Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: rock paulista

Maestrick mostra como fazer prog metal bom de se ouvir

maestrick-espresso-della-vita-solare-400x

Por Fabian Chacur

Das várias ramificações do heavy metal, o prog metal é certamente uma das mais fadadas aos excessos. Bandas desse gênero às vezes se entusiasmam com suas qualidades técnicas e extrapolam, deixando a música de lado em prol do ego e do tecnicismo exagerado. E é exatamente o fato de não cair nessa armadilha que torna a banda Maestrick uma das melhores do gênero. A prova é seu novo CD, o impecável Espresso Della Vita-Solare.

Criada em São José do Rio Preto (SP) em 2006, esta banda tem como núcleo Fabio Caldeira (vocal e piano), Renato “Montanha” Somera (baixo e vocal) e Heitor Matos (bateria e percussão). No currículo, o elogiado CD de estreia Unpuzzle! (2011) e o ótimo EP de releituras de clássicos alheios The Trick Side Of Some Songs (2016). Suas principais influências são o Queen dos anos 1970, Iron Maiden, Rush e Yes.

Misturando essas e outras influências, a banda também se mostra muito atenta no quesito canções, respeitando esse importante formato e acrescentando a ele espaços para solos instrumentais sempre muito bem concatenados. Não por acaso, as bandas citadas e outras bacanas da área progressiva também tem em comum esse culto às canções, mesmo expandido seus horizontes instrumentais e vocais sem amarras nem restrições prévias limitadoras.

O conceito em torno do projeto é o de comparar a vida humana a uma viagem de trem, com suas idas e vindas, seus momentos inesperados, alegrias e tristezas e, inevitavelmente, o fim do trajeto. O álbum Espresso Della Vita- Solare é a primeira parte, com 12 faixas dedicadas a cada hora do dia, sendo que em um futuro não muito distante teremos sua conclusão, um novo CD com o título de Expresso Della Vita-Lunare, trazendo 12 faixas “noturnas”, digamos assim.

A qualidade artística deste álbum é impecável em todos os aspectos-artísticos, concepção, técnicos, de execução etc. A produção, mixagem e masterização ficaram a cargo do experiente produtor catarinense Adair Daufembach, que já trabalhou com Tony MacAlpine, Hangar, Project46 e outros e, de quebra, ainda se incumbiu de gravar todas as passagens e solos de guitarra do álbum, de forma brilhante, por sinal.

Espresso Della Vita-Solare é uma profissão de fé no formato álbum, pois você começa a ouvir a primeira faixa e só consegue parar após o último acorde da faixa 12, tal a capacidade de envolvimento que esse material possui. As variações musicais são constantes, mas sempre realizadas de forma organizada e coerente, surpreendendo pelo bom gosto.

O clima quase messiânico de Across The River, a levada repleta de brasilidade de Penitência (única faixa em português), as canções melódicas Daily View e Water Birds, a intrincada e deliciosa The Seed e a impregnada de sonoridades latinas Hijos de La Tierra trazem vocais impecáveis, instrumental vibrante e sonoridades que nos permitem imaginar a viagem proposta pelo conceito, com letras profundas.

Além dos músicos da banda e de seu produtor, o álbum também traz diversos vocalistas e músicos convidados, num total de 23 deles, dando ao trabalho um clima beirando o sinfônico no qual os teclados são a base de tudo. Banjo, dobro e ukulelê, instrumentos nem sempre utilizados no rock, aparecem em algumas das canções, caprichando no tempero sonoro. E, como a cereja do bolo, temos a belíssima capa e encarte do CD físico, em embalagem digipack e qualidade compatível com a do conteúdo artístico que ela contém.

Para aqueles que insistem em ignorar a qualidade do heavy metal brasileiro, vale uma audição urgente deste Espresso Della Vita-Solare, um trabalho que esbanja ambição, criatividade e um resultado final digno de ser chamado de arte. A banda, cujos CDs saem no exterior e mereceram muitos elogios por parte da crítica especializada de lá, inicia nos próximos dias uma turnê europeia que tem tudo para ser impecável.

Espresso Della Vita- Solare- ouça em streaming:

Ira! relê ao vivo em São Paulo seu LP Psicoacústica (1988)

ira! 2018-400x

Por Fabian Chacur

Em 1988, o Ira! lançou o seu álbum mais experimental. Após dois trabalhos de muito sucesso, o grupo paulistano mostrou no LP Psicoacústica uma disposição de explorar novos rumos sonoros que a capa em 3-D (com direito a um óculos especial de brinde) já indicava. A banda comemora os 30 anos desse trabalho com dois show em São Paulo, nesta sexta (14) e sábado (15), sempre às 21h30, no Sesc Belenzinho- Comedoria (rua Padre Adelino, nº 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos custando de R$ 9,00 a R$ 30,00.

O set list dos shows do grupo paulistano trará na íntegra o repertório de seu terceiro álbum, do qual fazem parte músicas marcantes como Rubro Zorro, Poder, Sorriso, Fama, Receita Para Se Fazer Um Herói, Pegue Essa Arma e Farto de Rock ‘N’ Roll, que nem sempre costumam ser tocados ao vivo nos seus shows. Essa mistura de psicodelia, hard rock e até elementos de rap não vendeu muito na época, mas lhes proporcionou um CD influente e relembrado com carinho em sua discografia.

De volta à ativa desde 2014, após alguns anos fora de cena, o Ira! mantém de sua formação clássica Nasi (vocal) e Edgard Scandurra (guitarra e vocal), que hoje tem a seu lado Evaristo Pádua (bateria), Johnny Boy (teclados e violão) e Daniel Rocha (baixo). Além das músicas de Psicoacústica, haverá espaço para hits como Flores Em Você, Dias de Luta, Núcleo Base, Envelheço Na Cidade e Tarde Vazia.

Psicoacústica- Ira! (ouça em streaming):

Threesome mostra sua faceta atual com EP Keep On Naked

Threesome_Keep On Naked-400x

Por Fabian Chacur

Em 2014, com apenas dois anos de estrada, a banda campineira Threesome lançou Get Naked, seu primeiro álbum. Com a saída do vocalista Bruno Baptista, substituído pela cantora Juh Leidl, o quinteto agora nos proporciona um novo lançamento. Trata-se do EP Keep On Naked, que traz três faixas nervosas, vibrantes e que mostram o time afiadíssimo em sua proposta.

A sonoridade defendida pelo grupo que traz Juh Leidl (vocal), Fred Leidl (guitarra, piano e vocal), Bruno Manfrinato (guitarra), Bob Rocha (baixo) e Henrique Matos (bateria) é um rock ardido, com riffs simples e agressivos que beiram o hard rock e denotam influências bacanas dos anos 1960 e 1970. Os músicos atuam de forma coesa, com solos convivendo pacificamente com as canções, sem exibicionismos. A simplicidade é a tônica aqui, mas sem cair no banal.

O nome Threesome (termo em inglês equivalente ao ménage a trois francês) dá uma dica sobre as letras (todas em inglês) das suas composições, que enfocam as relações sexuais e afetivas de forma aberta e sem muitas amarras. A entrada da carismática Juh e a boa voz de Fred abrem perspectivas vocais muito bacanas para a banda que podem se tornar um belo diferencial, se continuarem sendo desenvolvidas conforme o material deste novo EP nos indica.

Duas das faixas, Sweet Anger e ERW, são releituras de canções presentes no álbum de estreia, só que reestruturadas para a nova configuração do time, sendo My Eyes totalmente inédita. A gravação analógica e a captação, mixagem e masterização feitas em Campinas (SP) pelo experiente Maurício Cajueiro (que trabalho com nomes gigantes do porte de Stephen Stills, Steve Vai, Glenn Hughes, Gene Simmons e Linkin Park) proporcionaram ao material um impacto sonoro comparável ao das melhores formações gringas, em termos técnicos.

Keep On Naked e seu ótimo conteúdo equivalem a uma bela amostra do que a Threesome poderá nos proporcionar nos próximos anos, e certamente deixará os admiradores de um rock ardido e bem concatenado extremamente curiosos para acompanhar os próximos passos dessa trajetória musical. E tomara que eles saibam aproveitar com inteligência e sensibilidade as possibilidades que a combinação das vozes dos seus dois cantores poderão lhes proporcionar.

Sweet Anger (lyric video)- Threesome:

Banda PAD lança um primeiro single pela Universal Music

pad banda 400x

Por Fabian Chacur

Tem banda nova no cenário rock brasileiro. E com um bom pedigree. Trata-se da PAD. Criada em novembro de 2016, ela acaba de lançar seu primeiro single pela Universal Music, no formato digital e com direito a um lyric vídeo. Not So Vain tem título em inglês, mas a letra é em português, mesmo. Trata-se de uma amostra do primeiro álbum do sexteto, que está previsto para chegar ao mercado musical brasileiro ainda em 2017.

Not So Vain é um hard rock com levada swingada, e funciona como um interessante cartão de visitas para o time, que é composto por músicos bem experientes: Fábio Noogh (vocal, da banda cover The Soundtrackers), Marcos Kleine (guitarra, do Ultraje a Rigor), Thiago Biasoli (baterista, do Carranca Trio), Willian Bill de Oliveira (baixo- produtor do Dr. Sin e integrante do Trinta E3), Leandro Pit (guitarra- Os Travessos, Sensação e Intuição) e Rodrigo Simão (teclados).

A banda fez sua primeira apresentação em fevereiro deste ano, na Campus Party Brasil, em São Paulo. O seu nome surgiu de forma bem-humorada como uma espécie de trocadilho com “pé de galinha”, citação do nome Chickenfoot, superbanda americana liderada pelo vocalista e guitarrista Sammy Haggar, ex-Van Halen. Eles definem a letra do seu single de estreia como “Viver o momento intensamente e deixar o passado para trás. Não se apegar ao futuro”.

Not So Vain- PAD:

Superdose lança o seu 1º DVD com show em SP nesta sexta

Superdose-400x

Por Fabian Chacur

Com mais de dez anos de estrada e um CD no currículo, o grupo Superdose agora nos oferece o seu primeiro DVD, Cidade Luz. O trabalho será lançado em São Paulo nesta sexta-feira (17) à meia-noite com show na Z Carniceria (avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 724- Pinheiros- SP- fone 0xx11-2936-0934), com ingressos a R$ 15,00 (meia) e R$ 30,00 (inteira).

O núcleo básico do Superdose traz os irmãos João (vocal e guitarra) e Antônio Frugiuele (guitarra), que atualmente tem a seu lado Rodrigo Luminatti (baixo) e Mauricio Hoffman (bateria). O DVD Cidade Luz traz versões ao vivo de músicas de seu autointitulado primeiro CD, lançado em 2012, e também nove faixas inéditas, em um total de 18 canções.

Com influências bem digeridas de bandas seminais como The Who, Oasis, Beatles, Blur e Barão Vermelho, o Superdose oferece aos fãs um rock básico e bem trabalhado, com direito a riffs poderosos, levada contagiante e letras simples e diretas. A gravação do DVD ocorreu basicamente no final de 2014 em São Paulo no Teatro Mars, sendo que três canções foram registrada no Credicard Hall, quando eles abriram show da banda americana Creed.

Por sinal, o currículo do Superdose traz vários shows de abertura para outras bandas famosas além do Creed. Podem ser destacados os feitos para The Ataris, Placebo e The Stereophonics, todos com boa repercussão por parte do público. Eles já tocaram em várias cidades brasileiras e tem como objetivo levar o show de Cidade Luz para os quatro cantos do Brasil e do mundo.

Grande Roubada– Superdose:

Entre Luzes– Superdose:

Entrevista e Sem Medo de Arriscar– Superdose:

Edgard Scandurra/Nasi: segue na estrada a turnê Ira! Folk

IRA_FOLK_2016 - credito Carina Zaratin-400x

Por Fabian Chacur

Tudo começou quando Edgard Scandurra e Nasi cantavam canções no melhor esquema voz e violão, lá na segunda metade dos anos 1970. Quase quatro décadas depois, o círculo de certa forma se fecha quando os velhos amigos iniciam a turnê Ira! Folk, na qual releem grandes sucessos da banda que os tornou conhecidos nacionalmente, o Ira!, em um formato voz e violão, despido de eletricidade e trazendo à frente as melodias e também os acordes acústicos dos violões.

O primeiro show do novo projeto ocorreu no último dia 13 de maio no Teatro Positivo, em Curitiba, perante 2.450 pessoas, ou seja, a lotação completa do local. E a boa notícia é que Scandurra e Nasi anunciaram mais 16 datas pelo Brasil, sendo que a primeira será realizada nesta sexta-feira (10) na cidade de Pato Branco (PR). A última confirmada até o momento rolará no dia 15 de outubro em Fortaleza (CE).

O repertório inclui canções bastante queridas pelos fãs da banda, como por exemplo Tolices, que Nasi recorda ter sido composta por Edgard Scandurra ainda nos seus tempos de colégio, em uma versão instrumental inicialmente intitulada São Patrício que pouco depois ganharia letra, e apareceria no primeiro álbum da banda, Mudança de Comportamento (1985). Tarde Vazia e Boneca de Cera também fazem parte do set list, que certamente virará DVD/CD.

As datas da turnê Ira! Folk confirmadas até o momento:

10.06.2016 PATO BRANCO/PR

11.06.2016 CASCAVEL/PR

02.07.2016 BELO HORIZONTE/MG

16.07.2016 SÃO CAETANO DO SUL/SP

12.08.2016 SÃO PAULO/SP

13.08.2016 SÃO PAULO/SP

18.08.2016 FLORIANÓPOLIS/SC

19.08.2016 JOINVILLE/SC

20.08.2016 BLUMENAU/SC

21.08.2016 JARAGUÁ DO SUL/SC

06.09.2016 NOVO HAMBURGO/RS

07.09.2016 PORTO ALEGRE/RS

08.08.2016 PELOTAS/RS

13.10.2016 RECIFE/PE

14.10.2016 NATAL/RN

15.10.2016 FORTALEZA/CE

Tolices (ao vivo)- Ira! Acústico:

Tarde Vazia (ao vivo)- Ira! Acústico:

Bonecas de Cera (ao vivo)- Ira! Acústico:

Grego Dario divulga seu disco de estreia com clipes bacanas

grego dario cd-400x

Por Fabian Chacur

Tive a honra de escrever o press release que divulga o álbum de estreia do cantor, compositor e guitarrista paulista Grego Dario. Então Você Aposta? marca o início da trajetória fonográfica de um cara que se preparou bastante para isso, e que está na estrada há mais de dez anos. Como forma de divulgar esse CD independente, ele também investe em clipes bem bacanas.

De Pé Numa Vitória, rock nervoso e com clima bastante urgente, tem a divulga-lo um videoclipe feito com simplicidade e clima cinematográfico, com direito a carros vintage, clima de road movie e uma qualidade técnica em termos de áudio e vídeo digna de um trabalho de multinacionais. Já teve mais de 28 mil visualizações no Youtube, e serve como boa amostra do trabalho desse roqueiro promissor e cujo trabalho é bem fora dos padrões. Nas Nuvens também conta com um clipe para divulga-la, com estética caprichada.

Grego Dario equivale a uma banda, pois tem a seu lado músicos fiéis fazendo o papel de grupo de apoio. São eles Ulisses Oliboni (baixo) e Davi Martins (bateria), com ele há bastante tempo, sendo que no CD os teclados ficaram por conta de Renan Razuk, o mais novo integrante do time. O som do quarteto é coeso, capaz de intervenções inesperadas e levadas rítmicas contagiantes.

Além de músico, Grego também é engenheiro de áudio, o que lhe permite dar ao seu trabalho uma qualidade técnica acima da média, tirando timbres dos instrumentos e dos vocais que grava personalizados e com muita originalidade. Sabe beber das melhores fontes, e investe com categoria nas letras baseadas em relacionamentos afetivos e temas mais introspectivos.

O artista de Pederneiras (SP) atualmente radicado em Bauru (SP) atualmente está divulgando seu trabalho de estreia em entrevistas, apresentações ao vivo como a no badalado site Showlivre e também em shows. Em breve, ele deverá cair na estrada com sua banda. Vale mesmo conferir o som desse cara. Como diriam atualmente, “fica a dica”.

De Pé Numa Vitória – Grego Dario (clipe):

Nas Nuvens– Grego Dario (clipe):

Então Você Aposta? (clipe oficial do CD) Grego Dario:

Grego Dario ao vivo no Estúdio Show Livre-dezembro 2014:

Kappa Crucis mostra força do rock paulista com novo CD

Por Fabian Chacur

Já vai longe o tempo em que só nas capitais brasileiras é que surgiam bandas de rock de real qualidade e consistência artística. O interior do estado de São Paulo, por exemplo, é um dos grandes celeiros do rock pesado do nosso país. Uma das bandas mais bacanas desse cenário, a Kappa Crucis, acaba de lançar seu 2º CD, Rocks, verdadeira tour de force em termos de consistência artística e criação roqueira.

Lógico que tanta qualidade não poderia ter surgido do nada. A banda iniciou sua carreira na cidade de Apiaí (SP) em meados dos anos 90, e lançou cinco trabalhos no formato demo até sentir que era a hora de apresentar um CD cheio. Isso ocorreu em 2009 com Jewel Box (nome em inglês da caixinha que abriga os CDs), que trouxe músicas extraídas das demos e também faixas inéditas,

Bastante elogiado, o álbum agora é sucedido por Rocks, que conta com a formação que podemos considerar a clássica da Kappa Crucis: F. Dória (bateria, vocal de harmonia), G. Fischer (guitarra e vocal principal), R. Tramontin (baixo e vocal de apoio) e A. Stefanovitch (teclados e vocal de apoio). Gravado no Ger Som Estúdio, situado na cidade de Itapeva (SP) e masterizado no estúdio Vertex C em Montereal no Canadá, o álbum esbanja qualidades.

O som do quarteto tem como base o heavy metal, mas vai muito além em termos de sonoridades, mostrando influências do Deep Purple em sua fase inicial (anos 1960), Uriah Heep, rock sulista americano dos anos 70, Black Sabbath (fases Ozzy e Dio), psicodelismo e até mesmo o grunge do Soundgarden (também filhotinhos do Black Sabbath). Uma mistura bacana, original e inspirada.

Os vocais frequentemente seguem o clima épico do metal dos anos 80, sempre bem concatenados. Os músicos esbanjam bom senso e qualidade técnica, solando com categoria e concisão quando os espaços surgem e criando um invólucro sonoro original e digno do que se faz de melhor no rock pesado em termos mundiais na atualidade. Cada faixa traz suas próprias surpresas e nuances, em um trabalho detalhista e feito no capricho.

Os duelos guitarra/teclados em What Comes Down, o delicioso clima rock balada de Invisible Man, a energia bruta bem lapidada de Flags And Lies e o clima rock sulista ianque total de When The Legs Are Wheels são bons momentos de um álbum forte, consistente e prova mais do que sólida da força que o heavy rock ganhou no Brasil nas últimas décadas. Rocks é um dos melhores CDs de rock pesado do ano.

Veja a pré-produção de Flags And Lies, do Kappa Crucis:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑