Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: parada americana (page 1 of 2)

Black Sabbath pode liderar parada nos EUA

Por Fabian Chacur

Se a repercussão perante a crítica especializada de 13, álbum que marca o reencontro em estúdio da trinca de ouro do Black Sabbath após 35 anos, está sendo das melhores, os fãs pelo visto não ficarão atrás na louvação ao novo disco. É o que indica a notícia publicada no site americano da célebre revista Billboard.

Segundo a publicação, considerada a bíblia da indústria fonográfica mundial, o novo álbum gravado por Ozzy Osbourne (vocal), Tony Iommi (guitarra) e Geezer Butler (baixo) deve vender em sua primeira semana nas lojas físicas e virtuais nos EUA mais de 120 mil exemplares, o que lhe proporcionará o primeiro lugar na parada da terra de Elvis Presley na próxima semana.

Essa vendagem dará ao Black Sabbath o seu primeiro álbum número 1 na parada ianque. Seu melhor resultado até hoje ocorreu no longínquo 1971, quando Master Of Reality atingiu o 8º posto naquele mercado fonográfico. O ao vivo Reunion (1998), por exemplo, atingiu o 11º lugar, e vendeu 62 mil cópias em sua semana inicial.

O Black Sabbath fará shows no Brasil em breve (leia mais sobre isso aqui e aqui), enquanto o álbum 13 já está chegando às lojas tupiniquins, para delírio dos fãs do melhor heavy metal.

Em carreira solo, Ozzy Osbourne sempre vendeu mais do que a banda que o revelou, como prova seu mais recente CD individual, Scream (2010), com 81 mil cópias comercializadas em sua primeira semana no mercado que lhe valeram um significativo 4º lugar nas listas dos mais vendidos em solo americano, um de seus mercados consumidores mais fiéis.

Se esse fato se efetivar, 13 (leia a crítica aqui) irá tirar do topo curiosamente o álbum de outra banda de rock que nunca havia chegado antes a tal posição. Trata-se de …Like Clockwork, do Queens Of The Stone Age, grupo que em março se apresentou no Brasil durante o Lollapalooza Brasil 2013 com grande repercussão. O álbum vendeu 91 mil cópias em sua semana inicial, sendo 12 mil delas em vinil.

Veja o videoclipe de God Is Dead, do Black Sabbath:

Trilha do filme Les Miserables surpreende

Por Fabian Chacur

Após iniciar sua trajetória na posição de número 33 na parada americana, a trilha da versão cinematográfica do musical Les Miserables ocupa atualmente o segundo posto, atrás apenas de Red, da estrela country Taylor Swift. Mas a coisa pode melhorar ainda mais para esse álbum.

Segundo previsão publicada pelo site da revista americana Billboard, Les Miserables- Highlights From The Motion Picutre Soundtrack, com interpretações a cargo dos atores Hugh Jackman, Anne Hathaway, Russel Crowe e Amanda Seyfried, entre outros, tem tudo para liderar os charts ianques na próxima semana.

O musical, cujas montagens para o teatro já foram vistas por mais de 60 milhões de pessoas em 42 países e 21 idiomas, tem como grande momento a música I Dreamed a Dream, canção regravada com grande sucesso pela britânica Susan Boyle em seu CD de estreia.

Na versão cinematográfica de Les Miserables, coube à atriz Anne Hathaway a tarefa de cantar esse clássico pop, e ela se saiu bem ao enfrentar essa difícil tarefa. Para representar o papel de Fantine no filme, Anne teve de cortar seus longos cabelos, experiência que a atriz acabou considerando das mais positivas. A gata ficou linda com o novo visual!

Ouça I Dreamed a Dream, com Anne Hathaway:

One Direction lidera parada dos EUA de novo

Por Fabian Chacur

Para quem acha que as gloriosas boys band já foram para o espaço, pensem novamente. O quinteto britânico One Direction acaba de emplacar seu segundo álbum, Take Me Home, no topo da parada americana, a mais disputada do mundo. O álbum vendeu em sua semana de lançamento em torno de 540 mil cópias nos EUA. Uau!

Trata-se da terceira melhor semana de estreia do ano de um novo álbum na terra do reeleito (“four more years!”) Barack Obama, perdendo apenas para Red, da estrelinha country Taylor Swift (1,2 milhão) e Babel, do também oriundo do Reino Unido Mumford & Sons (600 mil cópias). Mas as façanhas dos moleques não ficam por aí.

O ID (como também é conhecido) chega à liderança pela segunda vez no ano, pois seu álbum de estreia, Up All Night, saiu nos EUA em março, vendendo 176 mil cópias na largada e tornando o quinteto o primeiro grupo britânico a estrear com seu primeiro álbum direto na colocação de número um por aqueles lados.

O som dos rapazes é aquele pop correto, bem produzido e levemente asséptico que normalmente leva as meninas ao delírio. O single Live While We’re Young, do novo disco, serve como uma boa amostra dessa proposta simples, descontraída e alto astral da moçada.

“Viva enquanto formos jovens”, eles afirmam nessa música. Não concordo muito. Viva (aproveite bem a…) enquanto você estiver vivo seria melhor e mais lógico, não é mesmo? Enfim, chega de filosofar e sigamos adiante, pois está dando certo para eles!

Veja o clipe de Live While We’re Young, com o One Direction:

Mumford & Sons, um fenômeno musical

Por Fabian Chacur

A cada dia que passa, parece mais difícil aparecer no cenário musical grupos ou artistas que se tornem campeões de vendagens e de popularidade valendo-se apenas do conteúdo dos trabalhos artísticos que fazem. O visual, as estratégias de marketing e as maracutaias se mostram decisivas para impulsionar carreiras. Talento fica sempre em segundo plano, não é mesmo?

Bem, felizmente de tempos em tempos alguém consegue furar esse bloqueio da picaretagem explícita e ganha o topo das paradas de sucesso graças ao que antigamente era o que realmente contava, a qualidade musical. O novo grupo a poder se gabar de chegar lá na base da competência, inspiração e honestidade leva o nome Mumford & Sons.

Babel, segundo álbum do quarteto britânico, conseguiu a melhor marca na semana do lançamento de 2012 no competitivo mercado americano, vendendo 600 mil cópias. Para que vocês possam ter uma ideia do tamanho da façanha, o segundo colocado em 2012, o fenômeno pop Justin Bieber, vendeu 374 mil unidades de seu Believe. Madonna, com seu MDNA, ficou ainda mais longe, com seus 359 exemplares.

O disco obteve a melhor semana de estreia de um disco de rock nos EUA desde 2008, quando Black Ice, do AC/DC, atingiu a marca de 784 mil cópias. De quebra, Babel conseguiu permanecer no primeiro lugar na terra de Barack Obama por três semanas consecutivas. Só para encerrar o quesito números: seis singles do Mumford & Sons estão simultaneamente na parada Hot 100 da Billboard, algo que só os Beatles nos anos 60 conseguiam.

Quais seriam as armas usadas pela banda, que está há cinco anos na estrada e conta com Marcus Mumford (vocal, guitarra, bandolin e bateria), Ben Lovett (vocal, teclados, acordeon e bateria), Winston Marshall (vocal, banjo, dobro e guitarra) e Ted Dwane (vocal, baixo, bateria e violão)? A explicação é simples, embora difícil de concretizar.

Trata-se de uma bem azeitada e inspirada incursão pela música folk britânica, incluindo vários elementos do folk americano e também um pouco de rock e country. Influências de grupos e artistas como Fairport Convention, Steelye Span, The Chieftains, Waterboys, Del Amitri e Bob Dylan podem ser descobertas aqui e ali.

Com um instrumental sólido e vocais sempre vibrantes e energéticos, o quarteto nos oferece músicas simples e gostosas de se ouvir como Babel, Whispers In The Dark, Holland Road, Ghosts That We Knew e Lovers Eyes, entre outras. Nada de modismos, excesso de recursos eletrônicos ou truques manjados. Apenas música e mais música.

É muito importante o sucesso comercial de grupos como o Mumford & Sons, pois mantém naqueles fãs de música mais apegados ao idealismo e à predominância dos valores artísticos a esperança de que, apesar dos pesares, sempre haverá lugar entre os campeões de vendagem para quem aposta tudo na qualidade da música que faz.

I Will Wait – Mumford & Sons:

Babel – Mumford & Sons:

Adele enfim sai do Top 10 nos EUA

Por Fabian Chacur

O álbum 21, da cantora Adele, enfim saiu do Top 10 da parada americana, após permanecer nele durante 78 semanas consecutivas, desde seu lançamento naquele país, ocorrido no início de 2011.

Nesta semana, o CD ocupa a posição de número 12 nas listas dos mais vendidos, com vendas em torno de 24 mil cópias comercializadas. O excelente desempenho do disco igualou as performances de Hysteria (1987), do Def Leppard, e Thriller (1982), de Michael Jackson, no mesmo quesito.

21 perde apenas para dois álbuns em termos de permanência consecutiva no Top 10 na terra de Barack Obama a partir de 1962: Born In The USA (1984), de Bruce Springsteen, e a trilha do musical The Sound Of Music (1965, A Noviça Rebelde por aqui).

Os analistas da Billboard americana ainda acreditam que o segundo álbum da cantora e compositora britânica possa voltar brevemente ao Top 10 no início de setembro, mas que, a partir daí, deixe de frequentar de vez a região nobre dos charts.

Em termos mundiais, 21 vendeu até hoje em torno de 22 milhões de cópias, sendo um daqueles êxitos históricos em termos de vendas, além de elogiável combinação de sucesso artístico e comercial, algo não tão comum.

Veja Rumour Has It, ao vivo em 2011, com Adele:

Coletânea deverá liderar parada dos EUA

Por Fabian Chacur

Para aqueles que acreditam na máxima “unidos venceremos”, uma notícia alentadora. Segundo previsões do site da revista americana Billboard, a próxima semana terá na liderança da parada de álbuns dos EUA uma união de singles de sucesso.

Trata-se de Now That’s What I Call Music 43, novo volume da franquia de coletâneas surgida na Inglaterra há mais de 20 anos. Trata-se daquele tipo de compilação que reúne os mais recentes singles que dominam as paradas de sucesso, na linha do que a Som Livre costuma fazer por aqui desde os anos 70.

O volume 43 da série em sua versão americana (que inclui singles como Part Of Me, de Katy Perry) deverá vender entre 110 e 120 mil cópias, marca que lhe garantirá com folgas o topo dos charts da terra de Barack Obama. Será o 16º ítem da franquia a conseguir esse feito, sendo que o anterior foi o número 37, que esteve no número 1 nos EUA em fevereiro de 2011.

Curiosamente, o público americano nunca foi de adquirir em massa coletaneas desse tipo, dando preferência a álbuns de carreira, trilhas de filme ou compilações de um único artista. O primeiro álbum Now a liderar os charts ianques foi o de número 4, em 2000, quando a série já dominava há muito as paradas britânicas.

Nesta semana, quem está no primeiro lugar é God Forgives, I Don’t, do rapper Rick Ross, que vendeu 218 mil cópias e conseguiu a posição de número 1 pela quarta vez nas listas americanas. Ele esteve lá anteriormente com Port Of Miami (2006), Trilla (2008) e Deeper Than Rap (2009).

E o aparentemente imortal álbum 21, de Adele, continua se recusando a sair do Top 10 americano. O segundo trabalho da carreira da cantora e compositora britânica completou 76 semanas consecutivas entre os 10 mais, vendendo esta semana respeitáveis 29 mil cópias, isso com algo em torno de um ano e meio no mercado.

Veja o clipe de Part Of Me, de Katy Perry:

Zac Brown Band lidera e Adele quebra recorde

Por Fabian Chacur

Dois nomes brilharam na parada americana na última semana. Enquanto a Zac Brown Band comemorou seu segundo álbum a atingir o número 1, Adele quebrou mais um recorde nos charts ianques com seu 21.

Ao vender 35 mil cópias e se manter no oitavo lugar, o segundo álbum da carreira da talentosa cantora britânica completou 73 semanas no top 10 dos EUA, superando assim Jagged Little Pill (1995), de Alanis Morissette e se tornando o álbum de uma mulher a se manter pelo maior número de semanas entre os 10 mais vendidos por lá.

Enquanto isso, a Zac Brown Band, uma das novas sensações da música country, voltou a ocupar o topo das listas de vendas na terra de Barack Obama. Seu álbum mais recente, Uncaged, atingiu a marca de 234 mil cópias vendidas nos seus sete dias iniciais de vendas, surpreendendo a todos os especialistas.

O primeiro disco do grupo, You Get What You Give (2010), também liderou a parada na semana de lançamento, vendendo 153 mil cópias. O primeiro single de Uncaged, The Wind, teve seu clipe feito em animação com direção a cargo de Mike Judge, o mesmo dos ótimos e divertidos Beavis & Butthead e King Of The Hill.

O jovem intérprete de r&b americano Frank Ocean viu seu álbum de estreia, Channel Orange, largar na parada americana no segundo posto, ao vender respeitáveis 131 mil exemplares. Justin Bieber e seu Believe é o terceiro colocado, com 45 mil cópias, algumas cópias à frente de Fortune, de Chris Brown, o quarto classificado.

Overexposed, do grupo Maroon 5 e já resenhado por Mondo Pop, vendeu 44 mil cópias e completou o top 5 desta semana. A banda em breve estará de volta ao Brasil para shows que terão os colegas do Keane como time responsável pela abertura.

Veja o clipe-animação de The Wind, da Zac Brown Band:

Usher lidera a parada americana

Por Fabian Chacur

Usher, um dos grandes nomes da black music americana, está de volta ao topo das paradas de sucesso de seu país natal. Looking 4 Myself, seu novo álbum, é o líder da parada americana esta semana, atingindo a marca de 128 mil cópias vendidas em sua semana de lançamento. O cara merece!

Trata-se da quarta vez em que o excelente cantor e compositor americano consegue tal façanha. A ótima Climax, canção que puxa a divulgação do álbum, está há nove semanas em primeiro lugar na parada de singles de R&B. Dá-lhe, garoto!

Com quase 20 anos na estrada, Usher é fera tanto nas canções balançadas como nas baladas swingadas, e tem no currículo maravilhas como Yeah! e My Confessions, entre outras. Além de cantar e compor bem, ele também arrebenta nos shows, dançando com desenvoltura.

Outra novidade bacana na parada americana desta semana é o novo álbum de estúdio do Rush. O trio canadense, há mais de 40 anos na estrada, larga na segunda posição com Clockwork Angels, que vendeu 103 mil exemplares em sua largada.

Trata-se do segundo trabalho dos roqueiros a atingir esse posto. O primeiro foi Counterparts, em 1993. O Rush nunca chegou ao posto mais alto dos charts ianques, mas sempre vende muitos discos por lá, prova de que possui público fiel.

Adele, que na semana passada emplacou sua 24ª semana não consecutiva na liderança das listas de sucessos americanas, agora se encontra no posto de número 3 com o seu 21, que vendeu 63 mil cópias nesta semana.

O astro country Josh Turner, com seu álbum Punching Baby (45 mil cópias vendidas) ficou na quarta posição, enquando o cantor e compositor britânico Ed Sheeran completa o Top 5 com seu álbum + (42 mil cópias vendidas).

A boy band britânica One Direction continua vendendo bem no país presidido por Barack Obama, ocupando a sexta posição ao atingir 39 mil cópias vendidas esta semana de seu álbum Up All Night. O álbum que reuniu novamente o veterano Neil Young com a banda Crazy Horse, Americana, está no sétimo lugar em sua segunda semana nos charts, tendo vendido 37 mil cópias. O CD traz releituras de clásicos do folk americano.

Outro astro country, Alan Jackson, perdeu por questão de poucas cópias para Neil Young, ocupando o posto de número 8 com o seu mais recente lançamento, Thirty Miles West. A trilha do filme Rock Of Ages (36 mil cópias comercializadas) e o novo álbum do rapper Waka Flocka Flame, Triple F Life (33 mil cópias), estão respectivamente em nono e décimo lugar.

Veja o clipe de Climax, de Usher:

Madonna estreia na ponta da parada dos EUA

Por Fabian Chacur

Se havia alguém duvidando da capacidade de Madonna em obter grandes vendagens no lançamento de seu novo álbum, MDNA, elas se dissiparam. Após estrear na parada britânica na liderança, seu décimo-segundo trabalho a obter tal façanha por lá, a estrela pop repete a façanha, desta vez no mercado americano, conforme informa o site da revista americana Billboard.

MDNA iniciou sua trajetória nos EUA com 359 mil cópias comercializadas em sua semana inicial, o que lhe valeu o primeiro posto no país natal da Material Girl. A título de comparação, Hard Candy (2008), seu mais recente trabalho de estúdio, teve 280 mil cópias vendidas em seus sete primeiros dias de comercialização.

É a melhor performance de Madonna no período de lançamento em termos de vendas de um novo trabalho desde Music (2000), que no mesmo período vendeu 420 mil cópias. O CD é seu oitavo trabalho a atingir o primeiro lugar nos EUA, o que a deixa a apenas um posto abaixo de Barbra Streisand, a mulher que mais discos conseguiu colocar no topo da parada ianque.

Uma boa estratégia ajudou bastante esses belos números iniciais de vendas de MDNA. Uma promoção ofereceu aos fãs americanos a chance de adquirir, com preços reduzidos, pacote incluido ingressos para o show da nova turnê de Madonna e o álbum. Artistas como Tom Petty e o grupo Bon Jovi também se valeram dessa estratégia recentemente, com bons resultados em termos comerciais.

Coube a Lionel Richie o segundo lugar nesta semana, também a primeira de seu novo álbum, Tuskegee, que vendeu 199 mil cópias. É o melhor posto que o ex-cantor dos Commodores obtém desde 1986, quando Dancing On The Ceiling ocupou por duas semanas o primeiro lugar nos EUA.

O disco, no qual Richie relê seus sucessos em duetos com grandes astros, equivale também a seu melhor desempenho em uma primeira semana nas paradas desde que a Soundscan começou a medir as vendas no mercado americano, em 1991.

Coming Home (2006) equivalia à sua melhor performance até então, com 75 mil cópias vendidas e o sexto posto na semana inicial. Você lerá em breve resenha deste álbum em Mondo Pop.

E mesmo perdendo a liderança há quase um mês, o álbum 21, de Adele, continua entre os tops, ocupando a terceira posição nos EUA esta semana, com 121 mil cópias vendidas. Curiosamente, nesta mesma semana de abril, só que em 2011, o álbum havia vendido 88 mil cópias, ou seja, bem menos do que agora. Impressionante.

Michael Bublé domina a parada americana

Por Fabian Chacur

Neste mês de dezembro, ninguém conseguiu encarar a popularidade de Michael Bublé na parada de sucessos americana. Nem mesmo o fenômeno Adele, que dominou os charts ianques durante 2011.

O cantor canadense de 36 anos acertou em cheio o coração do público da pátria de Barack Obama ao gravar o álbum Christmas, dedicado a canções natalinas. Lá, o público ama esse tipo de disco.

Segundo matéria publicada na edição online da revista americana Billboard, Christmas deve ser o líder pela quinta semana consecutiva das listas de vendas ianques, com algo em torno de 450 mil cópias vendidas apenas nesta semana.

Se esse número se confirmar (o que é dado como quase certo), o mais recente trabalho de Bublé se firmará como o segundo mais vendido nos EUA durante 2011, atingindo mais de 2.4 milhões de cópias.

Ele só perderá (no ano inteiro) para 21, de Adele, que durante esta mesma semana deverá atingir marca entre 375 a 400 mil cópias, o que lhe dará o segundo posto nesta semana. No ano, no entanto, a bela gordinha de vozeirão chegará a algo em torno de 5.7 milhões de cópias.

Só para constar: o terceiro posto entre os discos mais vendidos no mercado americano é Born This Way, de Lady Gaga, que ultrapassou a marca dos 2 milhões de cópias vendidas.

Ouça Santa Claus Is Coming To Town, com Michael Bublé:

Older posts

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑