Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: show (page 2 of 42)

Léa Freire e Amilton Godoy em show com a Orquestra Jovem TJ

Amilton Godoy e Léa Freire AMT 362 foto de Paulo Rapoport-400x

Por Fabian Chacur

A parceria entre os consagrados e talentosos músicos Amilton Godoy e Léa Freire é das mais prolíficas, sempre rendendo novos e suculentos frutos. Os mais recentes serão oferecidos ao público paulistano nesta sexta (22) às 20h e domingo (24) às 11h no Theatro São Pedro (rua Barra Funda, nª 171- Barra Funda- fone 0xx11-3661-6600), com ingressos a R$ 20,00. Eles farão os shows com a Orquestra Jovem Tom Jobim, criada em 2001 e especializada em releituras instrumentais de clássicos da nossa música. Além de acompanhar a dupla, a orquestra também interpretará composições de Milton Nascimento, Tom Jobim e Vinícius de Moraes. A regência ficará a cargo do maestro Tiago Costa.

Léa e Amilton já lançaram dois elogiados CDs, Amilton Godoy e a música de Léa Freire (2013) e A Mil Tons (2017). Leia mais sobre a parceria dos dois aqui.

O nome do pianista, compositor e produtor Amilton Godoy entrou com força no cenário musical durante a primeira metada da década de 1960, como integrante do Zimbo Trio. Este combo foi certamente um dos mais importantes, influentes e bem-sucedidos da história da música instrumental brasileira, além de também ter acompanhado diversos artistas, entre os quais Elis Regina. Além disso, ele também criou em São Paulo a importante escola de música CLAM, e atualmente investe no trabalho com o seu Amilton Godoy Trio.

Por sua vez, a flautista, compositora e produtora Léa Freire possui um currículo recheado, com direito a uma discografia solo que teve início em 1997 com o CD Ninhal e também inclui trabalhos com o grupo Vento em Madeira. Ela compôs com a consagrada cantora, compositora e violonista Joyce Moreno músicas como Casa da Sogra, Cruzes e Frevo, e de quebra ainda criou o selo Maritaca, que nos últimos 22 anos lançou mais de 25 títulos (leia mais sobre a Maritaca aqui).

Choro (ao vivo)- Léa Freire e Amilton Godoy:

Tony Babalu fará dois shows gratuitos na Sala Olido (SP)

tony-babalu-400x

Por Fabian Chacur

Quem curte rock instrumental de primeiríssima linha terá duas boas oportunidades de conferir ao vivo um dos craques dessa praia no Brasil. O guitarrista, compositor e produtor Tony Babalu fará duas apresentações gratuitas em São Paulo no Centro Cultural Olido- Sala Olido (avenida São João, nª 473- Centro- fone 0xx11-2899-7370). Os shows serão nas duas próximas sextas-feiras, respectivamente dias 15 e 22, sempre às 19h. Um baita de um programa para os fãs de boa música, ainda mais por esse preço…

Babalu terá a seu lado os afiadíssimos Adriano Augusto (teclados) e Leandro Gusman (baixo) e uma novidade na banda que o tem acompanhado nos últimos tempos, o experiente Claudio Tchernev (bateria), com um currículo respeitável e repleto de trabalhos ao lado dos Mutantes, Cláudio Zoli, Chico Cesar, Elba Ramalho e muitos outros, além de ser professor de música.

No repertório, teremos basicamente músicas dos ótimos e mais recentes CDs do artista, Live Sessions At Mosh (2014) e Live Sessions II (2017), trabalhos gravados ao vivo no lendário estúdio Mosh, em São Paulo, nos quais o músico mostra sua fusão de rock, blues, black music e jazz. Babalu é um estilista da guitarra, tocando de forma classuda e inspirada. Leia mais sobre ele e seus impecáveis trabalhos em mais de 40 anos de carreira aqui.

Veia Latina (ao vivo)- Tony Babalu:

Paula Santisteban lança seu CD de estreia com show em Sampa

Paula Santisteban por Bob Wolfenson 400x

Por Fabian Chacur

Independente de sua qualidade artística, o álbum de estreia da cantora e compositora Paula Santisteban já nasceu histórico, por ter sido o último produzido pelo saudoso Carlos Eduardo Miranda. Felizmente, este lançamento em belíssima versão física (CD) e também nas plataformas digitais vai além desse fato, com um repertório belíssimo defendido com galhardia por essa ótima artista. Ela faz o show de lançamento em São Paulo neste sábado (9) às 21h no Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nª 1.000- Belenzinhop- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00.

A cantora e compositora terá a seu lado neste show o auxílio luxuoso de uma banda formada por Eduardo Bologna (guitarra e direção musical), Eric Budney (baixo), Daniel de Paula (bateria), Marcos Romera (teclados), Grazi Rodrigues (violino), Irina Kodin (violino), Emerson Di Biaggi (viola), Vana Bock (violoncelo), Nahor Gomes (trompete), Paulinho Malheiros (trombone), Daniel Allain (flauta e sax alto) e Ed Côrtes (sax tenor, sax barítono e clarinete).

Entre as 10 faixas incluídas no álbum, lançado pela Warner Music Brasil, temos cinco composições de Paulo Santisteban em parceria com Eduardo Bolonha, duas só de Bolonha e uma, cada, de Tim Bernardes, Tchello Palma e Fabio Góes.

São canções delicadas, sutis e com um clima interiorizado e urbano, bem ilustrado pelas belas fotos incluídas no encarte do CD que trazem Paula em várias locações na região da icônica Avenida Paulista feitas pelo consagrado fotógrafo Bob Wolfenson. As Janelas da Cidade, Frágil, Meu Silêncio e Estranho são destaques de um trabalho consistente e tocante. Veja o making of aqui.

Além do repertório do álbum, o set list trará, entre outras, releituras personalizadas de Better Be Quiet Now (Elliot Smith), De Tanto Amor (Roberto e Erasmo Carlos) e Um Girassol da Cor do Seu Cabelo (Lô e Márcio Borges).

As Janelas da Cidade (lyric video)– Paula Santisteban:

Nós do Rock Rural reúne feras do folk brasileiro com show em SP

Nós do Rock Rural. Foto - Ernane Galvão-400x

Por Fabian Chacur

Há aproximadamente dois anos, alguns dos mais expressivos músicos do rock rural ou folk à brasileira começaram a se reunir para shows realizados em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, com formações variáveis. A repercussão foi tão boa que gerou o CD Nós do Rock Rural, gravado ao vivo há um ano no Sesc Vila Mariana (SP). O espetáculo de lançamento em São Paulo do álbum que leva o selo Kuarup será realizado neste domingo (17) às 18h no Sesc Pinheiros- Teatro Paulo Autran (rua Paes Leme, nª 195- Pinheiros- fone 0xx11-3095-9400), com ingressos de R$ 12,00 a R$ 40,00.

O time escalado para este trabalho é dos mais representativos dessa sonoridade pontuada por violões, vocalizações espertas, violas aqui e ali, influências do som rural e da country music e com guitarras dando o tempero esperto final. Tavito, por exemplo, integrou o célebre grupo Som Imaginário e colaborou com os artistas do Clube da Esquina, além de ter desenvolvido uma bela carreira solo. É um dos melhores arranjadores de vocalizações do país, tendo feito isso em discos importantes de grandes nomes da música brasileira.

Guarabyra, integrando o trio Sá, Rodrix & Guarabyra e depois uma dupla com Sá, é um dos pioneiros do rock rural no Brasil, emplacando sucessos eternos do porte de Primeira Canção da Estrada, Sobradinho (cuja letra infelizmente é mais atual do que nunca, mais de 40 anos após seu lançamento), Dona, Espanhola e tantas outros clássicos eternos da nossa música popular.

Por sua vez, Zé Geraldo é o mais influenciado por Bob Dylan e Raul Seixas da turma, com um trabalho que comporta rock, country, folk e o que mais vier, capaz de nos proporcionar maravilhas do porte de Milho aos Pombos, Cidadão, Como Diria Raulzito, Senhorita e dezenas de outros, que seus fãs fieis cantam com ele a plenos pulmões, a cada novo show pelo Brasil afora.

Fortemente influenciados por esses três, Tuia e Ricardo Vignini completam com categoria o quinteto. Tuia Lencioni, com mais de 20 anos de estrada, passagem pelo grupo Dotô Jeka e dono de uma sólida carreira individual cujo fruto mais recente é o belo álbum Reverso Folk (2016), idealizou este show e é o seu diretor artístico. Já o violeiro Ricardo Vignini esbanja talento em projetos como o grupo Matuto Moderno e o duo Moda de Rock, misturando rock, música caipira, folk e ainda mais e tocando com rara desenvoltura e criatividade.

O show terá como repertório as músicas incluídas no CD, e algumas das possíveis selecionadas são Pote Azul, Espanhola, Rua Ramalhete, Hey Zé, Começo, Meio e Fim, Casa no Campo, Dona e Senhorita, equivalendo a uma boa amostra e pura celebração dessa sonoridade tão brasileira e tão universal que esses cinco artistas ajudaram a consolidar durante esses anos todos.

Dona (ao vivo)- Nós do Rock Rural:

Monarco canta com Alcione e Zeca Pagodinho em show no Rio

Monarco - Marcos Hermes-400x

Por Fabian Chacur

Monarco é um dos grandes nomes do samba de todos os tempos. E, felizmente, está firme e forte, no vigor de seus 85 anos de idade. Ele lançou recentemente um novo álbum, Monarco de Todos os Tempos, pela gravadora Biscoito Fino. E este é o mote para o show que o cantor e compositor carioca fará no Rio nesta quinta-feira (14) às 22h no Teatro Bradesco Rio (avenida das Américas, nª 3.900- loja 160 do Shopping VillageMall- Barra da Tijuca- fone 0xx21-3431-0100), com ingressos de R$ 40,00 a R$ 150,00. Teremos participações de Zeca Pagodinho e Alcione.

Hildimar Diniz, nome de batismo de Monarco, compôs o seu primeiro samba aos 12 anos de idade, e quatro anos depois, conheceu a turma de bambas da Portela, escola de samba pela qual rapidamente se apaixonou. Em 1951, passou a integrar a sua ala de compositores, e não demorou para se tornar um dos caras mais badalados de lá. Ele participou do histórico álbum Portela Passado de Glória (1970), produzido por Paulinho da Viola e que tornou conhecida a chamada Velha Guarda da Portela, capitaneada por ele.

O primeiro disco solo de Monarco, autointitulado, saiu em 1974, e deu início a uma série de outros, nos quais sempre defendeu suas composições com vários parceiros de forma classuda, com uma voz bonita e que até hoje continua sendo muito bem colocada. Suas canções fizeram sucesso nas vozes de inúmeros intérpretes, maravilhas do porte de O Quitandeiro, Vai Vadiar, Coração em Desalinho, Lenço e inúmeras outras. Entre seus inúmeros fãs ilustres, temos Marisa Monte, que produziu um de seus discos e o incluiu com destaque no documentário O Mistério do Samba (2008), também produzido por ela.

O mais recente álbum deste grande portelense teve como produtor Mauro Diniz, que além de grande cantor, compositor e músico é filho da fera. Pai e rebento assinam seis das faixas do álbum, que conta com as participações especiais de Alcione (em Uma Canção Para São Luiz) e Zeca Pagodinho (Seu Bernardo Sapateiro). Uma das faixas mais bacanas deste ótimo CD é Aurora da Minha Vida, que conta com um clipe bem produzido para divulgá-lo.

Aurora da Minha Vida (clipe)- Monarco:

Elba Ramalho mostra novo álbum com shows no Sesc Pinheiros (SP)

elba ramalho-400x

Por Fabian Chacur

Em 1978, Elba Ramalho deu início à sua carreira fonográfica. Quatro décadas depois, firmou-se como uma das cantoras de maior sucesso do país, com público fiel e novos lançamentos que sempre atraem as atenções de público e crítica. O mais recente, O Ouro do Pó da Estrada, lançado pela gravadora Deck, é o mote para os shows que ela fará sexta (8) e sábado (9) às 21h e domingo (10) às 18h no Sesc Pinheiros- Teatro Paulo Autran (rua Paes Leme, nº 195- fone 0xx11-3095-9400), com ingressos de R$ 15,00 a R$ 50,00.

Para acompanhá-la, a intérprete paraibana terá a seu lado uma banda composta por Marcos Arcanjo (guitarra e violões), Elder Caldas (percussão), Rafael Nascimento (sanfona), Fernando Gaby (baixo), Tostão Queiroga (bateria), Yuri Queiroga (guitarra), José Durval Pereira (zabumba) e Alessandro Rocha (vocais).

Não faltarão faixas de O Ouro do Pó da Estrada no repertório. Deste, que é o 38ª título de sua extensa discografia, fazem parte canções inéditas e releituras, entre as quais Girassol da Caverna, Na Areia, Oxente e Se Não Tiver Amor. Como seria de se esperar, também teremos alguns dos maiores hits da trajetória dessa explosiva intérprete, que no palco sempre aproveita sua faceta atriz para envolver e eletrizar as plateias do Brasil e do mundo.

Veja o making of e ouça as faixas de O Ouro do Pó da Estrada:

Bruno Mog lança seu primeiro álbum com show em São Paulo

bruno mog 3-400x

Por Fabian Chacur

Com 33 anos de idade, Bruno Mog lança o seu primeiro álbum. Uma fase da vida em que outros artistas já teriam lançado diversos outros trabalhos. Este cantor, compositor e músico nascido em Lins (SP), criado na região do Portal do Paranapanema (PR) e radicado em São Paulo desde 2005, preferiu, no entanto, não precipitar as coisas. “Procurei me preparar bem e fazer isso apenas quando me senti preparado”, explica. Ele mostra o repertório do álbum e músicas de outros artistas em show neste sábado (2) às 15h na Casa Pompeia (avenida Pompéia, nª 681- Vila Pompeia- fone 0xx11- 2597-0681), com ingressos a R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00 (inteira), sendo que ambos os valores incluem de brinde a versão física do trabalho.

A estrada de Bruno até chegar ao primeiro CD foi longa. Ele se interessou por música desde moleque, e contou com o apoio incondicional do pai. “Meu pai sempre me incentivou a estudar, me cobrou muito isso”. Em 2005, ele se mudou para São Paulo com o intuito de cursar a faculdade de artes cênicas, e não demorou a se envolver com o teatro, trabalhando em diversos espetáculos. Paralelamente, atuava com uma banda na qual incluía músicas de sua autoria.

Há três anos, sentiu que havia chegado a hora de arregaçar as mangas para criar seu primeiro álbum solo, e passou a se concentrar nisso. Como inspiração, ouviu Tim Maia, Skank, Paralamas do Sucesso, Cazuza, Los Hermanos e Elis Regina, entre outros. Desse mix, saíram características de suas composições, que trazem elementos de blues, MPB, folk e rock. “No Brasil, a gente tem o costume de ouvir de tudo, os gêneros se misturam, isso é muito bom”.

O resultado é um trabalho disponível nas plataformas digitais e também em formato físico com sete músicas, escolhidas a partir de um universo de 14. “Não sou um Guilherme Arantes, que diz compor uma música por dia. Escrevo conforme vêm a inspiração. Crio em cima de coisas do mundo, misturo experiências próprias com aquilo que observo e transformo em canções”, define.

O álbum, extremamente consistente e que se divide em climas blueseiros e momentos mais próximos do folk, foi finalizado no Canadá com o engenheiro de som João Thiré, conhecido por seu trabalho com a cantora Mart’nália.

O som de Bruno Mog conta com generosas intervenções de metais como trombone, trumpete e sax. “Uso muito os metais como se fossem a extensão da minha voz, uma segunda ou terceira voz, e tem a ver com os artistas de que mais gosto, que também se valem desse recurso musical de forma criativa”.

No show deste sábado (2), Bruno cantará e tocará guitarra, acompanhado por uma banda com direito a naipe de metais, backing vocals, guitarra, baixo e bateria. Além das músicas autorais do disco, entre as quais as ótimas Flores de Outono, Avoa, Hey Man e Só Quero Ser Feliz, também teremos releituras de canções alheias, entre as quais Todo Amor Que Houver Nessa Vida, de Cazuza, e outras de Tim Maia, Paralamas do Sucesso e Barão Vermelho. “Mas não faço versões iguaizinhas, procuro colocar o meu toque pessoal nelas”, adverte.

Ouça Flores de Outono, de Bruno Mog:

Altemar Dutra Jr. dá uma prévia de novo CD com show em Sampa

Altemar Dutra Jr - crédito Murilo Alvesso-400x

Por Fabian Chacur

Filho de peixe, peixinho é, não é mesmo? Bem, nem sempre. Tem alguns rebentos de grandes músicos e cantores que, infelizmente, não chegam nem mesmo aos pés do talento de seus genitores. Para felicidade geral de todos, Altemar Dutra Jr. não só possui muito talento, como conseguiu honrar o nome de seu pai, Altemar Dutra (1940-1983), um dos grandes cantores românticos do Brasil em todos os tempos. O intérprete está na fase final da preparação de seu novo álbum, O Melhor de Mim, e se apresenta em São Paulo nesta quarta-feira (30) às 21h no Teatro Itália (Avenida Ipiranga, nª 344- subsolo do Edifício Itália- fone 0xx11-3255-1979), com ingressos custando R$ 40,00 (meia) e R$ 80,00 (inteira).

Neste show, que terá a participação especial do cantor Alexandre Arez, Dutra Jr. mostrará em primeira mão algumas faixas que estarão em O Melhor de Mim. As músicas levam assinaturas nobres: Michael Sullivan, Paulo Massadas, Lincoln Olivetti, Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Benito di Paula, Isolda, Peninha, José Augusto e Antonio Marcos. Também será incluída no CD uma composições inédita do próprio intérprete, intitulada Pequenas Coisas da Vida.

O repertório ainda trará músicas dos trabalhos anteriores do cantor e compositor paulistano nascido em 16 de abril de 1969, entre as quais temos releituras preciosas dos hits de seu saudoso pai. Sentimental Demais, Risque, Contigo Aprendi, Que Queres Tu de Mim e Somos Iguais devem ser algumas delas. Ele estreou em disco em 1997 com Transparente, e desde então lançou outros quatro e um DVD, sem incluir o novo CD, em fase final de mixagem.

Ouça o CD Sentimental Nós Somos (2014), de Altemar Dutra Jr.:

Paulo Miklos celebra seus 60 anos com dois shows em SP

paulo miklos-400x

Por Fabian Chacur

Nesta segunda-feira (21), Paulo Miklos completou 60 anos de idade. Como forma de celebrar essa bela efeméride com seus fãs paulistanos, o cantor, compositor e músico fará shows nesta sexta (25) às 18h e sábado (26) às 21h no Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nª 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos custando de R$ 6,00 a R$ 20,00.

A base para o repertório será o seu mais recente trabalho solo, A Gente Mora no Agora (2017), que inclui pelo menos um grande sucesso, Vou Te Encontrar, composição do ex-colega de Titãs Nando Reis que integrou com destaque a trilha sonora da novela global O Outro Lado do Paraíso. Também teremos composições escritas por ele em parceria com Emicida (A Lei Desse Troço), Guilherme Arantes (Estou Pronto) e Céu (Risco Azul).

Lógico que farão parte do set list canções de seus tempos de Titãs, e entre elas estão escaladas É Preciso Saber Viver (clássico de Roberto e Erasmo Carlos que a banda trouxe de volta às paradas nos anos 1990), Pra Dizer Adeus, Sonífera Ilha e Vossa Excelência, esta última lançada há mais de dez anos e mais atual do que nunca. Paulo, que cantará e tocará violão e guitarra, terá a seu lado Michelle Abu (bateria), Michelle Cordeiro (guitarra) e Otávio Carvalho (baixo).

Vou Te Encontrar (clipe)- Paulo Miklos:

Mutinho mostra as músicas de Meu Segredo no Bar Brahma

mutinho meu segredo-400x

Por Fabian Chacur

Mutinho está há mais de 50 anos na cena musical brasileira. Nesses anos todos, brilhou como baterista e compositor, tendo atuado ao lado de Toquinho, Vinicius de Moraes, Elis Regina, Nara Leão, Pery Ribeiro, Chico Buarque, Leny Andrade e outros. No entanto, ele só havia lançado um único disco próprio, um compacto duplo em 1977. Faltava um álbum completo. Não falta mais. Lançado pela gravadora Kuarup, Meu Segredo já está disponível nas plataformas digitais e em uma magistral versão em CD com direito a capa do mestre Elifas Andreato e encarte luxuoso. O show completo de lançamento em São Paulo será realizado nesta quarta-feira (9) às 21h no Bar Brahma (avenida São João, nª 677- Centro- fone 0xx11-2039-1251), com couvert artístico a R$ 30,00.

Meu Segredo teve um parto complicado, digamos assim, pois suas gravações foram realizadas durante longos cinco anos, com início em 2012 e finalização em 2017. Mas valeu a pena a espera. E convenhamos: para quem aguardava por essa realização desde a década de 1960, até que não demorou tanto assim… O repertório é totalmente autoral, mesclando composições inéditas e outras gravadas anteriormente, parcerias com Vinícius de Moraes, Toquinho, João Palmeiro, Carlos Chagas, Marcio Mutalupi e Luiz Carlos Seixas.

As sonoridades se alternam entre samba, marcha-rancho, bossa nova, valsa e latinidade, com direito a belas melodias e letras inteligentes e sensíveis. Temos as participações especiais da saudosa Miúcha e também de Toquinho e Georgiana de Moraes, esta última filha do inesquecível Poetinha.

Com concepção artística e produção artística de Wagner Amorosino, Bruno De La Rosa e Marcos Alma, o CD conta em seu elenco de músicos com feras do porte de Silvia Góes (piano), Fi Maróstica (baixo) e Alex Braga (violino), entre outros. Um dos destaques é a deliciosa faixa Turbilhão, hit na gravação de Toquinho & Vinícius em 1975 e muito bem relida aqui.

No show, Mutinho, baterista que assumiu seu lado vocalista neste CD, terá a seu lado Bruno De La Rosa (violão e voz), Wagner Amorosino (teclado) e Nicolo De Caro (percuteria). No show, as canções do CD e outras, entre as quais possivelmente outro hit de Toquinho & Vinícius que leva a sua assinatura, Escravo da Alegria. Como se não bastasse tanto currículo, Mutinho ainda é sobrinho do grande compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues. Aliás, seu nome de batismo é Lupicinio Morais Rodrigues, e também tem origem nos pampas gaúchos, nascido em Porto Alegre em 4 de fevereiro de 1941. Mas que baita pedigree, tchê!

Ouça Meu Segredo, de Mutinho, em streaming, na íntegra:

Older posts Newer posts

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑