Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: sheryl crow

Sheryl Crow divulga single com Joe Walsh e lança CD em agosto

sheryl crow threads capa

Por Fabian Chacur

Acaba de ser disponibilizado nas plataformas digitais um dueto inédito de Sheryl Crow com o cantor, compositor e guitarrista dos Eagles Joe Walsh. A canção é o ótimo rock funkeado Still The Good Old Days. Trata-se da quarta faixa divulgada de Threads, novo álbum da cantora, compositora e musicista americana, cujas versões físicas e digital serão disponibilizadas no exterior no dia 30 de agosto pela Universal Music.

O álbum mostra Sheryl gravando com vários artistas do primeiro escalão da música. Prove You Wrong, outro rockão invocado (ouça aqui), traz as presenças de Stevie Nicks e Maren Morris, enquanto o blues rock Live Wire (ouça aqui) reúne a roqueira americana com as incríveis Bonnie Raitt e Mavis Staples.

A faixa restante, das já divulgadas do álbum até aqui, traz um dueto possibilitado pela tecnologia com o saudoso Johnny Cash na introspectiva balada Redemption Day (ouça a nova versão aqui), canção que ela lançou originalmente em seu álbum autointitulado de 1996. Pela qualidade das amostras, um dos melhores trabalhos de sua carreira está a caminho.

Nascida em 11 de fevereiro de 1962, Sheryl Crow gramou bastante antes de conseguir sucesso individual. Antes, foi vocalista de apoio de artistas como Eric Clapton e Michael Jackson, entre outros. Teve um álbum solo abortado em 1991, e só lançou um primeiro disco em 1993. Mas valeu a espera, pois Tuesday Night Music Club vendeu milhões de cópias e abriu de vez as portas do cenário musical para o seu rock-pop-folk-soul-country de alta qualidade.

Clipe de Still The Good Old Days– Sheryl Crow e Joe Walsh:

Sheryl Crow volta com álbum de country rock

Por Fabian Chacur

Sheryl Crow é o tipo de artista que não costuma fazer muito sucesso entre os críticos de música do Brasil. A explicação é simples. Ela não investe em modinhas musicais, escândalos ou truques indies moderninhos, apostando pura e simplesmente na velha e boa fórmula de misturar rock, country, soul e pop. E a combinação sempre dá certo, vide seu novo álbum, Feels Like Home, que marca sua estreia na Warner após duas décadas na A&M Universal Music. Bela estreia, por sinal.

Esta cantora, compositora e guitarrista/violonista americana nascida em 11 de fevereiro de 1962 teve de batalhar bastante antes de se tornar uma artista solo de sucesso. Entre outras tarefas, ela fez vocais de apoio nos anos 80 para gente como Eric Clapton, Don Henley e especialmente Michael Jackson, com quem atuou na turnê 1987/88 que divulgou o álbum Bad, e na qual ela tinha seu momento máximo ao interpretar com o Rei do Pop a balada I Just Can’t Stop Loving You. Há um DVD lançado oficialmente de Jacko no qual o dueto pode ser conferido em toda a sua sutileza pop.

Em 1991, gravou um álbum produzido pelo badalado Hugh Padgham (The Police, Phil Collins etc), mas a gravadora não gostou do que ouviu e deixou o trabalho arquivado até hoje. Sem desistir, Sheryl conseguiu ser contratada pela A&M, lançado em 1993 seu primeiro álbum solo, Tuesday Night Music Club. Após um ano mofando injustamente nas lojas, o CD enfim estourou, graças ao single All I Wanna Do, e atingiu o top 5 das paradas de todo o mundo.

Desde então, a moça não saiu mais das paradas de sucesso, lançando belos álbuns e também fazendo parcerias com artistas do gabarito de Stevie Nicks, Tony Bennett, B.B. King, Smokey Robinson, Rolling Stones (e com Mick Jagger solo também) e Luciano Pavarotti. Ótima cantora e compositora, ela se firmou também graças a seus ótimo shows, como pudemos ver em 1995 (abrindo os primeiros shows de Elton John no Brasil) e no Rock in Rio de 2001.

Em 2010, a estrela lançou 100 Miles From Memphis, no qual deu maior ênfase ao seu lado soul/blues. Desta vez, com Feels Like Home, os holofotes foram endereçados ao country rock, com direito a gravações em Nashville, a meca do estilo, com a presença de músicos locais e participações especiais de nomes bacanas como Vince Gill e Zack Brown, além do fiel parceiro Jeff Trott (guitarra e violão).

O álbum é muito bom como um todo, valendo-se dos elementos tradicionais do country e do country rock mas sem cair na banalização do uso excessivo de slide guitar e cordas. Os arranjos são consistentes e fluentes, e as 12 músicas são bem bacanas. As roqueiras Shotgun, Nobody’s Business e Best Of Times, a certeira balada country rocker Easy, as tocantes baladas Give It To Me, Homesick e Stay At Home Mother são pontos altos de um disco delicioso de se ouvir.

Feels Like Home atingiu a sétima posição em sua semana de estreia na parada pop americana e a sexta na parada country, provas de que o púbico de lá continua interessada em sua obra, que já lhe rendeu 32 indicações ao Grammy (com 9 troféus conquistados), milhões de discos vendidos e o respeito de quem entende e gosta de música boa, direta e sem frescuras. E a miudinha Sheryl Crow é ainda uma gata. Quer mais o quê?

Best Of Times – Sheryl Crow:

Easy– Sheryl Crow:

Sheryl Crow lançará álbum de música country

Por Fabian Chacur

Sheryl Crow irá lançar até o final deste ano um álbum de música country. A primeira música incluída neste trabalho já está sendo divulgada. Trata-se de Easy, que começará a ser comercializada no formato single digital nos EUA logo em março. A cantora coproduz o CD em parceria com Richard Bennett, e contará com participação do cantor e compositor Brad Paisley.

Versátil, Sheryl já trabalhou com artistas de diversos segmentos musicais, entre os quais Eric Clapton, Michael Jackson, Stevie Nicks, Keith Richards e Justin Timberlake. Sua sonoridade mistura elementos de rock, country, folk, soul e pop, entre outros estilos musicais.

Seu mais recente lançamento, 100 Miles From Memphis (2010), por exemplo, foi dedicado à soul music, misturando composições próprias inspiradas nessa sonoridade e clássicos do gênero, em resultado dos mais consistentes (leia crítica do CD aqui e do DVD ao vivo aqui).

Ela não é estranha ao meio country ianque, pois em 2002 atingiu o top 30 daquele estilo musical com a musica Picture, gravada em parceria com outra estrela do rock, o cantor, compositor e músico Kid Rock. Ela já atuou ao lado de importantes nomes da country music como Brooks & Dunn, Vince Gill, Loretta Lynn, Keith Urban e Miranda Lambert.

Com 50 anos de idade, Sheryl Crow iniciou a carreira como vocalista de apoio de artistas como Michael Jackson (participou da turnê do disco Bad-1987). A estrela lançou seu primeiro disco solo, o aclamado Tuesday Night Music Club, em 1993, e a partir do estouro da faixa All I Wanna Do, destaque daquele álbum, firmou-se com força no cenário pop.

A cantora, compositora e guitarrista americana tocou no Brasil pela primeira vez em 1995, abrindo shows de Elton John, e depois no Rock in Rio, em 2001, com performances elogiáveis. Seu talento é dos mais consistentes, pois a moça compôe, canta e toca muito, mas muito bem mesmo. Se eu sou fã dela? Adivinhão, adivinhão…

Ouça Easy, a nova música de Sheryl Crow:

Sheryl Crow lança ótimo CD com tempero soul

Por Fabian Chacur

Há algumas semanas, a distribuidora ST2 lançou no Brasil o DVD Miles From Memphis Live At The Pantages Theatre, da cantora americana Sheryl Crow.Tomei um susto, pois se tratava do registro de um show de divulgação de um CD que eu desconhecia.

Acompanho a carreira dessa talentosa cantora, compositora e guitarrista desde que seu primeiro álbum, Tuesday Night Music Club saiu no Brasil, em 1994. Desde então, todos os seus discos de carreira saíram por aqui.

Fui conferir e 100 Miles From Memphis (2010) não teve edição brasileira. A gravadora Universal Music, que detém os direitos sobre a discografia completa da moça, por alguma razão desconhecida deixou esse trabalho de fora de seu catálogo de lançamentos.

Um fato estranho especialmente se levarmos em conta que todos os outros saíram, e que a estrela do rock sempre teve boas vendas em nosso país, onde se apresentou ao vivo em 1995 e 2001. E esse trabalho atingiu o terceiro posto na parada americana, prova de que não se trata de um álbum fracassado ou coisa que o valha.

Curioso, fui atrás da versão importada de 100 Miles From Memphis, em belíssima embalagem digipack no melhor estilo capa de LP duplo de antigamente. Já me ganhou antes mesmo de ouvi-lo.

Mas o melhor ainda estava por vir. O mais recente trabalho de Sheryl partiu do seguinte conceito: repertório predominantemente composto por canções inéditas, todas inspiradas na sonoridade da soul music dos anos 60/70.

Ou seja, com direito a sessão afiada de metais, o duo baixo/bateria extremamente swingado, guitarras rítmicas bem acentuadas, vocais de apoio poderosos e melodias emotivas, cativantes e ora doces, ora agressivas.

O resultado não poderia ter sido melhor. Ao contrário da opção mais óbvia, que seria escolher clássicos daquele período e regravá-los pela culionésima vez, a roqueira preferiu tentar incorporar o espírito daquela era de ouro da black music em novas criações. E acertou no alvo.

Apenas três faixas são releituras, e curiosamente só uma se encaixa no perfil “classic soul”, e ainda assim como faixa bônus. Trata-se de I Want You Back, primeiro sucesso do Jackson Five, homenagem feita por Sheryl a Michael Jackson, de quem foi backing vocalista na turnê Bad, nos anos 80. Ficou de arrepiar.

As outras duas são a introspectiva balada blues Sideways, de Clarence Copeland Greenwood, e a contundente Sign Your Name, hit em 1987 com o autor, o revivalista da soul music Terence Trent D’Arby. Ambas ficaram ótimas, sendo que a segunda conta com participação de Justin Timberlake.

E já que o assunto é participação especial, Keith Richards toca guitarra e participa dos vocais de apoio da quase reggae Eye To Eye.

O álbum flui com elegância, sensibilidade e um repertório impecável, no qual destaco a fantástica Summer Day, com sua levada cool e envolvente, a folk soul Long Road Home, a swingada Say What You Want, a baladona Stop e a estupenda faixa título.

100 Miles From Memphis atingiu tal grau de excelência graças também aos músicos que tocaram nele, incluindo o brilhante guitarrista, cantor e compositor Doyle Bramhall II, que toca há muito tempo com Sheryl e é o coautor de diversas faixas deste CD.

Este disco, além de ser um dos melhores da excelente discografia de Sheryl Crow, é a prova concreta de que é possível pegar um estilo fortemente ligado a uma era específica e atualizá-lo sem cair na caricatura.

E já aproveito para cumprimentar de forma antecipada Sheryl Crow, que no dia 11 deste mês entrará para o time das cinquentonas, aparentando uns 20 anos a menos e artisticamente mais relevante do que nunca.

Veja o clipe de Summer Day, com Sheryl Crow:

Sheryl Crow lança brilhante DVD ao vivo

Por Fabian Chacur

Sheryl Crow penou bastante até conseguir abrir espaços para sua carreira como cantora e compositora.

Antes de lançar, já aos 31 anos, seu primeiro álbum solo, a moça teve de cantar em bares e integrar as bandas de apoio de Eric Clapton e Michael Jackson, entre outros, para conseguir sobreviver.

Em 1993, saiu seu disco de estreia, Tuesday Night Music Club, que demorou um ano para estourar. Mas valeu a espera.

Desde então, ela se consolidou como uma das mais talentosas artistas no setor do rock, country rock, folk e pop, emplacando hits como All I Wanna Do, My Favorite Mistake e Soak Up The Sun, entre outros.

Se seus discos costumam ser muito bacanas, ao vivo a baixinha gatinha manda bala, como tivemos a oportunidade de conferir em 1995, quando ela abriu os shows de Elton John, e em 2001, no Rock in Rio.

Como forma de divulgar seu mais recente álbum, 100 Miles From Memphis, no qual gravou músicas inspiradas na soul music e no funk de raiz, ela realizou em novembro de 2010 um show no belíssimo Pantages Theatre, nos EUA.

O registro desse show com altíssima qualidade técnica gerou o DVD Miles From Memphis Live At The Pantages Theatre, lançado agora no Brasil pela ST2.

Acompanhada por uma banda afiadíssima, Sheryl mergulha no repertório do novo álbum, sem se esquecer de nos proporcionar energéticas versões de alguns de seus maiores sucessos.

As músicas mais recentes são ótimas, entre as quais Our Love Is Fading, enquantos os clássicos voltam reenergizados, entre os quais Soak Up The Sun, A Change Would Do You Good e I Shall Believe.

A releitura de All I Wanna Do, unida de forma espetacular em forma de pot-pourry com Got To Give It Up, clássico disco de Marvin Gaye, já vale o DVD, assim como a vibrante versão de I Want You Back, do Jackson 5, que ela dedica ao antigo patrão.

Durante o decorrer do show, fica claro o quanto a voz de Sheryl Crow está afiada e potente, além de seu carisma em cena permanecer intacto. Miles From Memphis Live At The Pantages Theatre é a prova de que essa moça deveria ser muito mais cultuada do que é.

Veja o clipe de Soak Up The Sun:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑