Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: 67 anos

Morre Glenn Frey, 67, um dos fundadores da banda Eagles

glenn frey-400x

Por Fabian Chacur

As mortes de nomes importantes no cenário musical estão aumentando de forma exponencial nos últimos tempos. Dá medo. Uma semana após David Bowie, agora é a vez do americano Glenn Frey nos deixar, nesta segunda-feira (18), aos 67 anos. Cantor, compositor e guitarrista, ele era o líder, ao lado do baterista, cantor e compositor Don Henley, dos Eagles, uma das bandas de rock mais bem sucedidas em termos comerciais da história do rock.

Nascido em Detroit no dia 6 de novembro de 1948, Glenn Frey deu seus primeiros passos rumo à fama tocando com o roqueiro Bob Seger (que ficou bem mais famoso nos anos 1970), no final da década de 60. Pouco depois, mudou-se para Los Angeles, onde montou com o cantor e compositor J.D. Souther a banda Longbranch Pennywhistle, que lançou um único álbum em 1969, sem muito sucesso.

Ambicioso, Frey encontrou o parceiro perfeito em 1970, Don Henley. Ambos queriam montar uma banda que pudesse explorar o então emergente country rock com a mesma qualidade técnica e artística dos Beatles. Ao lado de Bernie Leadon (guitarra) e Randy Meisner (baixo e vocal), criaram um time que chegou a acompanhar em 1971 a também iniciante cantora Linda Ronstadt. Não demorou para eles resolverem seguir seu próprio caminho, o que ocorreu em 1972.

The Eagles, o primeiro álbum, foi surpreendentemente gravado na Inglaterra, tendo como produtor Glyn Johns, conhecido por seus trabalhos com o The Who, The Who e os Rolling Stones, e inclui o primeiro hit dos caras, o delicioso country rock Take It Easy. Desperado, o segundo álbum, saiu em 1973, e com sua concepção conceitual não teve tanto sucesso, levando a banda a buscar novos rumos.

On The Border (1974) teve apenas duas músicas produzidas por Johns, com o resto do repertório ficando nas mãos de Bill Szymczyk e trazendo a entrada do guitarrista Don Felder. Ironicamente, o grande hit do álbum foi uma das duas trabalhadas por Glynn, a belíssima balada The Best Of My Love, que chegou ao primeiro lugar nos EUA como single.

Estava aberto o caminho para um estouro de verdade para o agora quinteto, que veio logo a seguir com o álbum One Of These Nights, primeiro trabalho da banda a atingir o topo da parada ianque. O sucesso do grupo foi tão grande que justificou poucos meses depois o lançamento da coletânea Their Greatest Hits 1971-1975, que vendeu 29 milhões de cópias e que só perdeu recentemente para Thriller, de Michael Jackson, a marca de álbum mais vendido da história nos EUA.

Com a saída de Bernie Leadon, o time cresceu com a entrada do já badalado pela crítica e público Joe Walsh, guitarrista, cantor e compositor que tinha em seu currículos bons trabalhos solo e com a banda James Gang. Sua estreia foi triunfal, em 1976, com o álbum Hotel California (1976), cuja faixa título se tornou um dos grandes standards do rock, apreciada por milhões de pessoas no mundo todo.

A fama manteve a banda na estrada o tempo todo e tornou complicada a gravação de um novo álbum, especialmente por causa dos problemas entre os músicos. The Long Run veio finalmente em 1979, com Timothy B. Schmidt na vaga de Bernie Meisner, e vendeu muito, considerado por alguns como seu melhor trabalho, mas a banda não conseguiu segurar a onda e em 1980, após uma briga feia entre Glenn Frey e Don Felder no fim de um show, encerrou suas atividades.

O clima entre os ex-colegas da banda após seu final era tão pesado que, ao ser perguntado sobre se seria possível um retorno, um de seus integrantes afirmava que isso só ocorreria “quando o inferno congelasse”. Enquanto isso não ocorria, todos investiam em projetos solo, sendo que Don Henley ficou com o respeito da crítica.

Henley também vendia muitos discos, enquanto seu ex-parceiro Frey ficou só com boas vendagens, pois os analistas musicais achavam sua obra solo muito comercial. Seja como for, ele emplacou músicas bem bacanas nos anos 1980, entre as quais The Heat Is On (tema do filme Um Tira da Pesada) e duas da trilha do seriado televisivo Miami Vice, You Belong To The City e Smuggler’s Blues, simples e diretas.

Em 1993, os grandes astros da música country de então resolveram gravar um álbum relendo músicas dos Eagles, a compilação Common Thread-The Songs Of The Eagles, e um dos participantes, Travis Tritt, convidou os ex-colegas de Eagles para participar do clipe de sua releitura (muito legal, por sinal) de Take It Easy. Eles se divertiram, começaram a conversar e….isso mesmo, o inferno congelou legal!

Com o divertido título Hell Freezes Over, os Eagles voltaram à ativa em 1994 com um ótimo disco ao vivo incluindo quatro faixas inéditas gravadas em estúdio, entre elas Get Over It, com a cara despretensiosa e direta do trabalho de Frey. O CD bateu no primeiro posto da parada americana, e a partir daí, a banda volta e meia encarava novas turnês, com direito a um novo e ótimo disco duplo de inéditas em 2007, Long Road Out Of Eden, outro campeão de vendagens.

A história da banda foi contada com maestria, belos depoimentos recentes e muito material bacana de estúdio no documentário History Of The Eagles (2013), lançado em DVD inclusive no Brasil. Nele, dá para viajar na trajetória de uma banda que, se não brilhou artisticamente como Beatles, Rolling Stones e outras desse porte, nos deixou um legado dos mais consistentes. Sim, deixou, pois dificilmente o time irá adiante sem Frey. O depoimento de Don Henley deixa isso bem evidente, embora não com todas as letras.

Take It Easy– The Eagles:

The Best Of My Love– The Eagles:

Get Over It– The Eagles:

Heartache Tonight – The Eagles:

The Heat Is On– Glenn Frey:

Chris Squire, fundador do Yes, sai da cena rock com 67 anos

chris squire yes-400x

Por Fabian Chacur

Sempre que se fazem listas com os nomes dos melhores baixistas da história do rock, Chris Squire é presença garantida, graças a seus quase 50 anos de serviços prestados. Infelizmente, ele nos deixou neste domingo (28) em Phoenix, Arizona, onde morava com a família, vítima de um tipo raro de leucemia que foi divulgado para o público no mês de maio. Ele tinha 67 anos.

Quando anunciou a doença que lamentavelmente o levaria desse plano físico, Squire também divulgou que, pela primeira vez na história do Yes, uma turnê do grupo não contaria com a sua presença. Seria a dobradinha Yes/Toto programada para ter início em agosto. Billy Sherwood, que integrou o Yes entre 1997 e 2000, seria o seu substituto (leia sobre a turnê aqui), anunciado em comunicado pelo próprio Squire.

Chris Squire nasceu em Londres em 4 de março de 1948 em Londres, e criou o Yes em 1968 com o vocalista Jon Anderson. Ele foi o único integrante a participar de todos os discos e shows da banda, uma das mais importantes, bem-sucedidas e criativas do rock progressivo. O primeiro álbum saiu em 1969, e desde o início chamou a atenção pelo talento de seus músicos.

O estouro mundial veio em 1972 com o álbum Fragile, que inclui faixas marcantes como Roundabout, Long Distance Runaround e Heart Of The Sunrise. A partir dali, o Yes viveu várias fases em sua carreira, incluindo uma mais próxima do pop na década de 1980, mas sempre tendo Squire como âncora e garantia de qualidade.

São várias as virtudes de Chris Squire. Suas linhas de baixo sempre se caracterizaram pelas belas melodias e criatividade na utilização de timbres e recursos eletrônicos. De quebra, participava das vocalizações de forma consistente e foi coautor de alguns dos clássicos da banda, entre os quais I’ve Seen All Good People, Heart Of The Sunrise, Owner Of a Lonely Heart e Leave It, só para citar algumas mais conhecidas.

Além do Yes, Squire também lançou um aclamado álbum solo, Fish Out Of Water (1975), que alguns críticos consideram tão bom como os da sua banda. O músico tocou no Brasil pela primeira vez em janeiro de 1985 na mitológica primeira edição do Rock in Rio, e esteve por aqui pela última vez em 2013. Esse vai deixar muita saudade.

Leave It – Yes:

Heart Of The Sunrise– Yes:

I’ve Seen All Good People– Yes:

Morre Joey Covington, ex-Jefferson Airplane

Por Fabian Chacur

Morreu no último dia 4 de junho aos 67 anos de idade, vítima de um acidente de carro em Palm Springs, Califórnia, o cantor, compositor e baterista Joey Covington. O músico americano ficou conhecido por ter integrado a banda Jefferson Airplane entre os anos de 1969 e 1972, sendo coautor e intérprete do célebre sucesso Pretty As You Feel.

Covington fez parte da cena musical de San Francisco, e entrou para a família Jefferson Airplane no álbum Volunteers (1969), ainda no papel de percussionista e convidado especial. Na mesma época, ficou amigo de Jorma Kaukonen (guitarra e vocal) e Jack Casady (baixo) e integrou a formação inicial do Hot Tuna, grupo alternativo de blues da dupla.

Em 1970, o baterista participou de uma viagem à Jamaica durante a qual essa primeira encarnação do Hot Tuna fez sua primeira sessão de gravações, da qual também participou Marty Balin. O repertório era composto por covers de blues e músicas inéditas e permanece inédito até hoje. Logo a seguir, ele entrou no Airplane na vaga de Spencer Dryden.

Já como integrante oficial do grupo, Joey Covigton brilhou no álbum Bark (1971) como coautor do maior hit extraído deste disco no formato single, Pretty As You Feel, que ele canta em parceria com Grace Slick. A canção atingiu o top 20 da parada americana e lhe rendeu destaque. A música soa bem diferente do som habitual do grupo.

Em 1970, convidou o lendário cantor e pianista Little Richard a participar de uma música do Airplane. Bludgeon Of a Bluecoat (The Man),, que também teria feito parte do set list do abortado álbum do Hot Tuna e que outra vez acabou não vendo a luz do dia, aparentemente rejeitada pelos outros integrantes da banda psicodélica.

Em 1972, durante as gravações do álbum Long John Silver (lançado naquele mesmo ano), Covington resolveu sair fora do time, substituído por Johnny Barbata. No ano seguinte, lançou o álbum solo Fat Fandango, que teve pouca repercussão e limitou os horizontes de sua trajetória individual, que a partir dali se tornou errática.

O álbum Spitfire, do Jefferson Starship, lançado em 1976, trouxe uma música composta por ele em parceria com Smith e Marty Balin, With Your Love, que acabou sendo um dos maiores sucessos desse trabalho do grupo que sucedeu o JA com uma proposta mais pop e acessível em termos comerciais. Ele colaboraria novamente com o grupo depois

A presença de Joey Covington também pode ser apreciada em outros álbuns envolvendo integrantes do Airplane, entre os quais Blows Against The Empire (1970, de Paul Kantner e Jefferson Airplane) e Sunfighter (1972, de Grace Slick e Paul Kantner). Nos anos 80 e 90, ele tocou com a banda San Francisco All Stars.

Em seu site oficial, Joey afirmou que o sucesso de Pretty As You Feel lhe rendeu um prêmio dos mais cobiçados, concedido por um executivo da gravadora RCA, Harry Jenkins: nada menos do que conhecer pessoalmente o rei do rock and roll, Elvis Presley. Tipo do presente inesquecível para qualquer fã de música.

Ouça Pretty As You Feel, com o Jefferson Airplane:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑