Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Page 4 of 372

Martinho da Vila e Mart’nália releem a bela Feitiço da Vila

martinho e martnalia foto arthur rangel 400x

Por Fabian Chacur

Escrita em 1934 pelos históricos parceiros Noel Rosa (1910-1937) e Vadico (1910-1962), Feitiço da Vila é uma linda homenagem a um dos berços do samba, o bairro carioca de Vila Isabel. Uma das mais célebres crias de lá, Martinho da Vila escolheu a sua filha Mart’nália para uma belíssima releitura desse clássico da nossa música, registro da Biscoito Fino que integra a trilha sonora da recém-estreada novela global Travessia, de Glória Perez.

Como seria de se esperar, o entrosamento entre pai e filha se mostra excelente. O arranjo, produção e piano ficaram a cargo do competente Luiz Otávio, que teve nesta gravação a companhia de Humberto Mirabelli (violão), Hudson (violão 7 cordas), João Rafael (baixo acústico) e Menino Brito (percussão). Uma bela dose de lirismo e sutileza em um momento tão áspero como o que vivemos atualmente.

Feitiço da Vila (clipe)- Martinho da Vila e Mart’nália:

Tony Babalu faz um show em São Paulo no Sesc Belenzinho

tony babalu bolivia e catia rock 400x

Por Fabian Chacur

Em julho de 2021, Tony Babalu lançou o maravilhoso EP No Quarto do Som… (leia a resenha de Mondo Pop aqui). Com a volta dos shows presenciais, ele retomou a estrada e nos mostra o conteúdo deste trabalho impecável. A próxima gig é nesta sexta-feira (21) às 21h em São Paulo no Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nº 1.000- fone 11-2076-9700), com ingressos de R$ 12,00 a R$ 40,00.

Há quase cinco décadas na estrada, Babalu investe em um rock instrumental com elementos de blues, jazz, música latina e hard/heavy rock, sempre com direito a muita sutileza, riqueza de timbres e muita inspiração. Ele terá a seu lado neste show Adriano Augusto (teclados), Leandro Gusman (baixo) e Carlos Contreras (bateria), mostrando o repertório do novo EP e clássicos de seu belo repertório (leia mais sobre esse craque da guitarra aqui).

Recomeço– Tony Babalu:

Cássia Eller (1994) ganha nova versão, desta vez em vinil duplo

cassia eller 1994-400x

Por Fabian Chacur

Embora ótimos, os dois álbuns iniciais de Cássia Eller não conseguiram um bom resultado em termos comerciais. Esse era o desafio a ser enfrentado por Cássia Eller (1994), o 3º trabalho desta incrível cantora, e foi vencido de forma impecável, ultrapassando as 100 mil cópias vendidas e rendendo a ela um disco de ouro. Este álbum terá uma nova roupagem e será lançado no final deste mês no formato LP duplo de vinil (saiba mais, inclusive o preço, aqui).

A edição original do 3º álbum dessa saudosa cantora carioca que nos deixou prematuramente em 2001 saiu em CD, fita-cassete e vinil simples. A reedição provavelmente se vale do formato LP duplo como a chance de dar um pouco mais de espaço aos sulcos de cada uma das 13 faixas, teoricamente proporcionando uma melhor qualidade técnica de som ao ouvinte. Algo a ser conferido posteriormente, vale ressaltar.

A faixa que impulsionou este disco rumo ao topo das paradas de sucessos foi Malandragem, parceria até então inédita de Cazuza e Frejat que anteriormente havia sido oferecida a Angela Ro Ro, que optou por não gravá-la por não se sentir muito adequada à letra. Cássia encarou, e se deu muito bem, curtindo assim o seu primeiro hit radiofônico de fato.

Outro destaque do álbum foi E.C.T., primeira canção de Nando Reis gravada por ela, momento que daria início a uma parceria das mais produtivas na carreira de ambos. Merecem ser devidamente reverenciadas ainda as releituras de Coroné Antonio Bento e Try a Little Tenderness, grandes hits nas vozes de respectivamente Tim Maia e Otis Redding.

Eis as faixas de Cássia Eller (1994):

Disco 1

Lado A:
1.Partners
2.Malandragem
3.E.C.T.

Lado B:
1.Try A Little Tenderness
2.1º De Julho
3.Na Cadência Do Samba
4.Lanterna Dos Afogados

Disco 2

Lado A:
1.Coroné Antonio Bento
2.Metrô Linha 743
3.Socorro

Lado B:
1.Blues Do Iniciante
2.Música Urbana 2
3.Pétala

Malandragem (clipe)- Cássia Eller:

Gio Bianco lança seu primeiro single autoral, Hora de Ficar

gio bianco 2-400x

Por Fabian Chacur

Gio Bianco começou a cantar com apenas 9 anos de idade, incentivada por sua mãe, professora de música e pianista. Aos poucos, foi se desenvolvendo, participando de produções teatrais, interpretando covers e fazendo pequenos shows nos quais cantava jazz, MPB, pop e r&b. Agora, chegou a vez de investir em material próprio. Ela acaba de lançar Hora de Ficar, composição autoral com clipe dirigido pelo fotógrafo e videomaker de moda Jacques Dequeker.

Hora de Ficar é uma deliciosa canção pop, com tempero de r&b e na qual Gio mostra sua voz suave, sensual e muito bem desenvolvida em uma melodia gostosa e uma letra simples e inteligente. Trata-se de uma bela amostra de Gio, o seu primeiro EP, que terá suas outras três faixas- Até o Sol Nascer, Sobre o Som e 10 pras 3– divulgadas em sequência nas próximas semanas.

Hora de Ficar (clipe)- Gio Bianco:

Dulce Quental mostra Sob o Signo do Amor em São Paulo

Dulce Quental -foto de Nana Moraes -5-400x

Por Fabian Chacur

Dulce Quental iniciou sua carreira nos anos 1980 como vocalista do grupo de pop rock feminino Sempre Livre, dos hits Sou Free e Jeito Sexy de Ser. Depois, investiu em uma consistente carreira solo que permanece gerando bons frutos. O mais recente é o álbum Sob o Signo do Amor, lançado recentemente em CD pelo seu próprio selo, o Cafezinho Edições, e também disponível nas plataformas digitais.

A cantora e compositora carioca mostra na íntegra o repertório deste novo trabalho em São Paulo com um show neste sábado (15) às 21h no teatro do Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, nº 1.000- Belenzinho- fone 11-2076-9700), com ingressos custando de R$ 12,00 a R$ 40,00. Além das novas canções, entre as quais a envolvente Apenas Uma Fantasia, ela também nos trará dois de seus hits dos anos 1980.

A banda que acompanhará Dulce inclui Thomás Jagoda (teclados), Paulo Emmery (baixo) e Pedro Fonte (bateria), com participações especiais de Jonas Sá e Pedro Sá, diretores artísticos do show e também produtores do álbum. Dulce já escreveu canções em parceria com Paulinho Moska, Zelia Duncan, George Israel e Celso Fonseca, gravadas por Simone, Leila Pinheiro, Barão Vermelho e Capital Inicial, entre outros.

Apenas Uma Fantasia– Dulce Quental:

Kiss lança deluxe edition de 40 anos de Creatures Of The Night

kiss creatures of the night 400x

Por Fabian Chacur

Está programado para o dia 18 de novembro o lançamento da Deluxe Edition comemorativa dos 40 anos do álbum Creatures Of The Night (1982), um dos mais populares da carreira do Kiss. Teremos a versão digital nas plataformas digitais e também uma em CD duplo que será lançada inclusive no Brasil (saiba mais aqui).

Creatures Of The Night marcou a volta do grupo liderado por Gene Simmons (vocal e baixo) e Paul Stanley (guitarra e vocal) ao rock pesado após o trabalho mais experimental Music From The Elder (1981), no qual flertaram com o rock progressivo. Trata-se do último álbum da fase inicial da banda com o guitarrista Ace Frehley, que, curiosamente, só aparece na capa e nos créditos, sem ter efetivamente participado das gravações.

As partes de Frehley foram desempenhadas por Robben Ford, Steve Farris e Vinnie Vincent, sendo que este último seria efetivado como guitarrista oficial da banda pouco depois. O grande hit do álbum (e um dos maiores da banda) foi I Love It Loud, sendo que a faixa que dá nome ao trabalho também conseguiu boa repercussão perante o público roqueiro.

Mais duas curiosidades. Este foi o último álbum da fase inicial da banda na qual eles apareceram com as caras pintadas, algo que retomariam em 1998 em Psycho Circus. E duas músicas- Rock And Roll Hell e War Machine– são parcerias de Gene Simmons com ninguém menos do que Bryan Adams e Jim Vallance, ambos ainda consolidando suas carreiras no mundo do rock.

Eis as faixas de Creatures Of The Night- Deluxe Edition:

CD 1- Original Album Remastered

1.Creatures Of The Night
2.Saint And Sinner
3.Keep Me Comin’
4.Rock And Roll Hell
5.Danger
6.I Love It Loud
7.I Still Love You
8.Killer
9.War Machine

CD 2: Demos, Rarities & Outtakes + Creatures Tour Live ’82/’83 (*Previously Unreleased)

1.Deadly Weapon (Original Demo)*
2.Betrayed (Outtake)*
3.I’m A Legend Tonight (Mix 4 – Instrumental & Background Vocals)*
4.Nowhere To Run (Take 11 – Instrumental)*
5.It’s My Life (Gene Simmons Demo)
6.Not For The Innocent (Demo)*
7.Rock And Roll Hell (Take 2 – 9/10/1982)*
8.I Love It Loud (Alternate Mix 21)*
9.Don’t Leave Me Lonely (Take 8 – Drums & Guitar Instrumental)*
10.Creatures Of The Night (Rockford, Illinois – 12/31/1982)*
11.I Love It Loud (Rockford, Illinois – 12/31/1982)*
12.Keep Me Comin’ (Sioux City, Iowa – 12/30/1982)*
13.War Machine (Sioux City, Iowa – 12/30/1982)*
14.I Want You (Houston, Texas – 3/10/1983)*
15.Rock And Roll Hell (Rockford, Illinois – 12/31/1982)*
16.I Still Love You (Sioux City, Iowa – 12/30/1982)*

I Love It Loud (clipe)- Kiss:

Carly Rae Jepsen grava dueto solar com Rufus Wainwright

carly rae jepsen-400x

Por Fabian Chacur

Em 2012, Carly Rae Jepsen invadiu as paradas do mundo inteiro com um hit pop delicioso, Call Me Maybe (veja o clipe aqui), que atingiu o topo da parada de singles nos EUA e em outros 18 países. Desde então, essa cantora, compositora e atriz canadense se mantém sempre ativa e com novos lançamentos bacanas. O seu 5º álbum sairá no próximo dia 21.

Para deixar os fãs com os ouvidos coçando, a cantora acaba de divulgar The Loneliest Time, faixa título desse novo álbum. Com uma levada fortemente influenciada pela disco music, trata-se de uma canção deliciosa, que conta com uma participação especialíssima nos vocais. Trata-se de outro astro canadense de primeiríssima linha, o excelente cantor, compositor e músico Rufus Wainwright. A parceria deu muita liga.

The Loneliest Time– Carly Rae Jepsen e Rufus Wainwright:

João Gordo lança álbum solo Brutal Brega em CD e digital

joao gordo 400x

Por Fabian Chacur

Já está nas plataformas digitais e também disponível no formato físico CD (mais informações aqui) o álbum Brutal Brega. O lançamento traz João Gordo, vocalista do icônico grupo Ratos de Porão, interpretando com roupagem roqueira e pesada clássicos da chamada música brega, acompanhado por banda comandada por Val Santos (Toyshop, Viper).

O projeto foi concebido por Val e teve a adesão quase imediata de João Gordo, que curtiu demais reler clássicos dos repertórios de Sidney Magal, Jane & Herondy, Agnaldo Timóteo, Carlos Alexandre e Almir Rogério. Uma boa sacada é a inclusão de duas faixas bônus- Doces Beijos e Sandra Rosa Madalena (A Cigana) exclusivamente na versão em CD.

O álbum tem a participação especial da atriz e cantora Marisa Orth em Não Se Vá, o maior sucesso da carreira da dupla Jane & Herondy. O álbum será divulgado com alguns shows, sendo que um deles será na edição inicial do festival Summer Breeze Brasil, previsto para ocorrer em abril de 2023.

Eis as faixas de Brutal Brega:

1. Fuscão Preto
2. Tenho
3. Ciganinha
4. Domingo Feliz
5. A Namorada Que Sonhei
6. Pepino
7. Não Se Vá (dueto com Marisa Orth)
8. Amante Latino
9. Verdes Campos da Minha Terra
10. Eu Vou Rifar Meu Coração
11. Feiticeira
12. To Doidão
FAIXAS BONUS(exclusivas do lançamento físico):
13. Doces Beijos
14. Sandra Rosa Madalena

Não Se Vá– João Gordo e Marisa Orth:

Electric Mob faz clipe e divulga seu novo single, Sun is Falling

electric mob 400x

Por Fabian Chacur

Bandas brasileiras de rock pesado fazendo sucesso no exterior é algo que parece ter virado uma tradição das boas. Uma das formações da nova geração que se encaixa neste perfil é a Electric Mob, criada em Curitiba (PR) em 2016. Eles foram contratados em 2020 pela Frontiers Music, gravadora que atualmente lança trabalhos de Whitesnake, Def Leppard, Sammy Hagar e Sebastian Bach. A novidade é o single Sun is Falling, potente hard rock divulgado por um clipe caprichado.

A ótima nova canção é a primeira prévia do que será o 2º álbum do grupo formado por Renan Zonta (vocal), Ben Hur Auwarter (guitarra), Yuri Elero (baixo) e André Leister (bateria), o sucessor de sua estreia pela Frontiers Music, Discharge. Uma faixa deste álbum de 2020, Devil You Know, entrou com força nas paradas roqueiras dos EUA e da Europa.

O vocalista Renan Zonta explica a inspiração em torno de Sun is Falling: “Somos uma banda que incentiva a livre interpretação das letras para que as pessoas tirem suas próprias conclusões, mas é um fato que todos os dias nos deparamos com algum tipo de inimigo. Não propriamente inimigos físicos, mas também mentais e emocionais. Então, quisemos condensar toda essa raiva e angústia nessas imagens. As correntes, o carrasco, a sujeira, tudo isso faz parte daquela caixa em que somos obrigados a caber”.

Sun is Falling (clipe)- Electric Mob:

Abba lança novo lyric video para o grande hit Fernando

abba fernando 400x

Por Fabian Chacur

Uma estratégia que várias gravadoras usam para revitalizar itens de seu catálogo é investir em novos clipes de canções escolhidas de forma estratégica, como forma de atrair as atenções das gerações atuais. Isso tem acontecido bastante com o Abba, especialmente depois do lançamento de seu primeiro álbum de inéditas em quase 40 anos, Voyage, que saiu em 2021. Desta vez, a canção escolhida para ganhar um clipe renovado é Fernando, um de seus hits mais expressivos em termos de popularidade.

A nova atração segue o formato lyric vídeo, que é aquele que mescla cenas dos artistas a animações em meio à apresentação da letra da canção. A direção e concepção do clipe coube a Lucy Dawkins e Tom Readdy, da Yes, Please Productions, bastante ativa nessa área específica.

Fernando foi lançada originalmente em sueco em 1975 e em um disco solo da cantora Anni-Frid Lyngtad, a Frida. Em 1976, recebeu uma nova letra em inglês e saiu como single e também nos álbuns Arrival e Greatest Hits.

Em sueco, os versos falavam sobre a tristeza de um amor encerrado, mas, em inglês, registravam as reminiscências de dois ficcionais participantes da Revolução Mexicana de 1910, liderada pelo icônico Emiliano Zapata. E pensar que muitos brasileiros dançaram essa música abraçadinhos…

Fernando (lyric video 2022)- Abba:

« Older posts Newer posts »

© 2022 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑