Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: são paulo (page 1 of 19)

Angela Ro Ro faz um show de clima intimista em São Paulo

angela ro ro-400x

Por Fabian Chacur

Cantora, compositora e pianista de sucesso, Angela Ro Ro estará em São Paulo neste sábado (10) para um show às 21h30 no Tupi Or Not Tupi (rua Fidalga, nº 100- Vila Madalena- fone 0xx11-3813-7404), com ingressos a R$ 100,00. Além dela, teremos no palco o pianista Ricardo MacCord, seu parceiro em músicas como Compasso (faixa-título do CD lançado pela artista em 2006). Clima intimista e promessa de uma noite bem bacana para quem for.

Atualmente vivendo uma fase bem mais tranquila do que aqueles anos turbulentos no qual era frequente manchete de jornais e publicações sensacionalistas por causa de abusos alcoólicos e relações românticas mal resolvidas, ela nos mostrará clássicos de seu repertório, entre os quais Amor Meu Grande Amor, Tola Foi Você, Só Nos Resta Viver, Balada da Arrasada e Compasso, além de uma releitura de Summertime, clássico na voz de Janis Joplin, cantora que certamente a influenciou.

Angela Ro Ro gravou seu primeiro álbum quando já tinha 30 anos, em 1979. Mas valeu a espera, com o estouro de faixas como Amor Meu Grande Amor, Tola Foi Você e A Mim e a Mais Ninguém. Sua mistura de rock, blues e MPB deu muita liga, e ela se mostrou ótima compositora e também capaz de interpretar com garra e originalidade canções de Caetano Veloso (Escândalo) e João Donato (Simples Carinho), entre outros. Com sua voz rouca e cativante, continua relevante na MPB.

Amor Meu Grande Amor– Angela Ro Ro:

Zé Geraldo e Francis Rosa vão tocar no Sesc Belenzinho (SP)

Zé Geraldo e Francis Rosa -foto de Guilhermina Pinacolada-400x

Por Fabian Chacur

Zé Geraldo e Francis Rosa se conheceram há aproximadamente quatro anos. A amizade gerou bons frutos, como composições, shows e o DVD Cantos e Versos. E é exatamente este último o gancho para apresentações em São Paulo nesta sexta (9) e sábado (10) às 21h30 na Comedoria do Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nº 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Oriundo de Joanópolis (SP), Francis Rosa é um violeiro com sete CDs em seu currículo. A combinação do seu instrumento com o som rock-folk-rural de Zé Geraldo dá o tempero para o DV Cantos & Versos, que foi gravado ao vivo no Teatro Municipal de Vinhedo (SP). No repertório, Cidadão, Galho Seco, Como Diria Dylan, Hey Zé e Lírios, entre outras.

Os dois shows terão em cena Zé Geraldo (voz, gaita e violão), Francis Rosa (voz e violas), Jean Trad (guitarra, ex-Aguilar e a Banda Performática), Carlito Rodrigues (baixo), Carneiro Sândalo (bateria, fiel escudeiro de Zé Geraldo) e Juninho Serafranny (violão).

A carreira do cantor, compositor e músico mineiro Zé Geraldo ultrapassa os 40 anos de atividades. No final dos anos 1970 e início dos 1980, emplacou hits como Milho aos Pombos, Cidadão e Como Diria Dylan, mostrando uma personalizada mistura de rock, folk, country e som rural brasileiro. Mesmo sem tanto apoio da mídia, conseguiu cativa um público fiel, que costuma lotar todos os seus shows.

Além de ótimos trabalhos solo repletos de músicas bacanas (entre as quais o ácido rock Como Diria Raulzito), ele fez algumas parcerias marcantes com o Duofel (o álbum Acústico, de 1996) e Renato Teixeira (o CD O Novo Amanhecer, de 2000). Aos 73 anos, continua firme, forte e ativo na cena musical brasileira.

O Jeito Desse Meu Lugar– Francis Rosa e Zé Geraldo:

Negra Li faz show em SP com direito a seus hits e novidades

negra li-400x

Por Fabian Chacur

Quando criança, Negra Li cantava em igrejas e também tentava copiar a cantora americana Whitney Houston. Aos 16 anos, apaixonou-se pelo rap. Com elementos dessas origens musicais e também de pop, MPB e soul, a cantora, compositora, rapper e atriz construiu uma carreira consistente com direito a itens bacanas no currículo. Ela será a atração em São Paulo nesta sexta (26) às 21h30 no Sesc Belenzinho- Comedoria (rua Padre Adelino, nº 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

A trajetória musical de Negra Li começou a ganhar fôlego com sua participação no grupo de rap RZO. Em 2004, deu início a uma nova fase de sua carreira ao gravar em dupla com o também integrante do RZO, o rapper Helião, o CD Guerreiro, Guerreira, com boa repercussão. O álbum a seguir já era solo, o bem-sucedido Negra Livre (2006), que mostrava essa fusão de rap, r&b e pop de forma bem consolidada.

Em 2006, estrelou ao lado de Leilah Moreno, Cindy e Quelynah o filme Antonia, de Tata Amaral, que gerou uma trilha sonora de sucesso e também uma série global. Em 2012, viria o seu segundo trabalho solo, Tudo de Novo. Com ótima voz, carisma e personalidade, ela rapidamente atraiu as atenções de público, crítica e meio musical.

Em 2014, o CD Você Vai Estar Na Minha-Duetos mostrou todo o poder de fogo da cantora, pois a traz cantando em dueto com artistas-grupos do porte de Caetano Veloso, Nando Reis, Charlie Brown Jr., Skank, Akon, Pitty, Rappin’ Hood e Sérgio Britto, entre outros. No show no Sesc Belenzinho, ela dará uma geral nos hits e também mostrará novidades, como a inédita Malandro Chora, prevista para entrar em um novo álbum prestes a ser lançado pelo novo selo White Monkey.

Você Vai Estar Na Minha (clipe)- Negra Li:

5º Prêmio Grão de Música vai ser entregue em São Paulo

premio grao de musica 2018-400x

Por Fabian Chacur

Apesar de crises financeiras e sobressaltos políticos, o Brasil felizmente segue firme e forte em termos culturais. Superando dificuldades, premiações bacanas continuam resistindo e celebrando o melhor da nossa música. Um bom exemplo é o Prêmio Grão de Música, cuja 5ª edição terá sua cerimônia de entrega de troféus no próximo sábado (20) às 19h no Centro Cultural Olido-Sala Olido (avenida São João, nº 473- Centro- fone 0xx11-3331-8399), com entrada gratuita.

Esta edição do projeto criado em 2014 pela cantora e compositora paraibana Socorro Lira premiará artistas oriundos de 12 estados brasileiros, sempre buscando uma abrangência nacional e homenageando artistas escolhidos pela curadoria levando-se em conta o conjunto de suas obras e a trajetória artística dos mesmos. Na cerimônia, teremos apresentações de três desses vencedores: Arraial do Pavulagem (Pará), Celia e Celma (MG) e Maria Juliana (PB).

“O Grão é um espaço dedicado a destacar e revelar obras e trajetórias artísticas relevantes para o país e para a humanidade como um todo; sendo que boa parte não tem divulgação e nem sempre é vista pela crítica especializada, em muitos casos estão ainda fora dos circuitos culturais mais influentes. Penso que o Grão pode ajudar a dar luz a isto e dizer a estes e estas artistas: sua música pode ser para o país inteiro, para o mundo”, explica Socorro Lira.

Se não bastassem as ótimas intenções envolvidas, o troféu é uma estátua de bronze com design feito pelo genial Elifas Andreato, responsável por capa de discos de ícones da nossa música como Chico Buarque, Elis Regina, Martinho da Vila e Clementina de Jesus, entre outros. Ele também criou toda a a identidade visual da premiação.

Além dos troféus, os artistas tem, uma música cada, incluída em uma coletânea promovida pelo Prêmio Grão de Música e disponível em luxuosa versão em CD no formato digipack (com direito a encarte informativo) e também digital (ouça a atual e as anteriores aqui)

Eis os vencedores do 5º Prêmio Grão de Música:

Arraial do Pavulagem (PA)
Caio Padilha (RN)
Carlos Badia (RS)
Carlos Zens (RN)
Celia e Celma (MG)
Chico Aafa (GO)
Clarisse Grova (RJ)
Karynna Spinelli (PE)
Lysia Condé (MG)
Maria Juliana (PB)
Oneide Bastos (AP)
Patricia Polayne (SE)
Sérgio Pererê (MG)
Solange Leal (PI)
Verônica Ferriani (SP)

Patrocínio: Metanoia e Palavra Acesa Editora
Apoio Cultural: Sala Olido, Prefeitura de São Paulo e Ritmiza Produções
Realização: Liraprocult

Dança a Menina– Verônica Ferriani:

Tony Babalu vai tocar no Sesc Belenzinho neste sábado (13)

tony babalu-400x

Por Fabian Chacur

Quem acompanha Mondo Pop certamente já leu algo sobre Tony Babalu por aqui. E começa a ler de novo, pois esse incrível guitarrista, compositor e produtor fará um show em São Paulo neste sábado (13) às 21h no teatro do Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nº1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00. Boa chance para se conferir ao vivo um músicos diferenciado.

Com mais de 40 anos de carreira, Tony Babalu integrou bandas como Made In Brazil, Artigo de Luxo, Quarto Crescente e Bem Nascidos e Mal Criados, entre outras, além de produzir outros artistas. Na carreira solo, concentrou-se no som instrumental, com forte acento roqueiro mas aberto a influências como blues, funk de verdade e jazz. Seu estilo é diversificado e criativo, com direito a belos riffs e solos elegantes e energéticos com assinatura própria.

No Sesc Belenzinho, ele será acompanhado por Adriano Augusto (teclados), Leandro Gusman (baixo) e Percio Sapia (bateria). No repertório, músicas de seu mais recente álbum, o incrível Live Sessions II (2017), que rendeu a Babalu o Troféu Cata-Vento na categoria rock, e também faixas do anterior, o não menos do que ótimo Live Sessions At Mosh (2014). Tipo do show para sair de alma lavada.

Leia mais sobre Tony Babalu aqui.

Tony Babalu ao vivo no Sesc-2017:

Lô Borges faz 2 shows em SP e lança o seu novo DVD ao vivo

lo borges1-400x

Por Fabian Chacur

Considerado um dos mais importantes integrantes do movimento musical chamado de Clube da Esquina, Lô Borges resolveu reler músicas de seus dois discos de estreia no incrível DVD Tênis + Clube (leia a resenha de Mondo Pop aqui). Ele mostra esse trabalho com shows em São Paulo nesta sexta (5) e sábado (6) às 21h no Sesc Pinheiros- Teatro Paulo Autran (rua Paes Leme, nº 195- Pinheiros- fone 0xx11-3095-9400), com ingressos de R$ 15,00 a R$ 40,00.

A direção musical (do DVD e do show) é de Pablo Castro (voz, violões, piano, guitarra e vocais), que lidera a banda composta por Gui de Marco (violões, guitarras, percussão e vocais), Paulim Sartori (contrabaixo, bandolim, percussão e vocais), D’Artagnan Oliveira (bateria, percussão e vocais), Dan Oliveira (guitarras, violões, percussão e vocais) e Alê Fonseca (teclados e programações), um timaço capaz de muitas e boas.

O repertório do show traz todas as faixas do primeiro álbum solo de Lô, autointitulado e mais conhecido como “Disco do Tênis”, e todas as canções de sua autoria do LP Clube da Esquina (1972), creditado a ele e a um certo Milton Nascimento. De quebra, também temos Para Lennon e McCartney, sua composição gravada brilhantemente pelo Bituca em 1970. Tipo do show feito sob medida para receber o adjetivo de imperdível, ainda mais no delicioso Sesc Pinheiros.

Veja trechos do DVD Tênis+Clube, de Lô Borges:

Matuto Moderno comemora 20 anos de estrada com shows

Matuto Moderno crédito Ulisses Matandos-400x

Por Fabian Chacur

Nada mais legal do que a miscigenação que marca o Brasil como país, especialmente em termos culturais. Na música, essa liberdade de misturar o tempo todo gerou frutos bem bacanas. O grupo Matuto Moderno exemplifica bem tal tendência, com sua fusão de música rural brasileira com a rebeldia e a energia crua do rock. Eles celebram 20 anos de carreira com shows em São Paulo de quinta a domingo (20 a 23), sempre ás 19h15, na Caixa Cultural São Paulo (Praça da Sé, nº 111- Centro- fone 0xx11-3321-4400), com entrada gratuita.

O Matuto Moderno tem como integrantes Ricardo Vignini (viola caipira), Zé Helder (viola caipira e vocal), Edson Fontes (vocal e catira), Marcelo Berzotti (baixo e vocal), André Rass (percussão) e Carlinhos Ferreira (percussão). Com cinco CDs lançados, eles provaram que viola caipira, catira e congado podem perfeitamente ser temperados com poderosos riffs roqueiros sem desvirtuar nenhuma dessas vertentes sonoras. O público conquistado, dos maiores, prova o acerto.

Nos shows em São Paulo, o grupo contará com as participações especiais do percussionista Carlinhos Ferreira e de um dos nomes mais criativos da música paulista. Trata-se do cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista André Abujamra, conhecidos por seus trabalhos com os grupos Os Mulheres Negras e Karnak. Ele, inclusive, tem uma música sua, em parceria com Ricardo Vignini, gravada pelo Matuto, a ótima Topada, do CD Matuto Moderno 5 (2013).

No repertório das apresentações, serão incluídas faixas extraídas de todos os álbuns da banda, entre elas Manacá, Curva de Rio, Topada e Ecologia Brasileira, além de algumas de André Abujamra, entre as quais Juvenar e Milho. Também serão realizadas homenagens aos saudosos Índio Cachoeira, Inezita Barroso e Pena Branca.

Curva de Rio (ao vivo)- Matuto Moderno:

Ira! relê ao vivo em São Paulo seu LP Psicoacústica (1988)

ira! 2018-400x

Por Fabian Chacur

Em 1988, o Ira! lançou o seu álbum mais experimental. Após dois trabalhos de muito sucesso, o grupo paulistano mostrou no LP Psicoacústica uma disposição de explorar novos rumos sonoros que a capa em 3-D (com direito a um óculos especial de brinde) já indicava. A banda comemora os 30 anos desse trabalho com dois show em São Paulo, nesta sexta (14) e sábado (15), sempre às 21h30, no Sesc Belenzinho- Comedoria (rua Padre Adelino, nº 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos custando de R$ 9,00 a R$ 30,00.

O set list dos shows do grupo paulistano trará na íntegra o repertório de seu terceiro álbum, do qual fazem parte músicas marcantes como Rubro Zorro, Poder, Sorriso, Fama, Receita Para Se Fazer Um Herói, Pegue Essa Arma e Farto de Rock ‘N’ Roll, que nem sempre costumam ser tocados ao vivo nos seus shows. Essa mistura de psicodelia, hard rock e até elementos de rap não vendeu muito na época, mas lhes proporcionou um CD influente e relembrado com carinho em sua discografia.

De volta à ativa desde 2014, após alguns anos fora de cena, o Ira! mantém de sua formação clássica Nasi (vocal) e Edgard Scandurra (guitarra e vocal), que hoje tem a seu lado Evaristo Pádua (bateria), Johnny Boy (teclados e violão) e Daniel Rocha (baixo). Além das músicas de Psicoacústica, haverá espaço para hits como Flores Em Você, Dias de Luta, Núcleo Base, Envelheço Na Cidade e Tarde Vazia.

Psicoacústica- Ira! (ouça em streaming):

Taryn Donath mostra o swing do beatnik blues em Sampa

taryn donath-400x

Por Fabian Chacur

Em 1998, Taryn Donath lançou o seu álbum de estreia, Have Piano Will Travel, com o qual surpreendeu os fãs de r&b, jazz, soul e swing, mesmo tendo apenas 17 anos de idade. Desde então, essa talentosa cantora e pianista californiana ampliou seus horizontes e se consolidou como uma artista de rara consistência musical. Ela se apresenta em São Paulo pela primeira vez nesta quarta (5) às 21h30 no Bourbon Street (rua dos Chanés, nº 127- Moema- fone 0xx11-5095-6100), com couvert artístico a R$ 50,00.

Com 37 anos de idade, Taryn tocou com bandas, mas tornou-se conhecida por se dedicar a um formato não tão comum em seu estilo musical, no qual se acompanha ao piano e tem a seu lado apenas um baterista, um tipo inusitado de duo. Dessa forma, conquistou fãs em seu pais com o que ela apelidou de beatnik blues, mescla de swing, rhythm and blues, soul e jazz no qual se destacam sua voz bem colocada e um balanço contagiante no piano inspirado nos grandes mestres.

No show do Bourbon Street, Taryn terá a seu lado dois músicos brasileiros, o baterista Jaderson Cardoso e o gaitista Marcelo Naves. O repertório deve trazer músicas de CDs como o de estreia e também de Gardenia (2012) e Memories Of Ruth, este último uma homenagem à saudosa e brilhante cantora de rhythm de blues Ruth Brown (1928-2006). Músicas como I’ll Wait For You e The Mess Around, hits respectivamente de Ruth Brown e Ray Charles, são destaques.

I’ll Wait For You– Taryn Donath:

Olivia Gênesi/Raquel Martins cantam juntas em São Paulo

olivia genesi e raquel-400x

Por Fabian Chacur

Embora a grande mídia prefira ignorar, existem inúmeros artistas talentosos no atual cenário musical brasileiro, todos batalhando para solidificar e viabilizar suas carreiras. Olivia Gênesi e Raquel Martins integram uma parte nobre desse time, com trajetórias bem bacanas e trabalhos de primeira. Elas se apresentam em São Paulo nesta quarta (5) às 21h no projeto Talento MPB do Bar Brahma (avenida São João, nº 677- República- fone 0xx11-2039-1250), com ingressos a R$ 30,00.

Juntas, as duas lançaram em 2016 o CD O Mar e Outras Águas, cujo repertório se fará presente neste show, assim como canções de seus discos solo mais recentes, Amor e Liberdade (Olivia) e Percepções Sonoro Poéticas (Raquel). As duas cantarão, sendo que Olivia tocará piano, guitarra, escaleta e percussão, enquanto sua colega de palco se incumbirá de guitarra, violão e baixolão.

Uma canção será lançada precisamente neste show, uma homenagem ao histórico local onde a apresentação será realizada. Trata-se de Lua Paulistana, com letra a cargo de Raquel e melodia feita por Olivia. A faixa será lançada em breve nas plataformas digitais no formato single pelo selo Elefante D. O som delas é uma mistura de MPB, pop, rock, folk e muito mais, com direito a letras consistentes e melodias bacanas.

Saiba mais sobre Olivia Gênesi aqui, e sobre Raquel Martins aqui.

Seiva da Vida (ao vivo)- Olivia Gênesi e Raquel Martins:

Older posts

© 2018 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑