Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: ricardo vignini

Tuia e Ricardo Vignini fazem show no Teatro J. Safra (SP)

tuia e ricardo vignini-400x

Por Fabian Chacur

Dois grandes amigos e dois grandes divulgadores do chamado rock rural. São eles Tuia Lencioni e Ricardo Vignini, colegas de geração que há mais de 20 anos investem em carreiras musicais ricas e repletas de bons momentos. Após participarem recentemente do excelente CD Nós do Rock Rural- Encontro de Gerações (leia a resenha aqui) ao lado de Zé Geraldo, Guarabyra e Tavito, eles fazem um show em dupla em São Paulo neste domingo (5) às 11h30 no Teatro J. Safra (rua Josef Kryss, nº 318- Barra Funda- fone 0xx11-3611-3042), com ingressos a R$ 5,00 (meia) e R$ 10,00 (inteira).

Além de Tuia (voz e violão) e Vignini (viola e violão), o show, intitulado 2 do Rock Rural, trará também os músicos Felipe Rosa (violão, bandolim e vocais) e Wanderley Jr. (teclados e violão). O repertório inclui composições próprias como Flor, Encontro e Colisão e Capuxeto e clássicos do rock rural como Senhorita (Zé Geraldo) e Espanhola (Sá & Guarabyra), só para citar dois deles. Um show para curtir, cantar junto e sair com a alma lavada.

Cantor qualificado e compositor inspirado, além de ótimo violonista, Tuia integrou o grupo Dotô Jeka e há um bom tempo investe em frutífera carreira solo (leia mais sobre ele aqui). Por sua vez, Ricardo Vignini é um ás das violas. Sim, no plural, pois ele toca várias versões desse instrumento musical, sempre com destreza e habilidade. Além da carreira solo, também integra o duo Moda de Rock e o grupo Matuto Moderno (leia mais sobre ele aqui).

Encontro e Colisão (ao vivo)- Tuia e Ricardo Vignini:

Ricardo Vignini lança o CD solo Viola de Lata com show em SP

RVIGNINI crédito Marcelo Macaue 4-400x

Por Fabian Chacur

Com mais de 20 anos de carreira, Ricardo Vignini se desdobra como músico em várias frentes. Ele integra o grupo Matuto Moderno e o duo Moda de Rock, já participou de discos de artistas do porte de Lenine (entre muitos outros) e de quebra ainda investe em uma carreira solo das mais respeitáveis. E é para lançar seu terceiro trabalho individual, Viola de Lata, que ele se apresenta neste domingo (10) às 19h na Sala Itaú Cultural (avenida Paulista, nª 149- piso térreo- fone 0xx11-2168-1777), com entrada gratuita.

Disponível nos formatos físico (CD) e digital pelo selo Folguedo (com distribuição da Tratore), Viola de Lata traz nove composições assinadas por ele, uma em parceria com a cantora e compositora Socorro Lira (Um Arame Só-Marimbau Tietê), uma melodia de domínio público com nova letra de Socorro (Galope Na Beira do Mar) e um clássico da música rural brasileira de autoria de Tião Carreiro, Lourival dos Santos e Piraci (Rio de Lágrimas).

O álbum mostra o músico se desdobrando em suas violas dinâmicas ressonadoras, em uma mistura fértil e deliciosa de música caipira, nordestina, folk, rock, blues e country. Faixas como Amálgama, Moedão, Solano Star, Metal das 12 (Para Ivinho), Do Ferro ao Pó e Rua Aurora se destacam em um trabalho envolvente e criativo, como de praxe. Socorro participou das duas faixas de sua autoria, assim como seu saudoso tio, o músico Gavião, tocando marimba nordestina (também conhecida como berimbau de lata).

No show, Ricardo Vignini e suas violas incrementadas terão as participações especiais da parceira musical Socorro Lira e também do experiente e talentoso músico Tuco Marcondes, que se incumbirá do violão ressonador.

Do Ferro Ao Pó– Ricardo Vignini:

Nós do Rock Rural reúne feras do folk brasileiro com show em SP

Nós do Rock Rural. Foto - Ernane Galvão-400x

Por Fabian Chacur

Há aproximadamente dois anos, alguns dos mais expressivos músicos do rock rural ou folk à brasileira começaram a se reunir para shows realizados em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, com formações variáveis. A repercussão foi tão boa que gerou o CD Nós do Rock Rural, gravado ao vivo há um ano no Sesc Vila Mariana (SP). O espetáculo de lançamento em São Paulo do álbum que leva o selo Kuarup será realizado neste domingo (17) às 18h no Sesc Pinheiros- Teatro Paulo Autran (rua Paes Leme, nª 195- Pinheiros- fone 0xx11-3095-9400), com ingressos de R$ 12,00 a R$ 40,00.

O time escalado para este trabalho é dos mais representativos dessa sonoridade pontuada por violões, vocalizações espertas, violas aqui e ali, influências do som rural e da country music e com guitarras dando o tempero esperto final. Tavito, por exemplo, integrou o célebre grupo Som Imaginário e colaborou com os artistas do Clube da Esquina, além de ter desenvolvido uma bela carreira solo. É um dos melhores arranjadores de vocalizações do país, tendo feito isso em discos importantes de grandes nomes da música brasileira.

Guarabyra, integrando o trio Sá, Rodrix & Guarabyra e depois uma dupla com Sá, é um dos pioneiros do rock rural no Brasil, emplacando sucessos eternos do porte de Primeira Canção da Estrada, Sobradinho (cuja letra infelizmente é mais atual do que nunca, mais de 40 anos após seu lançamento), Dona, Espanhola e tantas outros clássicos eternos da nossa música popular.

Por sua vez, Zé Geraldo é o mais influenciado por Bob Dylan e Raul Seixas da turma, com um trabalho que comporta rock, country, folk e o que mais vier, capaz de nos proporcionar maravilhas do porte de Milho aos Pombos, Cidadão, Como Diria Raulzito, Senhorita e dezenas de outros, que seus fãs fieis cantam com ele a plenos pulmões, a cada novo show pelo Brasil afora.

Fortemente influenciados por esses três, Tuia e Ricardo Vignini completam com categoria o quinteto. Tuia Lencioni, com mais de 20 anos de estrada, passagem pelo grupo Dotô Jeka e dono de uma sólida carreira individual cujo fruto mais recente é o belo álbum Reverso Folk (2016), idealizou este show e é o seu diretor artístico. Já o violeiro Ricardo Vignini esbanja talento em projetos como o grupo Matuto Moderno e o duo Moda de Rock, misturando rock, música caipira, folk e ainda mais e tocando com rara desenvoltura e criatividade.

O show terá como repertório as músicas incluídas no CD, e algumas das possíveis selecionadas são Pote Azul, Espanhola, Rua Ramalhete, Hey Zé, Começo, Meio e Fim, Casa no Campo, Dona e Senhorita, equivalendo a uma boa amostra e pura celebração dessa sonoridade tão brasileira e tão universal que esses cinco artistas ajudaram a consolidar durante esses anos todos.

Dona (ao vivo)- Nós do Rock Rural:

Ricardo Vignini lança o novo CD solo com show em Sampa

Ricardo-Vignini---crédito-Gabriel-Galvani-5-400x

Por Fabian Chacur

O paulistano Ricardo Vignini é um dos responsáveis pela ampliação do campo de ação da viola caipira. Esse instrumento, tão fortemente incluído na música brasileira, espalha seus acordes e solos mágicos pelos mais diversos estilos, nas mãos deste músico, também produtor, compositor e produtor. Ele lança o 2º álbum solo, Rebento, com show nesta quinta (20) na comedoria do Sesc Pompeia (rua Clélia, nº 93- Pompéia- fone 0xx11-3871-7700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Com mais de 27 anos de carreira, Vignini gravou cinco CDs com a banda Matuto Moderno, integra o duo Moda de Rock com o violeiro Zé Helder e também lançou em 2010 seu primeiro CD solo, Na Zoada do Arame. Ele participou do ótimo CD Carbono, de Lenine, e acompanhou o brilhante astro pernambucano em sua apresentação no Rock in Rio, em 2016. O músico também leciona viola caipira há 18 anos, e produziu diversos CDs alheios nos últimos 15 anos.

Rebento traz 13 faixas inéditas e autorais, sendo 10 compostas só por ele e outras três com parceiros diversos. Totalmente instrumental, o álbum serve como prova concreta e decisiva de como a viola pode ser utilizada em diversos contextos musicais de forma original e inspirada, passando aqui por country, rock, música brasileira, folk e até rock progressivo, esbanjando versatilidade e com melodias e harmonias concebidas por quem tem bom gosto e talento.

Participam do álbum músicos do altíssimo calibre de Christiaan Oyens (parceiro de Zélia Duncan), Lucio Maia (guitarrista do Nação Zumbi), Ary Borger, Marcos Suzano e diversos outros. No show desta quinta, Vignini terá a seu lado André Rass (percussão), Ricardo Carneiro (violão e guitarra), Sérgio Duarte (gaita), Ari Borger (piano) e Bruno Serroni (violoncelo). O show integra o projeto Plataforma, do Sesc Pompeia.

Ouça o CD Rebento, de Ricardo Vignini, em streaming:

Matuto Moderno apresenta a sua fusão em show em Osasco

Matuto-Moderno-11---foto-alta-Rita-Perran-400x

Por Fabian Chacur

Se há algo que o músico brasileiro sabe fazer com maestria é misturar ritmos diferentes e encontrar belas soluções sonoras. Se encaixa feito luva nesse caso o grupo Matuto Moderno, que há 18 anos investe em uma fusão de várias tendências da música rural brazuca com o rock universal. Eles se apresentam nesta sexta-feira (7) às 20h no Sesc Osasco-Tenda (avenida Sport Club Corinthians Paulista, nº 1.700- Jardim das Flores- Osasco- fone 0xx11-3184-0900), com ingressos custando de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Integrado atualmente por Ricardo Vignini (viola capira), Zé Helder (viola caipira e voz), Edson Fontes (voz e catira), André Rass (percussão) e Marcelo Berzotti (baixo e voz), o Matuto Moderno apresenta a sua releitura de ritmos marcantes da cultura rural brasileira como a catira, o pagode caipira e o rastapé com fortes elementos de rock no tempero, criando assim uma sonoridade que contém bastante modernidade, sem no entanto fugir demais das raízes desses estilos.

Com cinco CDs no currículo, sendo o mais recente Matuto Moderno 5 (2013), o grupo paulista já fez inúmeros shows, incluindo a Virada Cultural 2015 e até mesmo um no Canadian Music Week, além de parcerias com músicos como Andreas Kisser, do Sepultura e muito mais. Ricardo Vignini e Zé Helder também possuem o projeto Moda de Rock, com clássicos do rock transpostos para viola caipira, enquanto Edson Fontes integra o grupo Os Favoritos da Catira.

Viola Cósmica– Matuto Moderno:

Moda de Rock II será lançado com show no Sesc Pinheiros

Moda de Rock II Foto Rita Perran-400x

Por Fabian Chacur

Moda de Rock- Viola Extrema , de Ricardo Vignini e Zé Helder, foi um CD tão surpreendente e bem-sucedido que era de se esperar que teria uma continuação. O primeiro volume trazia versões violeiras para clássicos rockers do naipe de Kashmir (Led Zeppelin), Norwegian Wood (Beatles), In The Flesh (Pink Floyd), Kaiowas (Sepultura) e Mr. Crowley (Ozzy Osbourne). Agora, quase cinco anos depois, chega a vez de Moda de Rock II, que será lançado em São Paulo com show neste domingo (17) às 18h no Sesc Pinheiros (rua Paes Leme, 195-Pinheiros-fone: 0xx11 3095.9400). Os ingressos custam de R$12,00 a R$ 40,00.

Moda de Rock II (que traz como subtítulo Viola Caipira Instrumental) nos oferece 12 releituras endiabradas de clássicos do rock de várias origens, entre eles Why Worry (Dire Straits), Refuse/Resist (Sepultura), Wasted Years (Iron Maiden), Raining Blood (Slayer) e Thunderstruck (AC/DC). A energia, a criatividade e o talento dos músicos permanece intacto. Uma sequência à altura do álbum que deu origem à série.

Helder e Vignini fizeram mais de 300 shows com esse projeto, com direito ao registro de um DVD com participações de Pepeu Gomes, Kiko Loureiro e Os Favoritos da Catira. Eles também tocaram ao vivo com Andreas Kissser, Lucio Maia e Renato Teixeira. Vale lembrar que o projeto surgiu de forma despretensiosa, com os dois músicos mostrando a seus alunos de viola o potencial desse seminal instrumento.

Além do Moda de Rock, os dois também são colegas na banda Matuto Moderno, que já lançou vários CDs bacanas. Zé Helder lançou recentemente seu terceiro CD individual, Assopra o Borralho, enquanto Ricardo Vignini tem no currículo gravações com o seu power trio de rock pesado Mano Sinistra e com o violeiro Indio Cachoeira , além de ter participado do CD Carbono, de Lenine, com direito a tocar com o artista pernambucano no Rock in Rio.

O show no Sesc Pinheiros tem tudo para ser histórico, pois contará com uma participação mais do que ilustre: a do guitarrista Robertinho do Recife, um dos melhores nesse instrumento no Brasil e no mundo e conhecido por seus trabalhos solo e também ao lado de Raimundo Fagner e inúmeros outros. Depois dessa estreia em São Paulo, a ideia do duo é levar esse show para o resto do país, se possível ampliando ainda mais o roteiro da turnê anterior.

Refuse/Resist– Ricardo Vignini e Zé Helder:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑