o ingressos para cada show custa R$ 20,00, preço adorável para atrair gente de bom gosto que não está com as carteiras cheias. Tipo do projeto que merece dar certo!

Quebrando Tudo– Jurufrevo Orquestra:

Olivia Newton-John enfim irá fazer shows no Brasil!2016!

olivianewtonjohn divulgacao-400x

Por Fabian Chacur

Essa notícia eu já estava sabendo desde segunda-feira (14), mas só agora poderei revelar, por questões éticas. Depois de décadas de espera, agora é oficial: Olivia Newton-John, uma das maiores estrelas da história da música pop mundial, enfim irá se apresentar ao vivo no Brasil. A cantora fará shows por aqui em março de 2016, no Rio (1º-Theatro Municipal), São Paulo (3-Espaço das Américas) e Porto Alegre (5-Teatro Araújo Viana).

E que ninguém venha com aquela conversa de que “agora ela está no fim da carreira” ou “a moça está em baixa”. Nada disso. A cantora britânica de 67 anos lançou há pouco o álbum duplo gravado ao vivo Summer Nights- Live In Vegas, gravado ao vivo em bem-sucedida estadia no hotel Flamingo Las Vegas na qual ela deu uma bela geral em seus principais hits e também lançou uma canção inédita, Grace & Gratitude.

Foi uma espera daquelas, mas certamente valerá a pena. Nascida na Inglaterra em 26 de setembro de 1948 (mesmo dia e mês de Gal Costa e Brian Ferry, curiosamente), Olivia mudou-se com a família para a Austrália aos 5 anos de idade, onde foi criada. Ela iniciou sua carreira musical em 1965. Seu primeiro sucesso foi If Not For You, de Bob Dylan e também conhecida por gravação de George Harrison.

A cantora se mostrou uma especialista em quebrar barreiras, pois se tornou uma das maiores estrelas da música country nos EUA, grande façanha para uma estrangeira. Um de seus primeiros hits nesse setor foi Let Me Be There, seguido depois pelo estouro de I Honestly Love You, que chegou ao número 1. Outros hits country da moça são Please Mr. Please e Have You Ever Been Mellow, só para citar mais dois.

Em 1978, surpreendeu a todos ao aceitar viver o papel de Sandy na versão cinematográfica do musical Grease, uma ousadia, se levarmos em conta que ela já tinha 30 anos e viveria uma jovem adolescente. Mas deu super certo a sua parceria com o então ainda iniciante John Travolta, e o filme virou um grande sucesso nas bilheterias.

Mais: rendeu vários hits em sua trilha sonora, entre os quais dois duetos de Olivia e Travolta, as trepidantes Summer Nights e You’re The One That I Want, e a balada solo Hopelessy Devoted To You. O sucesso a incentivou a dar uma guinada roqueira em 1979 com o hoje clássico álbum Totally Hot, que inclui os petardos A Little More Love e Deeper Than The Night, entre outros, um grande sucesso.

Em 1980, outra surpresa das boas: estrelou o filme Xanadu ao lado de ninguém menos do que Gene Kelly, o rei dos musicais. O filme não teve bom desempenho nas bilheterias mas virou cult depois. A trilha, no entanto, que a reuniu com a Electric Light Orchestra, estourou, com hits como Xanadu (com a ELO), Magic, Whenever You’re Away From Me (com Gene Kelly) e Suddenly (dueto com o amigo Cliff Richards).

Em 1981, veio seu maior hit solo, a contagiante Physical, que ficou dez semanas no topo da parada americana e virou uma febre como tema de vídeos de ginástica. Fez mais um filme com Travolta, Two Of a Kind, e também investiu em causas sociais. Em 1992, lutou contra um câncer de mama, mas não só o venceu como também criou uma fundação para arrecadar fundos no intuito de ajudar as vítimas dessa doença terrível.

Sempre ativa, lançou bons discos nesses anos todos, entre eles Back With a Heart (1998). O mais recente é o duplo ao vivo Summer Nights- Live In Vegas, gravado ao vivo em incluindo hits como Have You Ever Been Mellow, Xanadu, A Little More Love, Sam, Physical, Summer Nights e inúmeras outras, em um total de 22 faixas. E é esse show comemorativo de seus 50 anos de carreira que ela, ainda linda, simpática e cantando muito bem, trará ao Brasil em março de 2016. Até que enfim!

A Little More Love– Olivia Newton-John (do CD Totally Hot-1979):

Deeper Than The Night– Olivia Newton-John (do LP Totally Hot-1979):

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑