Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: rock baiano

Pitty saiu de SP para conceber o conceito de seu novo álbum

pitty por jorge bispo 1w-400x

Por Fabian Chacur

Como forma de criar o conceito a partir do qual conceberá o seu novo álbum, o primeiro de inéditas em quatro anos, a cantora Pitty iniciará o mês de março fora de São Paulo. Durante alguns dias, a cantora, compositora e musicista baiana vai se dedicar ao arredondamento dos rumos que seguirá, e quando isso estiver concluído, iniciará as gravações do CD, que a gravadora Deck deve lançar em agosto.

Por enquanto, não temos nenhuma pista do que virá. Setevidas (2014), seu mais recente trabalho de estúdio, foi seguido por uma turnê e mais dois DVDS, um gravado ao vivo e outro em estúdio. Depois, a artista se dedicou a duas outras atividades, a maternidade e a TV, esta última como apresentadora. Em 2017, lançou o single Na Pele, no qual teve a participação mais do que especial da lendária Elza Soares.

Na Pele (clipe)- Pitty e Elza Soares:

Pitty volta aos palcos com um show em Ribeirão Preto-SP

pitty-400x

Por Fabian Chacur

Após cerca de um ano e meio longe de cena, a data de retorno de Pitty aos palcos está chegando. Será neste sábado (10) em Ribeirão Preto (SP), no festival João Rock, do qual também participam nomes importantes como Capital Inicial, CPM 22, Nando Reis, Humberto Gessinger, Lenine, Alceu Valença, Nação Zumbi, Zé Ramalho e Armandinho. Os ingressos estão esgotados.

A volta da roqueira baiana será feita aos poucos, sem precipitação. Outras duas datas de sua programação para os próximos meses já foram divulgadas por sua assessoria. Serão no dia 7 de julho no WebFestValda, ao lado da banda Maneva, e no dia 30 de setembro, em Natal (RN), no Mada. Ela falou sobre o retorno:

“Vou fazer alguns shows especiais, baseados na saudade dos palcos, saudade dos fãs e vontade de ter esse encontro de novo. São apresentações montadas especialmente para esse momento, entre o disco Setevidas (Deck/ 2014) e um próximo álbum”.

Sete Vidas(clipe)- Pitty:

Pitty lança registro de turnê e inova com formato de vídeo

pitty capa dvd sete vidas ao vivo-400x

Por Fabian Chacur

Pitty inova com seu novo lançamento. O vídeo Turnê Sete Vidas Ao Vivo já está disponível desde o último dia 13 no formato digital. O arquivo está sendo oferecido no formato Full HD, em resolução superior à da versão física, que chegará às lojas no próximo dia 25 (segunda-feira). A plataforma criada pela gravadora Deck e pela Loja Comunicação possibilita que o vídeo adquirido pela via virtual possa ser visto em computadores, smartphones e tablets.

Quem quiser adquirir o vídeo digital pode fazê-lo aqui. O show custa R$ 19,90, sendo que quem desejar adquirir também o making of pagará R$24,90 pela dobradinha. O DVD físico, cuja pré-venda já está sendo feita no mesmo link mostrado acima, tem o preço sugerido de R$34,90.

Em termos de conteúdo, são duas partes distintas. A primeira traz um show na íntegra, gravado na Áudio Club em São Paulo e com 86 minutos de duração. O repertório inclui músicas do mais recente trabalho de estúdio da roqueira baiana, Sete Vidas, entre as quais Serpente, a faixa título e Um Leão, e hits de seus mais de dez anos de carreira, como Máscara, Me Adora e Equalize, em performances vibrantes.

A segunda parte é Dê Um Rolê, documentário dirigido por Otávio Souza com 54 minutos de duração que traz registros da turnê de Sete Vidas Brasil afora. Contém cenas dos shows, bastidores, entrevistas com os músicos e público, flagrantes bacanas etc. O destaque fica por conta da música Dê Um Rolê, releitura do clássico dos Novos Baianos e faixa de trabalho do novo lançamento. Curiosidade: só foi tocada uma vez na tour, justamente no show do Áudio Club.

Dê um Rolê (ao vivo)- Pitty:

Veja o trailer do DVD:

Cajat estreia com muito vigor e classe no belo CD Noite Fria

cajat noite fria capa cd-400x

Por Fabian Chacur

Paulo Cajat é um cantor, compositor e músico baiano que, após ter tido um grupo de rock, resolveu se dedicar à psicologia, área na qual se formou em termos universitários e atuou durante dois anos. A música que corre em seu sangue, no entanto, falou mais alto. E eis que agora solo, com o nome artístico Cajat, lança seu primeiro CD individual, Noite Fria. A pergunta é na lata: valeu a opção? Pelo resultado artístico, mais do que sim.

As influências musicais de Cajat são bem evidentes: basicamente Barão Vermelho e Cazuza, além dos Heróis da Resistência, da carreira solo de Leoni e alguns ecos de Los Hermanos. Lógico que também temos no seu DNA musical Beatles, Rolling Stones, Bob Dylan, The Smiths, Caetano Veloso, Raul Seixas e outros nomes desse porte, todos bem digeridos.

O resultado é um CD de estreia dos mais promissores. Cajat soube se valer muito bem da sua voz, que se encaixa feito luva nas letras que mergulham nas idas e vindas do amor, paixão e relacionamentos na vida noturna, sempre se valendo de uma poesia repleta de classe e indo direto ao assunto, sem cair na grossura. A vida como ela é.

O repertório traz onze músicas, sendo dez de sua própria lavra e uma (Luz do Sol) de Túlio Lima. O sacudido rock O Que Você Vê, a “smithiana” Delíricos Vitrais, a quase hard Noite Fria, a leve pop-rock Não Tenha Medo e a folk-rock melódica Oração Profana apostam em diversidade sonora, consistência artística e pique. Bela produção musical de Renato Nunes.

O rock funkeado Luz do Sol, a balada com dueto de violão e mellotron Certo?, o rock mais percussivo O Vazio, o country com efeito slide Roda Morta II, o rock básico Ressurreição e o blues rock Tudo Tão Junkie ajudam a dar um tom diversificado ao álbum. Notáveis os arranjos, especialmente o trabalho de guitarras, esbanjando bom gosto em timbres, solos e harmonias.

Noite Fria, que também conta com bela apresentação visual em termos de capa e encarte, é uma aposta no bom gosto do ouvinte de rock brasileiro, dando continuidade a uma tradição que nos proporciona o casamento boas letras-boas melodias, prova de que o rock nacional pode soar tão bem como os lançamentos gringos. É o que este CD prova.

Noite Fria– Cajat:

Ressurreição– Cajat:

Tudo Tão Junkie– Cajat:

Pitty volta a SP com show do álbum rock and roll Setevidas

Pitty - SETEVIDAS - credito do fotografo Daryan Dornelles 6-400x

Por Fabian Chacur

Há quase um ano, Pitty iniciou a turnê de lançamento do álbum Setevidas (2014), que marcou o seu retorno ao rock and roll mais ardido após se dedicar durante um bom tempo ao projeto folk e acústico Agridoce. Ela volta a São Paulo para show neste sábado (4/7) às 23h no Áudio Club (avenida Francisco Matarazzo, 694-Barra Funda- fones (0xx11) 3862-8279 e (0xx11) 3862-8224, com ingressos a R$ 100,00 e R$ 50,00.

A cantora e compositora baiana lançou há pouco o DVD Pela Fresta, no qual mostra os bastidores das gravações de Setevidas, além de performances ao vivo em estúdio das músicas do CD (leia a resenha do DVD aqui). O repertório do disco traz petardos como Boca Aberta, Pouco, Setevidas e Serpente (veja o clipe desta última aqui ).

Mesclando músicas de Setevidas com sucessos de seus mais de dez anos de estrada, Pitty estará no palco do Audio Club acompanhada por Martin Mendonça (guitarra), Duda Machado (bateria), Gui Almeida (baixo) e Paulo Kishimoto (lap steel, moog e percussão), um time afiado que atua como uma banda de rock coesa e repleta de pique e sutilezas.

Setevidas– Pitty (videoclipe):

Pela Fresta traz bastidores do ótimo CD Setevidas, de Pitty

pitty pela fresta dvd 400x

Por Fabian Chacur

De 2011 a 2013, Pitty deixou sua faceta rocker de lado para investir em um duo acústico e folk, o Agridoce, com seu guitarrista Martin. Lançado em 2014, o CD Setevidas é o primeiro de inéditas da roqueira baiana desde 2009 (Chiaroscuro) em seu modo rock and roll. Belo disco, cujos bastidores surgem no também muito bacana DVD Pela Fresta, lançado pela Deck.

O DVD registra todo o processo de criação de Setevidas, abrangendo desde os ensaios iniciais até as gravações, em um processo definido pelos músicos como “orgânico, natural e rápido”. No melhor estilo “som na caixa”, mas sem avacalhação. Os arranjos são bacanas, os detalhes são sempre caprichados e o resultado final soa visceral.

Aliás, fica claro que Pitty, na verdade, funciona como uma banda de verdade, na qual a cantora e guitarrista Pitty Leone é a líder, mas na qual seus parceiros- Martin (guitarra e vocais), Duda (bateria), Guilherme (baixo) e Paulo Kishimoto (percussão, teclados e vocais)- tem voz ativa e possibilidade de expressão artística.

Um ponto ressaltado durante o documentário é o fato de os músicos se reencontrarem renovados e com novas ideias, após participarem de outros projetos. Boa parte do processo de criação e gravações rolou com todos tocando juntos ao mesmo tempo, no melhor espírito ao vivo, o que deu ao resultado final um pique muito grande e uma unidade sonora altamente apreciável.

O trabalho com o produtor Rafael Ramos, com Pitty desde o começo na Deck há mais de dez anos, e com o engenheiro americano de mixagem Tim Palmer, em Austin, Texas, é bem apresentado, assim como detalhes das canções, explicitando as raízes baianas da música Serpente ou as versões diferentes de Setevidas até chegar ao resultado final.

De quebra, temos Pitty e sua turma tocando ao vivo no estúdio nove das dez músicas de Setevidas, com direito a efeitos de iluminação que tornam a apresentação muito atrativa em termos sonoros e visuais. Setevidas é um álbum ao mesmo tempo pesado e repleto de sutilezas, mais uma prova do talento de Pitty, que voltou com tudo ao rock and roll. E Pela Fresta registra bem a concepção deste CD.

Um Leão (clipe)- Pitty:

Veja o DVD Pela Fresta em streaming :

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑