Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: música latina

Conexão Latina, um podcast para se deliciar com os ritmos latinos

conexao latina belinha almendra

Por Fabian Chacur

Um lado positivo da quarentena imposta pelo combate ao novo coronavírus é o fato de que inúmeras pessoas aproveitaram a situação para investir seu tempo em projetos bacanas há muito deixados em segundo plano por razões distintas. É o caso da jornalista Belinha Almendra, que resolveu reviver seu belo Conexão Latina, um programa de rádio iniciado nos anos 1990 que passou pela programação de duas emissoras de FM cariocas. Agora no formato podcast, a salerosa atração está de volta, e com força total (ouça aqui).

Apaixonada pela música de origem latina, Belinha se incumbe da apresentação e da seleção do repertório. Sua concepção é bem aberta, indo desde os ritmos mais tradicionais, como mambo, rumba, merengue, cha cha cha e salsa, até as novidades da cena pop e do jazz latino, sem se restringir a uma determinada tendência ou país. Entre uma música e outra, ela nos oferece informações precisas de forma impecável, fluente e extremamente simpática.

Lógico que alguém fazendo um trabalho com essa consistência não demoraria a receber apoio de público e dos próprios artistas. Dessa forma, Belinha já conseguiu que vários nomes importantes ligados à música latina gravassem rápidos depoimentos para o programa, entre os quais as cubanas Aymé Nubiola e Haydée Milanés, o espanhol El Kanka, as cantoras Leila Maria, Fabiana Cozza e o percussionista Marcelo Costa.

Conexão Latina tem novos episódios postados sempre às sextas-feiras. O próximo, que será o de número 20, estará disponível nesta sexta (25). A abertura será com a dobradinha da chilena Mon Laferte com o português António Zambujo em Madera de Deriva,milonga composta pelo uruguaio Jorge Drexler. Daymé Arocena, premiada cantora de jazz afro-cubano da nova geração, mostra El 456. O pianista e maestro Chucho Valdés e o grupo Irakere, patrimônios da música cubana, fecham a edição com Pare Cochero.

Madeira de Deriva (clipe)- Antonio Zambujo e Mon Laferte:

Alejandro Sanz e Juanes fazem um show conjunto via internet

alejandro sanz e juanes-400x

Por Fabian Chacur

Em tempos de corona vírus, o mundo dos espetáculos está vivendo tempos de muitas incertezas. Para dar conta de se manterem ativos, alguns artistas começam a apresentar saídas criativas. Os astros internacionais Alejandro Sanz e Juanes, por exemplo, tiveram de cancelar os shows que fariam no último final de semana em suas respectivas turnês. Ao invés de chorarem as pitangas, mostraram um caminho paliativo para atender os fãs.

A tour do espanhol Sanz se intitula La Gira (a turnê), enquanto a do colombiano Juanes leva o nome de Para Todos. Amigos de longa data, eles resolveram se reunir em um estúdio, acompanhados por cinco músicos- entre eles o consagrado pianista cubano Gonzalo Rubalcaba- e fazer um show conjunto. O evento foi transmitido via internet no último domingo (15), e teve participação do público em um chat. Eles denominaram, a performance El Gira Se Queda En Casa Para Todos (a turnê fica sendo em casa para todos).

Artistas como o britânico Yungblud e a dupla brasileira Kleiton & Kledir também prometem ações semelhantes em função dos cancelamentos de seus shows. Locais que abrigam shows fazem algo semelhante. A paulistana Audio Rebel, por exemplo, cancelou todos os shows programados para março, mas manterá (via agendamento) outras atividades do local, como ensaios, gravações e oficina de instrumentos (luthieria).

Veja a gravação do show de Alejandro Sanz e Juanes:

Para Marina de la Riva, o tempo da arte é outro

Por Fabian Chacur

Em quase 10 anos de carreira, Marina de la Riva chega, agora, a seu terceiro lançamento, o CD Idílio. Antes, tivemos o CD Marina de la Riva (2007) e o DVD Ao Vivo Em São Paulo (2010).

A cantora carioca explicou o porquê dessa aparentemente pequena quantidade de produtos lançados e também diversas outras questões em entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (5) em São Paulo. Simpática e muito articulada, ela falou de seu novo trabalho, a ligação com Cuba e diversos outros temas.

Curiosidade: Marina atualmente estuda Direito, e pretende se especializar nas áreas de direitos humanos e direitos autorais.

MONDO POP – Você lançou, nesses quase dez anos de carreira, apenas três produtos, dois CDs e um DVD. O que a levou a demorar cinco anos para lançar um segundo álbum de inéditas?

MARINA DE LA RIVA – Acredito que o tempo da arte é outro, não é o tempo do relógio, tem o seu tempo próprio. Gosto de dormir em paz com o meu trabalho. Tento criar e me afastar do produto que crio para ter uma autocrítica. Isso não significa que o meu próximo trabalho vá demorar cinco anos para ser lançado.

MONDO POP – Como foi a gestação de Idílio, e como surgiu a ideia desse título para o CD?

MARINA DE LA RIVA – Gravei uma parte de Idílio e fui ouvir o resultado em diversos lugares, para avaliá-lo. Aí, resolvir mudar algumas coisas e acrescentei outras cores. Sou uma faminta musical, estou sempre procurando repertório, novas músicas. O início do repertório foi em 2009, e a continuação ocorreu em 2011. O título inicial era Ausência, mas acredito que Idílio é mais abrangente.

MONDO POP – Quais os critérios que a levam a escolher as músicas que grava, e como você classifica o seu estilo musical?

MARINA DE LA RIVA – Sou uma cantora que tem uma estrada pequena ainda, e não sou explícita como as coisas costumam ser atualmente. Minha peneira e meu termômetro são o coração do que faço. Vou descobrindo as coisas e as guardo para o momento certo. Não consigo muito classificar o meu trabalho, acho que seria restringi-lo. A gente está em todas as nossas escolhas, de forma consciente ou inconsciente, falam muito de quem eu sou. Acho que todos somos inclassificáveis.

MONDO POP – Você gravou uma música de Lulu Santos neste disco, sendo que você já participou de um trabalho dele e já havia incluído uma canção dele em seu DVD Ao Vivo Em São Paulo. Fale um pouco sobre essa parceria.

MARINA DE LA RIVA – É uma amizade muito legal. Em 2009, fui convidada para participar do programa Som Brasil (da Globo) dedicado ao Lulu. Cantei três músicas, e ele adorou. Comecei a cantar Adivinha o Quê nos meus shows, que entrou no meu DVD. Aí, ele me convidou para participar do Acústico MTV II dele. Aceitei, e foi uma experiência muito legal, aprendi muito com ele, que é um artista pop que trabalha de forma bem diferente da minha. O Lulu é muito generoso, o endosso de um artista como ele é muito importante para mim.

MONDO POP – Seu pai é cubano, e seu primeiro CD foi gravado lá, durante sua primeira visita àquele país. Como foi essa experiência?

MARINA DE LA RIVA – Para mim, minha primeira ida a Cuba foi uma volta, na verdade, por estranho que isso possa parecer. Fiquei muito emocionada ao pisar lá, sentir o cheiro dos charutos, ver os flamboyants. Vi que aquele mundo de que eu ouvia falar em minha casa era real. Eu cresci, e vi que fazer meu primeiro disco lá soaria mais verdadeiro. Foi um laboratório.

MONDO POP – Seus trabalhos até agora incluem basicamente releituras de composições de outros autores. Você também compõe?

MARINA DE LA RIVA– Eu componho sim, mas não mostro. Estou no meu processo de aprendizado, e quando for o momento certo, irei gravá-las.

Veja Adivinha o Quê?, com Marina de la Riva e Lulu Santos:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑