Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: soul anos 1980

Prince terá Sign O’ The Times relançado com faixas-bônus

prince sign o the times 400x

Por Fabian Chacur

Durante seus quase 58 anos de vida, Prince (1958-2016) teve como uma de suas marcas a incrível produtividade. Além de nos deixar uma discografia extensa e com direito a trabalhos muito bons, o cantor, compositor e multi-instrumentista americano ainda tinha um vasto material guardado em seus arquivos. Aos poucos, a gravadora Warner está disponibilizando este tesouro. No dia 25 de setembro, será a vez de uma versão remasterizada Super Deluxe Edition de seu álbum Sign O’ The Times, lançado originalmente em 1987.

Previsto para sair no Brasil apenas nas plataformas digitais, o trabalho nos oferece uma versão remaster do álbum original e todas as faixas adicionais lançadas em singles na época. De quebra, temos 45 gravações de estúdio realizadas entre 1979 e 1987 e uma apresentação ao vivo registrada no dia 20 de junho de 1987 na cidade de Utrecht, na Holanda, na qual ele interpreta músicas do então novo álbum mescladas a hits como Purple Rain.

Para dar uma adoçada na boca dos fãs, a gravadora já disponibilizou uma das 45 faixas inéditas, o funk racha-assoalho Witness 4 The Prosecution (Version 1). Uma faixa em particular que deixará os colecionadores e pesquisadores com a curiosidade atiçada é Can I Play With U?, que conta com a participação de ninguém menos do que o saudoso ícone do jazz Miles Davis.

Sign O’ The Times marcou o inicio de uma nova fase de Prince, acompanhado por uma nova banda, e teve um desempenho comercial não tão bom como o dos trabalhos imediatamente anteriores, mas, ainda assim, atingiu o 6º posto na parada americana e o 4º lugar no Reino Unido, no formato álbum duplo de vinil. A vigorosa faixa-título, a ótima If I Was Your Girlfriend e o rockão U Got The Look são os pontos altos de um disco muito bom como um todo.

Eis as faixas de Sign O’ The Times – Super Deluxe Edition:

Álbum original remasterizado:

Sign O’ The Times
Play In The Sunshine
Housequake
The Ballad Of Dorothy Parker
It
Starfish And Coffee
Slow Love
Hot Thing
Forever In My Life
U Got The Look
If I Was Your Girlfriend
Strange Relationship
I Could Never Take The Place Of Your Man
The Cross
It’s Gonna Be A Beautiful Night
Adore

Single Mixes & Edits:

Sign O’ The Times (7” single edit)
La, La, La, He, He, Hee (7” single edit)
La, La, La, He, He, Hee (Highly Explosive) (7” single edit)
If I Was Your Girlfriend (7” single edit)
Shockadelica (“If I Was Your Girlfriend” B-side)
Shockadelica (12” long version)
U Got The Look (Long Look) (12” edit)
Housequake (7” edit)
Housequake (7 Minutes MoQuake) (12” edit)
I Could Never Take The Place Of Your Man (Fade 7” edit)
Hot Thing (7” single edit)
Hot Thing (Extended Remix)
Hot Thing (Dub Version)

Dos Baús, Parte 1:

I Could Never Take The Place Of Your Man (1979 version)
Teacher, Teacher (1985 version)
All My Dreams
Can I Play With U? (featuring Miles Davis)
Wonderful Day (original version)
Strange Relationship (original version)
Visions
The Ballad Of Dorothy Parker (with horns)
Witness 4 The Prosecution (version 1)
Power Fantastic (live in studio)
And That Says What?
Love And Sex
A Place In Heaven (Prince vocal)
Colors
Crystal Ball (7” mix)
Big Tall Wall (version 1)
Nevaeh Ni Ecalp A
In A Large Room With No Light

Dos Baús, Parte 2:

Train
It Ain’t Over ‘Til The Fat Lady Sings
Eggplant (Prince vocal)
Everybody Want What They Don’t Got
Blanche
Soul Psychodelicide
The Ball
Adonis And Bathsheba
Forever In My Life (early vocal studio run-through)
Crucial (alternate lyrics)
The Cocoa Boys
When The Dawn Of The Morning Comes
Witness 4 The Prosecution (version 2)
It Be’s Like That Sometimes

Dos Baús, Parte 3:

Emotional Pump
Rebirth Of The Flesh (with original outro)
Cosmic Day
Walkin’ In Glory
Wally
I Need A Man
Promise To Be True
Jealous Girl (version 2)
There’s Something I Like About Being Your Fool
Big Tall Wall (version 2)
A Place In Heaven (Lisa vocal)
Wonderful Day (12” mix)
Strange Relationship (1987 Shep Pettibone Club Mix)

Live In Utrecht – June 20, 1987:

Intro/Sign O’ The Times
Play In The Sunshine
Little Red Corvette
Housequake
Girls & Boys
Slow Love
Take The “A” Train/Pacemaker/I Could Never Take The Place Of Your Man
Hot Thing
Four
If I Was Your Girlfriend
Let’s Go Crazy
When Doves Cry
Purple Rain
1999
Forever In My Life
Kiss
The Cross
It’s Gonna Be A Beautiful Night

Witness 4 The Prosecution (Version 1)– Prince:

James Ingram, craque do R&B, compositor fera e rei dos duetos

james ingram-400x

Por Fabian Chacur

A concorrência para o prêmio de Melhor Artista Novo na 24ª edição do Grammy cujos troféus foram entregues no início de 1982 era grande. A cantora escocesa Sheena Easton acabou levando a melhor, superando na disputa os grupos de pop-rock Adam And The Antes e The Go-Go’s e os cantores de r&b Luther Vandross (1951-2005) e James Ingram. Este último teve como consolo a vitória na categoria Melhor Performance Masculina de R&B com a musica One Hundred Years. E se deu melhor do que ela, em termos profissionais. Ingram nos deixou nesta terça (29) aos 66 anos, vítima de câncer cerebral. Seu legado é dos mais respeitáveis.

James Ingram nasceu em Akron, Ohio (EUA) em 16 de fevereiro de 1952. Seu envolvimento com a música se deu desde a infância. Nos anos 1970, enquanto participava de grupos com pequena repercussão, teve sua primeira prova de fogo ao integrar uma banda de apoio de Ray Charles. As coisas engrenaram para ele ao ser convidado pelo célebre produtor Quincy Jones para participar do álbum The Dude (1981). E ele se mostrou pé-quente, pois as duas músicas nas quais assumiu o vocal principal, Just Once e One Hundred Ways, foram os maiores hits, ambas atingindo o top 20 nos EUA na parada de singles.

Além de músico e cantor, Ingram logo se tornou conhecido como compositor. Uma de suas canções mais famosas é P.Y.T. (Pretty Young Thing), que faz parte do mitológico álbum Thriller, de Michael Jackson. O sucesso foi tão grande que deu a abertura que ele precisava para iniciar sua carreira solo. Isso ocorreu em 1983 com o lançamento de seu excelente primeiro álbum individual, It’s Your Night, com produção do padrinho Quincy Jones e direito a grandes músicos.

A faixa de destaque do CD foi Ya Mo Be There, dueto com Michael McDonald, que atingiu o nª 19 entre os singles e rendeu a Ingram o seu segundo troféu Grammy, na categoria Melhor Performance R&B Com Duo Ou Grupo Com Vocais.

E já que o assunto é duetos, James Ingram atingiu pela primeira vez o primeiro lugar na parada americana de singles com sua parceria com a cantora Patti Austin em 1983 com a música Baby Come To Me, que foi usada na trilha da série televisiva de sucesso General Hospital. O cara estava tão badalado que acabou participando do elenco estelar do single We Are The World, ao lado de astros como Ray Charles, Bob Dylan, Bruce Springsteen, Ray Charles e tantos outros. Em 1987, outra dobradinha bacana, a balada Somewhere Out There, com a cantora Linda Ronstadt. E seu único nª 1 realmente solo foi conquistado em 1990 com a bela balada romântica I Don’t Have The Heart.

O artista concorreu ao Oscar de melhor canção em duas ocasiões: The Day I Fall In Love, dueto com Dolly Parton incluído na trilha de Beethoven’s 2nd em 1994 e no ano seguinte com Look What Love Was Done, do filme Junior. Mais alguns duetos: What About Me (1984- com Kenny Rogers e Kim Carnes), The Brightest Star (1991- com Melissa Manchester), When You Love Someone (1995- com Anita Baker) e Our Time Has Come (1997- com Carnie Wilson).

Quando Quincy Jones lançou seu álbum mais badalado, Black On The Block (1989), James Ingram estava lá, e justo na canção de maior sucesso, The Secret Garden, ao lado de Barry White, El Debarge e Al B.Sure! De quebra, ele ainda marcou presença em uma faixa dos, pasmem!, Scorpions! Sim, a banda alemã de heavy metal. Mais precisamente na faixa What U Give U Get Back, incluída no álbum Eye II Eye (1999). Dá para encara esse currículo, Sheena Easton?

Ya Mo Be There (remix version)- James Ingram e Michael McDonald:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑