Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: junho 2014

Odair José toca na íntegra em SP seu álbum mais polêmico

o filho de jose e maria odair jose 400x

Por Fabian Chacur

Em maio de 2013, Odair José mostrou uma surpresa para seus fãs durante a Virada Cultural: tocou na íntegra seu álbum mais polêmico, O Filho de José e Maria (1977). Para quem perdeu, surge uma nova chance neste fim de semana. Sexta (13) e sábado (14) às 21h e domingo (15) às 18h, o cantor, compositor e músico goiano tocará as músicas desse trabalho tão marcante no Sesc Belenzinho (rua Padre Adelino, 1.000- fone 2076-9700), com ingressos de R$ 8,00 a R$ 40,00.

A história de O Filho de José e Maria é das mais interessantes. Após se tornar um dos artistas mais populares do Brasil nos anos 1970, graças a hits certeiros como A Noite Mais Linda do Mundo (Felicidade), Pare de Tomar a Pílula e Cadê Você, Odair José recebeu uma proposta milionária da gravadora RCA e deixou a Polydor (hoje Universal Music) em 1977. Só que ele tinha novos planos para sua carreira.

Ambicioso e visionário, o astro goiano estava apaixonado por trabalhos de artistas como Peter Frampton, Neil Diamond e Paul McCartney, entre outros, e resolveu estrear na nova gravadora com uma ambiciosa ópera-rock na qual explorava temas como sexualidade, casamento, religião e comportamento, com uma sonoridade pop-rock com toques de soul e funk de verdade.

A acompanha-lo, músicos brilhantes como Hyldon (guitarra), Jaime Alem (guitarra e violão),Robson Jorge (piano e órgão Fender Rhodes), Alexandre (baixo), José Roberto Bertrami (órgão, clarinete e arp string) e Ivan Mamão (bateria). Uma verdadeira seleção, que proporcionou a Odair José uma sonoridade consistente e criativa.

Com dez ótimas faixas, entre as quais O Casamento, Nunca Mais, Não Me Venda Grilos (Por Direito), De Volta às Origens e a faixa-título, O Casamento de José e Maria infelizmente não conseguiu boa repercussão comercial, e rapidamente saiu de catálogo. Um exemplar em vinil custa uma verdadeira fortuna, sendo que o álbum nunca foi reeditado na íntegra no formato CD.

Você só encontra faixas de O Filho de José e Maria no formato CD (oito delas, para ser mais preciso) na hoje também rara coletânea Grandes Sucessos, lançada pela BMG (hoje Sony Music) em 2000 e trazendo um total de 20 músicas dessa quase obscura passagem de Odair José pela gravadora RCA. Tomara que esse disco ainda seja reeditado, pois é muito bom e merece ser resgatado.

Nos shows que fará no Sesc, Odair cantará e tocará violão e guitarra, tendo a seu lado os músicos Caio Mancini (bateria), Marco Camarano (guitarra), Marco Bispo (teclados) e seu filho Odair José Jr. (baixo). Pelo que se viu na Virada Cultural, vale e muito a pena não perder essa nova oportunidade de ouvir um clássico obscuro da MPB ao vivo e a cores.

Ouça a versão original de estúdio de O Casamento:

Ouça O Casamento ao vivo na Virada Cultural 2013:

Jean Luc Ponty fará show em São Paulo no Bourbon Street

Por Fabian Chacur

Jean Luc Ponty, provavelmente o melhor e mais influente violinista da história do jazz rock, vai tocar em São Paulo na próxima terça-feira (10). O local será o Bourbon Street (rua dos Chanés, 127- Moema- fone (0xx11) 5095-6100 www.bourbonstreet.com.br ), com couvert artístico a R$170,00 (primeiro lote). Serão duas entradas, uma às 21h e outra às 23h. Boa chance de se ver uma lenda viva da música mundial, e ainda em plena forma.

Nascido em 29 de setembro de 1942 na França, Jean Luc Ponty estudou violino clássico em Paris, mas desde o início de sua trajetória sempre mostrou uma mente aberta às mais diversas influências. Fã de Miles Davis e John Coltrane, ele viveu um de seus primeiros momentos de repercussão internacional ao participar da faixa It Must Be a Camel, do seminal álbum Hot Rats (1969), de Frank Zappa.

Ele se destacou nos anos 70 como um dos integrantes da Mahavishnu Orchestra, grupo fundamental na história do jazz rock que tinha como líder o guitarrista John McLaughlin. Depois, partiu para uma carreira solo que rendeu álbuns muito elogiados e influentes, entre os quais Enigmatic Ocean (1977) e Cosmic Messenger (1978). Ele é pioneiro na utilização de violinos de cinco e seis cordas, adaptados ao seu estilo único e próprio de tocar.

Em sua performance no Bourbon Street, Jean Luc Ponty terá a seu lado William Lecomte (teclados), Baron Browne (baixo) e Rayford Griffin (bateria), além dele próprio se desdobrando nos violinos. O repertório não foi divulgado, mas tudo leva a crer que ele fará uma viagem pelos trabalhos que realizou nesses seus mais de 40 anos de estrada pelo mundo.

Ouça Cosmic Messenger (1978), de Jean Luc Ponty, na íntegra, em streaming:

Djavan lança DVD/CD em SP com shows no Citibank Hall

Por Fabian Chacur

Djavan vive grande fase em sua consagradora carreira. Após lançar o ótimo CD Rua dos Amores (2012-leia entrevista sobre esse álbum aqui), o cantor, compositor e músico alagoano saiu em turnê pelo Brasil. Ele acaba de lançar o registro dessa tour, o DVD/CD Rua dos Amores Ao Vivo (leia resenha aqui). Em São Paulo, teremos dois shows para marcar o acréscimo desses novos itens em sua discografia/videografia.

As apresentações ocorrem nesta sexta-feira (6) e sábado (7), sempre às 22h, com ingressos custando de R$ 35,00 a R$ 240,00 , no Citibank Hall (avenida das Nações Unidas, 17.955- fone 4003-5588 – www.t4f.com.br). O músico terá a seu lado uma banda integrada por Marcelo Mariano (baixo), Carlos Bala (bateria), Torcuato Mariano (guitarra e violão), Marcelo Martins (flauta, saxofone e vocal), Jessé Sadoc (flugelhorn, trompete e vocal), Glauton Campello (teclados, piano e vocal) e Paulo Calasans (teclados pião e vocal), além do próprio Djavan nos vocais, violão e guitarra.

Além de canções de Rua dos Amores como Já Não Somos Dois, Pecado e Bangalô, o show traz músicas de diversas fases da carreira de Djavan, entre elas Asa, Meu Bem Querer, Flor de Liz, Se e Samurai. A novidade deve ficar por conta da inédita Maledeto, faixa bônus gravada em estúdio e incluída apenas na versão em CD de Rua dos Amores Ao Vivo.

Asa (ao vivo), do DVD Rua dos Amores Ao Vivo:

Standards marcam o show do David Kerr & Canastra Trio

Por Fabian Chacur

David Kerr & Canastra Trio serão a atração desta quinta-feira (5) às 22h do restaurante e bar Central das Artes (rua Apinajés, 1.081-Sumaré- fone 0xx11-3670-4040), com couvert artístico a R$ 20,00. O repertório sofisticado e delicado certamente fará a alegria de quem curte jazz e especialmente os grandes standards da música americana da primeira metade do século XX. Belo material.

David Kerr (voz e trompete), Rodrigo Braga (piano), Gustavo Sato (baixo) e Edu Nali (bateria) mergulham de cabeça nos grandes clássicos do jazz americano formato canção, selecionando a dedo composições de mitos como George Gershwin, Duke Ellington e Cole Porter, só para citar alguns. Não por coincidência, várias delas integraram o repertório de Frank Sinatra, o grande mestre dessa praia e um dos responsáveis por eternizar tais canções.

Músicas como Cheek To Cheek marcam uma era na música americana (dos anos 1920 aos 1940, mais ou menos) na qual as músicas mais populares eram ao mesmo tempo acessíveis ao ouvido do público comum da época e extremamente sofisticada. Falavam de amores encontrados e perdidos, de solidão, de esperanças, de alegria, da vida. E ficaram definitivamente no imaginário de quem ama música de altíssima qualidade.

Ouça Cheek To Cheek (ao vivo), com David Kerr & Canastra Trio:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑