Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Marisa Monte faz Folha de S.Paulo pagar mico

Por Fabian Chacur

Iniciei minha carreira como jornalista e crítico musical na metade dos anos 80, e tive a oportunidade de acompanhar o início da carreira de diversos artistas importantes durante tal período.

Uma delas foi Marisa Monte, que bastante jovem surpreendeu a todos com shows marcantes e um disco de estreia significativo, MM (1989).

Até 1996, a cantora e compositora carioca se manteve acessível, sempre concedendo entrevistas e divulgando seus novos lançamentos e shows de forma ampla e democrática.

No momento em que sua carreira se consolidou de forma definitiva e ficou claro que a moça tinha em suas mãos um público fiel e uma conta bancária generosa, essa atitude começou a se alterar.

Nos últimos 15 anos, Dona Marisa se tornou cada vez menos fácil de se entrevistar, mantendo-se o mais longe possível da imprensa.

No DVD Infinito Ao Meu Redor (2008), ela chegou ao ponto de tirar sarro da cara dos repórteres, colocando registros com vários deles fazendo à “diva” perguntas iguais, provavelmente para ridicularizar o trabalho dos jornalistas e desmerecê-los.

Pois esse processo atinge agora o auge. Na edição deste domingo (30) da revista Serafina, distribuída junto com a edição do mesmo dia do jornal Folha de S.Paulo, Marisa Monte concedeu a primeira entrevista “muda” da história da música pop.

De forma bizarra, a assessoria de imprensa da intérprete de Bem Que Se Quis propôs à revista o seguinte: a cantora faria uma sessão de fotos no Rio de Janeiro com locais e poses prédeterminadas pela estrela e indicando o fotógrafo para realizar tal missão, Walter Firmo, que em sua carreira registrou vários nomes clássicos do samba.

Ah, tinha mais uma “pequena” condição: a revista não teria direito a nenhuma palavrinha da cantora. Nada. Zero. “Vocês terão de respeitar o silêncio dela, que não quer falar com a imprensa”, teriam dito.

A “diva” não falaria nem mesmo sobre o que seria o tema principal da tal matéria, o lançamento de seu novo CD, intitulado O Que Você Quer Saber de Verdade (título irônico, heim?). O “repórter” de texto poderia apenas acompanhar a sessão de fotos, sem direito a uma única questão sequer. Não podia atrapalhar “the delicate genius”.

A Serafina topou. Acho meio antiético avaliar a qualidade da matéria resultante de tal acordo absurdo, mas não ficarei em cima do muro: parece um release insosso, sem nenhuma informação sobre o novo CD, fase atual da carreira da intérprete… Nada, só babação de ovo podre.

Teria sido muito mais digno para a publicação simplesmente recusar-se a fazer a matéria nessas circunstâncias absurdas. Enfim, cada publicação que cuide do seu próprio nariz.

O mais importante aqui é frisar a atitude arrogante de Miss Monte, que alega não ter tempo a perder com esse tipo de “coisa”.

Teria sido muito mais digno para a moça simplesmente não dar entrevista alguma para divulgar seu disco do que fazer essa publicação pagar um mico desse tamanho.

É nessas horas que muita gente que adora desmerecer o tempo todo a imprensa deveria refletir melhor, e ver que também há o outro lado, ou seja, artistas que nos usam e depois nos descartam na maior cara de pau.

Será que esse afastamento da imprensa teria a ver com a visível queda de qualidade da obra de Miss Monte, que não nos proporciona um disco à altura de seu inegável talento desde os anos 90?

Nos últimos 15 anos, a coisa mais próxima a isso foi o simpático Tribalistas (2002), que gravou ao lado de Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown. De resto, só repetição, diluição, autoindulgência etc. Amor, I Don’t Love You This Way!!!

É, Dona Marisa, não precisa perder tempo com a imprensa, não. Mas, ao menos, grave discos que prestem!!!

Veja o clipe de Ainda Bem, do novo CD de Marisa Monte:

17 Comments

  1. Marisa Monte é cult, sua musica q é pop.
    Bem colocarei aqui a fala da própria Marisa Monte em conversa com Francisco Bosco, em seu site: “Eu acho que esse disco fala de muitos valores. Eu não confundo a minha pessoa com a minha arte. Hoje em dia existe uma confusão muito grande entre arte e artista, como se essa linha tênue que divide isso já não existisse mais. Mas para mim ela ainda existe. É claro que ela se confunde, é claro que o meu trabalho é muito pessoal, claro que muito da minha vida eu trago para o meu pensamento artístico, mas de alguma maneira eu consigo separá-las. Na verdade, eu me sinto muito confortável em servir à música e não tenho essa vaidade pessoal de querer aparecer mais do que ela. Claro que eu quero dar o meu melhor, que o meu trabalho esteja lindo e bem feito. A música está aí há milhões de anos. Ela vai continuar e eu estou só de passagem, então eu estou tentando, de alguma maneira, cumprir minha função dentro desse processo.” Pronto!!!

  2. Ricardo Moreira

    November 2, 2011 at 1:48 pm

    Quanta incoerência neste texto. Marisa nunca desdelhou da imprensa, mas sempre preferiu resquardar sua vida pessoal. Cada um faz a interpretação que lhe convir. Agora anti ético destilar magoas em espaço que caberia a profissionais. Por favor escreva algo que preste!!!

  3. Pelo jeito, a estratégia dela deu certo… e uma “entrevista” que ela deu para a Serafina está repercutindo aqui, no Mundo Pop… é que tem gente que morde a isca.

    Raul Rodrigues
    Jornalista

  4. admin

    November 3, 2011 at 1:49 pm

    Caro Ricardo:
    Não tem mágoa alguma no que escrevi, é só uma constatação que entendi ser interessante de ser conhecido por algumas pessoas que desconhecem a forma como alguns artistas agem em relação às suas carreiras. Este espaço é tocado por um profissional, sim, que está na área há 25 anos, período em que vi muita gente tentar e ficar pelo caminho. Curioso você vir aqui defender Marisa Monte, que eu não ofendi em nenhum momento, com ofensas baratas a minha pessoa. Quanto a escrever algo que preste, os milhares de textos que já escrevi como jornalista profissional falam mais alto. Respeito sua opinião, respeite a minha. Grande abraço e seja feliz!

  5. admin

    November 3, 2011 at 1:52 pm

    Caro Raul:
    Não é questão de “morder a isca”, e sim de tocar o dedo na ferida, algo que ninguém fez, ou teve a coragem de fazer. Não tenho nada contra a Marisa Monte, muito pelo contrário, mas abomino esse tipo de comportamento, e, democraticamente, expus aqui a minha opinião. Não sou dono da verdade, ela também náo, e você, idem na mesma data. Grande abraço e tuuuudo de bom.

    Fabian Chacur
    jornalista formado há 29 anos

  6. admin

    November 3, 2011 at 1:53 pm

    Cara Camila:
    Obrigado pela visita e pelo trecho do papo entre Marisa e Francisco Bosco. Grande abraço e volte sempre!!!

  7. respeito o comentários de todos, só o que tenho a dizer e que marisa monte e uma das melhores cantora do pais, tenho dois cd´s com suas melhores música, aliás sempre achei que de 80 a 90 a atual estamos bem servido de cantores e cantoras de mpb, no rock já não posso dizer o mesmo porque várias bandas estão sei gravar ou acabaram e as que aparecem são poucas que me agradam. hoje o que se vimos são produtos de gavadora não os artistas mostrando o que eles tem o que monstrar, eu quero dizer que saõ como marionetes e isso custa a arte deles, isso me lembra cyndi em 1989. quando se rebelou contra os executivos que queriam fazer dela uma marionete!

  8. e assim querei fazer comigo você me acredita, mas sou livre e dono do meu nariz! boa noite fabian não tem nada sobre o novo dvd. da cyndi o lançamento e nesta segunda!

  9. Claro que respeito a sua opinião, Rogério, mas se você for bem, de certa forma bate com a minha, pois acho a obra da Marias Monte essencial até meados de 1996, tendo caído bastante a partir daí. Quanto ao DVD da Cyndi, preciso buscar informações. Mas estou doido para vê-lo! Grande abraço, tuuuuudo de bom e obrigado pela visita!

  10. Bom, diante de trabalho tão ruim, melhor o silêncio….psiu

  11. admin

    November 16, 2011 at 4:28 pm

    Provavelmente, Cláudia!!!! rsrsrsrs E no meu comentário anterior, eu obviamente escrevi Marisa, não Marias Monte….até que ficou engraçado!!!!rsrsrsrs

    bjs, tudo de bom e volte sempre!!!

  12. Eu era muito fã da Marisa Monte, por acompanhar só os lançamentos, notícias… porém bastou eu ter contato ”mais de perto”(como fã) que eu descobri quem ela realmente é.
    Marisa Monte se acha a tal. Ela tem uma mentalidade de: SOU A MELHOR, que chega a ser irritante. Os fãs, durante os cinco anos que a digníssima ”diva” esteve preparando as ”pérolas” do seu (insuportável) novo CD, ficaram feito idiotas fazendo campanhas sem respostas. É impressionante o descaso com que a produção tratou os fãs. E agora quando ela volta tem: Entrevistas os fãs no Google, tem chat ao vivo com fãs, fotos com colagens dos fãs… tem isso e aquilo… tentando ludibriar a quem tanto foi isolado (os fãs), que infelizmente não possuem o dom do bom senso (eu diria vergonha na cara) nem da crítica – forçado, né?!. Hoje Marisa Monte acabou pra mim, mergulhada na mesmice e no brega eu não consumo mais seus discos, tenho só até os gêmeos de 2006. ACORDA BRASIL, Tem muita gente boa de verdade merecendo reconhecimento!

    André Ribeiro

  13. admin

    December 29, 2011 at 5:48 pm

    É, meu caro André, as pessoas parece que mudam com o tempo, e nem sempre para melhor. Fazer o que? Bola pra frente! Grande abraço, tudo de bom, obrigado pela visita e volte sempre que quiser/puder.

  14. Eu concordo com algumas coisas.
    Acho que o artista não tem mesmo que querer aparecer mais que a sua música e nem tem a menor necessidade de expor sua vida pessoal, por que isso de fato não interessa.
    Agora a partir do momento em que uma pessoa se expõe a público com o seu trabalho, está a mercê da curiosidade daqueles que o bancam, pagando shows, discos, dvds, e tudo que envolva a sua marca, é no mínimo natural que esses artistas deem uma certa satisfação sobre esse trabalho, e a sua forma de expressar isso é através da imprensa.Acho que escolher pra que veículo vai falar e forma como vai conduzir a entrevista é de total liberdade do artista.
    Agora destratar ou ignorar fã, além de ser deselegante é no mínimo ingrato.
    Mas, Miss Marisa não é a única com esse comportamento.
    Tem outros, como por exemplo os Los Hermanos.
    Tenho um amigo que fala na sacanagem que eles sempre se juntam qdo estão precisando de uma graninha.
    É claro que não é (só) isso.Penso que é uma banda que foi endeuzada, acabou no auge e tem uma formação que é completamente fria com o seu público, o que parece torná-los ainda mais ”deuses”, volvendo cada vez que lhes convém, para sabe-se lá o que.
    Bom, eu AMO Los Hermanos, adorei o Marcelo Camelo sozinho, achei ótimo Amarante ter dado com as cara na porta nos USA, acho legal a iniciativa do Barba em tentar reunir a banda e o Medina, bom…sem comentários.
    O que isso tudo tem a ver com a Marisa?Um alerta:somente a ”música” é imortal, os artistas não!
    De uma certa forma somos feitos da mesma coisa, então pra que um afastamento tão grande??Acorda, Marisa, por que com essa porcaria de ”trabalho” que vc vem apresentando, além de mal vista pela imprensa, vai acabar mal com o seu público também!
    Fica a dica!

    Izabele Caldas
    Uma reles estudante de Jornalismo.

  15. bom li e reli os comentarios de todos e pra ser honesta devo dizer que quando voce se distancia do trabalho do seu artista preferido eh muito mais facil julgar do que adorar … o que realmente ajuda marisa monte eh o fato de que sua voz eh extremamente afinada sua respiracao perfeita quando canta, tecnicamente falando ela faz um bom trabalho e combinado com sua beleza estranha no palco com um figurino elegante com luzes maquiagem e todo artificeos de caras e bocas ela impreciona …. passado os anos percebi que marisa monte nao me emociona mais e nunca me emocionou … a imagem dela no palco eh que me intrigava mas hoje busco a mesma emocao e sentimentos de uma interpretacao de Billie Holiday quando a ouvi e vi cantar quando tinha nove anos de idade …e emocao como essa marisa monte NUNCA tera…ela se tornou INSUPORTAVEL com o passar dos anos ,so lamento .

  16. Não preciso saber da vida do Chopin, do Jimmy Page, do Machado de Assis, ou de Gogin para apreciar sua arte. Arte e Artista; autor e obra são coisas separadas que não devem se confundir. Aliás muitos artistas são, como pessoa, muito piores que sua arte. E vice versa.
    Hoje vivemos um culto às pessoas, um big brother alucinado que cria a ilusão de que artista, por premissa, se quer divulgar sua arte, tem que divulgar sua pessoa, intimidade etc.
    Bobagem. E se irritar quando alguém rompe com essa pseudo-regra; ou desprezar a arte do outro porque ele não correspondeu a essa expectativa é mais bobagem ainda. A arte transcende a pessoa.
    Acreditar que é um preço a se pagar: quer ser reconhecido como artista então “desnude a intimidade publicamente” é tão vazio… Uma coisa nada tem a ver com a outra. Cada coisa no seu lugar.
    Depois a gente reclama de gente que fica famosa não por competência artística, mas sim porque falou na hora certa, posou, causou, saiu na capa etc.
    A cantora referida se serve ao que se presta: música pop. Nada muito profundo, nem por isso desprezível. Tem carisma, tem uma luz, voz bonita, bom gosto. Maravilha. Boa sorte pra ela.
    Quem não gosta não escute. Beeeem melhor que a maioria que se ouve por aí, porém sem rasgar a alma como uma Elis. Sinal dos tempos.
    Agora é engraçado – no mínimo – marcar entrevista sem entrevista. Mas foi tudo claro, honesto: aceito sessão de fotos silenciosa. Se a revista topou, é porque a figura vende, mesmo sem falar nada. Revista não dá ponto sem nó. Mídia, hoje, caminha com lucro. Quem saiu ganhando? Os dois lados: um divulgou seu trabalho, outro vendeu porque há quem queira ver a carinha da cantora.
    Dentro do contexto, tá tudo certo…

  17. admin

    April 1, 2014 at 7:03 pm

    Valeu pelo comentário muito bem estruturado e bem escrito, Maria Gabi. Obrigado pela visita a Mondo Pop e volte sempre que puder/quiser!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑