Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: pop rock brasileiro

Grupo Planeta D lança seu 1º CD com show no ABC paulista

Foto 02 Planeta D - por Fabiola Fanti-400x

Por Fabian Chacur

Há três anos na ativa, o grupo Planeta D lança seu primeiro álbum, autointitulado e concretizado pela via independente. O quarteto mostra o repertório desse trabalho em show nesta sexta-feira (29) às 20h no Teatro Lauro Gomes (rua Helena Jackey, 171- São Bernardo do Campo-SP), com ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

O grupo tem em sua formação Gustavo Vervloet (vocal e violão), Lucas Ferletto (guitarra e vocal), Rafael Fernandes (baixo) e Leo Prieto (bateria e vocais). Gustavo é de Vitória (ES), onde fez parte da banda Nave S/A, que participou de festivais e shows pelo Brasil. Ele se radicou em São Paulo em 2011, quando surgiu seu novo projeto musical.

O Planeta D faz um pop rock com fortes elementos de reggae, folk e pop, investindo em sonoridade melódica e letras positivas que mergulham em temas existenciais e no romantismo. Eles procuram se basear em experiências próprias para criar suas canções, e possuem influências assumidas de Beatles, Nando Reis, Mutantes, Gilberto Gil e Pearl Jam, entre outros nomes bacanas da música mundial.

Planeta D, o álbum de estreia, traz músicas como Se Ao Menos, O Salto, Se o Mundo Resolver Girar, Seu Norte e Clínica, e tem como produtor o experiente Rodrigo Castanho, conhecido por seus trabalhos com banda do naipe de Planta e Raiz, CPM 22 e Tihuana, entre outras. O D mudo acoplado ao nome da banda significa “desperto”, o que tem a ver com a filosofia dos rapazes de autodescoberta e respeito à natureza.

Se Ao Menos– Planeta D:

Du Masset nos dá preparação, talento e boas canções em EP

du_moral_edit-400x

Por Fabian Chacur

Os reality shows musicais em suas versões brasileiras às vezes parecem uma espécie de “porta da esperança assistencial”, premiando frequentemente mais pelas histórias de sofrimento de seus participantes do que propriamente por talentos lapidados e levados a sério. Como qualquer outra profissão, um músico precisa se preparar para merecer o sucesso. É assim que deveria ser.

Por isso, é muito bacana quando temos a oportunidade de conhecer um trabalho como este Moral, primeiro EP (extended play, espécie de single com mais faixas do que um compacto e menos do que um CD “cheio”) do cantor e compositor carioca Du Masset. Logo nos primeiros acordes do repertório de sete faixas, fica claro que não estamos diante de um iniciante qualquer.

Antes de se aventurar como artista solo, Du teve mais de nove anos de atuação no teatro e em preparação vocal. Seus estudos na área de teatro tiveram início logo aos 12 anos de idade, e as aulas de canto pintaram como consequência natural. Trabalhou como professor de canto, atuou em teatro e se dedicou com afinco aos estudos da voz. Enquanto isso, compunha sem pressa e com capricho e detalhismo.

Moral, portanto, é fruto de anos de dedicação, e seu repertório saiu de um universo de mais de 50 canções escritas por Du. Com direção musical e arranjos a cargo de Diogo Gomes, a roupagem musical é rica, com direito a metais, teclados, guitarras, baixos e violões pilotados por músicos talentosos e que jogaram para o time o tempo todo.

Lógico que nada disso adiantaria se não tivéssemos aqui dois elementos fundamentais: boas canções e um intérprete competente. E Du nos oferece essas duas coisas com categoria. Ele sabe aproveitar com categoria os nuances e meandros de sua voz, interpretando cada canção sem exageros e sempre buscando tirar delas o máximo possível.

O repertório fala de amor, relações humanas e das dúvidas que nos afligem o tempo todo, ou seja, não será difícil você se identificar com as letras. Em termos musicais, uma mistura de pop-rock, soul, rhythm and blues moderno e pitadas de MPB bem dosada, na qual Du se solta sem pudores ou autolimitações, mas sempre com o bom-senso de não jogar notas fora ou de cair em estrelismos banais.

A pegada jazz/soul/pop de Descabelar, a vocação pop de Só Você (Nã Nã Nã Nã) e o swing romântico de Desapego são muito bacanas, mas a estrela máxima do EP é a sensacional Pra Alguns (Você é Quem Você É), profissão de fé na individualidade de cada ser humano, independente do que os outros possam pensar, exigir ou impor aos “pobres mortais”.

Moral é um belo início de carreira como artista solo de Du Masset, e a prova de que vale a pena se preparar antes de dar um pontapé inicial tão importante. Se o sucesso bater à porta desse artista multifacetado, ninguém poderá se atrever a dizer que isso ocorreu por acaso. Muito promissor e já com fruto doces a serem apreciados.

Pra Alguns (Você é quem você é)– Du Masset:

Novo CD de Fernanda Takai é delicioso e surpreendente

Por Fabian Chacur

Além de integrar o Pato Fu, Fernanda Takai iniciou há alguns anos uma carreira solo paralela, na qual desenvolve sonoridades distintas das que marcam a banda que a tornou conhecida nacionalmente há mais de 20 anos. Na Medida do Impossível, lançado pela gravadora Deck com patrocínio do projeto Natura Musical, é mais um banho de delicadeza, criatividade e sensibilidade desta talentosa cantora e compositora.

As 13 faixas incluídas no novo trabalho individual da vocalista do Pato Fu se dividem basicamente em três grupos: composições inéditas dela com novos parceiros, versões de canções em outras línguas das mais variadas origens e releituras de canções da era da Jovem Guarda e do universo que alguns rotulam como música brega, mas que pode ser chamado de música popular de fato.

Com produção a cargo do marido e colega de Pato Fu John Ulhôa, o álbum, que Takai definiu de forma bem-humorada como de “menininha” em entrevista a Mondo Pop(leia aqui), tem como eixo os vocais delicados, afinadíssimos e envolventes da moça, daqueles que a gente reconhece logo nos primeiros segundos de audição.

Das inéditas, se sobressaem a tocante Partida, a certeira Quase Desatento (parceria com Cliério Ferreira e Marina Lima) e Seu Tipo (composta em dobradinha com Pitty). As releituras incluem pérolas de Benito Di Paula (Como Dizia o Mestre), Trio Ternura (Liz) e Reginaldo Rossi (Mon Amor Meu Bem Ma Femme, dueto de Takai com Zélia Duncan), enquanto no setor versões o ponto alto é Pra Curar Essa Dor, de George Michael (Heal The Pain) e alvo de bela dobradinha com Samuel Rosa (Skank).

Os arranjos vocais e instrumentais conseguem ser sofisticados e detalhistas sem cair na monotonia ou no excesso de elaboração que às vezes mata as melhores intenções artísticas. Aqui, felizmente a mistura dá certinho, e os músicos não se excedem em momento algum. E vale elogios à belíssima embalagem digipack que acompanha o CD. Takaizinha se mostra melhor do que nunca nessa bela incursão não tão solo assim.

Ouça Na Medida do Impossível na íntegra em streaming:

Jota Quest inicia Mix Ao Vivo-Álbuns Clássicos

Por Fabian Chacur

Mix Ao Vivo- Álbuns Clássicos foi um dos projetos mais bacanas de 2012 no cenário musical brasileiro. Nele, bandas como Titãs, RPM e Ultraje a Rigor tocaram na íntegra seus álbuns mais famosos, além de falar sobre eles. E a dobradinha Mix FM e Mix TV irá estrear a segunda temporada dessa atração com um trabalho do Jota Quest.

O grupo mineiro será a atração no dia 30 de abril a partir das 21h de gravação no Teatro Mix, que fica na rua Vergueiro, quase em frente ao Centro Cultural São Paulo. Eles irão tocar, na íntegra, as faixas de De Volta ao Planeta, seu segundo álbum, lançado em abril de 1998 e responsável por alavancar o quinteto rumo ao estrelato.

Com mais de um milhão de cópias vendidas, o CD elevou Rogério Flausino e seus colegas rumo ao estrelato no cenário do rock brasileiro, graças a músicas como De Volta ao Planeta, Fácil, Sempre Assim e a releitura de Tão Bem, de Lulu Santos. Sua mistura descomplicada de rock, black music e pop conquistou o país, com direito à produção dos experientes Dudu Marote (que revelou o Jota Quest) e Marcelo Sussekind.

A programação de Mix Ao Vivo-Álbuns Clássicos em sua nova temporada deverá incluir álbuns do Capital Inicial, Pitty, Planet Hemp e Cidade Negra. O episódio com o Jota Quest será exibido no dia 21/5 na Mix Fm e dia 22/5 na Mix TV. Os ingressos podem ser ganhos por aqueles que participarem das promoções das duas emissoras. Mais informações em www.mixtv.com.br .

Ouça De Volta ao Planeta, com o Jota Quest:

Titãs farão show comemorativo de 30 anos

Por Fabian Chacur

Os Titãs irão comemorar 30 anos de carreira com um show especial que será realizado no dia 6 de outubro (sábado) às 22h30 no Espaço das Américas (rua Tagipuru, 795- Barra Funda -fone 0xx11-2027-0777 – www.ticket360.com.br). Os ingressos já estão à venda, e custam R$ 120 (pista) e R$ 200 (pista premium).

A novidade ficará por conta das participações especiais de dois ex-integrantes da banda, o baterista Charles Gavin e o vocalista Arnaldo Antunes. Dos ex-integrantes da formação clássica da banda ainda disponíveis, só Nando Reis não estará por lá. O saudoso guitarrista Marcelo Frommer nos deixou há 11 anos, morto em um trágico acidente.

A atual escalação da grupo de rock paulistano traz Sérgio Britto (vocal, teclados e baixo), Branco Mello (vocal e baixo), Paulo Miklos (vocal, baixo e guitarra) e Toni Bellotto (guitarra) do line up original, além do baterista Mário Fabre, que entrou na vaga de Charles Gavin.

O repertório do show irá incluir os grandes sucessos da banda, cujo repertório conta com clássicos do porte de O Que, Polícia, Flores, Enquanto Houver Sol, Epitáfio, Televisão e Miséria, só para citar algumas de suas canções mais marcantes.

Veja o clipe de Flores, com os Titãs:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑