Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: série

Stevie Nicks regrava o seu hit Gypsy para abrir nova série

stevie nicks 400x

Por Fabian Chacur

Trinta e cinco anos após o seu lançamento, em 1982, a música Gypsy volta aos holofotes da cultura pop. Sua autora, a cantora e compositora americana Stevie Nicks, a regravou para a abertura da série Gypsy, cuja primeira temporada composta por dez episódios a Netflix disponibilizará para os seus assinantes a partir desta sexta-feira (30).

A criadora da atração, Lisa Rubin, afirmou ter se inspirado no registro original da canção, feita pelo grupo Fleetwood Mac (do qual Stevie faz parte), para escrever seu roteiro. Ao saber disso, a cantora se ofereceu para fazer uma regravação solo dessa música, que contou com a produção de Greg Kurstin, conhecido por trabalhos com Adele e Sia.

Segundo ela, a nova versão, basicamente centrada no formato voz e piano, está mais próxima da forma original como a canção foi concebida. A série será estrelada pela atriz Naomi Watts, estrela de King Kong e Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos e o ator Billy Crudup, este último celebrizado pelo papel do guitarrista Russell Hammond no maravilhoso filme Quase Famosos (Almost Famous-2000).

Gypsy foi escrita em 1979, e inicialmente era cogitada para entrar em seu primeiro álbum solo, Bella Donna (1981). No entanto, acabou ficando para o repertório do Fleetwood Mac, e lançada no CD Mirage (1982), que atingiu o primeiro posto na parada americana naquele ano. Lançada no formato single, Gypsy atingiu o posto de nº 12 nos EUA, e é um dos principais hits da carreira dessa grande diva do rock.

Gypsy (releitura)- Stevie Nicks:

MPB-4 abre uma nova fase da série Tons, da Universal Music

tres tons colecao cds universal 400x

Por Fabian Chacur

Criada em 2012 pela Universal Music, a série Tons tem como objetivo disponibilizar em formato CD trabalhos dos mais importantes nomes da nossa música, alguns deles há muito fora de catálogo ou nunca antes lançados no formato digital. O resultado tem sido altamente elogiável. São caixinhas com de dois a quatro CDs originais, trazendo reprodução de capas e encartes originais e com letras, ficha técnica e textos de especialistas. Trabalho de profissionais.

Já foram enfocados até o momento Rita Lee, Emílio Santiago, Jorge Mautner, Alceu Valença, Fafá de Belém, Edu Lobo, Erasmo Carlos, Luiz Melodia, Maysa, Carlos Lyra e Odair José. Felizmente, a série terá continuidade, e o primeiro volume da nova safra acaba de chegar às lojas, e é dedicado ao grupo MPB-4, uma das formações vocais mais importantes e talentosas da história da nossa riquíssima música popular.

Três Tons de MPB-4 traz três trabalhos até então inéditos no formato CD, e que também serão disponibilizados no formato digital nas lojas virtuais. 10 Anos Depois (1976) comemora a primeira década da carreira do quarteto e inclui faixas como De Frente Pro Crime, Galope e Passaredo, além da participação do Quarteto Em Cy nas músicas Ana Luiza, Pressentimento e Amei Tanto. Assim Seja Amém é parceria de Miltinho, do grupo, com o saudoso Gonzaguinha.

Canto dos Homens (1976) teve como faixas de maior destaque Corrente, Chão Pó Poeira, Sorriso da Mágoa, Aparecida e Vai Trabalhar Vagabundo. Nele, a fórmula perfeita sempre usada por eles, que é mesclar composições de Chico Buarque, Gonzaguinha, Milton Nascimento, Tom Jobim e outros craques da MPB com canções escritas pelos próprios integrantes. Tudo com aquelas vocalizações personalizadas.

Completa o pacote Vira Virou (1980), que é um dos discos de maior vendagem da carreira do grupo carioca. São destaques do CD duas músicas da então ainda não muito conhecida dupla gaúcha Kleiton & Kledir, a faixa título e Viração, ambas ótimas, e também a maravilhosa A Lua, que tocou bastante nas rádios na época. A seleção dos títulos e os textos ficaram a cargo do produtor e jornalista Thiago Marques Luiz.

A Lua– MPB-4:

Galope– MPB-4:

De Frente Pro Crime– MPB-4:

Série do GNT acerta a mão ao mostrar o mito André Midani

andre midani erasmo divulgacao-400x

Por Fabian Chacur

Estreou na noite desta terça-feira (9) na emissora da TV paga GNT a série André Midani- Do Vinil Ao Download. Foi o primeiro de uma programação de cinco episódios que mostram a trajetória deste verdadeiro Forrest Gump da indústria fonográfica brasileira, figura mitológica e fundamental que atuou com força total entre as décadas de 1950 e 1990. Bela estreia.

A atração é baseada na belíssima autobiografia do executivo nascido na Síria em 25 de setembro de 1932 e criado na França, o imperdível Música, Ídolos e Poder- Do Vinil Ao Download(leia a resenha do livro aqui), lançado em 2008. O livro dá uma geral em tudo o que Midani fez em sua vida profissional, envolvido em movimentos musicais como bossa nova, tropicalismo, MPB e o rock brasileiro dos anos 1980. Sempre do lado certo da história.

Simpático e sem estrelismos, o personagem deste documentário quis aparecer como gosta, ou seja, de modo informal, sem frescuras e no melhor espírito bate papo. E este primeiro episódio personificou bem esse espírito, com reuniões feitas na casa de Midani reunindo astros da música que tiveram participação em sua vida profissional e pessoal.

Durante as conversas, momentos importantes são revelados de forma natural. Neste primeiro episódio, por exemplo, o tema é a chegada do executivo ao Brasil e seu envolvimento direto com a bossa nova logo no início do movimento, quando trabalhava na gravadora EMI-Odeon. Entre uma conversa e outra, os músicos mostram canções de seus repertórios, como A Bossa Nova É Foda (Caetano).

Um destaque deste primeiro episódio foi a impressionante memória de Caetano Veloso, sempre com saborosos detalhes de todos os temas colocados em pauta, como canções importantes da bossa nova e mesmo a origem do termo, que segundo ele já era corrente entre o povão da cidade do Rio de Janeiro lá pelos idos de 1956, quando passou um tempo morando lá e conheceu essa gíria pessoalmente.

Como sempre manteve um relacionamento muito próximo aos artistas que comandou em gravadoras como a Phonogram e Warner, André Midani conta com a cumplicidade deles, o que rende muito em termos de depoimentos. E essa afetividade é justa, pois o executivo sempre demonstrou uma enorme paixão pela música, embora soubesse lidar com a parte negócio do seu trabalho.

Os próximos episódios de André Midani Do Vinil Ao Download serão exibidos nas próximas quatro terças-feiras sempre às 23h no GNT. Recomendo com entusiasmo, baseado no que vi neste episódio de estreia, e tomara que esse riquíssimo material seja lançado em DVD ou Blu-ray, pois se trata de um registro histórico envolvendo um mito da nossa indústria fonográfica.

Entrevista da Polivox com André Midani:

A Bossa Nova É Foda– Caetano Veloso:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑