Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: up all night

Coletânea é aperitivo da The Chic Organization

Por Fabian Chacur

Um dos grandes fatos ocorridos em 2013 foi seguramente a volta de Nile Rodgers às paradas de sucesso, tocando uma excepcional guitarra rítmica nos hits Move Yourself To Dance e Get Lucky do duo Daft Punk. Lógico que esse fato gerou um novo interesse em torno de sua obra dos anos 70 e 80, e a coletânea Nile Rodgers Presents The Chic Organization Up All Night, lançada pela Warner no Brasil, chega para suprir essa lacuna, o que faz até certo ponto.

Up All Night reúne 25 faixas distribuídas em dois CDs. O repertório traz nove faixas do Chic, grupo liderado por Nile Rodgers (guitarra) e Bernard Edwards (baixo), e outras produzidas por eles para outros artistas, como o grupo Sister Sledge, Carly Simon, Debbie Harry, Sheila & B.Devotion e Diana Ross, entre outros, nas quais eles também se incumbiram da parte instrumental e vocal. Serviço completo e feito com rara categoria.

O critério seguido na seleção das faixas privilegia as mais dançantes, incluindo sempre ou as versões completas ou os remixes, deixando de lado as edições com menor duração feitas especialmente para os singles que tocavam nas rádios e eram lançadas na época no formato compacto simples de vinil. Ou seja, o colecionador irá encontrar aqui as raras versões longas que só tocavam nas discotecas e eram comercializadas apenas em hoje raríssimos singles de vinil no formato de LPs.

O repertório é muito bom, trazendo os maiores sucessos do Chic (como Le Freak, Good Times e Everybody Dance), do quarteto vocal Sister Sledge (We Are Family e Lost In Music, por exemplo) e também maravilhas como o delicado reggae eletrônico Why, com Carly Simon, a sacudida Spacer, com Sheila & B. Devotion, e as endiabradas I’m Coming Out e Upside Down, com Diana Ross.

Dois momentos menos bem-sucedidos da obra de Rodgers/Edwards também estão aqui, as faixas I Love My Lady, com Johnny Mathis (gravada em 1981 e mantida nos arquivos da gravadora durante décadas) e Your Love Is Good (com Sheila & B. Devotion), prova de que até mesmo gênios dão suas vaciladas. Não são faixas desprezíveis, mas estão bem abaixo do alto nível geral deles nessa fase áurea nos anos 70 e 80.

Outro detalhe importante a ser apontado é que só a faceta mais dançante da Chic Organization aparece aqui, deixando de lado momentos instrumentais maravilhosos como São Paulo, Savoir Faire e Funny Bone, sensuais como A Warm Summer Night e românticos até a medula do naipe de Will You Cry (When You Hear This Song) e At Last I Am Free. São faixas realmente essenciais de um grupo genial que você precisa conhecer.

Além de Nile e Bernard, que eram os compositores e arranjadores, o grupo abrigou em suas fileiras nos anos 70 e 80 gente talentosa do gabarito de Luther Vandross, Alfa Anderson, Norma Jean Wright (que tem duas gravações solo bacanas, High Society e Saturday, incluídas em Up All Night), Tony Thompson e Fonzi Thornton, colaboradores que tornaram o som do Chic uma rara e divina experiência musical.

Up All Night é uma compilação indicada para o colecionador, que enfim terá aquelas gravações extended tão difíceis de serem encontradas, além de ser uma boa iniciação ao novato em termos de Chic Organization. Mas não se iluda: mesmo com 25 faixas, temos aqui apenas a ponta de um iceberg repleto de momentos memoráveis. O som da Chic Organization vicia, e isso pode ocorrer logo após você ouvir essa coletânea dupla, que ainda traz um belo texto em seu simples, porém simpático encarte.

Ouça Why, com Carly Simon, versão incluída em Up All Night:

Ouça Spacer, com Sheila & B. Devotion, versão incluída em Up All Night:

One Direction lidera parada dos EUA de novo

Por Fabian Chacur

Para quem acha que as gloriosas boys band já foram para o espaço, pensem novamente. O quinteto britânico One Direction acaba de emplacar seu segundo álbum, Take Me Home, no topo da parada americana, a mais disputada do mundo. O álbum vendeu em sua semana de lançamento em torno de 540 mil cópias nos EUA. Uau!

Trata-se da terceira melhor semana de estreia do ano de um novo álbum na terra do reeleito (“four more years!”) Barack Obama, perdendo apenas para Red, da estrelinha country Taylor Swift (1,2 milhão) e Babel, do também oriundo do Reino Unido Mumford & Sons (600 mil cópias). Mas as façanhas dos moleques não ficam por aí.

O ID (como também é conhecido) chega à liderança pela segunda vez no ano, pois seu álbum de estreia, Up All Night, saiu nos EUA em março, vendendo 176 mil cópias na largada e tornando o quinteto o primeiro grupo britânico a estrear com seu primeiro álbum direto na colocação de número um por aqueles lados.

O som dos rapazes é aquele pop correto, bem produzido e levemente asséptico que normalmente leva as meninas ao delírio. O single Live While We’re Young, do novo disco, serve como uma boa amostra dessa proposta simples, descontraída e alto astral da moçada.

“Viva enquanto formos jovens”, eles afirmam nessa música. Não concordo muito. Viva (aproveite bem a…) enquanto você estiver vivo seria melhor e mais lógico, não é mesmo? Enfim, chega de filosofar e sigamos adiante, pois está dando certo para eles!

Veja o clipe de Live While We’re Young, com o One Direction:

One Direction bate Springsteen nos EUA

Por Fabian Chacur

Durou apenas uma semana a alegria de Bruce Springsteen como líder da parada de sucessos americana. Wrecking Ball, novo álbum do The Boss, acaba de ser superado por Up All Night, do quinteto One Direction.

Para quem não conhece, este grupo britânico, também conhecido como 1D, surgiu em 2010 durante a edição daquele ano do programa The X Factor (criado por Simon Cowell, o jurado bravo de American Idol), durante a qual acabou emplacando a terceira posição.

Up All Night, álbum de estreia do quinteto, vendeu durante a última semana 176 mil cópias, que lhe garantiram o primeiro posto nos EUA e mais a quebra de uma importante marca.

Eles são o primeiro grupo britânico a ver seu CD de estreia entrar na parada americana direto na liderança.

O melhor resultado anterior de uma banda conterrânea havia sido obtido em 1996 por Spice, primeiro disco das Spice Girls, que estreou na parada ianque no sexto lugar e chegou ao primeiro posto após 14 semanas na disputa.

O One Direction é formado por Niall Horan (o único irlandês), Zayn Malik, Liam Payne, Harry Stiles e Lous Tomlinson. Eles tem entre 18 e 20 anos de idade, e fazem um pop rock bem acessível e dançante.

Uma típica boy band, portanto, que vem para preencher o espaço ocupado em gerações anteriores por New Kids On The Block, N Sync, Backstreet Boys e tantos outros.

O grupo, que recentemente abriu shows para a banda Big Time Rush, irá iniciar sua turnê como atração principal na América do Norte a partir do dia 24 de maio. No dia 12 deste mês, mais de 10 mil fãs viram o quinteto no programa Today, da rede de TV ABC, e eles irão participar no dia 7 de abril do icônico programa Saturday Night Live.

Curiosamente, o One Direction ainda não conseguiu chegar ao primeiro lugar na parada do Reino Unido. Por lá, eles já emplacaram três singles entre os 3 mais, enquanto Up All Night chegou ao segundo lugar em novembro de 2011, quando saiu naquele mercado.

What Makes You Beautiful, maior sucesso até o momento do grupo, saiu curiosamente no Reino Unido no dia 11 de setembro de 2011, quando o terrível atentado ao World Trade Center, em Nova York, completava 10 anos.

Outro dado interessante e mais leve: Liam Payne nasceu em 29 de agosto de 1993, data em que Michael Jackson completava 35 anos.

Up All Night ficou à frente na última semana nos EUA de 21, de Adele, que vendeu no mesmo período 148 mil cópias e se manteve na vice-liderança.

A coletânea Greatest Hits, do Guns N’ Roses, beneficiou-se de uma megaoferta e vendeu 85 mil cópias, ficando em terceiro, enquanto Springsteen e seu Wrecking Ball atingiram o quarto posto, com 57 mil cópias comercializadas. Os dados foram divulgados pela revista americana Billboard, a bíblia da indústria fonográfica mundial.

Veja o clipe de What Makes You Beautiful, com o One Direction:

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑