Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: são paulo (page 1 of 21)

Ithamara Koorax volta a SP para show nesta 4ª no Sesc 24 de Maio

ithamara koorax-400x

Por Fabian Chacur

Ter como madrinha artística Elizeth Cardoso, a Divina, não é para qualquer uma. E a cantora oriunda de Niterói Ithamara Koorax, felizmente, fez jus a essa rara deferência de uma das nossas melhores cantoras. Ela celebra 30 anos de estrada e está divulgando o seu mais recente álbum, All Around The World, que a traz de volta a São Paulo após sete anos para show nesta quarta (4) às 21h no Teatro Sesc 24 de Maio (rua 24 de Maio, nª 109- Centro- fone 0xx11-3350-6256), com ingressos de R$ 12,00 a R$ 40,00.

Com direção musical do craque Arnaldo DeSouteiro, Ithamara terá a seu lado nesta apresentação um trio afiadíssimo composto por Paula Faour (piano), Jorge Pescara (baixo) e Cesar Machado (bateria). Além de canções do novo trabalho, o 25º de sua discografia, a intérprete reservou espaço em seu set list para alguns clássicos da bossa nova, estilo musical que abraçou desde o início de sua carreira. Vale lembrar que ela gravou com alguns ícones desse gênero, como Tom Jobim, Marcos Valle, Luiz Bonfá e outros desse calibre.

Versátil, Ithamara já teve dez músicas incluídas em trilhas sonoras de novelas globais. Com forte formação jazzística também, ela volta e meia marca presença nas listas de melhores intérpretes de jazz da venerada revista americana Downbeat, ombreando com colegas do porte de Diana Krall e Cassandra Wilson. Ela já cantou em mais de 20 países, e atuou ao lado de mestres como Ron Carter, Larry Coryell, Dave Brubeck, John McLaughlin e Claus Ogerman, só para citar alguns deles. A moça tem currículo!

A Rã– Ithamara Koorax:

Barão Vermelho faz show em SP para apresentar seu álbum Viva

barao vermelho 2019-400x

Por Fabian Chacur

Desde que o Barão Vermelho lançou seu mais recente CD de inéditas, em 2004, muita coisa mudou. Roberto Frejat e Rodrigo Santos saíram do time, que recebeu como reforço o cantor, compositor e guitarrista Rodrigo Suricato. Além disso, o tecladista e compositor Maurício Barros, membro fundador do grupo que saiu em 1988 mas que na prática sempre se manteve por perto, em shows e assinando músicas, voltou de vez. A seu lado, outro criador do grupo, o baterista Guto Goffi, e o guitarrista Fernando Magalhães, há mais de 30 anos no time.

É com essa nova escalação e repleta de energia que a seminal banda carioca lança Viva, trabalho composto apenas por composições dos atuais integrantes do time. A primeira amostra, o visceral single A Solidão Te Engole Vivo, saiu no final de 2018. Agora, é a vez do o produto completo, já disponível nas plataformas digitais e em breve também em CD e possivelmente vinil.

E é para mostrar faixas desse trabalho e também dar uma geral em seus principais hits que o Barão Vermelho versão 2019 volta a São Paulo para show neste sábado (24) às 22h na Casa Natura (rua Artur de Azevedo, nº 2.134- Pinheiros- fone 0xx11-3031-4143), com ingressos custando de R$ 40,00 a R$ 200,00. Entre as novas, destaque para Eu Nunca Estou Só, que no álbum conta com a participação do rapper BK, e a já citada A Solidão Te Engole Vivo.

Leia entrevista com Fernando Magalhães aqui.

Leia entrevista com Rodrigo Suricato aqui.

Eu Nunca Estou Só (clipe)- Barão Vermelho e BK:

Lô Borges mostra Rio da Lua e outros sucessos em São Paulo

lo borges-400x

Por Fabian Chacur

Aos 67 anos de idade, o cantor, compositor e músico mineiro Lô Borges vive um momento inspirado em sua carreira. Após ter lançado em 2018 um esplêndido DVD gravado ao vivo, ele recentemente nos ofereceu um novo trabalho de inéditas, o delicioso CD Rio da Lua (leia a resenha de Mondo Pop aqui). Ele estará em São Paulo para shows neste sábado (6) às 21h e no domingo (7) às 18h no Teatro do Sesc Pompeia (Rua Clélia, nº 93- Pompeia- fone 0xx11-3871-7700), com ingressos de R$ 9,00 a R$ 30,00.

Rio da Lua traz dez parcerias de Lô com um velho amigo, o excelente cantor, compositor e músico Nelson Angelo, com quem ele curiosamente nunca havia composto uma única canção sequer. Valeu a espera, pois o CD é impecável, um dos melhores de 2019. A novidade fica por conta de o ilustre integrante do Clube da Esquina ter pela primeira vez musicado letras, quando seu processo criativo habitual é encaixar as palavras em melodias criadas previamente.

Se as canções do novo álbum terão destaque no repertório destas duas apresentações em Sampa City, os fãs podem aguardar também diversos de seus grandes sucessos nesses quase 50 anos de trajetória artística no set list. Entre elas, certamente estarão Clube da Esquina nº 2, O Trem Azul, Paisagem da Janela e Feira Moderna, só para citar algumas delas. Garantia de canções maravilhosas o tempo todo ou o seu dinheiro de volta.

Ouça o álbum Rio da Lua em streaming:

Rockfest reunirá em São Paulo bandas clássicas do rock pesado

scorpions

Por Fabian Chacur

Outubro é aquele mês normalmente associado às Oktoberfests, que se realizam por aí (especialmente em Blumenau-SC) e cuja ênfase fica em torno de bebidas e comidas tradicionais alemãs. Para os fãs do rock pesado, no entanto, esse mês trará este ano como objeto de desejo o Rockfest. O Festival ocorrerá em São Paulo no dia 21 de setembro (sábado) a partir das 16h na Allianz Parque (avenida Francisco Matarazzo, nº 1.705- Água Branca). No elenco, Scorpions (foto), Whitesnake, Megadeth, Europe e Armored Dawn. Mais informações aqui.

A escalação acabou virando uma espécie de Copa do Mundo do rock, pois conta com representantes de cinco países. O Brasil terá no elenco a banda Armored Dawn, sexteto na estrada desde 2014, com dois álbuns no currículo e shows ao lado de Megadeth, Rhapsody, Symphony X, além de participar do Motörboat, cruzeiro capitaneado pelo extinto grupo Motörhead que saiu de Miami em 2016.

Da Suécia, vem o Europe, um hard rock melódico com ecos de progressivo que conquistou os fãs nos anos 1980 com álbuns como The Final Countdown (1986), cuja faixa-título emplacou no Brasil como trilha de um comercial de cigarros.

O grupo americano Megadeth, liderado pelo cantor, compositor e guitarrista Dave Mustaine, também surgiu nos anos 1980, viveu seu auge comercial nos 1990 e vivencia uma nova fase positiva após a entrada no time do guitarrista brasileiro Kiko Loureiro (ex- Angra) e o lançamento do CD Dystopia (2016)

Capitaneado pelo carismático vocalista britânico David Coverdale, ex-integrante do Deep Purple, o Whitesnake é outro que estourou durante a década de 1980, graças a rocks como Guilty Of Love e Crying In The Rain e as baladas roqueiras Is This Love, Love Ain’t No Stranger e Here I Go Again, só para citar alguns hits.

Tal qual o Whitesnake, os alemães do Scorpions também tiveram grande destaque na primeira edição do Rock in Rio, em 1985. Tendo como líderes o guitarrista Rudolph Schenker e o vocalista Klaus Meine, o grupo conquistou fãs no mundo inteiro com sua bem azeitada fórmula de rocks pesados como Big City Nights e Rock You Like a Hurricane e baladas intensas como Still Loving You e Winds Of Change. A banda sempre atraiu inúmeros fãs em seus shows no Brasil.

Big City Nights (clipe)- Scorpions:

Griswolds toca em São Paulo pela primeira vez: será nesta sexta-26

griswolds foto-400x

Por Fabian Chacur

Com oito anos de estrada, o grupo Griswolds conseguiu cativar um público fiel em sua cidade natal, Jaú (SP). Eles também já fizeram diversos shows em cidades do estado de São Paulo e lançaram alguns CDs, sendo Punkidz (2018) o mais recente. A fórmula própria de tocar músicas de filmes de sucesso com novos e energéticos arranjos roqueiros continua lhes proporcionando bons frutos, e o mais recente será seu primeiro show em São Paulo. Vai ser nesta sexta (26) às 19h na Praça Coberta do Sesc Santo Amaro (rua Amador Bueno, nª 505- Santo Amaro- fone 0xx11-5541-4000), com entrada gratuita.

Os irmãos Fernando (guitarra e vocal) e Alexandre Lazzari (bateria) e o cunhado Eduardo “Naka” Nakagawa (baixo) irão apresentar ao público paulistano seu show Griswolds na Sessão da Tarde. Trata-se de uma reunião de temas clássicos de filmes costumeiramente exibidos naquela tradicional programação de filmes da Rede Globo, entre os quais De volta Pro Futuro, Top Gun, Clube dos Cinco, Footloose, O Rei Leão, La Bamba e Os Saltimbancos Trapalhões.

Durante a execução das músicas, o trio tem ao fundo vídeos especialmente produzidos por eles com cenas dos filmes, como forma de dar um clima ainda mais quente à exibição. A pegada do trio jauense guarda semelhança com o de bandas punk dos anos 1990 como o Green Day, e seus arranjos para algumas canções são surpreendentes. Leia mais sobre o Griswolds, cujo nome foi tirado da família que protagoniza o filme Férias Frustradas, aqui.

Take My Breath Away (clipe)- Griswolds:

Pedro Luís faz show em Sampa com músicas de Luis Melodia

pedro luis-400x

Por Fabian Chacur

Com quase 40 anos de carreira, Pedro Luís se firmou, com o grupo A Parede ou em carreira solo, como um dos artistas mais instigantes da música brasileira. Como todo criador, ele teve suas influências, e uma das mais fortes é a de Luiz Melodia, seja pela origem carioca, seja pela mistura swingada de samba com outros ritmos e também pelas letras caprichadas. Como forma de celebrar a obra do saudoso autor de Juventude Transviada e tantos outros clássicos, Pedro lançou o álbum Vale Quanto Pesa- Pérolas de Luiz Melodia (Deck), cujo repertório ele mostra ao vivo em São Paulo nesta sexta (12) às 22h na Casa de Francisca (rua Quintino Bocaiúva, nª 22- Sé- fone 0xx11-3052-0547), com ingressos a R$ 53,00.

O repertório do álbum, lançado no finalzinho de 2018, traz 14 músicas extraídas do set list do maravilhoso artista carioca, sendo oito oriundas do álbum Pérola Negra (1973), duas de Maravilhas Contemporâneas (1976), duas de Mico de Circo (1978), uma de Nós (1980) e uma de Pintando o Sete (1991). São clássicos do porte de Juventude Transviada, Pérola Negra, Estácio Holly Estácio, Congênito, Vale Quanto Pesa e A Voz do Morro, esta última de autoria do lendário Zé Keti e tão bem relida por Melodia que há quem pense ser essa canção de sua autoria.

Pedro Luís explica a intenção que teve ao abordar repertório tão rico:

“Quis fazer reverência e referência aos detalhes dos arranjos originais tão marcantes, mas sem que isso soasse como cover; por isso, convoquei uma banda com formação eficiente, criativa, mas diferente das que foram usadas nas versões originais”, diz. E deu super certo! O álbum é muito bom, com o intérprete fugindo da roubada que seria tentar imitar o inimitável Melodia e imprimindo sua personalidade a essas canções tão legais e eternas.

Ouça Vale Quanto Pesa- Pérolas de Luiz Melodia em streaming:

Ivan Lins e Brasilidade Geral dão prévia de novo álbum em Sampa

ivan lins show-400x

Por Fabian Chacur

Ivan Lins é um artista sempre aberto a parcerias com outros artistas, desde que talentosos, obviamente. Desta vez, o cantor, compositor e pianista carioca une forças ao grupo capixaba Brasilidade Geral para o lançamento de um CD, Meu Pais, que deve sair em abril. Como forma de dar uma prévia desse lançamento, eles se apresentam em São Paulo no próximo dia 11 de abril (quinta-feira) às 22h no Bourbon Street (rua dos Chanés, nª 127- Moema- fone 0xx11-5095-6100), com ingressos custando de R$ 95,00 a R$ 190,00.

O repertório trará clássicos do repertório de Ivan Lins com novos arranjos, entre as quais Vitoriosa, Meu País, Lembra de Mim, Dinorah Dinorah, Depois dos Temporais e Madalena. A parceria entre o astro da MPB e o grupo teve início em 2015, e deu tão certo que agora terá um registro discográfico para eternizá-la. Os metais dão um tempero novo e especial para essas canções conhecidas mundialmente.

Criado em 2010 no Espírito Santo, o grupo Brasilidade Geral é integrado por Bruno Santos (trompete e flugelhorn), Roger Rocha (saxofones soprano, alto e tenor), Marcelo Martins (saxofone tenor), Daniel Freire (saxofone barítono), Rafael Rocha e Joabe Reis (trombone), Hugo Maciel (baixo elétrico) e Renato Rocha (bateria). Eles lançaram em 2011 o primeiro CD, autointitulado, e logo marcaram presença em casas noturnas e festivais em seu estado natal e também no Rio e em São Paulo. Em 2016, saiu o elogiado Destino Rosa dos Ventos.

A qualidade artística de seu trabalho os levou a parcerias bem bacanas, que geraram seus dois DVDs, Brasilidade Geral e Bob Mintzer Ao Vivo (2015), no qual tocam com o saxofonista, compositor, arranjador e educador americano Bob Mintzer, do célebre grupo de jazz fusion Yellowjackets, e Bossa de Alma Nova: Roberto Menescal e Brasilidade Geral (2013), com o icônico violonista, compositor e produtor carioca Roberto Menescal. Eles também fizeram shows com Hamilton de Holanda, Rosa Passos e Chico Pinheiro, entre outros.

Vitoriosa (ao vivo)- Ivan Lins e Brasilidade Geral:

Tony Babalu fará dois shows gratuitos na Sala Olido (SP)

tony-babalu-400x

Por Fabian Chacur

Quem curte rock instrumental de primeiríssima linha terá duas boas oportunidades de conferir ao vivo um dos craques dessa praia no Brasil. O guitarrista, compositor e produtor Tony Babalu fará duas apresentações gratuitas em São Paulo no Centro Cultural Olido- Sala Olido (avenida São João, nª 473- Centro- fone 0xx11-2899-7370). Os shows serão nas duas próximas sextas-feiras, respectivamente dias 15 e 22, sempre às 19h. Um baita de um programa para os fãs de boa música, ainda mais por esse preço…

Babalu terá a seu lado os afiadíssimos Adriano Augusto (teclados) e Leandro Gusman (baixo) e uma novidade na banda que o tem acompanhado nos últimos tempos, o experiente Claudio Tchernev (bateria), com um currículo respeitável e repleto de trabalhos ao lado dos Mutantes, Cláudio Zoli, Chico Cesar, Elba Ramalho e muitos outros, além de ser professor de música.

No repertório, teremos basicamente músicas dos ótimos e mais recentes CDs do artista, Live Sessions At Mosh (2014) e Live Sessions II (2017), trabalhos gravados ao vivo no lendário estúdio Mosh, em São Paulo, nos quais o músico mostra sua fusão de rock, blues, black music e jazz. Babalu é um estilista da guitarra, tocando de forma classuda e inspirada. Leia mais sobre ele e seus impecáveis trabalhos em mais de 40 anos de carreira aqui.

Veia Latina (ao vivo)- Tony Babalu:

Choro Pra Cinco fará os seus primeiros shows em São Paulo

choro pra cinco-400x

Por Fabian Chacur

O choro, ou chorinho, é um dos gêneros mais belos e nobres da música brasileira. Centenário, nunca some totalmente de cena, para felicidade de quem tem bom gosto e sabe escolher boas opções sonoras para curtir. Uma das formações mais bacanas da atualidade nessa praia é o Choro Pra Cinco, de Brasília, que enfim fará suas primeiras apresentações ao vivo em São Paulo, ambas com entrada gratuita. A primeira nesta quinta (14) às 19h no Centro Cultural São Paulo (rua Vergueiro, nª 1.000- Paraíso- fone 0xx11-3397-4002) e a segunda nesta sexta (15) às 19h na Galeria Olido (Avenida São João, nª 473- Centro- fone 0xx11-3331-8399).

Criado em 2012 na capital brasileira, o Choro Pra Cinco é integrado por Thanise Silva (flauta), George Costa (violão), Vinícius Magalhães (violão 7 cordas), Pedro Molusco (cavaquinho) e Gabriel Carneiro (pandeiro). Eles tem como principal mérito, além da perfeita coesão instrumental, o fato de mesclarem com inteligência nos shows clássicos do chorinho e da MPB com várias composições próprias, o que dá um sotaque próprio ao seu trabalho.

Essa habilidade está plenamente presente em seu álbum Caminho dos Ventos, disponível em CD e também nas principais plataformas digitais. Este trabalho altamente recomendável traz dez faixas, entre elas as deliciosas Pela Sombra (Thanise Silva), Âncora (George Costa), Antes Que Eu Me Esqueça (George Costa e Vinícius Magalhães), Pergunta Pra Rafa (Vinícius Magalhães), Sutil (Hamilton Costa e Sebastião Tapajós) e É Nessa Que Eu Vou (Rafael dos Anjos).

Nesses sete anos de estrada, o quinteto brasiliense fez vários shows em sua cidade natal e também em Araxá (MG), Curitiba, Recife e, agora, São Paulo. Eles já realizaram duas consistentes turnês internacionais, com direito a shows em locais fechados e ao ar livre e workshops na Alemanha, França, Suíça e Bélgica (veja um registro em vídeo da segunda tour aqui).

Pela Sombra (clipe)- Choro Pra Cinco:

Ritchie relê seus vários hits com requinte em show em São Paulo

Ritchie-e-Blacktie-Foto-Paulo-Rapoport-400x

Por Fabian Chacur

A essa altura dos acontecimentos, pode-se se dizer, sem medo de errar, que Richard David Court é bem mais brasileiro do que inglês. Afinal de contas, o cantor, compositor e músico britânico de 66 anos viveu 46 deles na Terra Brasilis, incorporando à sua personalidade a simpatia e informalidade típicas dos nascidos aqui. Mas ele conserva marcas britânicas como a educação e o refinamento. É dessa forma chique e popular que ele se apresentará nesta sexta (21) às 21h30 em São Paulo no Tupi Or Not Tupi (rua Fidalga, nª 360- Vila Madalena- fone 0xx11-3813-7404), com ingressos a R$ 120,00.

A sofisticação começa não só pelas roupas elegantes vestidas pelo comandante da festa e seus parceiros, mas especialmente pela alta categoria desses músicos que integram a banda de apoio de Ritchie, batizada não por acaso de Black Tie. Integram o timaço os incríveis Mário Manga (cello e guitarra), Fernando Nunes (baixo), Tuco Marcondes (violão de aço), Fabio Tagliaferri (viola de arco) e Kuki Stolarski (bateria), músicos com currículos equivalentes a listas telefônicas.

O repertório fará um verdadeiro voo de coração pelos diversos hits de Ritchie nos anos 1980, sua época de maior popularidade, durante a qual era presença garantida em programas de TV populares. Com versões mais acústicas e requintadas, hits como Menina Veneno, Voo de Coração, Casanova, Pelo Interfone e Transas estão garantidos. Tomara que rolem também algumas das faixas do recente álbum Old Friends- The Songs Of Paul Simon (2016), no qual o cantor releu ao lado da Black Tie clássicos do grande Paul Simon com muita categoria.

Old Friends- Songs Of Paul Simon (ouça em streaming):

Older posts

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑