Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: paulinho da viola

Kuarup relança em CD álbum inicial de Paulinho da Viola

paulinho da viola e elton medeiros-400x

Por Fabian Chacur

Em 1966, Paulinho da Viola tinha 24 anos e era um jovem iniciante no mundo do samba, embora já com muita moral. Ao lado do mais experiente Elton Medeiros, na época com 36 anos, ele gravou seu primeiro álbum, que saiu como Na Madrugada e dois anos depois, em 1968, como Samba na Madrugada. Longe das lojas há 14 anos no formato CD, ele acaba de ser relançado pela Kuarup em edição caprichada, com direito a encarte luxuoso contendo ficha técnica, letras e tudo o mais.

Samba na Madrugada traz 11 faixas, sendo duas delas pot-pourrys, e mescla composições de Paulinho e de Elton. Eles cantam de forma separada, acompanhados por um time afiado composto por Dino Sete Cordas (violão de 7 cordas), Raul de Barros (trombone), Copinha (flauta), Canhoto (cavaco) e os ritmistas Gilberto, Luna e Jorge, além de Paulinho no violão e Elton na característica percussão na caixa de fósforo.

Consta que as gravações do álbum foram realizadas em apenas uma noite, e o clima informal e solto das faixas dá essa impressão. Paulinho ainda se mostra um pouco tímido nos vocais, embora já dando mostras do brilho artístico que consolidaria não muito tempo depois, enquanto o mais experiente Elton deita e rola, ora em sambas românticos, ora em momentos mais rítmicos.

O repertório do álbum é muito bom, com direito a 14 Anos, um dos primeiros clássicos de Paulinho da Viola que ele canta em shows até hoje (leia resenha de show realizado por ele em São Paulo em novembro aqui), Momento de Fraqueza (outro golaço dele) e as lindas (de Elton) O Sol Nascerá (inspiradíssima parceria com Cartola) e Sol da Madrugada.

O encarte também inclui belo texto do produtor cultural e letrista Hermínio Bello de Carvalho. Mais um importante resgate feito pela Kuarup, prova de que é possível unir um trabalho viável em termos comerciais sem se descuidar do quesito importância cultural. E bem importante pelo fato de Paulinho da Viola não lançar um novo CD de inéditas há quase 20 anos, sendo uma forma de saciar a sede de seus inúmeros fãs por trabalhos bacanas dele.

14 Anos– Paulinho da Viola:

Alô Alô- Sol da Madrugada– Paulinho da Viola- Elton Medeiros:

Momento de Fraqueza– Paulinho da Viola:

Paulinho da Viola encanta em seu lindo show em São Paulo

paulinho da viola live-400x

Por Fabian Chacur

Paulinho da Viola é o mestre zen do samba. Sempre tranquilo, sábio e simpático, o cantor, compositor e músico carioca chega nesta quinta-feira (12) aos 73 anos em excelente forma. Se ele é o aniversariante, na noite de ontem (11) quem ganhou o presente foi o púbico que lotou o Teatro Bradesco (SP) durante seu mais do que excelente show. Uma aula de boa música.

Foram quase duas horas de apresentação, iniciadas no estilo voz e violão com 14 Anos, uma de suas primeiras composições. Depois, o artista teve o apoio de uma banda composta por oito músicos, que se alternavam conforme a necessidade de cada música. Na parte final, tivemos a participação da ótima cantora Beatriz Rabello, que é parte integrante do clã do desencanado astro carioca.

O show teve um clima bem intimista, embora em vários momentos o ritmo convidasse à dança. Simples e informal, Paulinho contou vários e deliciosos “causos” sobre sua carreira e seus colegas de música. Cantou algumas músicas não tão conhecidas do público (embora ótimas), entremeadas com hits como Pecado Capital, Dança da Solidão e Argumento, algumas inseridas em pot-pourrys matadores.

Além do samba, o repertório investiu bastante em chorinho, ritmo pelo qual o artista admitiu ser seu preferido e o qual ouve desde criança, e também em alguns momentos experimentais, como a instrumental Inesquecível (tocada por dois músicos da sua ótima banda) e a icônica Sinal Fechado. Esta última integrou o bis, ao lado de Eu Canto Samba. Teve também as espetaculares Bebadosamba e Rosa de Ouro. Uau!

Com a voz ótima e se dividindo entre violão e cavaquinho com destreza, Paulinho domina o palco com classe, sem apelações e com um carisma simplesmente irresistível. Lógico que faltaram inúmeros de seus sucessos no repertório, mas diante da excelência do material que nos foi apresentado, como reclamar? E, no final, o público cantou um entusiástico parabéns a você antecipado para esse artista genial.

Bebadosamba– Paulinho da Viola:

Eu Canto Samba (ao vivo)- Paulinho da Viola:

Pecado Capital– Paulinho da Viola:

Paulinho da Viola fará o show gratuito em Campo Limpo-SP

Paulinho da Viola - divulgação-400x

Por Fabian Chacur

Paulinho da Viola iniciou em 2014 uma turnê comemorativa de seus 50 anos de carreira. O mestre zen do samba passará por São Paulo para show único e gratuito no próximo domingo (17) às 19h no Sesc Campo Limpo (rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120- Campo Limpo- fone 0xx11-5510-2700). Tipo do programa dos mais recomendáveis para quem curte MPB de primeira linha.

O repertório que o cantor, compositor e músico carioca apresentará conta com clássicos de sua carreira do naipe de Dança da Solidão, Pecado Capital, Coração Leviano e Sei Lá Mangueira, além de sambas de compositores considerados por Paulinho como os mais importantes da música brasileira, entre os quais Cartola, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Wilson Batista e Geraldo Pereira.

A banda que acompanhará Paulinho da Viola, com um perfil familiar, inclui em sua escalação João Rabello (violão), Dininho Silva (baixo), Ricardo Costa (bateria), Adriano Souza (piano), Mário Seve (sopros), Celsinho Silva (ritmista), Hercules Nunes (percussão), Luiza Adnet (vocais) e Beatriz Faria (vocais). O show deve durar 90 minutos.

Coração Leviano– Paulinho da Viola:

Dança da Solidão– Paulinho da Viola:

Veja em streaming o documentário Meu Tempo é Hoje (2003):

Paulinho da Viola: 70 anos do Mestre Zen

Por Fabian Chacur

Trabalhar como jornalista especializado em música já me proporcionou alguns momentos de raro prazer. Entre eles, coloco as oportunidades que tive de entrevistar alguns grandes nomes. Entre eles, destaco Paulinho da Viola, que nesta segunda-feira (12) completa 70 anos de idade. É o Mestre Zen da MPB.

Simpático, inteligente e articulado, Paulinho é daqueles entrevistados dos sonhos, pois facilitam e muito a tarefa do repórter. Sua humildade é impressionante. Após a primeira ocasião em que tive a honra de entrevistá-lo, pedi um autógrafo em uma coletânea de vinil com seus maiores sucessos. Olha o que ele escreveu: “obrigado pelo papo”. Eu é quem deveria agradecer!

Nascido em 12 de novembro de 1942 no Rio, Paulinho começou a se tornar conhecido do grande público nos anos 60, e estourou em termos de popularidade com o espetacular samba Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida, em 1970. A partir daí, suas músicas ganharam as paradas de sucesso, aliando qualidade artística e apelo comercial.

O primeiro disco dele que eu comprei foi o compacto simples com Guardei Minha Viola (1973). Esse é apenas um dos vários clássicos lançados por ele nesse período, entre os quais Dança da Solidão, Coração Leviano, Pecado Capital, Argumento e Por Um Amor No Recife, só para citar alguns dos mais significativos.

Mestre como compositor de sambas, ele também soube investir em experimentação, como a fantástica Sinal Fechado prova de forma enfática, e demonstrou categoria na releitura de composições alheias, entre as quais destaco sua reinterpretação simplesmente espetacular de Nervos de Aço, pérola do compositor e cantor gaúcho Lupicínio Rodrigues.

Se viveu o seu auge na década de 70, a produção artística de Paulinho não caiu de qualidade nas décadas seguintes. Ele passou a gravar em quantidade menor, mas sem deixar a qualidade de lado, como atestam álbuns como Eu Canto Samba (1989), Bebadosamba (1996) e Acústico MTV (2007).

Paulinho da Viola felizmente completa 70 anos repleto de saúde, maturidade e capacidade de trabalho. Que venham em breve novos shows, novos discos e novas manifestações de seu enorme talento. E que eu possa voltar a entrevistá-lo em breve, um prazer indescritível.

Guardei Minha Viola, com Paulinho da Viola:

Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida, com Paulinho da Viola:

Nervos de Aço, com Paulinho da Viola:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑