Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: setembro 2013

Ibrahim Electric, da Dinamarca, toca em SP

Por Fabian Chacur

O projeto Dinâmica Dinamarquesa tem trazido ao Brasil desde 2012 vários nomes bacanas do cenário musical daquele país, entre os quais o Mikkel Ploug Quarteto, o Jakob Bro Trio e o DJ Copy Flex. Agora, é a vez do ótimo Ibrahim Electric Trio, que se apresentará no dia 19 de setembro (quinta-feira) às 20h30 na Sala Adoniran Barbosa do Centro Cultural São Paulo (rua Vergueiro, nº1.000- fone 3397-4002).

Os ingressos são gratuitos, e devem ser retirado duas horas antes da apresentação. O projeto Dinâmica Dinamarquesa surgiu de uma colaboração entre o Instituto Cultural da Dinamarca e a empresa Plus Plus Plus, além de contar com o apoio de diversos órgãos governamentais da Dinamarca, especialmente os ligados à cidade de Copenhague, principal centro musical do país nórdico.

Com dez anos de estrada e sete discos em seu currículo, o grupo Ibrahim Electric Trio é integrado por Stefan Pajborg (bateria), Niklas Knudsen (guitarra) e Jeppe Tuxen (órgão Hammond), e admite influências diversas como The Doors, Fela Kuti, John Coltrane, Jimi Hendrix, Jimmy Smith e até mesmo Hermeto Pascoal, lendário músico brasileiro de quem o trio se confessa fã incondicional. O bom humor é outra marca deles.

O som do trio tem como base o som do Hammond, um dos teclados mais carismáticos e facilmente reconhecíveis da história da música, usado tanto no jazz como na soul music, pop e rock. A música instrumental deles teve como palco em Copenhague o célebre clube Montmartre, no qual os mais diversos músicos da cidade possuem espaços há décadas para divulgarem com liberdade seus trabalhos.

Ouça o som do Ibrahim Electric ao vivo em Copenhague:

Bixiga 70 lança novo trabalho no Sesc Pompeia

Por Fabian Chacur

O grupo Bixiga 70 faz parte de uma interessante cena de músicos em São Paulo que encaram a música com abertura a misturas e disposição a fazê-las de forma swingada e com o intuito de cativar a mente e a alma das pessoas. Para curtir em termos conceituais e dançar ao mesmo tempo. Eles lançarão seu segundo álbum em shows nos dias 19 e 20/9 (quinta e sexta) às 21h30 na choperia do Sesc Pompeia.

A banda reuniu músicos que tinham em comum o fato de atuarem com frequência no estúdio Traquitana, situado no tradicional bairro paulistano do Bixiga, mais precisamente na avenida Treze de Maio, 70 (daí o nome de batismo da turma). Eles participaram, juntos ou não, de projetos ao lado de artistas como Junio Barreto, Anelis Assumpção, Leo Cavalcanti e as bandas Funk Como Le Gusta e Black Rio, entre outros.

Esse timaço tem como integrantes Décio 7 (bateria), Marcelo Dworecki (baixo), Mauricio Fleury (teclados e guitarra), Cris Scabello (guitarra), Rômulo Nardes (percussão), Gustavo Cék (percussão), Cuca Ferreira (sax barítono), Daniel Nogueira (sax tenor), Douglas Antunes (trombone) e Daniel Gralha (trompete). Eles fundem música africana, latina, brasileira etc e tocam músicas próprias e de autores como Luis Gonzaga, Pedro Santos e Os Tincoãs.

O repertório do show trará músicas do novo trabalho, entre as quais Deixa a Gira Girá, Ocupai, Kalimba, 5 Esquinas e Kriptonita, entre outras, além de algumas do trabalho de estreia, lançado em 2011 e também batizado com o nome da banda. Você pode adquirir os trabalhos nos formatos digital, CD e vinil, e também conferir esses sons bacanas no site deles, www.bixiga70.com , ou nas redes sociais tipo Facebook.

Ouça Deixa a Gira Girar (ao vivo) com o Bixiga 70:

Ratos de Porão tocam no Clash Club

Por Fabian Chacur

João Gordo se tornou tão conhecido como apresentador de TV que muita gente se esquece de o quanto ele é bom como cantor de punk rock. Uma boa oportunidade de se reavaliar esse talento roqueiro será neste sábado (14) a partir das 19h no Clash Club, quando os lendários Ratos de Porão irão se apresentar ao vivo. A abertura ficará a cargo das bandas Andralls e Executer.

Com mais de 30 anos de estradas, o Ratos de Porão mantém dois integrantes de sua formação clássica, o vocalista João Gordo e o guitarrista Jão, com o time sendo atualmente completado por Juninho (baixo) e Boca (bateria). Do início no punk rock básico, o grupo aos poucos passou a investir no crossover com o heavy metal e o hardcore, gerando uma sonoridade agressiva e personalizada que os consolidou no cenário do rock brasileiro.

O repertório do show de João Gordo e sua turma dará uma geral em seus principais hits underground, entre os quais Crucificados Pelo Sistema, Beber Até Morrer e Aids Pop Repressão, entre muitos outros. Tomara que o quarteto volte a se apresentar ao vivo com mais frequência, o que os fãs do rock brasileiro certamente agradecerão.

O Clash Club fica na rua Barra Funda, 969- Barra Funda, com ingressos a R$ 30 (antecipado) e R$ 40 (na porta, no dia do show). Informações: (0xx11) 3661-1500 e www.clashclub.com.br .

Veja Beber Até Morrer, ao vivo, nos anos 80:

Grant Hart,ex-Husker Du, tocará em SP!

Por Fabian Chacur

Nem bem havia me recuperado da notícia de que Bob Mould tocará no Brasil em outubro (leia aqui), e tome uma nova bomba: outro integrante do Husker Du também estará em nosso país, e ainda mais cedo! Trata-se de Grant Hart, ex-baterista e vocalista da seminal banda americana. E melhor: seu show será gratuito, e vai rolar no dia 15 de setembro às 18h na Galeria Olido- Sala Olido (SP), do lado da Galeria do Rock. Totalmente imperdível. O show faz parte do evento Mês da Cultura Independente, da Secretaria Municipal de Cultura de SP.

Grant Hart nasceu em 18 de março de 1961 e criou o Husker Du ao lado dos amigos Bob Mould e Greg Norton (baixo) em 1979. Embora baterista de um power trio, ele dividia os vocais com Mould, o guitarrista, com um timbre um pouco mais melódico do que o do parceiro. Um era a contrapartida do outro, e a soma dessas duas forças gerou uma banda excepcional.

Durante sua carreira, o Husker Du conseguiu misturar com rara qualidade a energia do punk hardcore com o psicodelismo, o hard rock, o folk rock e o pop, gerando desta forma uma sonoridade criativa e inovadora que influenciaria posteriormente bandas como Pixies, Nirvana, Pearl Jam e tantas outras. Álbuns como Zen Arcade (1985) e Candy Apple Grey (1986) fazem parte da discografia básica do rock.

Depois do fim do Husker Du, em 1988, Hart montou outro o trio, o Nova Mob, com o qual gravou dois álbuns, e também investiu em uma carreira solo que rendeu vários títulos, sendo o primeiro Intolerance (1989) e os mais recentes os consistentes Hot Wax (2009) e o recém-lançado The Argument (2013). Com este último, um álbum duplo, o roqueiro procurou mostrar uma abrangência musical capaz de surpreender fãs e crítica.

Vale lembrar que, desde a separação do Husker Du, Grant Hart e Bob Mould só se apresentaram ao vivo novamente em uma ocasião, em 2005, durante show beneficente em prol do baixista Karl Mueller (1963-2005), integrante da banda Soul Asylum e que na época lutava contra um câncer que acabou por vitimá-lo. Infelizmente, parece difícil um retorno do grupo, então, vale curtir as duas carreiras solo.

Ouça Don’t Wanna Know If You Are Lonely, com o Husker Du:

Ouça Shine Shine Shine, com Grant Hart, do álbum The Argument:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑