Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: amelinha

Paralelas reúne dois álbums “ao vivo em estúdio” de Belchior

belchior paralelas 400x

Por Fabian Chacur

Na metade dos anos 1980, Belchior vivia um momento de sua importante carreira no qual, embora bastante ativo, não aparecia com muita frequência nas programações de rádios e emissoras de TV. Foi também um período em que ele começou a reciclar a sua obra, iniciando uma série de regravações de suas músicas de maior sucesso. A Warner Music está resgatando dois lançamentos desse período no box Paralelas, disponível em CD duplo e também nas gloriosas plataformas digitais.

O primeiro álbum incluído neste projeto saiu em 1986 e tem como título Um Show- 10 Anos de Sucesso. Ele celebrava uma década do lançamento que elevou o cantor, compositor e músico cearense ao estrelato, o excepcional Alucinação (1976), e traz no repertório sucessos de seu repertório e também uma faixa mais recente, Canção de Gesta de Um Trovador Eletrônico.

Esta nova versão do disco inclui como faixa-bônus Vozes da Seca (Luiz Gonzaga- Zé Dantas), clássico da música nordestina que aqui aparece em uma excelente releitura feita por Belchior em dueto com a cantora e compositora Anastácia e incluída originalmente em um disco da artista pernambucana.

O outro álbum incluído em Paralelas intitula-se Trilhas Sonoras (1990), e saiu após uma curta segunda passagem de Belchior pela Polygram (hoje Universal Music) que rendeu dois bons discos cujo sucesso infelizmente não foi dos maiores, Melodrama (1987) e Elogio da Loucura (1988). Este disco marcou seu retorno à gravadora Continental, cujo acervo hoje pertence à Warner.

Trilhas Sonoras equivale a uma segunda parte de Um Show- 10 Anos de Sucesso, pois segue o mesmo espírito de “ao vivo em estúdio”, ou seja, gravado em estúdio, mas como se fosse em um show, além de não repetir músicas do lançamento anterior.

Outra marca dos dois álbuns é trazer os músicos que tocavam com Belchior em suas turnês pelo Brasil, sendo que dois se repetem nos dois discos, os ótimos João Mourão (baixo) e Sérgio Zurawski (guitarra). Raposo (teclados) e Tico Delisa (bateria) completam o time no primeiro álbum, com Monsieur Parron (bateria), Glauco Sagebin (teclados), Lê Zurawski (sax e flauta) e Marco Bosco (percussão) completam o time no segundo.

No repertório de Trilhas Sonoras, temos hits e também músicas dos injustiçados álbuns da Polygram, entre as quais as excelentes Lira dos Vinte Anos e Balada de Madame Frigidaire. Embora não superem as versões originais das músicas incluídas, esta caixa serve como uma espécie de registro de como Belchior apresentava seu repertório nos shows nos anos 1980, e pode ser considerado um item interessante para colecionadores da obra do saudoso astro cearense.

CD 1- Um Show- 10 Anos de Sucesso:

Paralelas (Belchior)

Canção de Gesta de Um Trovador Eletrônico (Belchior/Jorge Mello)

Divina Comédia Humana (Belchior)

Comentário À Respeito de John (Belchior/José Luis Penna)

Velha Roupa Colorida (Belchior)

Como Nossos Pais (Belchior)

A Palo Seco (Belchior)

Galos, Noites E Quintais (Belchior)

Medo de Avião (Belchior)

Vozes da Seca (Luiz Gonzaga- Zé Dantas)

CD 2- Trilhas Sonoras:

Lira dos Vinte Anos (Belchior/Francisco Casaverde)

Fotografia 3 x 4 (Belchior)

Coração Selvagem (Belchior)

Alucinação (Belchior)

Tudo Outra Vez (Belchior)

Apenas Um Rapaz Latino-Americano (Belchior)

Balada de Madame Frigidaire (Belchior)

Beijo Molhado (Belchior-música incidental: Al di lá (G. Rapetti-C. Donida)

Sujeito de Sorte (Belchior)

Recitanda (Belchior/Gracco)

Ouça Vozes da Seca– Belchior e Amelinha:

Amelinha interpreta Belchior com dois shows em São Paulo

amelinha 2017-400x

Por Fabian Chacur

A amizade entre Amelinha e Belchior se manteve firme e forte durante décadas. A cantora cearense já havia gravado músicas de seu conterrâneo, que em 1996 lhe apresentou a música De Primeira Grandeza e sugeriu que ela a gravasse. Longos 21 anos se passaram, e só agora ela realiza o sonho do amigo. A faixa integra o álbum De Primeira Grandeza- As Canções de Belchior (Deck), que ela apresenta ao público paulistano nesta quinta (14) no Sesc 24 de Maio (rua 24 de maio, nº 109- Centro- fone 0xx11-3350-6300), com sessões às 18 e 21h e ingressos de R$ 9,00 a R$ 30,00.

Com direção a cargo do craque Thiago Marques Luiz (que também produziu e idealizou o projeto), o show traz canções do álbum, entre as quais De Primeira Grandeza, A Palo Seco, Alucinação, Paralelas e Mucuripe. Também estarão no set list clássicos do repertório da intérprete como Frevo Mulher, Foi Deus Quem Fez Você, Galope Rasante e Mulher Nova Bonita e Carinhosa Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor.

A banda que irá acompanhar a cantora cearense será integrada por Julio Brow (violão e guitarra), Estevan Sincovitz (baixo), Ricardo Prado (teclados e acordeon) e Cailo Lopes). Com mais de 40 anos de carreira, Amelinha estourou nacionalmente graças à energética Frevo Mulher (de Zé Ramalho), em 1979, e desde então se firmou como uma das grandes intérpretes da música brasileira, mesclando música nordestina, MPB e até rock em seu caldeirão sonoro energético e intenso.

De Primeira Grandeza– Amelinha:

Amelinha mostra nova fase e hits com três shows em SP

amelinha 2016-400x

Por Fabian Chacur

Após 12 anos longe do mercado fonográfico, Amelinha lançou em 2014 o CD Janelas do Brasil, seguido em 2015 por um DVD de mesmo nome gravado ao vivo no Teatro Fecap, em São Paulo. Ela volta à capital paulista para divulgar esses trabalhos com shows de sexta a domingo (26 a 28/8), sempre às 19h15, na Caixa Cultural (praça da Sé, nº 111-Centro- fone 0xx11-3321-4400), com ingressos gratuitos que podem ser retirados a partir das 9h do dia de cada show (um par por pessoa).

O repertório do espetáculo mescla grandes sucessos dos 40 anos de carreira da cantora cearense, entre os quais Frevo Mulher, Foi Deus Quem Fez Você, Mulher Nova Bonita e Carinhosa Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor e Romance da Lua Lua com as canções mais recentes Felicidade (Marcelo Jeneci e Chico Cesar) e O Silêncio (Zeca Baleiro). Ao seu lado, os violonistas Julinho Braw e Cesar Rebechi, que dão ao show uma aura acústica e bastante elegante e contagiante.

Amelinha iniciou sua carreira na década de 1970, e seu primeiro trabalho profissional foi em uma turnê com Toquinho e Vinícius de Moraes. Em 1976, lançou o primeiro LP, Flor da Terra, mas o sucesso veio mesmo em 1979 com a empolgante Frevo Mulher. A partir daí, a cantora emplacou vários hits, com voz potente e repertório repleto de canções bacanas, como Galos Noites e Quintais (Belchior) e tantas outras.

Frevo Mulher (ao vivo)- Amelinha:

Foi Deus Quem Fez Você (ao vivo)- Amelinha:

Galos, Noites e Quintais (ao vivo)- Amelinha:

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑