Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: show (page 1 of 37)

Marcelo Quintanilha mostra CD Caju em Santo André-SP

Marcelo Quintanilha - Foto Patricia Ribeiro 02-400x

Por Fabian Chacur

Cazuza nos deixou em 1990, mas o poder de sedução e encantamento de sua obra se mostra mais forte do que nunca. Isso explica as releituras de suas eternas canções. O cantor Marcelo Quintanilha mergulhou nesse universo com o CD Caju- Canções de Cazuza, cujo repertório ele mostra em show em Santo André (SP) neste sábado (21) às 20h no Teatro do Sesc Santo André (rua Tamarutaca, nº 302- Vila Guiomar- fone 0xx11-4469-1200), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Quintanilha, que também é músico e compositor, terá a seu lado uma banda afiada composta pelo incrível Rogério Rochlitz (teclados e programações, saiba mais sobre ele aqui), Simon Abbud (guitarra e violões), Danilo Viana (baixo acústico) e Peu Del Rei (guitarra). Os arranjos musicais, exceto o de Faz Parte do Meu Show, de Xinho Rodrigues, foram feitos por Quintanilha em parceria com o maestro Rodrigo Petreca, produtor do álbum.

O CD reúne 11 clássicos do repertório de Cazuza, entre os quais Blues da Piedade, Um Trem Pras Estrelas, Pro Dia Nascer Feliz , Ideologia e Exagerado, e também uma composição de Marcelo Quintanilha intitulada Caju, uma bela homenagem ao ex-cantor do Barão Vermelho e um dos maiores nomes da história do rock brasileiro.

Com mais de 25 anos de carreira, Marcelo Quintanilha tem em seu currículo dez álbuns, entre os quais Pierrot & Colombina (2006), gravado em parceria com a sua esposa, a cantora e compositora Vânia Abreu. Suas canções já foram gravadas por nomes famosos do universo musical brasileiro, como Nando Reis, Daniela Mercury (irmã de Vânia), Belô Veloso e o Padre Fábio de Melo, entre outros.

Caju- Canções de Cazuza- Marcelo Quintanilha (streaming):

Rafa Castro lança Fronteira e faz um show em São Paulo

Rafa Castro - Foto Lorena Dini 2018 HZ (3)-400x

Por Fabian Chacur

Com menos de dez anos de carreira, o pianista, compositor e cantor mineiro Rafa Castro já possui um currículos bastante respeitável. Radicado em São Paulo há um ano, ele mostra o resultado dessa sua nova fase com o CD Fronteira. O lançamento do álbum será em sua atual cidade, com show nesta quinta (5) às 20h no Teatro Unibes (rua Oscar Freire, nº 2.500- fone 0xx11-3065-4333), com ingressos a R$ 20,00(meia) e R$ 40,00 (inteira).

No caso específico de Rafa e deste trabalho, a palavra fronteira significa uma junção que une o que está separado para tornar algo novo. “Fronteira é um momento de descobrimento, no qual trago a carga afetiva das minhas influências; consegui juntar dois pilares, a ‘música de Minas’ e meu trabalho de trilhas sonoras, num trabalho que faz sentido para mim”, define o artista. Marcam presença no CD artistas como Monica Salmaso, Teco Cardoso, Léa Freire e Neymar Dias, bons amigos dessa sua nova fase paulistana.

Nascido em São João Nepomuceno (MG), Rafa inicialmente descobriu o prazer de tocar um instrumento musical através do violão. O piano só entrou em sua vida aos 19 anos, mas com força suficiente para se tornar seu pilar criativo e profissional a partir daquele momento. Ele estudou na Universidade de Música Popular Bituca (Barbacena-MG), e depois mergulhou de vez na profissão com força total.

Rafa Castro é autor de trilhas sonoras para cinema (Cacos de Vitral-2015 e Modorra-2016) e teatro. Ele também gravou o DVD/CD Teias (2013) em parceria com o consagrado tecladista mineiro Túlio Mourão, conhecido por suas trilhas para o cinema e com Milton Nascimento. Túlio é só elogios para com ele. “Fiquei impressionado com a jovialidade e o destemor tanto harmônico como melódico dele”, comenta o músico.

Além de músicas de Fronteira, o show desta quinta-feira também trará releituras de músicas de Milton Nascimento (Vera Cruz), Caetano Veloso (O Quereres) e Lô Borges (Trem Azul), entre outros. Ele terá a seu lado uma banda composta por Vinícius Gomes (guitarra), Igor Pinheiro (baixo) e Gabriel Alterio (bateria).

Fronteira (clipe)- Rafa Castro:

Nenhum de Nós mostra o seu novo EP com um show no Rio

nenhum de nos by Raul Krebs BX-400x

Por Fabian Chacur

Dos bem-sucedidos grupos brasileiros de rock surgidos na década de 1980, o Nenhum de Nós sempre se mostrou o mais aberto a se valer de influências e parcerias com os outros países latino-americanos, especialmente Argentina e Uruguai. E este último é o mote de seu novo lançamento, o EP Doble Chapa, lançado em formato físico e digital pelo selo Imã Records. Eles tocam no Rio de Janeiro nesta sexta (29) às 21h no Imperator- Centro Cultural João Nogueira (rua Dias da Cruz, nº 170- Meier- fone 0xx21-2597-3897), com ingressos a R$ 25,00 e R$ 50,00.

Doble Chapa é uma expressão usada para denominar quem vive na fronteira gaúcha perto do Uruguai. A banda gaúcha formada por Thedy Corrêa (vocal e violão), Veco Marques (guitarra e violão), Carlos Stein (guitarra e violão), João Vicenti (teclados e acordeon), e Sady Homrich (bateria) resolveu nomear seu novo EP assim pelo interesse que tem nessa troca de informações musicais e culturais com aquele país.

“Fronteiras podem ser legais na medida que abrigam iniciativas culturais marcadas por peculiaridades; misturar estas particularidades para gerar algo novo é o tom desse nosso novo trabalho”, explica Carlos Stein.

O EP traz cinco faixas, todas não menos do que ótimas, sendo que o delicioso rock melódico Uma Vida Ordinária aparece em duas versões, em castelhano e português, ambas com a participação especial de Fede Lima, líder do grupo uruguaio Socio, um dos mais badalados da cena roqueira daquele país. Na bela balada com veia psicodélica Fã de Faith No More, temos outra convidada bem bacana, a ótima cantora uruguaia Lucía Ferreira, da também incensada banda La Tabaré.

A balançada O Aprendiz conta com as rimas espertas do rapper gaúcho Marck B, enquanto Despliega conta com uma levada dançante e percussão latina. A edição física de Doble Chapa é no capricho, com capa dupla digipack de papelão e encarte com letras e ficha técnica.

Além das novidades do novo disco, o grupo, que também conta com a participação do músico convidado Estevão Camargo (baixo e vocais), dará uma geral em seus inúmeros sucessos desses 31 anos de carreira, entre os quais Camila Camila, Sobre o Tempo, Vou Deixar Que Você Se Vá e Você Vai Lembrar, só para citar alguns. Shows dessa banda são sempre altamente recomendáveis para os fãs de um rock melódico com influências folk e latinas e letras inteligentes e sensíveis.

Uma Vida Ordinária (clipe)- Nenhum de Nós:


Paulinho Moska volta a tocar com banda em Sampa no Sesc

Moska - SESC PINHEIROS Credito Flora Negri (6)-400x

Por Fabian Chacur

Durante três anos, Paulinho Moska apresentou com sucesso o show totalmente solo Violoz- Moska, Violão e Voz. Desta vez, o cantor, compositor e músico carioca volta a ter músicos a seu lado em um novo espetáculo, Moska e Banda, que chega a São Paulo neste sábado (23) às 21h e domingo (24) às 18h no Teatro Paulo Autran do Sesc Pinheiros (Rua Paes Leme, nº 195- Pinheiros- fone 0xx11-3095-9400), com ingressos de R$ 15,00 a R$ 50,00.

Com quatro músicos a seu lado, Moska investirá em um formato mais próximo do pop-rock. O repertório trará vários de seus maiores hits, entre os quais Pensando em Você, A Seta e o Alvo, A Idade do Céu, Somente Nela e Namora Comigo. Ele também apresentará canções inéditas que está preparando para um próximo lançamento, como Que Beleza a Beleza, O Jeito é Não Ficar Só e Bem Na Mira.

Moska comemora com esse novo show 25 anos de uma carreira-solo iniciada em 1993 com o álbum Vontade. Ele atualmente comemora a ótima repercussão que seu mais recente single, Minha Lágrima Salta, está conseguindo como um dos temas da novela global destinada ao público adolescente Malhação Vidas Brasileiras.

Com 50 anos de idade, Paulinho Moska iniciou sua carreira integrando os grupos Garganta Profunda e Inimigos do Rei, lançando entre 1986 e 1990 dois álbuns com cada um deles. Depois, partiu para a carreira-solo, lançando mais de dez álbuns e também um em dupla com o argentino Fito Paes (Locura Total, de 2015). Versátil, ele também apresenta desde 2006 o programa Zoombido no Canal Brasil e atua como ator.

Minha Lágrima Salta– Paulinho Moska:

Cibele Codonho lança seu 1º CD solo com um show em SP

cibele codonho by marco aurelio olimpio-400x

Por Fabian Chacur

Cibele Codonho estreou em disco em 1998 com Vocalise, integrando ao lado de Leni Requena e Solange Codonho o grupo vocal A Três. Em 2005, foi a vez de gravar em parceria com Filó Machado Tom Brasileiro, álbum no qual releram canções de Tom Jobim. Desta vez, esta talentosa cantora paulistana nos oferece o primeiro CD solo, Afinidade, que será lançado em São Paulo com show no dia 21 (quinta-feira) às 21h no Sesc Pompeia (rua Clélia, nº 93- Pompeia- fone 0xx11-3871-7700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

Afinidade é uma verdadeira aula de, digamos assim, “brazilian jazz”, pois traz um repertório de 12 músicas assinadas por grandes compositores brasileiros, como João Bosco, Aldyr Blanc, Milton Nascimento, Edu Lobo, Paulo Cesar Pinheiro, Johnny Alf e João Donato, vestidas em envolventes arranjos sofisticados e de inspirado tempero jazzístico. Cibele se vale dessa roupagem sonora para desfilar com sua bela e afinada voz aguda, em resultado impecável.

O álbum tem convidados especiais como o amigo Filó Machado, o cantor americano Mark Kibble (líder do célebre grupo vocal Take 6), o baterista americano Lewis Nash, o guitarrista Natan Marques, o saxofonista Roberto Sion, o pianista Michel Freidenson e o baixista Sizão Machado, além de uma afiada banda base comandada por Pichu Borrelli, que também se incumbiu com classe de teclados e arranjos.

O repertório traz maravilhas do naipe de Casa de Marimbondo, Coisas da Vida, A Paz, Mamãe Natureza, Vento Bravo, Love Dance/Lembrança e Amado. Além das canções do CD, também teremos no show Desafinado e Resposta ao Tempo. A banda será composta por Pichu Borrelli (direção musical, piano e arranjos), Sidiel Vieira (baixo), Fabio Canella (bateria) e Danilo Silva (guitarra), com participações especiais de Filó Machado (violão), Léa Freire (flauta) e Carlinhos Antunes (korah n’goni).

Love Dance/Lembrança-Cibele Codonho e Mark Kibble:

Feras do rock brasileiro serão a atração de show em Sampa

rock connection rio sampa-400x

Por Fabian Chacur

O formato é atrativo e costuma dar sempre certo. Reúna nomes bacanas de um estilo musical, monte uma banda e invista em um repertório com alguns dos grandes hits dos artistas envolvidos. É esse o mote de Rock Connection Rio-Sampa, show que será realizado em São Paulo nesta quinta (7) às 22h30 no Bourbon Street (rua dos Chanés, nº 127- Moema- fone 0xx11-5095-6100), com couvert artístico a R$ 75,00. O time reunido é bem bacana.

Arnaldo Brandão (baixo e vocal) tocou na banda de Caetano Veloso nos anos 1970 e 1980 e teve grande destaque nos grupos Brylho e Hanói Hanói. George Israel (vocal e sax) integrou o Kid Abelha, enquanto Guto Goffi (bateria) continua pilotando as baquetas do Barão Vermelho. Os cariocas trazem consigo o talentoso guitarrista Guilherme Schwab para incrementar essa parceria bem bacana.

De São Paulo, estão escalados Kiko Zambianchi (guitarra e vocal), dono de uma respeitável carreira solo, e o lendário Luis Sérgio Carlini (guitarra e vocal), parceiro de Rita Lee na banda Tutti Frutti e também conhecido por seus trabalhos ao lado de gente do porte de Erasmo Carlos e Guilherme Arantes, só para citar alguns nomes.

O show, que poderá ter convidados surpresa em seu desenrolar, terá no seu set list clássicos do rock brasileiro como Rádio Blá (Hanói Hanói e Lobão), Eu Tive Um Sonho (Kid Abelha), A Noite do Prazer (Brylho), Puro Êxtase (Barão Vermelho), Primeiros Erros (Kiko Zambianchi e Capital Inicial) e Rolam as Pedras (Kiko Zambianchi). Citando os versos de uma dessas músicas citadas, “a noite vai ser boa, de tudo vai rolar”…

Rádio Blá– Hanoi Hanoi:

Cantora Naiá mostra seu pop eletrônico no Teatro Itália-SP

naia cantora-400x

Por Fabian Chacur

O pop eletrônico é uma das correntes musicais mais seguidas na música atual. A jovem cantora e compositora paulistana Naiá tenta se firmar nessa cena, e mostra bastante potencial para conseguir atingir esse cobiçado objetivo. Ela se apresenta em São Paulo nesta segunda (28) às 21h no Teatro Itália (avenida Ipiranga, nº 344- República- fone 0xx11-3120-6945, com ingressos a R$ 10,00.

A música faz parte desde sempre do cotidiano de Naiá. Ela começou a estudar canto erudito aos 16 anos. Posteriormente, morou na Inglaterra, onde aproveitou para aperfeiçoar seus estudos de canto, piano e sax. De quebra, ainda se formou em artes cênicas e também em economia. Ela busca se valer da técnica e da postura erudita para abordar o canto popular como um diferencial.

No show, ela será acompanhada por Raphael Coelho (percussão), China (percussão), André Cortada (guitarra e piano) e Edu Freitas (baixo). No repertório, composições próprias e de autores como Caetano Veloso, Marina Lima e Cazuza. Desde último, teremos Ideologia, que a cantora releu de forma eletrônica e bem original e cuja divulgação está sendo feita por um clipe envolvente, com cenas urbanas e teatrais.

Ideologia (clipe)- Naiá:

Banda Marrakesh mostra seu primeiro álbum em São Paulo

marrakesh banda-400x

Por Fabian Chacur

Ao contrário do que alguns eternos apressadinhos adoram repetir mundo afora, o rock não só não morreu como continua por aí, firme e forte. Um bom exemplo brasileiro é a banda curitibana Marrakesh. Na ativa desde 2014, mostra um som melódico, ora etéreo, ora mais ardido, e com muita qualidade. Eles mostram seu primeiro álbum, Cold As Kitchen Floor, lançado pelo selo Balaclava Records, em show nesta terça (22) a partir das 19h no Void General Store SP (rua Martin Carrasco, nº 56- Pinheiros- fone 0xx11-3031-088), com entrada livre.

A atual formação do grupo de Curitiba (PR) traz Bruno Tubino Czarnobay (guitarra e vocal), Lucas Cavallin (guitarra e vocal), Matheus Castella (bateria), Nicholas Novak (baixo) e Thomas Volobodo Berti (synths e beats). Seu primeiro lançamento ocorreu em 2016, o EP Vassiliki, do qual se destaca a faixa Sheer Night. Eles também releram de forma surpreendente Canto de Ossanha, clássico de Baden Powell e Vinícius de Moraes e rara incursão deles por uma música em português.

Cold As Kitchen Floor traz 12 faixas e já está disponível nos serviços de streaming. A faixa Moonhealing está sendo divulgada por um clipe muito interessante dirigido por Fernando Moreira. Também estão na programação desta terça (22) da Void General Store SP o duo português Ermo e o DJ S4v4n4. A banda Marrakesh, que tocou em 2017 em Barcelona, Espanha, voltará a se apresentar em São Paulo neste sábado (26) no festival XXXBórnival, que será realizado na casa de shows Áudio.

Moonhealing (clipe)- Mahakesh:

Caetano e filhos lançam o seu CD/DVD Ofertório em Sampa

imagem_release_1286667-400x

Por Fabian Chacur

Ofertório é o título de uma canção de Caetano Veloso lançada originalmente em 1997 que foi escolhida como o título do DVD/CD que o genial cantor, compositor e músico baiano gravou ao vivo com os filhos Moreno, Zeca e Tom. Esse trabalho será lançado nacionalmente em shows em São Paulo nos dias 25 e 26 de maio (sexta e sábado) às 22h30 no Espaço das Américas (rua Tagipuru, nº 795-Barra Funda- fone 0xx11-2027-0777), com ingressos de R$ 70,00 a R$ 380,00.

O show dá prosseguimento à turnê intitulada Caetano Moreno Zeca Tom Veloso, iniciada no Rio em outubro de 2017 e que deu origem a Ofertório. No palco, temos apenas o autor de Sampa e seus três filhos, sendo que o patriarca toca violão e canta, enquanto o resto da prole também canta e investe em violões e outros instrumentos.

O repertório traz clássicos de Caetano, como O Seu Amor, O Leãozinho, A Tua Presença Morena e Reconvexo, canções conhecidas de autoria de Moreno como Um Passo à Frente e How Beautiful Could a Being Be e também músicas de autoria de Zeca e Tom, com direito a algumas inéditas escritas pelos quatro autores.

Em texto promocional, Caetano justifica o projeto: “Há muito tempo tenho vontade de fazer música junto a meus filhos publicamente. Desde a infância de cada um deles gosto de ficar perto. Cada um é um. Sempre cantei para eles dormirem. Moreno e Zeca gostavam. Tom me pedia para parar de cantar. Indo por caminhos diferentes, todos se aproximaram da música a partir de um momento da vida. Quero cantar com eles pelo que isso representa de celebração e alegria, sem dar importância ao sentido social da herança”.

O Seu Amor (ao vivo)- Caetano, Moreno, Zeca e Tom:

Jane Morais e bossa nova em um show na Virada Cultural

Jane Morais - Foto Divulgacao-400x

Por Fabian Chacur

Se você é daqueles que só conhece Jane Morais por sua atuação na deliciosa dupla cult Jane & Herondy, do eterno hit Não Se Vá, não sabe da missa nem a metade. A cantora paulista também possui uma belíssima história como cantora de bossa nova e MPB. E é esse lado de sua trajetória que ela mostrará ao público neste domingo (20) ao meio-dia na Sala Olido (avenida São João, nº 473- Centro- fone 0xx11-3331-8399), com entrada gratuita, em show que integra a Virada Cultura 2018.

Jane começou sua carreira ainda criança, atuando em rádio e TV. Nos anos 1960, criou o trio Os Três Morais ao lado dos irmãos Sidney e Roberto, dedicando-se à bossa nova e à então emergente MPB. Além de participar dos principais festivas da canção da época, o grupo também gravou e fez shows com artistas do porte de Baden Powell, Eduardo Gudin, Chico Buarque, Johnny Alf, Tom Zé e Egberto Gismonti, entre outros, com grandes elogios de público e crítica.

Com Açúcar Com Afeto, sucesso lançado por Chico Buarque em 1967, conta com a voz de Jane, em dueto que invadiu as paradas de sucesso. Em seu show na Sala Olido, a ótima e simpática interprete promete mostrar belas canções de MPB e bossa e também contar deliciosas histórias daqueles anos de ouro da nossa música popular, nos quais também cantou em badalados bares e casas noturnas.

Com Açúcar, Com Afeto– Chico Buarque e Jane Moraes:

Older posts

© 2018 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑