Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: músicos brasileiros anos 2000

Pedro Bada lança Encontro e prepara o seu novo álbum

pedro bada encontro 400x

Por Fabian Chacur

Após ter sucesso na carreira publicitária, Pedro Bada resolveu mergulhar em um outro universo. Mais precisamente, o de cantor, compositor, músico e produtor autoral. Ele conseguiu ótima repercussão com o álbum Exile (veja o clipe da faixa-título aqui), que repercutiu bem em plataforma de streaming nos EUA e no Reino Unido.

Radicado nos EUA há alguns anos, onde teve de encarar os transtornos causados pela pandemia do novo coronavírus, Bada prepara-se para lançar um novo trabalho. A primeira amostra, o single Encontro, é definido por ele como uma homenagem ao estilo musical de Vinícius de Moraes, Tom Jobim e Elis Regina. Eis a entrevista que ele concedeu via e-mail a Mondo Pop.

MONDO POP- Encontro te apresenta em um contexto bem diferente de suas gravações anteriores, agora em estilo voz e orquestra. Como surgiu a ideia de gravar a canção dessa forma? Será a tônica de seu próximo álbum, ou esse trabalho trará outras vertentes sonoras também?
PEDRO BADA
– Vinha de uma leva de super arranjos e produções elaboradas. A transição para uma tônica mais minimalista foi um contraponto natural. O novo material vai para vários lugares musicalmente, incorporando o universo eletrônico que é parte importante da minha linguagem, mas dentro desse universo que foi apresentado em Encontro.

MONDO POP- O que te levou a abandonar a área publicitária para se dedicar à música autoral? E o que você preservou dessa experiência na publicidade para essa nova vertente de seu trabalho?
PEDRO BADA
– Faço música nos bastidores desde que nasci. Quando vi que já tinha construído uma história legal na propaganda, decidi que era hora de me dedicar ao que amo. A publicidade me abriu caminhos na produção visual, que hoje é parte integral do meu trabalho como músico, e minha experiência como empreendedor me abriu portas para trabalhar com empresas de tecnologia que desafiam o futuro de como a música é consumida e criada. NFTs foram parte importante do lançamento do Encontro e serão de todos os próximos.

MONDO POP- Exile teve boa repercussão no exterior. Faça um balanço de como você avalia esse trabalho, tanto em termos artísticos quanto em termos de divulgação no Brasil e em outros países.
PEDRO BADA
– Musicalmente, foi um exercício de experimentação pública. Não estava preocupado em me definir como artista ou me ater à uma identidade específica, coloquei tudo que me deu na telha fazer e fiz dessa salada, o conceito. Felizmente, muita gente fora do Brasil ouviu e se identificou e isso abriu portas importantes pra mim. Tive a chance de gravar no Abbey Road, em Londres, que foi uma experiência incrível, e colaborar com lendas vivas. Agora, tenho uma preocupação maior em buscar significado, fazer só o que vem do coração.

MONDO POP- Como você define o seu universo musical? Quais seriam as suas influências básicas, como compositor e como tecladista?
PEDRO BADA
– Esta semana fui de Chico Buarque à Thom Yorke, à Stevie Wonder à ARCA… Acho que é um universo grande demais para definir, mas é aí que mora o segredo.

MONDO POP- Como tem sido para você em termos musicais e pessoais esse período nos EUA, especialmente em meio a uma pandemia?
PEDRO BADA
– Fui obrigado a colocar um trabalho que estava praticamente pronto para ser lançado na geladeira quando a pandemia chegou, e fiquei trancado nos EUA, sem poder sair. Mudei pra uma cabine em Truckee, no Norte da Califórnia, e fiquei lá por um ano, morando na beira do rio, fazendo arte e esporte. O processo me inspirou, me fez crescer e me trouxe à minha casa que é Los Angeles.

MONDO POP- Você tem planos de fazer shows para divulgar a sua música? Em que formato?
PEDRO BADA
– Estamos elaborando 2 formatos, um mais simples e outro em que saio acompanhado de um coletivo muito especial.Se tudo der certo, até o final do ano levaremos o show pro Brasil.

Encontro (vídeo)- Pedro Bada:

Ricardo Bacelar e Delia Fischer releem Nada Será Como Antes

ricardo bacelar delia fischer

Por Fabian Chacur

Graças à qualidade de seu trabalho, Ricardo Bacelar é presença constante em Mondo Pop (leia mais sobre ele aqui). Desta vez, a motivação é o lançamento do clipe de Nada Será Como Antes, clássico de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos que o tecladista, arranjador, compositor e eventual cantor releu ao lado da consagrada cantora, compositora e musicista Delia Fischer.

A belíssima canção lançada por Milton em 1972 no seu antológico álbum Clube da Esquina traz uma letra que se mantém mais atual do que nunca. O dueto de Bacelar e Delia é delicioso, com eles se alternando nos vocais e, em um determinado momento, tocando o piano a quatro mãos. A releitura traz um tempero jazzístico à música, sem no entanto tirar dela a sua essência pop.

A faixa traz, além da dupla, os músicos João Castilho (guitarra), Danilo Sina (sax e flauta), Renato Endrigo (bateria), Alexandre Katatau (baixo) e André Siqueira (percussão). A gravação foi feita durante show que Ricardo realizou em maio de 2018 no Blue Note Rio, no Rio de Janeiro.

Nada Será Como Antes integra o álbum Ricardo Bacelar- Ao Vivo No Rio, já disponível nas plataformas digitais e com boa repercussão nos EUA, Europa e Japão, onde o público fã de jazz e fusion está ouvindo de forma intensa essa geral que o artista brasileiro deu em seu repertório.

Nada Será Como Antes (ao vivo)– Ricardo Bacelar e Delia Fischer:

© 2023 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑