Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Lindsey Buckingham, um virtuose do rock

Por Fabian Chacur

Lindsey Buckinham é o tipo de artista que eu classifico como um virtuose a serviço do rock and roll. Sem exageros e com toda a justiça.

Com 62 anos, ele iniciou sua carreira fonográfica em 1973 com o excepcional (e foríssima de catálogo – nunca saiu em CD!) Buckingham Nicks, gravado em dupla com a então namorada Stevie Nicks.

A partir de sua triunfal entrada no Fleetwood Mac (junto com Nicks) em 1975, esse cantor, compositor e músico americano rapidamente se tornou um sucesso estrondoso.

Além dos álbuns e shows com a seminal banda anglo-americana, ele também desenvolve uma bela carreira solo que rende agora mais um belíssimo fruto, o álbum Seeds We Sow, já disponível no mercado nacional.

Buckingham é um músico completo. Toca com rara habilidade guitarra, violão e outros instrumentos. Compõe com estilo e inspiração, e tem uma ótima voz, além de saber escolher o repertório para cada novo trabalho.

De quebra, possui marcante conhecimento técnico, o que lhe permite gravar suas performances com qualidade absurda, possibilitando ao ouvinte degustar cada dedilhado, cada riff, cada acorde. Desculpem a grosseria, mas lá vai: o cara é foda!!!

Seeds We Sow traz 11 faixas em sua versão standard, sendo que apenas na sacudida That’s The Way That Love Goes ele conta com a participação de outros músicos. De resto, ele toca todos os intrumentos e se incumbe de todas as vocalizações nas 10 faixas restantes. E bem, muito bem.

A nova safra de composições de Linsey é inspiradíssima, com direito a uma delicada faixa título, a sensacionalmente pop Gone Too Far, a envolvente Rock Away Blind e a pesada One Take, só para citar algumas.

Como guitarrista, ele se vale de solos econômicos e vibrantes, além de riffs sempre bem encaixados. No violão acústico, esbanja técnica que nos traz ecos da escola flamenca, sem cair no exibicionismo e sempre privilegiando as canções, adornando-as com um bom gosto impressionante.

Além das músicas próprias, o guitarrista do Fleetwood Mac ainda nos oferece uma sensacional releitura voz e violão para She Smiled Sweetly, pérola perdida dos Rolling Stones de 1967 (no disco Between The Buttons) que curiosamente o Ira! releu em 1993 no álbum Música Calma Para Pessoas Nervosas.

A minha cópia de Seeds We Sow já está quase furada de tanto ouvi-la. É um álbum de rock simplesmente impecável, acima de modismos e na qual Lindsey Buckingham mistura inspiração, perfeccionismo e estilo próprio.

Ouça That’s The Way That Love Goes:

2 Comments

  1. to ouvindo a-go-ra. FO-DA DEMAIS o que ele faz com a guitarra. E é virtuosidade sem ser clichê….amei.

    Saudações, Chacur!

  2. E cada nova audição te leva a descobrir novos detalhes. O cara é realmente um dos grandes músicos do rock, não só no Fleetwood Mac, como também em sua carreira solo, como este álbum prova mais uma vez. Obrigado pela visita e tudo de bom!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑