Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: música sertaneja (page 1 of 2)

Renato Teixeira cativa em CD com direito a uma orquestra

renato teixeira 1-400x

Por Fabian Chacur

Em seus quase 50 anos de carreira como cantor, compositor e músico, Renato Teixeira ajudou a aproximar a música rural do público urbano com um trabalho consistente, inspirado e profissional. Ele agora atinge o auge do refinamento ao lançar Terra de Sonhos, CD lançado pela gravadora Kuarup e também disponível nas plataformas digitais no qual é acompanhado pela Orquestra do Estado de Mato Grosso.

Gravado no estúdio Inca (MT), o álbum surgiu a partir de uma turnê realizada pelo autor de Romaria com a orquestra regida pelo maestro Leandro Carvalho que passou por oito cidades mato-grossenses em um período de duas semanas. Teixeira é acompanhado por um total de 23 músicos, entre os quais os violonistas Chico Teixeira e Natan Marques, este último conhecido por tocar com Elis Regina e Simone, entre outros.

O repertório de 14 músicas mescla sucessos eternos do repertório do artista nascido em 20 de maio de 1945 em Santos (SP) como Amora, Terra de Sonhos e Tocando em Frente, a inédita Passatempo e clássicos da música rural brasileira do porte de Chalana, além de algumas belas homenagens a Mato Grosso, como Mato Grosso Rico, de Paraíso e Tinoco, e Ciriema (Siriema do Mato Grosso), de Mário Zan e Nhô Pai.

Os arranjos, assinados por Ruriá Duprat, André Mehmari, Paulo Aragão, Vitor Santos, Tiago Costa e Ítalo Peron, valorizam de forma perfeita as belas melodias e versos de cada canção, gerando assim um belo diálogo entre o espírito erudito sempre presente em gravações com instrumentos orquestrais e a ruralidade que marca o DNA das composições de Renato Teixeira. A cereja do bolo é o vocal doce, afinadíssimo e repleto de sensibilidade desse grande artista.

Terra de Sonhos equivale a uma luxuosa viagem pelo universo musical de Renato Teixeira, que há 50 anos nos oferece um trabalho no qual sensibilidade criatividade e consistência são marcas registradas. Indo de momentos mais líricos a outros convidando à dança, o set list do álbum envolve o ouvinte com muita felicidade. Aos 72 anos de idade, esse consagrado artista transpira vitalidade e muita disposição de encarar novos desafios, o que é uma coisa maravilhosa.

Renato Teixeira e Orquestra de Mato Grosso ao Vivo:

Chitãozinho & Xororó lançam DVD c/ convidadas especiais

chitaozinho e xororo dvd 2017-400x

Por Fabian Chacur

Desde o início de sua carreira, há mais de 40 anos, a dupla Chitãozinho & Xororó tem como marca nunca deitar em cima dos louros conquistados. Com mais de 40 milhões de álbuns vendidos nessa trajetória tão vitoriosa, eles voltam a surpreender o seu público com um lançamento. Desta vez, será Elas em Evidências, que sairá no dia 8 de dezembro nos formatos DVD, CD e álbum digital.

A marca registrada do novo trabalho dos irmãos oriundos de Astorga (PR) é o elenco de participações especiais, pela primeira vez composta apenas por mulheres. Estão no supertime Alcione, Simone & Simaria, Maiara e Maraisa, Paula Fernandes, Anavitória, Marília Mendonça, Ana Clara, Bruna Viola, Kell Smith e Tânia Maria (ufa!).

Gravado ao vivo em 4 de outubro no KM de Vantagens Hall no Rio de Janeiro, o DVD/CD/Álbum Digital é justificado por Xororó: “Não tem como ouvir uma música bonita e não pensar em alguma protagonista para ela, por isso resolvemos juntar grandes vozes femininas de vários ritmos e estilos diferentes para montar esse trabalho. A ideia é justamente mesclar tudo e mostrar a força e independência feminina”.

Nesta segunda-feira (4/12), a gravadora Universal Music, responsável pelo lançamento, divulgará nas plataformas digitais o clipe de Evidências, gravada ao vivo com a participação de todo o elenco. Elas em Evidência tem tudo para ser um dos lançamentos mais badalados e procurados pelo grande público neste fim de 2017.

Conheça o repertório completo:

01. Abertura / Nascemos Para Cantar

02. Sistema Bruto

03. Um Homem Quando Ama

04. Sinônimos (Paula Fernandes)

05. Brincar de Ser Feliz (Paula Fernandes)

06. Falando Às Paredes

07. Eu Menti (Simone e Simaria)

08. Alô (Simone e Simaria)

09. Nuvem de Lágrimas (Maiara e Maraísa)

10. 60 Dias Apaixonado (Maiara e Maraísa)

11. Chovendo na Roseira (Anavitória)

12. No Rancho Fundo (Anavitória)

13. Caipira (Bruna Viola)

14. A Majestade, O Sabiá (Bruna Viola)

15. Malagueña Salerosa

16. Vá Pro Inferno Com Seu Amor

17. Galopeira

18. Fio de Cabelo (Tânia Mara)

19. João e Maria (Ana Clara) – Inédita

20. Se Deus Me Ouvisse

21. Como Nossos Pais

22. Página de Amigos (Marília Mendonça)

23. Foi Só Um Caso (Marília Mendonça) – Inédita

24. Era Uma Vez (Kell Smith)

25. Pode Ser Pra Valer (Kell Smith)

26. Separação (Alcione)

27. Evidências (Todos)

Veja o trailer de Elas em Evidências:

Almir Sater mostra o seu som único no Rio e em São Paulo

almir-sater-400x

Por Fabian Chacur

A viola caipira é um instrumento musical mágico, e com presença intensa na cultura brasileira. Sempre que fazemos uma lista com os melhores violeiros, o nome de Almir Sater nunca fica de fora. Este grande músico, também excelente cantor e compositor, toca nesta quarta-feira (30) às 21h no Teatro Bradesco Rio (avenida das Américas, nº 3.900- loja 160 Shopping VillageMall- Barra da Tijuca- fone 0xx21-3431-0100), com ingressos de R$ 50,00 a R$ 180,00.

Na estrada desde os anos 1980, Almir Sater nasceu no dia 14 de novembro de 1956 em Campo Grande (MS). Chegou a cursar direito no Rio, mas a música acabou falando mais alto. Graças a canções como Tocando em Frente e Um Violeiro Toca, tornou-se um dos grandes renovadores da musica caipira. Ele gravou em Nashville, a capital mundial da música country, e também participou do Free Jazz Festival, provas de sua versatilidade e talento.

Na atual turnê, que vem passando por várias cidades brasileiras, Almir tem a seu lado Rodrigo Sater (violão), Guilherme Cruz (violão), Marcelus Anderson (acordeon) e Reginaldo Feliciano (baixo). Almir, que também atuou com sucesso em novelas televisivas como O Rei do Gado e Pantanal, tocará em São Paulo no dia 6/12 (terça-feira) às 21h no Teatro Bradesco (rua Palestra Itália, nº 500- 3º piso- Bourbon Shopping- São Paulo- fone 4003-1212), com ingressos de R$ 50,00 a R$ 180,00.

Um Violeiro Toca– Almir Sater:

Bruna Viola lança seu 1º DVD e se firma na música sertaneja

bruna viola 400x

Por Fabian Chacur

Em 2009, Bruna Viola apareceu em cena da novela global Paraíso. Desde então, a carreira dessa cantora e violeira de Cuiabá (MT) só tem progredido. Após o sucesso de seu primeiro álbum pela Universal Music, Sem Fronteiras (2015) (leia mais sobre ele aqui ), a garota de 23 anos nos apresenta o seu primeiro DVD, Melodias do Sertão, também lançado em CD (com diferente sequência de faixas, sendo cinco a menos do que no DVD, que tem 20, contra 14 do CD). Simpática e articulada, ela falou com Mondo Pop sobre a fase atual da carreira, seus show nos EUA em maio etc.

MONDO POP- Como você avalia essa sua primeira turnê pelos EUA, com shows por cidades como Orlando, Everett e Newark? E como foi a reação do público em relação à sua música?
Bruna Viola
– Foi uma experiência única, maravilhosa, do público ao contratante. Tanto que querem me levar de novo para lá no ano que vem. Confesso que tive medo, mas vi que o público de lá sente falta dos “modão”, tinham sede para ouvir esse tipo de música. Foram seis shows, um mais emocionante do que o outro, teve muito choro de saudade. E fui muito bem recebida, eles são bem rígidos com horários por lá, mas gostei muito, teve muita emoção.

MONDO POP- Você gravou o DVD no Villa Country, em São Paulo. Fale um pouco sobre o porque da escolha desse espaço para o registro, e também de como foi essa experiência.
Bruna Viola
– A recepção do público no Villa Country foi acima do esperado. Estava todo mundo “traiado”, de chapéu. É uma mega casa sertanejona, o lugar ideal para gravar um DVD, e São Paulo é central para tudo. Vieram fãs do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais… E todos tiveram toda a paciência do mundo durante as gravações.

MONDO POP- Qual era a sua ideia em termos musicais, quando planejou a gravação deste DVD?
Bruna Viola
– Minha ideia é que o DVD tivesse a mesma pegada do CD Sem Fronteiras, com músicas de raiz e também o meu lado romântico aparecendo. Gosto de outros estilos musicais, mas o sertanejo de raiz está sempre em primeiro lugar para mim.

MONDO POP- Como surgiu a ideia de regravar Tô Fazendo Falta, que fez muito sucesso com a cantora Joanna nos anos 1990?
Bruna Viola
– Eu queria regravar uma música marcante que não fosse sertaneja, e o Cesar Menotti me sugeriu Tô Fazendo Falta. Essa música marcou uma época, e procurei dar a minha cara a ela.

MONDO POP- E já que você falou no Cesar Menotti, ele e seu parceiro Fabiano participaram do DVD, eles que já haviam marcado presença no Sem Fronteiras. Como surgiu essa parceria entre vocês?
Bruna Viola
– Conheço o Cesar Menotti desde que eu tinha 13 anos de idade e fui ver um show dele. A amizade nasceu ali mesmo. Ele fez Se Você Voltar para o CD Sem Fronteiras. No DVD, a gente canta ao vivo essa música e também Rio de Lágrimas (Rio de Piracicaba) (n.da r.: esta última incluída só no DVD).

MONDO POP- No seu site oficial, você cita como suas cantoras favoritas Shakira, Paula Toller e Sandy, todas fora do universo sertanejo. Você sente influências delas no seu trabalho?
Bruna Viola
– Essas três cantoras me influenciaram e me influenciam muito, pois minha viola caipira é toda modernizada. Sou bem eclética, quero criar uma digital diferente, só minha. E elas são influência para mim também como pessoas, por suas posturas de vida.

MONDO POP- Dois de seus ídolos na música de raiz foram homenageados no DVD, não é mesmo?
Bruna Viola
– Sim. Gravei um pot-pourry com as músicas Pagode em Brasília, Moradia e Chora Viola, do Tião Carreiro, que é meu ídolo. A música Moradia é a minha favorita de todas, eu a cantei na novela Paraíso e já a havia regravado duas vezes. E também homenageei a Inezita Barroso ao regravar a música Moda da Pinga (Marvada Pinga).

MONDO POP- Como você encara o atual cenário da música sertaneja em relação às mulheres?
Bruna Viola
– O momento está muito bom para a mulherada no sertanejo, cada uma com o seu estilo. Quem começou isso lá atrás foi a Inezita Barroso, pois antes dela só tinham homens. A presença feminina foi crescendo aos poucos, com as Galvão e tantas outras. Pode ter tido um pouco de preconceito antes, mas hoje a mulherada está dominando.

Você Não Sabe (Quero Ver) (ao vivo)- Bruna Viola:

Flor Matogrossense (ao vivo)- Bruna Viola:

Se Você Voltar (clipe)- Bruna Viola c/Cesar Menotti & Fabiano:

Bruna Viola renova o cenário dos violeiros com um novo CD

BrunaViola_Credito_HelioNeto-400x

Por Fabian Chacur

Para que um gênero ou instrumento musical possam continuar relevantes, é preciso que tenham novos seguidores. Senão, acabam sumindo na poeira dos séculos. E a viola caipira, felizmente, continua por aí, firme e forte, conquistando novos corações. A nova revelação do gênero atende pelo nome de Bruna Viola, uma bela mato-grossense de 22 anos que acaba de estrear na Universal Music com o CD Sem Fronteiras.

A música entrou na vida de Bruna ainda na infância, ouvindo música com o bisavô. Começou a tocar violão aos 9 anos, e aos 11, encarou a viola, instrumento não muito comum entre as mulheres. E não demorou a ganhar um ídolo, Tião Carreiro, que inspirou a tatuagem que fez em seu braço. “O Tião era amigão do meu bisavô, e era completo como compositor músico, violeiro, arranjador e cantor, meu ídolo máximo”.

Outra artista que ela admira muito é a saudosa Inezita Barroso, que também tocava viola como poucos. “Ela foi a primeira violeira. Tive a oportunidade de conhece-la, e participei oito vezes do programa dela na TV, o Viola Minha Viola, sendo que a primeira vez foi quando eu tinha apenas 13 anos de idade”. Helena Meirelles também é citada por ela.

O início da trajetória discográfica ocorreu de forma independente. “Tivemos muita dificuldade para gravar dois CDs, que distribuíamos nos shows. O primeiro resgata as raízes da música caipira e é o melhor, sendo que o segundo é mais romântico”. Aí, graças à repercussão obtida na internet, atraiu as atenções da Universal Music, que conferiu um show dela em Belo Horizonte (MG) e resolveu contratá-la.

Com o apoio da multinacional do disco, Bruna lança Sem Fronteiras e pretende ampliar os seus horizontes em termos de público. “A ideia era mesclar o repertório com clássicos da música de raiz, inéditas de raiz e também inéditas românticas, acho que o nome do CD já diz tudo, não quero me limitar a um único rumo musical”, explica. São 15 faixas sendo que cinco foram relidas de seus trabalhos anteriores.

A faixa Se Você Voltar conta com a participação de Cesar Menotti & Fabiano. As canções Se Você Voltar e Flor Matogrossense também estão sendo divulgadas através de videoclipes. Em shows ela conta com uma equipe de 12 pessoas. “Meu show é bem completo”, afirma ela, que já tocou para 37 mil pessoas em Ji-Paraná e 25 mil em Rondonópolis.

Flor Matogrossense– Bruna Viola:

Se Você Voltar– Bruna Viola e Cesar Menotti & Fabiano:

No Ponteio da Viola– Bruna Viola:

Inezita Barroso foi a Hebe da música rural e fará muita falta

inezita barroso-400x

Por Fabian Chacur

A TV brasileira perdeu muito de sua cordialidade e informalidade com a morte de Hebe Camargo. Agora, fica sem mais uma dose cavalar desses elementos com a lamentável perda de Inezita Barroso, que nos deixou neste domingo (8), ironicamente o Dia Internacional da Mulher. Seu corpo está sendo velado na sala principal da Assembleia Legislativa de São Paulo e será enterrado às 17h desta segunda-feira em São Paulo no cemitério Gethsemani.

Durante os quase 35 anos em que comandou o delicioso programa da TV Cultura Viola Minha Viola, Inezita, que havia completado 90 anos de idade no último dia 4 de março, esbanjou simpatia, carisma e gentileza, tal qual uma Hebe dedicada exclusivamente aos melhores artistas da nossa amada música de raiz. Não tinha sofá, mas o clima era o mesmo.

A diferença básica entre as duas apresentadoras era que, enquanto Hebe era mais desencanada e digna representante do nosso povão, Inezita possuía profunda formação cultural, sendo uma mais do que respeitável e incansável estudiosa do nosso folclore. Ela também dava aulas de violão, instrumento que tocava com categoria, além de cantar muito bem e dar palestras no Brasil todo sobre a cultura sul-americana.

O início de sua carreira fonográfica ocorreu na primeira metade dos anos 1950, e em seu currículo consta a honra de ter sido a primeira a gravar a mitológica Ronda, de Paulo Vanzolini. Moda da Pinga e Lampião de Gás foram alguns dos hits mais significativos registrados em seus mais de 80 discos, alguns deles antológicos.

Não era qualquer zé mané ou maria mané que participava de Viola Minha Viola. Naquele palco, só entravam artistas que honrassem a música regional, viessem de onde viessem. Grandes nomes como Chitãozinho & Xororó tiveram suas primeiras oportunidades de aparecer na TV em seu programa, onde jovens valores e artistas consagrados conviviam pacificamente.

Inezita Barroso representava um tempo em que as pessoas conseguiam se tornar famosas e admiradas não por estratégias de marketing ou participações em reality shows de qualidade duvidosa, mas sim por apresentar uma preparação que a levava a obter sucesso. Vai deixar muita saudade em todos, assim como nossa querida Hebe deixou.

Marvada Pinga– Inezita Barroso-1982-ao vivo:

Ronda– Inezita Barrozo (1953):

Chitãozinho & Xororó viajam no belo sertão de Tom Jobim

chitaozinhoexororo-400x

Por Fabian Chacur

Em seus mais de 40 anos de carreira, Chitãozinho & Xororó sempre tiveram como marca a quebra de barreiras. Essa história de “não pode” nunca fez parte do dicionário da dupla. Mais uma prova acaba de chegar às lojas, via Universal Music. Trata-se do CD Tom do Sertão, no qual eles relêm com classe e propriedade 14 músicas de ninguém menos do que Tom Jobim, o Maestro Soberano.

Em entrevista coletiva realizada esta semana no estúdio Trama, onde parte do álbum foi gravado, os irmãos paranaenses explicaram como surgiu a ideia desse novo trabalho. Tudo começou com o fato de Xororó estar ouvindo muito os discos do autor de Águas de Março. Daí, Chitãozinho sugeriu o título de Tom do Sertão para um trabalho deles em cima da obra dele. E começava a tarefa.

“O Tom Jobim representa muito a cultura brasileira no exterior, e não é a toa. Ele é a pérola da música brasileira, e queríamos mostrar para o nosso público esse lado sertanejo do trabalho do Tom, que se mostrou ainda mais forte do que imaginávamos após a pesquisa que fizemos”, explica Chitãozinho. Para tal missão, eles contaram com a ajuda dos experientes produtores Ney Marques e Edgard Poças, além do produtor da própria dupla, Cláudio Paladini.

A ideia era buscar na extensa obra do cantor, compositor e músico carioca canções que tivessem aspectos condizentes com a música rural, tanto em termos de temas do campo como do romantismo habitual na canção sertaneja. “Estudamos a obra dele com a ajuda do Ney e do Edgard para fazer a coisa bem feita. Se não fosse para respeitar o Tom, não faríamos”, garante Chitãozinho.

O repertório inclui sete parcerias de Tom com Vinícius de Moraes, duas só dele e cinco com outros parceiros. A presença de Vinícius/Tom é facilmente explicável por Xororó. “O Vinícius foi quem fez a parte mais romântica das músicas escritas com o Tom, e esse romantismo tem tudo a ver conosco e com a música sertaneja, que também tem músicas românticas com boas harmonias e letras, como ‘Evidências'”.

Morto em 1994, Tom infelizmente não terá a oportunidade de conhecer este belo Tom do Sertão. Mas Chitãozinho se lembra do único encontro que teve com o genial compositor, há quase 30 anos. “Encontrei ele em um restaurante e fui cumprimenta-lo. Ele foi muito simpático, disse que conhecia a obra da dupla e que teríamos muito futuro”, relembra.

Tom do Sertão inclui músicas como Águas de Março, Chovendo na Roseira, Chega de Saudade, Eu Sei Que Vou Te Amar, Correnteza e Caminhos Cruzados, entre outras, e conta com arranjos sofisticados e que trazem tais canções para o universo musical da dupla, sem descaracterizá-las, fruto de um trabalho que durou mais de um ano.

O CD será divulgado com um show especial que deve incluir entre 10 a 15 datas, ser gravado e gerar um DVD a ser lançado provavelmente ainda este ano. Tom do Sertão será lançado também no formato LP de vinil. “A gente é movido por emoção e por desafios desde o início de nossa carreira, e será sempre assim”, finaliza Xororó.

Tom do Sertão- Chitãozinho & Xororó- na íntegra em streaming:

Paula Fernandes retorna com superprodução

Por Fabian Chacur

Com mais de três milhões de álbuns vendidos e o posto de uma das artistas de ponta no atual cenário musical brasileiro, Paula Fernandes não nivela por baixo em seu novo lançamento. O CD duplo e DVD intitulado Multishow Ao Vivo Paula Fernandes Um Ser Amor chegou às lojas nesta terça-feira (22) com tiragem inicial de 300 mil exemplares e uma produção em nível internacional.

Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (22) em um luxuoso hotel na zona sul de São Paulo, a cantora, compositora e musicista nascida em Sete Lagoas (MG) afirmou viver o melhor momento de sua vida, com direito a maturidade, mais equilíbrio e cada vez mais controle sobre seu trabalho. Ela agora tem um escritório próprio para cuidar de sua carreira, o Jeito de Mato, e não abre mão dessa atenção toda ao que faz em termos profissionais.

Veja Um Ser Amor, com Paula Fernandes, do novo DVD:

“Participei de absolutamente tudo na produção desse DVD, desde cenário, edição de áudio, vídeo, seleção de músicas. Cheguei a ficar 24 horas seguidas em uma ilha de edição. Foi muito emocionante. Quis mostrar nesse trabalho minhas várias facetas, meu lado atriz, romântico. A gente pode muita coisa. Tento ser eu mesma, doar o que eu tenho de bom”.

Multishow Ao Vivo Paula Fernandes Um Ser Amor foi gravado ao vivo na HSBC Arena no Rio no dia 8 de junho de 2013 perante aproximadamente oito mil pessoas, belo contraste em relação às 400 pessoas que presenciaram o registro do DVD anterior, Paula Fernandes Ao Vivo, que a tornou conhecida nacionalmente e a catapultou rumo ao estrelato. Ela compara os dois momentos.

“Tive a oportunidade de realizar sonhos nesse novo trabalho, como entrar montada em um cavalo em uma das músicas, contar com as participações de Zezé di Camargo & Luciano e Roberta Miranda e investir em um palco tão sofisticado como esse. Hoje estou mais solta, mais segura. Escolhemos o Rio por ser a cara do Brasil, e o cenário trouxe o campo para o show”.

Um dos momentos que Paula classifica como mais emocionante no show fica por conta da hora em que, no telão, é exibido um vídeo dela ainda criança interpretando Coração na Contramão, de Zezé di Camargo & Luciano, mesma canção escolhida para ela dividir com a dupla. A estrela mineira se diz fã incondicional da dupla, e já compôs algumas canções com Zezé.

Veja Nunca Mais Eu e Você, do novo DVD de Paula Fernandes:

O repertório do CD/DVD mistura oito canções inéditas, clássicos de seu repertório e releituras de repertório alheio, incluindo um medley de hits da estrela country canadense Shania Twain. Aliás, ela surpreendeu alguns jornalistas presentes ao afirmar que possui um gosto bastante eclético em termos musicais, embora admita que não esteja ouvindo muita coisa atualmente em função do trabalho duro.

“Gosto de Metallica, Iron Maiden, U2, Coldplay, não tenho preconceitos musicais. Das garotas, gosto muito da Roberta Sá e da Sandy. A mulher está conseguindo espaços na música sertaneja. Existem muitas cantoras querendo ser a nova Paula Fernandes, e o conselho que dou a elas é que tentem ser elas mesmas, pois foi o que fiz e deu certo”.

Paula Fernandes, que tem um disco em inglês em seu currículo, afirma que uma carreira internacional está surgindo de forma natural para ela, mas que não pretende pular etapas ou deixar os fãs brasileiros em segundo plano para eventualmente se dedicar a esse novo filão profissional. Ela fará alguns shows no exterior em novembro, e deve tirar férias em janeiro e fevereiro de 2014, voltando a seguir para a turnê do novo DVD/CD.

“Acho importante a carreira internacional, mas tenho muita coisa para fazer no Brasil. Meu país é lindo e quero cantar muito nele. Quero falar bem inglês para poder encarar o desafio de enfrentar esse desafio lá fora, e estou me dedicando muito a aprender bem esse idioma”.

Paula Fernandes canta medley de hits de Shania Twain em seu novo DVD:

Entre as canções novas do repertório, Paula destaca Uma Canção Para Mim, que ela encara como uma das mais importantes que já fez. Antes de explica-la melhor, a intérprete afirmou que teve poucos relacionamentos afetivos em sua vida, mas que todos foram muito intensos, e que alguns deles inspiraram canções que gravou em seus discos.

Uma Canção Para Mim fala sobre os meus medos e sobre o amor por mim mesma, o amor próprio. É importante amar a si mesma primeiro para poder amar as outras pessoas. Meu processo de criação de canções é totalmente intuitivo. A musica Um Ser Amor, por exemplo, é sobre desilusões amorosas”.

O novo trabalho de Paula Fernandes foi feito em parceria com o canal a cabo Multishow, que exibiu um resumo do DVD no dia 18 de outubro. A cantora comenta a importância dessa parceria, e também dá uma resposta direta e simples a quem critica o seu visual, que alguns classificam como exagerado ou até mesmo brega.

“Essa parceria com o Multishow é ótima, pois eles exibiram uma parte do DVD, deixando os fãs com vontade de ver o produto completo, é uma ótima divulgação. Quando ao visual, que em alguns momentos me mostra com um jeitão de menina sapeca, sei que não vou agradar a todos, mas o mais importante é me agradar, é me fazer bem, não abro mão disso”.

Dueto de Paula Fernandes e Taylor Swift em Long Live, do novo DVD:

Dupla sertaneja lança DVD com tempero pop

Por Fabian Chacur

Desde o estouro de Chitãozinho & Xororó no fim dos anos 80, a música sertaneja ganhou um sabor pop que abriu de vez as portas desse gênero musical para a fusão com outras sonoridades.

Há quem acerte na mistura, e há quem erre feio, mas o importante é que, graças a essas experiências, o som sertanejo conseguiu ampliar seus horizontes e atingir os mais diversos tipos de público.

Dois jovens mineiros chegaram há três anos com o objetivo de criar um trabalho personalizado e competitivo. Por enquanto, estão atingindo em cheio o seu objetivo. São eles Kleo Dibah & Rafael, que acabam de lançar seu primeiro DVD, É Dus Mais Bão (também disponível no formato CD) pela Universal Music.

Nascidos na cidade mineira de Ituiutuba, eles se conheceram aos 7 anos de idade, quando estudavam na única escola de música instalada na cidade mineira, que tem em torno de 100 mil habitantes e fica na região do Triângulo Mineiro.

“A gente se conheceu cedo e convivia nos eventos, festivais, tudo que havia por lá. Cada um tinha seu projeto. Eu investi em uma carreira solo por quatro anos. Em 2007, resolvi convidar o Rafael para tocar comigo”, relembra Kleo Dibah.

Se Kleo investiu na música sertaneja desde o começo, Rafael era adepto do pop-rock, tendo participado de várias bandas e aprendido muito ao ouvir seus ídolos, entre os quais George Harrison, Slash e Steve Ray Vaughan. Em 2009, Kleo Dibah & Rafael se tornaram uma dupla.

“Senti com o tempo que a música sertaneja não estava tão distante do pop-rock que eu tocava. O pop-rock é um pouco mais rico em termos melódicos, e eu trouxe isso para o som da dupla, com melodias diferenciadas”, explica Rafael.

Após o sucesso de seu primeiro trabalho de estúdio, que permitiu a eles conquistar um público fiel em Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e interior de São Paulo, a dupla pretende ir além com o primeiro DVD, atingindo desta vez o resto do país.

É Dus Mais Bão foi gravado ao vivo em uma fazenda situada em Presidente Olegário (MG) em um clima ao mesmo tempo intimista e de balada moderna, um projeto criado pelo empresário da dupla, Geraldo Campos, com direito a grandes requintes técnicos na gravação.

“A ideia do Geraldo foi fazer um show ao mesmo tempo intimista e moderno, com o artista bem próximo do público.É a mistura do clima das baladas sertanejas modernas com a origem desse estilo, nas fazendas, em um ambiente rural”.

Embora invistam em uma mistura de vários estilos da música popular, incluindo pop, rock, blues e reggae, Kleo Dibah & Rafael procuram não se distanciar dos elementos básicos do som sertanejo, com direito a sanfona e viola caipira.

“Fazemos um som moderno, mas sem fugir demais das origens da música sertaneja. Nossa música tem a nossa cara, falamos de romantismo, de alegria, mas sem apelar e sem cair na vulgaridade”, diz Kleo.

Outros diferenciais da dupla são a predominância de composições próprias e a performance de Rafael como músico, tocando violão e guitarra com bastante estilo e personalidade. O novo trabalho da dupla mineira conta com a participação especial de uma dupla consagrada, João Bosco & Vinícius, na música Me Beija.

“Conhecemos João Bosco & Vinícius em 2011 no Credicar Hall (SP) após um show deles, e ficamos amigos rapidamente. Eles participaram no nosso DVD e nós também participamos do novo DVD deles, que sairá em breve”, revela Rafael.

Ao contrário de várias outras duplas, Kleo Dibah e Rafael são versáteis e capazes de fazer a chamada primeira voz com a mesma categoria, o que lhes proporciona outro diferencial importante em um mercado tão competitivo.

Ouça Um Degrau Na Escada, com Kleo Dibah & Rafael:

Older posts

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑