Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Author: Fabian Chacur (page 2 of 111)

David Bowie ao vivo em 1995 nos EUA em um novo álbum digital

david bowie ouvrez le chien capa 400x

Por Fabian Chacur

No próximo dia 3 de julho (que será uma sexta-feira), chegará às plataformas digitais através da Warner Music um novo álbum de David Bowie. Trata-se de Ouvrez Le Chien (Live Dallas ’95), gravado ao vivo no dia 13 de outubro de 1995 em show realizado no Starplex Amphitheatre em Dallas, Texas (EUA), durante a turnê que divulgou o seu álbum Outside (1995). Uma amostra já está disponível, a faixa Teenage Wildlife.

O repertório do show mescla canções de Outside com alguns clássicos de seu repertório. Como bônus, foram incluídas Moonage Daydream e Under Pressure, gravadas ao vivo em 13 de dezembro de 1995 no National Exhibition Centre em Birmingham e lançadas anteriormente no CD single Hallo Spaceboy.

A frase ouvrez le chien (abra o cão, em francês) foi utilizada por Bowie em sua música All The Madmen, do álbum The Man Who Sold The World (1970), e depois em uma das faixas do álbum Buddha Of Suburbia (1993). A foto da capa foi feita pela esposa do saudoso roqueiro, Iman.

Nos shows, Bowie teve a seu lado uma banda afiadíssima integrada por ele próprio (vocais e saxofone), Carlos Alomar (guitarra base), Reeves Gabrels (guitarra-solo e vocais), Gail Ann Dorsey (baixo e vocais), Zachary Alford (bateria), Peter Schwartz (teclados e sintetizadores), George Simms (vocais) e Mike Garson (piano e teclados).

Eis as faixas de Ouvrez Le Chien:

– Look Back In Anger (David Bowie/Brian Eno)
– The Hearts Filthy Lesson (David Bowie/Brian Eno/Michael Garson/Sterling Campbell/Erdal Kizilcay/Reeves Gabrels)
– The Voyeur Of Utter Destruction (As Beauty) (David Bowie/Brian Eno/Reeves Gabrels)
– I Have Not Been To Oxford Town (David Bowie/Brian Eno)
– Outside (David Bowie/Kevin Armstrong)
– Andy Warhol (David Bowie)
– Breaking Glass (David Bowie/George Murray/Dennis Davis)
– The Man Who Sold The World (David Bowie)
– We Prick You (David Bowie/Brian Eno)
– I’m Deranged (David Bowie/Brian Eno)
– Joe The Lion (David Bowie)
– Nite Flights (Scott Engel)
– Under Pressure (David Bowie/Freddie Mercury/Roger Taylor/John Deacon/Brian May)
– Teenage Wildlife (David Bowie)
– Moonage Daydream* (David Bowie)
– Under Pressure (David Bowie/Freddie Mercury/Roger Taylor/John Deacon/Brian May)

Teenage Wildlife (Life Dallas ’95)– David Bowie:

Prince terá Sign O’ The Times relançado com faixas-bônus

prince sign o the times 400x

Por Fabian Chacur

Durante seus quase 58 anos de vida, Prince (1958-2016) teve como uma de suas marcas a incrível produtividade. Além de nos deixar uma discografia extensa e com direito a trabalhos muito bons, o cantor, compositor e multi-instrumentista americano ainda tinha um vasto material guardado em seus arquivos. Aos poucos, a gravadora Warner está disponibilizando este tesouro. No dia 25 de setembro, será a vez de uma versão remasterizada Super Deluxe Edition de seu álbum Sign O’ The Times, lançado originalmente em 1987.

Previsto para sair no Brasil apenas nas plataformas digitais, o trabalho nos oferece uma versão remaster do álbum original e todas as faixas adicionais lançadas em singles na época. De quebra, temos 45 gravações de estúdio realizadas entre 1979 e 1987 e uma apresentação ao vivo registrada no dia 20 de junho de 1987 na cidade de Utrecht, na Holanda, na qual ele interpreta músicas do então novo álbum mescladas a hits como Purple Rain.

Para dar uma adoçada na boca dos fãs, a gravadora já disponibilizou uma das 45 faixas inéditas, o funk racha-assoalho Witness 4 The Prosecution (Version 1). Uma faixa em particular que deixará os colecionadores e pesquisadores com a curiosidade atiçada é Can I Play With U?, que conta com a participação de ninguém menos do que o saudoso ícone do jazz Miles Davis.

Sign O’ The Times marcou o inicio de uma nova fase de Prince, acompanhado por uma nova banda, e teve um desempenho comercial não tão bom como o dos trabalhos imediatamente anteriores, mas, ainda assim, atingiu o 6º posto na parada americana e o 4º lugar no Reino Unido, no formato álbum duplo de vinil. A vigorosa faixa-título, a ótima If I Was Your Girlfriend e o rockão U Got The Look são os pontos altos de um disco muito bom como um todo.

Eis as faixas de Sign O’ The Times – Super Deluxe Edition:

Álbum original remasterizado:

Sign O’ The Times
Play In The Sunshine
Housequake
The Ballad Of Dorothy Parker
It
Starfish And Coffee
Slow Love
Hot Thing
Forever In My Life
U Got The Look
If I Was Your Girlfriend
Strange Relationship
I Could Never Take The Place Of Your Man
The Cross
It’s Gonna Be A Beautiful Night
Adore

Single Mixes & Edits:

Sign O’ The Times (7” single edit)
La, La, La, He, He, Hee (7” single edit)
La, La, La, He, He, Hee (Highly Explosive) (7” single edit)
If I Was Your Girlfriend (7” single edit)
Shockadelica (“If I Was Your Girlfriend” B-side)
Shockadelica (12” long version)
U Got The Look (Long Look) (12” edit)
Housequake (7” edit)
Housequake (7 Minutes MoQuake) (12” edit)
I Could Never Take The Place Of Your Man (Fade 7” edit)
Hot Thing (7” single edit)
Hot Thing (Extended Remix)
Hot Thing (Dub Version)

Dos Baús, Parte 1:

I Could Never Take The Place Of Your Man (1979 version)
Teacher, Teacher (1985 version)
All My Dreams
Can I Play With U? (featuring Miles Davis)
Wonderful Day (original version)
Strange Relationship (original version)
Visions
The Ballad Of Dorothy Parker (with horns)
Witness 4 The Prosecution (version 1)
Power Fantastic (live in studio)
And That Says What?
Love And Sex
A Place In Heaven (Prince vocal)
Colors
Crystal Ball (7” mix)
Big Tall Wall (version 1)
Nevaeh Ni Ecalp A
In A Large Room With No Light

Dos Baús, Parte 2:

Train
It Ain’t Over ‘Til The Fat Lady Sings
Eggplant (Prince vocal)
Everybody Want What They Don’t Got
Blanche
Soul Psychodelicide
The Ball
Adonis And Bathsheba
Forever In My Life (early vocal studio run-through)
Crucial (alternate lyrics)
The Cocoa Boys
When The Dawn Of The Morning Comes
Witness 4 The Prosecution (version 2)
It Be’s Like That Sometimes

Dos Baús, Parte 3:

Emotional Pump
Rebirth Of The Flesh (with original outro)
Cosmic Day
Walkin’ In Glory
Wally
I Need A Man
Promise To Be True
Jealous Girl (version 2)
There’s Something I Like About Being Your Fool
Big Tall Wall (version 2)
A Place In Heaven (Lisa vocal)
Wonderful Day (12” mix)
Strange Relationship (1987 Shep Pettibone Club Mix)

Live In Utrecht – June 20, 1987:

Intro/Sign O’ The Times
Play In The Sunshine
Little Red Corvette
Housequake
Girls & Boys
Slow Love
Take The “A” Train/Pacemaker/I Could Never Take The Place Of Your Man
Hot Thing
Four
If I Was Your Girlfriend
Let’s Go Crazy
When Doves Cry
Purple Rain
1999
Forever In My Life
Kiss
The Cross
It’s Gonna Be A Beautiful Night

Witness 4 The Prosecution (Version 1)– Prince:

Suzanne Vega lança segunda prévia de futuro álbum ao vivo

suzanne vega capa album 2020-400x

Por Fabian Chacur

Em fevereiro, Suzanne Vega divulgou a primeira faixa de An Evening Of New York Songs And Stories, uma deliciosa releitura de Walk On The Wild Side, de Lou Reed (ouça aqui). Para atiçar os ouvidos dos fãs, chega agora a segunda amostra grátis do disco, New York Is My Destination, além da divulgação da lista de músicas que estará no trabalho, a ser lançado pela Amanuensis/Cooking Vinyl.

An Evening Of New York Songs And Stories foi gravado ao vivo no icônico Cafe Carlyle, onde artistas como Woody Allen e sua banda de jazz, Bobby Short e outros se apresentaram. O álbum reúne 16 faixas, entre canções da própria Suzanne e de outros autores, que ou falam da cidade americana ou tem suas tramas ambientadas por lá. Em comunicado enviado à imprensa, a artista fala um pouco sobre o disco, que será lançado em uma data significativa, 11 de setembro, a mesma dos ataques às Torres Gêmeas:

“É sempre um prazer tocar no Café Carlyle, em Nova York. É um pequeno clube exclusivo que já recebeu lendas de Eartha Kitt a Judy Collins, e também é conhecido por ser o lugar onde Jackie Kennedy conheceu Audrey Hepburn. Adoro o glamour boêmio do velho mundo! Eu decidi que seria divertido fazer um show lá com músicas inspiradas na cidade de Nova York ou para as quais Nova York forneceu o pano de fundo, incluindo Walk on the Wild Side do meu falecido e grande amigo Lou Reed – música que eu raramente o ouvi cantar.”

Eis as faixas de An Evening Of New York Songs And Stories:

1. Marlene on the Wall
2. Luka
3. New York is a Woman
4. Frank and Ava
5. Gypsy
6. Freeze Tag
7. Pornographer’s Dream
8. New York Is My Destination
9. Walk on the Wild Side
10. Ludlow Street
11. Cracking
12. Some Journey
13. Tom’s Diner
14. Anniversary
15. Tombstone
16. Thin Man

New York Is My Destination (live)- Suzanne Vega:

Fernanda Takai regrava sucesso do saudoso cantor Paulo Sérgio

Feranda Takai por Dudi Polonis-400x

Por Fabian Chacur

Ter um estúdio de gravação em casa sempre pareceu ser algo muito positivo para um músico. E, nestes dias de pandemia do novo coronavírus, aparenta ser essencial para a continuidade dos trabalhos artísticos. Fernanda Takai possui esse recurso, e, ao lado do marido, o guitarrista John Ulhoa, está a mil por hora, mesmo em isolamento social. Ela acaba de divulgar o terceiro single de seu novo álbum solo, Será que Você Vai Acreditar?, que a gravadora Deck promete lançar no mês de julho.

Depois da irônica Terra Plana (de autoria de John, ouça aqui) e da lírica Não Esqueça (inédita de Nico Nicolaiewsky-1957-2014- ouça aqui), agora é a vez de um rock balada com sutil ambientação eletrônica.

Trata-se da releitura de Não Creio em Mais Nada, composição de Totó e gravada em 1970 pelo saudoso cantor e compositor Paulo Sergio em seu quarto álbum. O resultado final ficou dos melhores, pois consegue manter a estrutura e a melodia básicas da versão original, acrescentando elementos inovadores e com a interpretação sempre delicada, de bom gosto e caprichada de Fernanda.

Não Creio em Mais Nada (lyric video)- Fernanda Takai:

James Brown será tema de série na internet que estreia em julho

james brown serie-400x

Por Fabian Chacur

Na lista dos artistas mais influentes de todos os tempos, James Brown (1933-2006) possui um lugar todo especial. Sua presença se mostra visível em gêneros como soul music, funk, disco, hip-hop e por aí vai. E vai longe! Como forma de mostrar um pouco desse legado e como ele atingiu os outros artistas, foi criada a série Get Down, The Influence Of James Brown, que estreará no Youtube no dia 10 de julho. Veja um breve teaser aqui.

O episódio de estreia enfocará Funky Drummer. A faixa, gravada em 20 de novembro de 1969 e lançada em single em 1970, é considerada uma das mais sampleadas da história da música pop. Sua base rítmica, que traz como destaque a levada criada pelo baterista Clyde Stubblefield (1943-2017), foi utilizada por Public Enemy, Run-DMC, LL Cool J, Bell Biv Devoe e muitos outros artistas.

A música originalmente saiu apenas em single, em duas partes com menos de 3 minutos de duração cada. A versão integral, com 9m13, só foi lançada em 1986, como parte da coletânea de faixas inéditas In The Jungle Groove. Trata-se de uma faixa irresistível, na qual Stubblefield (que tocou com Mr. Dynamite durante seis anos) e seus colegas de banda ajudam a criar os alicerces da funk music.

A série Get Down, The Influence Of James Brown tem narração a cargo do músico e produtor Questlove, integrante do grupo The Roots e também da banda residente do programa de TV The Tonight Show Starring Jimmy Fallon. Neste episódio inicial, temos também as participações de Lord Finesse e Andre Torres. Cada episódio será acompanhado por uma playlist exclusiva.

Funky Drummer (full version)- James Brown:

Iron Maiden lança duas versões remasterizadas de álbuns ao vivo

iron maiden rock in rio 400x

Por Fabian Chacur

Dando prosseguimento à série de relançamentos físicos de álbuns do Iron Maiden em versões originalmente remasterizadas em 2015 para o projeto Mastered For iTunes, o selo Parlophone (hoje distribuído pela gravadora Warner) acaba de lançar no Brasil em CDs com embalagens digipack dois dos mais emblemáticos álbuns ao vivo da carreira do icônico grupo britânico, um dos mais bem-sucedidos e influentes da história do heavy metal.

Live After Death (1985) flagra o grupo liderada pelo baixista Steve Harris no auge de sua popularidade. Trata-se do registro de shows realizados nos EUA durante a World Slavery Tour, que teve início em agosto de 1984 na Polônia e contou com 187 apresentações, inclusive trazendo-os ao Brasil pela primeira vez, na edição inicial do Rock in Rio, em janeiro de 1985. Temos faixas adicionais gravadas no Hammersmith Apollo, em Londres. Muitos críticos incluem esse entre os melhores álbuns ao vivo de heavy rock já lançados.

Rock in Rio flagra a banda do carismático vocalista Bruce Dickinson em outro momento alucinante de seus 40 anos de estrada, em show perante mais de 100 mil fãs entusiáticos em 19 de janeiro de 2001 durante a edição daquele ano do Rock in Rio. A formação já incluía três guitarristas, o que aumentou ainda mais o peso do time. O show encerrou a Brave New World Tour, outra turnê marcante dos consagrados headbangers britânicos.

Ouça Live After Death, do Iron Maiden, em streaming:

João Bosco e Hamilton de Holanda lançam álbum ao vivo

hamilton de holanda e joao bosco 400x

Por Fabian Chacur

Canto da Praya- Hamilton de Holanda e João Bosco Ao Vivo é o título do álbum que a gravadora Deck disponibilizará nas plataformas digitais no dia 26 deste mês. Trata-se de um encontro de dois craques de gerações distintas ocorrido no final de 2019 em São Paulo, mais precisamente no estúdio DaPáVirada. O repertório, que traz clássicos de João e algumas releituras, veio basicamente do show Eu Vou Pro Samba, que eles apresentaram em algumas ocasiões. Hamilton explica:

“A nossa ideia era que o repertório contemplasse o samba. Sempre achamos esse estilo nosso ponto de encontro de ideias musicais e rítmicas. Tínhamos esse repertório básico mas na hora dos ensaios cada um ia lembrando de algo a mais”.

Entre outras maravilhas, o repertório traz Tiro de Misericórdia/As Escadas da Penha, Linha de Passe, Incompatibilidade de Gênios, Gagabirô, Linha de Passe e Chega de Saudade, sendo que a apresentação foi filmada e teve uma pequena plateia. João fala sobre sua parceria com Hamilton:

“O fantástico de estar com o Hamilton é essa liberdade que a gente tem de tocar o que gostamos, queremos e admiramos. Trata-se de um músico extraordinário porque qualquer coisa que você possa colocar uma possibilidade, logo ele chega com seu bandolim e cria coisas muito prazerosas”. Em cena, só João (voz e violão) e Hamilton (bandolim).O lançamento teve apoio da cerveja Praya.

Tiro de Misericórdia (ao vivo)- João Bosco e Hamilton de Holanda:

Titãs: clipe com marionetes para remake de Enquanto Houver Sol

enquanto houver sol titas 400x

Por Fabian Chacur

Prosseguindo a mil por hora em sua formação trio (que poderia ser apelidada “Tritãs”), os Titãs estão em pleno processo de lançamento de um novo projeto. Trata-se de Titãs Trio Acústico, álbum que será disponibilizado ao público no formato de três EPs. O primeiro saiu no início de abril, com oito faixas. O segundo deve chegar às plataformas digitais em 3 de julho, sendo que a primeira amostra já pode ser conferida, a releitura da belíssima Enquanto Houver Sol.

Concebido por Otavio Juliano, que o dirigiu em parceria com Luciana Ferraz, o clipe desta nova, despojada e caprichada releitura de um dos grandes sucessos dos Titãs na década passada traz como grande atrativo o uso de marionetes. Virgilio Zago foi o marionetista e escultor de títeres, enquanto Guilherme Pires se incumbiu da modelagem de bonecos e personagens. O resultado é encantador.

Enquanto Houver Sol foi lançada originalmente como faixa do álbum Como Estão Vocês? (2003), o primeiro da banda sem as presenças de Nando Reis e do saudoso Marcelo Fromer. Com uma melodia envolvente e uma letra inspirada, serve como alento em dias tão difíceis como os vividos por todos nós nesse cinzento e angustiante ano de 2020.

Enquanto Houver Sol (clipe 2020)- Titãs:

Elton John lança uma parceria com o duo americano Surfaces

elton john + surfaces 400x

Por Fabian Chacur

Em 2017, os amigos Forrest Frank (vocal e guitarra) e Colin Padalecki (teclados, composições e arranjos) resolveram iniciar uma parceria musical. Nascia o Surfaces, duo que aos poucos vai conquistando bons espaços na cena pop atual. A prova de que a brincadeira começou a ficar séria ocorre agora, quando eles lançam o single Learn To Fly, que conta com a participação mais do que especial de ninguém menos do que Elton John. Eles explicam como surgiu a oportunidade para essa parceria tão especial:

“Depois que gravamos a demo, ela ficou meio que flutuando por aí, até que chegou às mãos de Elton John, que quis fazer parte da faixa. Depois de uma série de sessões em estúdio via Zoom, nós conseguimos gravar juntos em quarentena. Trabalhar com Elton John nos promoveu uma sensação comparável a da ideia de ganhar um Grammy. Ele é tão apaixonado e motivado, nós não poderíamos ter desejado uma colaboração mais fácil do que essa. Nós esperamos que essa canção possa espalhar amor nesse momento em que o mundo tanto precisa, e que possa inspirar as pessoas a abrirem seus corações”.

Sempre atento ao surgimento de novos talentos e disposto a colaborar com essas revelações da música, Elton também comentou sobre a parceria, no mesmo press release enviado à imprensa pela gravadora Universal Music:

“Eu ouvi Sunday Best pela primeira vez na Austrália e eu amei a música, portanto, eu fiquei surpreso quando esses caras vieram até mim e pediram que eu cantasse e tocasse um pouco de piano em Learn To Fly. Eu amei a canção e a produção da faixa que eles me enviaram. Nós gravamos via Zoom em Los Angeles e fui super legal trabalhar em uma gravação não-autoral. Esses meninos são incríveis e nos divertimos muito trabalhando em colaboração”.

Sunday Best (ouça aqui), a canção a que Elton se refere, é faixa do 2º álbum do Surfaces, Where The Light Is (2019), e tornou-se um grande sucesso mundial este ano, invadindo as paradas de sucesso com sua levada leve e pra cima.

Colin e Forrest lançaram três álbuns até o momento: Surf (2017), Where The Light Is (2019) e Horizons (que saiu em fevereiro deste ano). Em tempos tão pesados e inseguros como os atuais, a música do Surface soa como uma espécie de refresco sonoro, com seus vocais delicados, melodias bem concatenadas e variações rítmicas de quem sabe prender o seu ouvinte com categoria.

Entre as várias faixas que lançaram nesses três anos de atividade, bons exemplos desse verdadeiro pop ensolarado são a new bossa eletrônica Good Day (ouça aqui), o reggae Lazy (ouça aqui), a deliciosa r&b Keep It Gold (ouça aqui).

Valendo-se dos mais modernos recursos eletrônicos, mas também explorando sonoridades vintages de instrumentos típicos do pop dos anos 1980, os amigos americanos oriundos do estado do Texas provam que tem potencial para ir longe. Sunday Best atingiu até agora a 19ª posição na parada pop americana, e Learn To Fly pode levá-los a um patamar superior nos charts.

Curiosidade: esta última traz um pequeno trecho melódico que lembra Sukiyaki, hit que chegou ao primeiro lugar nos EUA em 1963 com o cantor japonês Kyu Sakamoto e ao 3º lugar, em versão em inglês, com o A Taste Of Honey em 1980. O trecho é o mesmo que inspirou, consciente ou inconscientemente, Tudo Bem, hit em 1985 com Lulu Santos, aquela do “nem sempre é so easy se viver”.

Learn To Fly (lyric video)- Surfaces + Elton John:

Paul McCartney relançará álbum Flaming Pie em diversos formatos

Collector's Edition 1-400x

Por Fabian Chacur

Se há um artista sempre disposto a oferecer material inédito aos fãs mais endinheirados, ele atende pelo nome de Paul McCartney. Ele já fazia isso desde o início de sua carreira-solo, com o lançamento de singles com faixas não incluídas em álbuns, mas radicalizou esse procedimento a partir de Flowers In The Dirt (1989), que virou um álbum duplo em sua edição japonesa, algo que também ocorreu com Off The Ground (1993). De lá para cá, a coisa só se expandiu, especialmente com a série Archive Collection.

O novo álbum a ser incluído nesse projeto, para ser mais preciso o 13º a receber tal tratamento, é Flaming Pie (1997). A versão mais luxuosa, intitulada Collection’s Edition e limitada a 3 mil cópias numeradas, traz 5 CDs, 4 LPs de vinil e 2 DVDs, além de um livro com 128 páginas, seis fotos em tamanho grande, reprodução das letras escritas a mão pelo ex-beatle e outros atrativos, acomodados em uma caixa. Veja vídeo apresentando essa edição luxuosa aqui.

Além dessa, temos também a Deluxe Edition, trazendo 5 CDs e 2 DVDs, e outras com 3 LPs de vinil, 2 LPs de vinil e 2 CDs. O álbum original aparece em versão remasterizada, e as faixas-bônus se dividem entre lados B de singles lançados na época, demo-tapes das músicas incluídas no álbum, versões alternativas e as seis partes do programa de rádio Oobu Joobu gravado pelo artista naquela época.

Nem é preciso dizer que os preços não são exatamente acessíveis, o que torna hoje praticamente impossível para um colecionador com renda média se meter a completar o seu acervo. Saiba mais sobre as novas versões de Flaming Pie aqui, com direito a comentários de fãs bravos com os “precinhos camaradas”.

Flaming Pie foi o primeiro álbum-solo lançado por Paul após o projeto Anthology, dos Beatles, e de certa forma pegou uma bela carona no mega-sucesso deste fantástico documentário sobre a carreira dos Beatles. O CD atingiu o 2º lugar nas paradas dos EUA e Reino Unido, algo que o astro do rock não conseguia desde a década de 1980 em sua trajetória individual.

O trabalho foi coproduzido por Jeff Lynne e George Martin e traz participações especiais de Ringo Starr, Steve Miller, Lynne e também da esposa Linda e do filho James. No entanto, ele se incumbiu da maior parte dos instrumentos e vocais. As faixas mais legais são Young Boy, The World Toninght e Calico Skies.

Young Boy (clipe dirigido por Alistair Donald):

Young Boy (clipe dirigido por Geoff Wondor)- veja aqui.

Older posts Newer posts

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑