Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: ubook

Marco Mazzola reedita o livro com as suas incríveis memórias

marco mazzola ouvindo estrelas capa livro

Por Fabian Chacur

O que nomes tão importantes da história da nossa música como Raul Seixas, Elis Regina, Simone, Ney Matogrosso e Milton Nascimento tem em comum, além do imenso talento? Todos tiveram trabalhos importantes de suas ricas discografias produzidos por um certo Marco Mazzola. A trajetória desse grande produtor, hoje com 75 anos e mais na ativa do que nunca, foi descrita em 2007 no livro Ouvindo Estrelas. Pois agora chega uma nova e turbinada edição desta incrível autobiografia, desta vez pela editora Ubook e disponível nos formatos físico, digital e audiobook (narrado por Lúcio Mauro Filho).

Ouvindo Estrelas volta com 544 páginas, sendo 67 de texto adicionais, relatando tudo o que Mazzola fez nos últimos 15 anos, 40 páginas com fotos ilustrando sua riquíssima trajetória e uma discografia com fotos das capas de boa parte dos álbuns produzidos por ele durante esses mais de 50 anos de atividades. Entre eles, nada menos do que Krig-ha, Bandolo! (Raul Seixas-1973), Falso Brilhante (Elis Regina-1976), Alucinação (Belchior-1976) e Sentinela (Milton Nascimento-1980), só para citar alguns deles.

Oriundo de uma humilde família de imigrantes portugueses moradores do Rio de Janeiro e nascido em 25 de abril de 1947 (exatamente um mês após Elton John, vale registrar), o garoto Marco Aurélio da Silva recebeu o apelido Mazzola por sua semelhança com o futebolista brasileiro que foi revelado pelo Palmeiras e depois fez linda carreira na Itália. Curiosamente, este atleta oriundo de Piracicaba (SP) foi batizado como José João Altafini, e recebeu o apelido por causa do craque italiano Valentino Mazzola.

No livro, Mazzola conta sua incrível trajetória, desde os tempos de integrante do grupo infantil Pequenos Cantores da Guanabara até o seu envolvimento com gravações, trabalhando inicialmente como auxiliar, depois como técnico e posteriormente assumindo o posto de produtor. Uma trajetória repleta de momentos simplesmente inacreditáveis, nos quais ajudou a concretizar alguns dos trabalhos mais significativos da nossa música em termos artísticos e de vendagens.

Tipo do livro essencial para quem deseja estudar sobre o desenvolvimento da cena musical brasileira entre os anos 1970 e os tempos atuais, narrando com um texto simples, direto e envolvente histórias que deixarão o leitor com o queixo caído, como, por exemplo, o envolvimento de Mazzola com ninguém menos do que Paul Simon durante as gravações do icônico álbum The Rhythm of The Saints (1990), por exemplo.

Mazzola é de um tempo no qual aliar qualidade artística a bons resultados comerciais era quase que uma questão de honra para diversos profissionais do meio musical. Algo que, de certa forma, se perdeu pelo caminho. Que Ouvindo Estrelas possa servir como exemplo para as novas gerações retomarem esses parâmetros tão importantes para a criação. O amor à música é o que sempre moveu esse profissional, e isso deve servir de exemplo para muita gente que atualmente só pensa nos cifrões.

Gita (clipe)- Raul Seixas:

Kika Seixas fala sobre sua vida ao lado do saudoso Maluco Beleza

kika seixas livro-400x

Por Fabian Chacur

Entre as três esposas e várias companheiras que Raul Seixas teve em seus 44 agitados anos de vida, Kika Seixas certamente ocupa o posto mais alto. Não só pelos cinco anos em que se manteve junto com ele, mas também pelo fato de, após a morte dele em 1989, ter sido decisiva no intuito de gerir a obra do Maluco Beleza. Como forma de registrar essa experiência ao lado de um dos grandes nomes da história do nosso rock, ela, em parceria com um grande amigo de Raul, o engenheiro e escritor Toninho Buda, acaba de lançar Coisas do Coração- Minha História Com Raul Seixas, disponibilizado pela editora UBOOK nos formatos livro impresso, ebook e áudio book, este último contando com narração da própria Kika e da filha, Vivian, e também dos atores Sônia Dias e Nelito Reis.

Kika conheceu o autor de Ouro de Tolo em 1979, quando trabalhava na gravadora Warner-WEA. De uma simples carona que ela proporcionou ao roqueiro, sairia um relacionamento intenso, com altos e baixos e que resultou também em uma filha, Vivian, nascida em 28 de maio de 1981. Não só afetivo, mas também profissional, pois ela assinou 15 canções bem legais em parceria com Raul, entre as quais Só Pra Variar, Nuit e Coisas do Coração.

Com um texto delicioso e fluente, o livro narra momentos íntimos entre os dois e os bastidores de produção e gravação dos discos Abre-te Sésamo (1980), Raul Seixas (1983), Raul Seixas Ao Vivo Único e Exclusivo (1984) e Metrô Linha 743 (1984). O legal é a forma como Kika e Buda nos oferecem as informações, que ganham muita credibilidade exatamente por esse método.

Além da reprodução de inúmeras matérias publicadas naquele período por diversos jornais e revistas, Kika vai além de se valer apenas de suas memórias. Como era uma espécie de arquivista compulsivo em relação à tudo que se relacionava a si próprio, Raul guardava todas as cartas que recebia e enviava. Dessa forma, em vários momentos os fatos apresentados são mostrados com esses registros, no calor da hora e repletos de emoção.

A paixão entre eles, os problemas do roqueiro com drogas, incluindo um bizarro vício de cheirar litros e litros de éter, sua insegurança em termos profissionais e pessoais, a forma como negligenciava sua saúde, as passagens por hospitais e clínicas, temos aqui um verdadeiro mergulho na vida de Raul nesses anos tão difíceis e ao mesmo tempo tão produtivos de sua trajetória artística e pessoal.

Entre outras revelações, ficamos sabendo como a irresponsabilidade de Raul o levou a perder uma gravação de clipe para o Fantástico em 1980, o que gerou uma forte reação negativa da emissora e também do meio artístico. Como eles conversavam muito, Kika também soube de fatos anteriores, como o da mentira acerca de um mitológico encontro entre ele e John Lennon em Nova York que, na verdade, nunca ocorreu.

O perfil do genial artista baiano apresentado aqui é de um ser humano contraditório, capaz de ser carinhoso, generoso e humano e também inconsequente, inseguro e seu pior inimigo. Kika não doura a pílula nem dele, nem de si própria, esbanjando honestidade e paixão ao nos apresentar o Raul Seixas que só ela conheceu.

Uma personagem importante que o livro nos revela é Maria Eugênia Seixas, a mãe de Raul, uma pessoa incrível pela paciência, abnegação e carinho com que tratou o filho mesmo nos momentos mais difíceis, nos quais ele criava os mais incríveis obstáculos entre seus entes queridos, mas que ela superava para cuidar dele. Várias cartas dela endereçadas a Kika falando sobre fatos ocorridos com Raul foram reproduzidas no livro. E foi Dona Maria Eugênia quem designou Kika como a responsável por cuidar da maior parte do acervo do artista, em parceria com o grande Sylvio Passos, que em 1981 criou o Raul Rock Club, o maior e melhor fã-clube do nosso genial roqueiro.

Além dos cinco anos específicos em que viveu com o músico, Kika também nos conta as coisas que fez antes de conhecê-lo, dos cinco anos finais da vida dele, nos quais seus contatos foram menores, mas ainda frequentes, e de tudo o que fez posteriormente para ajudar a manter a obra de Raul Seixas sendo divulgada após a morte dele, incluindo o projeto O Baú do Raul, que envolveu shows, lançamentos de CDs, DVDs e livros, exposições etc.

A versão física do livro é sensacional, com edição impecável que nos proporciona letras bem legíveis, capítulos bem delineados, uma generosa seção de fotos e muitas informações sobre personagens em torno de Raul- parentes, amigos, músicos, colaboradores etc. Sim, muitos livros já foram lançados sobre esse verdadeiro mito da nossa cultura, mas este aqui é certamente um dos mais relevantes e essenciais para quem deseja conhecer melhor o Maluco Beleza.

Coisas do Coração– Raul Seixas:

© 2022 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑