Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: rock britânico anos 1980

Iron Maiden lança duas versões remasterizadas de álbuns ao vivo

iron maiden rock in rio 400x

Por Fabian Chacur

Dando prosseguimento à série de relançamentos físicos de álbuns do Iron Maiden em versões originalmente remasterizadas em 2015 para o projeto Mastered For iTunes, o selo Parlophone (hoje distribuído pela gravadora Warner) acaba de lançar no Brasil em CDs com embalagens digipack dois dos mais emblemáticos álbuns ao vivo da carreira do icônico grupo britânico, um dos mais bem-sucedidos e influentes da história do heavy metal.

Live After Death (1985) flagra o grupo liderada pelo baixista Steve Harris no auge de sua popularidade. Trata-se do registro de shows realizados nos EUA durante a World Slavery Tour, que teve início em agosto de 1984 na Polônia e contou com 187 apresentações, inclusive trazendo-os ao Brasil pela primeira vez, na edição inicial do Rock in Rio, em janeiro de 1985. Temos faixas adicionais gravadas no Hammersmith Apollo, em Londres. Muitos críticos incluem esse entre os melhores álbuns ao vivo de heavy rock já lançados.

Rock in Rio flagra a banda do carismático vocalista Bruce Dickinson em outro momento alucinante de seus 40 anos de estrada, em show perante mais de 100 mil fãs entusiáticos em 19 de janeiro de 2001 durante a edição daquele ano do Rock in Rio. A formação já incluía três guitarristas, o que aumentou ainda mais o peso do time. O show encerrou a Brave New World Tour, outra turnê marcante dos consagrados headbangers britânicos.

Ouça Live After Death, do Iron Maiden, em streaming:

The Waterboys lançam single e prometem álbum para agosto

the waterboys capa album 2020-400x

Por Fabian Chacur

Após a boa repercussão de Where The Action Is (2019), álbum que chegou ao posto de nº 21 na parada britânica, o grupo The Waterboys não deixa a poeira baixar e nos oferece um novo single. Trata-se do rockão épico com mais de sete minutos de duração intitulado My Wanderings In The Weary Land. Coisa finíssima, bela prévia de um novo álbum, Good Luck, Seeker, que o selo britânico Cooking Vinyl lançará no dia 21 de agosto nos formatos digital e também físicos (veja detalhes aqui).

Criado em 1981 pelo cantor, compositor e músico escocês Mike Scott, único integrante a se manter no time desde o seu início, os Waterboys fizeram o seu nome com uma mistura de rock vigoroso, música folk e ecos de Bob Dylan, Patty Smith e John Lennon, só para citar algumas de suas ótimas e bem digeridas influências. Álbuns como This Is The Sea (1985) e Fisherman’s Blues (1988) são sublimes, e canções como The Whole Of The Moon, Medicine Ball e Fisherman’s Blues tornaram-se clássicos perenes dos anos 1980.

Hoje um septeto, o grupo traz como músico mais antigo além de Scott, o ótimo Steve Wickham (violino elétrico e mandolin), que esteve nos Waterboys entre 1985 e 1990 e depois voltou em 2001 para não mais sair fora. Ex-integrantes famosos são Anthony Thistlethwaite (sax, baixo, mandolin e harmônica), que depois fez parte do grupo The Saw Doctors, e Karl Walinger (teclados), posteriormente líder do ótimo grupo World Party.

Good Luck, Seeker será o 14º álbum de estúdio da banda britânica, sendo que Mike Scott também lançou dois discos solo nos anos 1990 (Bring ‘Em All In-1985 e Still Burning-1987). Seu álbum de maior sucesso comercial foi a ótima coletânea The Best Of The Waterboys 81-90 (1991), que atingiu o 2ª posto na parada britânica na época de seu lançamento.

Eis as faixas de Good Luck, Seeker:

1. The Soul Singer
2. (You’ve Got To) Kiss A Frog Or Two
3. Low Down In The Broom
4. Dennis Hopper
5. Freak Street
6. Sticky Fingers
7. Why Should I Love You?
8. The Golden Work
9. My Wanderings In The Weary Land
10. Postcard From The Celtic Dreamtime
11. Good Luck, Seeker
12. Beauty In Repetition
13. Everchanging
14. The Land Of Sunset

Ouça My Wanderings In The Weary Land, dos Waterboys:

Andy Gill, do Gang Of Four, um guitarrista dos mais influentes

Andy_Gill-400x

Por Fabian Chacur

Dos grupos surgidos no pós-punk britânico, na segunda metade dos anos 1970, o Gang Of Four certamente foi um dos melhores e mais influentes. Nele, a guitarra de Andy Gill sempre se mostrou um marco, com sua performance agressiva, incisiva e criativa, mesclando influências e sendo várias coisas ao mesmo tempo, de forma original. Não é de se estranhar que tenha influenciado tanta gente. Neste sábado (1º), infelizmente o site oficial da banda anunciou a morte do músico aos 64 anos, vítima de pneumonia. Sua última turnê com o Gang Of Four, que só tinha atualmente ele da formação original, ocorreu em novembro de 2019.

Nascido em Manchester, Inglaterra, em 1º de janeiro de 1956, Andrew James Dalrymple Gill criou sua banda em 1976, quando cursava artes na Leeds University, ao lado de Jon King (vocal e letras), David Allen (baixo) e Hugo Burnham (bateria). Seu primeiro single, Damaged Goods, saiu em 1978, belo e suculento aperitivo para o álbum de estréia, Entertainment! (1979), do qual se destaca a marcante At Home He’s a Tourist.

O rock nervoso, vibrante, altamente urbano e original gerou a seguir o álbum Solid Gold (1981), após o qual David Allen saiu, substituído pela baixista e vocalista Sara Lee. Com a nova formação, veio Songs Of The Free (1982), no qual elementos de funk entraram com mais força na mistura, gerando clássicos do rock oitentista como Call Me Up e I Love a Man In a Uniform.

Após a saída de Hugo Burnham, o grupo voltou ao estúdio e gravou Hard (1983), seu trabalho mais próximo do pop, trazendo o hit Is It Love e a participação nos vocais de apoio de Alfa Anderson (do grupo Chic) e Brenda White King (que participou de discos do Chic, Luther Vandross e muitos outros). Aliás, na época havia um boato (não confirmado) de que Nile Rodgers produziria esse álbum.

Depois desse disco, o grupo ficaria sete anos fora de cena. O retorno rolou em 1991 com Gill e King e outros parceiros, no álbum Mall. A partir daí, a banda teria idas e vindas, com direito a alguns lançamentos e a shows. Entre 2004 e 2006, sua formação original voltou a se reunir, e foi exatamente nesta época que eles tocaram no Brasil pela primeira vez, em 2006 (leia a resenha do show aqui).

O grupo voltaria a se apresentar em nosso país em 2011 (no Cultura Inglesa Festival) e 2018. Em 2012, Gill veio a São Paulo para participar de um show ao lado de integrantes da Legião Urbana, que nunca esconderam a influência que o trabalho do Gang Of Four teve em seu som.

Titãs, Ira! e diversas outras bandas brasileiras foram influenciadas por eles, e o Ultraje a Rigor regravou uma das músicas da banda britânica, I Found That Essence Rare, em seu disco de releituras Por Que Ultraje a Rigor? (1990).

Além de músico, Andy Gill também produziu trabalhos de diversos grupos e artistas importantes, entre os quais o Red Hot Chili Peppers (seu autointitulado álbum de estreia, de 1984), Killing Joke (um autointitulado álbum de 2003) e Michael Hutchence (seu autointitulado álbum póstumo, lançado em 1999).

Call Me Up (live)- Gang Of Four:

The Psychedelic Furs divulga um single e promete álbum para maio

the psychedelic furs made of rain 400x

Por Fabian Chacur

Em 1991, o Psychedelic Furs lançou World Outside, seu sétimo álbum de estúdio. Quem poderia imaginar que se passariam 29 longos anos até que esse trabalho tivesse um sucessor? Pois enfim temos uma data para que isso ocorra. Será no dia 1º de maio, com o título Made Of Rain, que estará disponível para o público no exterior nos formatos CD, vinil, fita cassete e digital, com várias opções (saiba mais aqui).

Como forma de ir matando a curiosidade dos fãs, o grupo liderado pelos irmãos Richard (vocal) e Tim Butler (baixo) disponibilizou o primeiro single para divulgar o álbum. Trata-se de Don’t Believe, um rock de clima marcial, envolvente, no qual o grupo nos deixa entusiasmados para ouvir o resto do novo material.

A produção ficou a cargo de Richard Fortus, que tocou com a banda entre 2000 e 2002 e desde então integra o Guns N’ Roses. Não foi divulgado, mas provavelmente é ele quem se incumbe das guitarras, no álbum, pois esse era seu instrumento na banda. A mixagem é assinada por outro craque, Tim Palmer, conhecido por seus trabalhos ao lado de David Bowie, U2 e Robert Plant.

Para marcar o lançamento, o grupo britânico fará um show no dia 14 de maio em um dos locais mais nobres para a música na Inglaterra, o Royal Albert Hall, em Londres. No repertório, as músicas do novo trabalho e também alguns de seus maiores hits. Dá para se imaginar que esse show possa ser gravado para lançamento em homevídeo, pois não é todo dia que se toca neste espaço onde Cream e tantos outros brilharam.

Criado pelos irmãos Butler em 1977, o Psychedelic Furs lançou seu primeiro e autointitulado álbum em 1980. Com uma sonoridade pós-punk com influências de David Bowie, Velvet Underground e outros, o grupo sempre teve como marca sua capacidade de flertar com a música pop de um jeito consistente, valendo-se de melodias bacanas e performances vigorosas em seus shows.

Os Furs se tornaram conhecidos mundialmente em 1986 quando regravaram Pretty In Pink, seu hit lançado no álbum Talk Talk Talk (1981), especialmente para ser usado na abertura do filme homônimo, exibido no Brasil com o peculiar título A Garota de Rosa Shocking e estrelado por Molly Ringwald.
Além desse hit marcante, eles tem em seu repertório algumas das melhores músicas do rock britânico dos anos 1980, entre as quais Heaven, All That Money Wants, The Ghost In You,Sister Europe e Love My Way. O grupo saiu de cena entre 1992 e 2000, quando Richard Butler montou o Love Spit Love ao lado de Richard Fortus, e voltou a partir de 2000, fazendo shows e lançando em 2001 o excelente DVD Live From House Of Blues, lançado no Brasil pela Indie Records.

Eis as faixas de Made Of Rain:

1. The Boy That Invented Rock & Roll
2. Don’t Believe
3. You’ll Be Mine
4. Wrong Train
5. This’ll Never Be Like Love
6. Ash Wednesday
7. Come All Ye Faithful
8. No-One
9. Tiny Hands
10. Hide The Medicine
11. Turn Your Back on Me
12. Stars

Don’t Believe- The Psychedelic Furs:

Bliss tem o seu álbum de estreia, do hit I Hear You Call, relançado

bliss loveprayer capa-400x

Por Fabian Chacur

O mundo da música frequentemente prega peças em seus participantes. Em 1989, por exemplo, o grupo britânico Bliss lançou seu álbum de estreia, Loveprayer, e esperava conquistar o mundo com aquele trabalho vibrante e consistente. No entanto, passou batido nos principais mercados, os EUA e o Reino Unido. Mas no distante e remoto Brasil… Esse trabalho está sendo relançado por aqui pela Warner sem previsão de versão física, mas disponível nas plataformas digitais.

Liderada pela cantora Rachel Morrison e pelo baixista Paul Ralphes, os principais compositores do time, na época ainda contava com Paul Sirett (guitarra), Roger Askew (teclados) e Chris Baker (bateria). A ideia era fazer uma mistura de soul, pop e rock de clima sessentista, que a bela capa meio hippie do álbum dava a entender logo de cara. Influências bem digeridas como as de Janis Joplin e Aretha Franklin logo vem à mente ao ouvir seu trabalho.

O single I Hear You Call, impulsionado por sua inclusão como tema de comerciais dos cigarros Hollywood, tornou-se um hit instantâneo no Brasil, e inclusive acabou trazendo a banda para apresentações ao vivo e divulgação em programas de TV e rádio por aqui. Tive a oportunidade de participar de uma coletiva de imprensa com o grupo, que se mostrou bastante simpático e acessível.

Além do marcante hit, Loveprayer é um disco com boas canções, nas quais a voz potente e personalizada de Rachel Morrison se mostra de forma muito atraente. O sucesso ocorreu no Brasil, na Austrália e em alguns países europeus, passando batido nos principais mercados discográficos, os EUA e o Reino Unido.

A Bliss ainda lançaria um segundo álbum, A Change In The Weather (1991), que embora muito interessante não teve a mesma repercussão. Logo a seguir, Rachel saiu para cuidar de seu filho recém-nascido, e a banda saiu de cena.

Paul Ralphes teve uma ligação muito forte com o Brasil, e isso o levou a se mudar para aqui em 1996, tentando a sorte no mercado discográfico nacional. Deu super certo, pois produziu discos de sucesso para bandas como Kid Abelha e também foi diretor artístico da Universal Music entre 2010 e 2017.

Por sua vez, Rachel Morrison lançou posteriormente alguns discos-solo (um de covers) sem grande repercussão, com o apoio do guitarrista Tom E. Morrison, seu marido. Em 2007, o selo alemão Zounds lançou o álbum Spirit Of Man, com canções dos dois discos da Bliss e algumas inéditas.

A nova edição de Loveprayer foi remasterizada por Andy Jackson, conhecido por seus trabalhos com Pink Floyd e David Gilmour. Além do conteúdo original, temos também quatro faixas-bônus, incluindo duas inéditas, todas gravadas na época. Uma versão acústica de I Hear You Call também será lançada em breve.

Eis as faixas da nova versão de Loveprayer:

I Hear You Call (PLG)
How Does It Feel The Morning After?
Good Love
Your Love Meant Everything
Won’t Let Go
Lovin’ Come My Way
Light and Shade
May It Be On This Earth
All Across The World
I Walk Alone
Better Take Care
Further From The Truth
Sweet Lovin’ Child
Waited Too Long
Gonna Be Good 4 U *
How Does It Feel The Morning After (7 inch Single Remix) *

* Inédita

Ouça Loveprayer em streaming:

Marillion tem relançado o seu álbum Clutching At Straws

marillion capa álbum-400x

Por Fabian Chacur

Os anos 1980 presenciaram alguns revivals em termos estilísticos, no universo do rock. Um deles foi o neoprogressivo, no qual algumas bandas, especialmente britânicas, reliam com uma pegada um pouco mais concisa e pop o rock progressivo da década de 1970. O Marillion foi quem conseguiu o melhor resultado comercial entre elas. Em seus anos iniciais, sua sonoridade era comparada de forma insistente à fase do Genesis com Peter Gabriel.

Ainda na ativa, embora sem a mesma popularidade, eles celebram 40 anos de estrada com o relançamento pela Warner de seu quarto álbum, Clutching At Straws, em duas versões, uma simples, que chegará ao mercado brasileiras no formato CD, e outra Deluxe, disponível apenas nas plataformas digitais por aqui.

Lançado originalmente em 1987, Clutching At Straws é um marco na discografia deste grupo britânico surgido em 1979 por ter sido o último trabalho de estúdio com a presença do carismático vocalista Fish, que sairia do time no final de 1988 rumo a uma carreira-solo, substituído por Steve Hogart.

Este trabalho atingiu o segundo lugar na parada britânica, impulsionado por três ótimas faixas: o rockão Incommunicado, cujo riff é bem semelhante ao de Fé Cega Faca Amolada (clássico do repertório de Milton Nascimento), a cativante balada rock Sugar Mice e a envolvente Warm Wet Circles.

A edição em CD simples brasileira traz a versão remasterizada e remixada do álbum original, trabalho feito por Andy Bradfield e Avril Mackintosh. A Deluxe Edition inclui CDs adicionais com gravações de um show realizado na Escócia, no Edinburgh Playhouse, em dezembro de 1987 e demos de faixas do álbum. Temos também um Blu-ray contendo um documentário de 60 minutos de duração com entrevistas sobre o álbum e os clipes das três faixas citadas acima.

Eis as faixas de Clutching At Straws: Deluxe Edition:

Disco um: 2018 Andy Bradfield & Avril Mackintosh Re-mix (versões digital e física)

Hotel Hobbies
Warm Wet Circles
That Time of the Night (The Short Straw)
Going Under (Alternate Version)
Just or the Record
White Russian
Incommunicado
Torch Song
Slàinte Mhath
Sugar Mice
The Last Straw
Happy Ending

Disco dois: Live at the Edinburgh Playhouse 1987 (2018 Michael Hunter Mix) (apenas versão digital)

La Gazza Ladra
Slàinte Mhath
“Assassing”
White Russian
Incubus
Sugar Mice
Fugazi
Hotel Hobbies
Warm Wet Circles
That Time of the Night (The Short Straw)

Disco três: Live at the Edinburgh Playhouse 1987 (2018 Michael Hunter Mix) (apenas versão digital)

Pseudo Silk Kimono (Intro)
Kayleigh
Lavender
Bitter Suite
Heart of Lothian
The Last Straw
Incommunicado
Garden Party
Market Square Heroes (incompleta, com trechos de My Generation, Margaret e Let’s Twist Again)

Disco quatro: 1999 Remaster Demos (apenas versão digital)

Beaujolais Day (Demo)
Story From A Thin Wall (Demo)
Shadows On The Barley (Demo)
Exile On Princes Street (Demo)
Sunset Hill (Demo)
Tic-Tac-Toe (Demo)
Voice In The Crowd (Demo)
White Russians (Demo)
Sugar Mice In The Rain (Demo)
Hotel Hobbies/ Warm Wet Circles (The Mosaic Demos)*
“Just for the Record” (Demo)*
“Torch Song” (Demo)*
“Slàinte Mhath” (Demo)*
*= nunca lançadas anteriormente

Ouça a nova versão de Clutching At Straws:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑