Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: simply red

Fritz McIntyre, 62 anos, o tecladista do auge do Simply Red

fritz mcIntyre

Por Fabian Chacur

Sempre que o nome Simply Red vem à tona, normalmente todos se lembram imediatamente de seu vocalista, o carismático Mick Hucknall. Nada errado em relação a isso. No entanto, a banda não teria atingido o status de fama e qualidade artística se não tivesse outros integrantes talentosos. Um deles, o tecladista e compositor Fritz McIntyre, infelizmente nos deixou nesta terça-feira (24). A notícia foi divulgada no site oficial do grupo britânico, lamentando a perda. Ele iria completar 63 anos no próximo dia 2 de setembro.

McIntyre fez parte da formação original do Simply Red, e se manteve no time nos seus álbuns mais bem-sucedidos em termos comerciais e artísticos, os ótimos Picture Book (1985), Men And Women (1987), A New Flame (1989), Stars (1991) e Life (1995), além do EP gravado ao vivo The Montreux EP (1992).

Além de excelente tecladista com nítidas influências de soul, jazz, funk e disco e também bom vocalista de apoio, McIntyre foi coautor de pelo menos sete canções gravadas pela banda, entre elas Come To My Aid, Picture Book, Something Got Me Started e Thrill Me.

Tive a honra de entrevistar McIntyre em duas ocasiões, ambas em São Paulo. A primeira foi em janeiro de 1988, durante a 1ª edição do festival Hollywood Rock. Tenho fotos com ele e seus colegas de banda feitas pelo querido Edinho, irmão do não menos querido jornalista Celso Lopes. Quando o grupo voltou ao Brasil, em janeiro de 1993, mais uma vez para tocar em um Hollywood Rock, pude conversar um pouco mais com ele, e foi muito legal.

Perguntei à ele porque só tinham gravado um EP, e não um álbum completo ao vivo, e ele me disse que era por receio de não registrar um show tão legal, de dar tremedeira e sair ruim (ele me fez aquele gesto de mãos tremendo para exemplificar). Quando mostrei a ele as fotos de 1988, ele se encantou e me pediu uma na qual ele aparecia, o que fiz com todo o prazer. Uma simpatia!

Fritz saiu da banda após o lançamento do álbum Life (1995). Em entrevista que fiz com Mick Hucknall uns dois anos depois, o cantor me disse que ele saiu porque desejava incluir mais canções de sua autoria, embora não trouxesse material que satisfizesse Hucknall (Life só traz composições de Hucknall).

Após sair do Simply Red, Fritz lançou dois álbuns solo, sendo um deles de música gospel. Ele morou durante um tempo no Canadá, na cidade de Ontario, e depois foi para os EUA, sendo o diretor musical de uma igreja na Flórida. A música pop saiu de sua vida, mas sua passagem pela mesma ficou para a história.

Something Got Me Started (clipe)- Simply Red:

Simply Red anuncia single inédito e um novo álbum, Blue Eyed Soul

simply red

Por Fabian Chacur

No dia 8 de novembro, chegará ao mercado musical Blue Eyed Soul, o 12º álbum de estúdio do Simply Red, e seu primeiro de inéditas desde Big Love (2015). Trata-se de um lançamento do selo BMG (não confundir com a extinta gravadora cujo acervo hoje pertence à Sony Music) distribuído pela Warner Music. Como forma de atiçar a curiosidade dos milhões de fãs mundo afora, já está disponível nas plataformas digitais uma de suas faixas, Thinking Of You.

A nova canção é bem pra cima, no melhor estilo soul anos 1960, e tem uma certa semelhança com outro hit do grupo, The Right Thing. O álbum traz 10 composições de Mick Hucknall, cantor, compositor e fundador da banda, com produção a cargo de Andy Wright, que colabora com ele há quase 30 anos.

As gravações de Blue Eyed Soul foram feitas em Londres no British Grove Studios, os mesmos onde foi gravado o álbum Blue And Lonesome (2016), dos Rolling Stones, e cujo proprietário é Mark Knopfler, do Dire Straits.

Mick Hucknall mantém apenas o saxofonista Ian Kirkham da formação clássica do grupo nos anos 1980, mas a escalação atual permanece mais ou menos estável desde 2003 em shows e discos. O grupo tocará no icônico Hide Park de Londres no dia 15 de setembro, em evento promovido pela Radio 2.

Em comunicado à imprensa, o cantor afirma que fugiu do que seria comum de se fazer em sua idade (fará 60 anos em 2020), uma sonoridade mais introspectiva e sombria, e procurou gravar um álbum energético, pra cima e com poucos overdubs, com a banda tocando junta, como se fosse ao vivo.

Essas são as faixas de Blue Eyed Soul:

1. Thinking of You
2. Sweet Child
3. Complete Love
4. Take a Good Look
5. Ring That Bell
6. BadBootz
7. Don’t Do Down
8. Riding on a Train
9. Chula
10. Tonight

Thinking Of You– Simply Red:

Coletânea é uma boa amostra da fase recente do Simply Red

simply red novelas e baladas-400xPor Fabian Chacur

Novelas & Baladas, CD lançado recentemente pelo selo brasileiro Lab344, pode parecer para o desavisado mais uma das várias compilações existentes no mercado com hits do Simply Red, um dos grupos de maior sucesso dos últimos 30 anos. Uma análise mais apurada, no entanto, mostra que a coletânea acaba sendo um bom resumo da fase mais recente da banda britânica. Bem legal mesmo.

Depois de muitos anos ligada às gravadoras Warner e Eastwest, a banda liderada com mão de ferro pelo genial cantor e compositor britânico Mick Hucknall entrou em nova fase a partir de 2003, quando inaugurou seu próprio selo, que desde então tem lançado os novos trabalhos do grupo com acordos de distribuição com gravadoras de diversos países.

Nesse período, o Simply Red lançou os discos de inéditas Stay (2003) e Home (2007) e também os álbuns com releituras de seus sucessos dos anos 1980 e 1990 e uma ou outra canção inédita Simplyfied (2005) e Songs Of Love (2010). E é essa a origem das 13 faixas desta coletânea, com gravações registradas entre 2003 e 2010.

Três são releituras bacanas dos hits For Your Babies, Holding Back The Years e Ev’ry Time We Say Goodbye. As outras equivalem a uma espécie de melhores momentos dessa fase mais recente do trabalho do Simply Red. A empolgante e sacudida Stay, por exemplo. A maravilhosa balada r&b So Not Over You. A certeira Home. A caliente e latina Perfect Love. E por aí vai. E vai muito bem.

É bom verificar que várias dessas músicas mais recentes do Simply Red podem ser comparadas sem susto aos clássicos gravados por eles nos anos 1980 e 1990. Todas as músicas aqui reunidas foram incluídas em trilhas de novelas televisivas como Amor À Vida, Celebridade, Belíssima, Roda de Fogo e Corpo e Alma, entre outras.

Novelas & Baladas pode servir como um bom complemento para quem já tem compilações com os hits da fase clássica do Simply Red, além de um aquecimento para aguardar os futuros shows da banda. Após aproximadamente cinco anos longe de cena, o grupo volta à ativa a partir de outubro para comemorar seus 30 anos de estrada.

Até o momento, só foram divulgadas as datas de shows na Europa, que irão rolar entre outubro e dezembro. No entanto, tudo leva a crer que a tour Big Love Tour 2015- The Return Of Simply Red irá atingir em 2016 outros mercados como Ásia, América do Norte, Central e (cruzemos os dedos) América do Sul, Brasil incluso.

Stay – Simply Red:

So Not Over You– Simply Red:

Home– Simply Red:

Mick Hucknall relê clássicos da soul music

Por Fabian Chacur

American Soul, álbum que a Warner Music acaba de lançar no Brasil, é o primeiro trabalho lançado por Mick Hucknall após encerrar as atividades do Simply Red, grupo que o tornou conhecido mundialmente e que se manteve na estrada por 25 anos, emplacando um caminhão de hits.

Em 2008, dois anos antes da turnê mundial de despedida de sua banda, ele lançou seu primeiro disco solo, Tribute To Bobby, no qual releu com muita propriedade e categoria 12 clássicos do repertório do bluesman americano Bobby “Blue Bland” (com a bênção do homenageado). Seguindo o mesmo espírito revisionista do bem, ele agora regrava à sua moda 12 clássicos da soul music.

Além de ótimo compositor, Hucknall sempre se deu bem revisitando material alheio, como provam suas gravações de Money’s Too Tight (To Mention), Everytime I Say Goodbye, If You Don’t Know Me By Now e Heaven. E essa veia se manteve em alto nível neste novo trabalho.

Com arranjos sóbrios e interpretações um pouco mais contidas do que o habitual, o cantor britânico fugiu de escolhas mais óbvias, com a possível exceção de Don’t Let Me Be Misunderstood, regravada por Deus e o mundo mas que ficou bacana em sua belíssima voz.

O trabalho é repleto de momentos elogiáveis, entre os quais merecem destaque That’s How Strong My Love Is, Lonely Avenue, I’d Rather Go Blind, Tell It Like It Is e Baby What You Want Me To Do. A rigor, só fica a dever a bregosa It’s Impossible, hit do xaroposo Matt Monro que de soul music não tem é nada. Única bola na trave em um repertório impecável.

I’d Rather Go Blind– Mick Hucknall:

That’s How Strong My Love Is– Mick Hucknall:

© 2022 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑