Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: rock anos 2000 (page 1 of 5)

Jack White divulga videos com duas versões de Taking Me Back

David James Swanson

David James Swanson

Por Fabian Chacur

Em seus 25 anos de carreira, Jack White sempre teve como marca a inquietude, tanto na consistente carreira solo como em seus ótimos trabalhos com as bandas The White Stripes, The Dead Weather e The Raconteurs. Vencedor de 12 troféus Grammy, o Oscar da música, o cantor, compositor e músico americano mostra que continua nesse pique ao lançar duas novas gravações, as primeiras desde seu álbum individual Boarding House Reach (2018).

Na verdade, temos aqui duas leituras de uma mesma composição. Com o título Taking Me Back, a faixa aparece como um hard rock poderoso e contagiante, com aqueles riffs marcantes nas músicas do artista americano, ilustrada no lyric video por cenas do jogo Call Of Duty: Vanguard, mais uma daqueles repletos de cena de guerra e ação tão propagados por aí.

A roupagem de Taking Me Back (Gently) (veja o lyric video aqui), traz uma abordagem completamente diferente da canção. Aqui, o rockão vira uma faixa country-hillbilly deliciosa, com direito a violino e tudo. Ambas foram lançadas pelo selo do artista, o Third Man Records, que completou 20 anos em 2021.

Taking Me Back (lyric video)- Jack White:

Green Day lança em dezembro álbum com gravações na BBC

green day bbc album 400x

Por Fabian Chacur

Enquanto se encontra em plena turnê pelos EUA, o Green Day anuncia que lançará no dia 10 de dezembro, via Warner Music, um álbum com gravações inéditas. Trata-se de Live At BBC, que flagra Billy Joe Armstrong (vocal e guitarra), Mike Dirnt (baixo) e Tré Cool (bateria) em registros ao vivo nos estúdios Midas Vale, da BBC de Londres, realizadas nos anos de 1994, 1996, 1998 e 2001.

O repertório traz várias músicas emblemáticas do repertório do trio punk norte-americano, entre as quais When I Come Around, 2000 Light Years Away, Basket Case e Minority, tocadas da forma energética que caracteriza os seus shows.

As versões físicas que sairão no exterior trarão como atrativo textos sobre cada uma das 16 faixas escritos pelo DJ da BBC Steve “Lammo” Lamacq, que teve a sorte de presenciar todas essas gravações. Fica a torcida para que a Warner Brasil também nos proporcione ao menos a versão em CD desse álbum.

Eis as faixas de Live at BBC, do Green Day:

1. She (Live at the BBC June 8 1994)
2. When I Come Around (Live at the BBC June 8 1994)
3. Basket Case (Live at the BBC June 8 1994)
4. 2000 Light Years Away (Live at the BBC June 8 1994)
5. Geek Stink Breath (Live at the BBC November 3 1996)
6. Brain Stew/Jaded (Live at the BBC November 3 1996)
7. Walking Contradiction (Live at the BBC November 3 1996)
8. Stuck With Me (Live at the BBC November 3 1996)
9. Hitchin’ A Ride (Live at the BBC February 12 1998)
10. Nice Guys Finish Last (Live at the BBC February 12 1998)
11. Prosthetic Head (Live at the BBC February 12 1998)
12. Redundant (Live at the BBC February 12 1998)
13. Castaway (Live at the BBC August 28 2001)
14. Church On Sunday (Live at the BBC August 28 2001)
15. Minority (Live at the BBC August 28 2001)
16. Waiting (Live at the BBC August 28 2001)

2000 Light Years Away (live at BBC)- Green Day:

Chryssie Hynde relê canções de Bob Dylan em novo álbum solo

Standing in the Doorway - Chrissie Hynde

Por Fabian Chacur

Uma das grandes homenagens feitas a Bob Dylan como forma de celebrar seus 80 anos de vida certamente foi Standing In The Doorway- Chrysssie Hynde Sings Bob Dylan, recém lançado em vários formatos físicos no exterior e também nas gloriosas plataformas digitais pela gravadora BMG. A cantora, compositora e musicista americana líder dos Pretenders explicou, em press release enviado à imprensa, como teve a ideia de gravar este álbum.

“Estávamos já há algumas semanas de lockdown no ano passado quando James me enviou Murder Most Foul, a nova faixa do Dylan. Ouvir essa música mudou tudo para mim, me tirou do clima pesado que eu estava. Lembro-me de onde estava no dia em que Kennedy foi baleado e peguei cada uma das referências que existem na música. É impressionante como em tudo que o Bob faz, ele consegue te fazer sorrir, te faz rir em algum momento. Eu sinto que ele é quase um comediante, com um humor ácido e sempre com algo a dizer. Na mesma hora liguei pro James e falei ‘vamos fazer alguns covers de Dylan’ e foi isso que começou tudo”, conta Chrissie.

O álbum traz 9 composições de Bob Dylan lançadas entre 1965 e 1997, e a seleção foge de escolhas óbvias do tipo Blowin’ In The Wind, Like a Rolling Stone e Jokerman, por exemplo. Gravado de forma remota, o trabalho traz apenas Chryssie e o guitarrista e multi-instrumentista britânico James Walbourne, seu colega de Pretenders desde 2008.

Cantando como nunca, a roqueira ressalta a beleza de cada palavra e das melodias com um acompanhamento instrumental sóbrio, classudo e sem grandes firulas. O resultado é um disco delicioso que tem tudo para ser ouvido durante décadas, exatamente como o repertório criado por Bob Dylan em sua prolífica e brilhante carreira.

Eis as faixas de Standing In The Doorway- Chryssie Hynde Sings Bob Dylan, com informações sobre em que ano e em quais discos essas músicas foram originalmente lançadas por Dylan:

In the Summertime (1981- Shot Of Love)

You’re a Big Girl Now (1975- Blood On The Tracks)

Standing in the Doorway (1997- Time Out Of Mind)

Sweetheart Like You (1983- Infidels)

Blind Willie McTell (gravada em 1983 e lançada em 1991 em The Bootleg Series Vols. 1-3)

Love Minus Zero / No Limit (1965- Bringing It All Back Home)

Don’t Fall Apart on Me Tonight (1983- Infidels)

Tomorrow Is a Long Time (1971- Bob Dylan’s Greatest Hits Vol. II)

Every Grain of Sand (1981- Shot Of Love)

obs.: a curiosidade fica por conta de que 5 das 9 canções relidas por Chryssie foram lançadas nos anos 1980, período que os críticos normalmente não costumam destacar de forma muito expressiva em relação à obra de Bob Dylan. Sinal claro de que essa fase merece ser melhor avaliada pelos mesmos…

Sweetheart Like You– Chryssie Hinde:

Mick Jagger lança um belo single em dobradinha com Dave Grohl

mick jagger dave grohl single

Por Fabian Chacur

Muita gente tem escrito canções tendo como tema o isolamento social exigido pelo combate ao novo coronavírus. Uma das melhores acaba de ser disponibilizada nas plataformas digitais, e tem assinatura nobre. Trata-se de Easy Sleazy, canção assinada por Mick Jagger que o vocalista dos Rolling Stones canta e toca guitarra tendo o apoio de Dave Grohl (Nirvana, Foo Fighters) nos vocais, guitarra, baixo e bateria. O resultado é uma faixa bastante energética, na melhor tradição dos Rolling Stones e com uma letra muito inteligente.

Sobre sua motivação, Jagger falou o seguinte, em comunicado enviado à imprensa: “É uma música que escrevi sobre como sair do lockdown, com um certo otimismo, que é muito necessário. Obrigado a Dave Grohl por pular na bateria, baixo e guitarra, foi muito divertido trabalhar com você. Espero que todos gostem de Eazy Sleazy”.

Por sua vez, Dave Grohl ressaltou a importância da parceria para o seu já extenso currículo: “É difícil colocar em palavras o que foi a experiência de gravar essa música com Sir Mick, o que isso significa para mim. Está além de um sonho tornado realidade. Bem, quando eu pensei que a vida não poderia ficar mais louca … achamos a música do verão, sem dúvida!”.

Easy Sleasy (clipe)- Mick Jagger e Dave Grohl:

Serj Tankian lança um clipe e promete novo EP para março

serj tankian capa single elasticity

Por Fabian Chacur

Já está disponível nas plataformas digitais um novo single de Serj Tankian. Trata-se de Elasticity, que está sendo divulgada por um clipe claustrofóbico e muito impactante dirigido por Vlad Kaptur e estrelado pela atriz russa nascida na Bielorrússia Aleksandra Bortich (creditada no vídeo como Sasha Bortich). A faixa é a primeira a ser divulgada de um novo EP do artista, programado para sair no exterior em 19 de março pelo selo Alchemy Recordings/BMG em formatos físicos e digitais.

Intitulado precisamente Elasticity, o EP traz cinco faixas de autoria do cantor, compositor, poeta, artista visual, produtor de filmes, ativista político e escritor armênio nascido no Líbano, radicado em Los Angeles e com 53 anos de idade. Ele explica como surgiu o projeto deste novo trabalho solo:

“Quando eu imaginei possivelmente criar outro disco com os caras do System of a Down alguns anos atrás, eu comecei a trabalhar em uma seleção de músicas que fiz com arranjos de rock por esse motivo,” Serj diz. “Como nós não conseguimos chegar a um acordo na visão de um álbum para o grupo, eu decidi lançar essas músicas pelo meu nome.”

Mais ativo do que nunca, com cinco álbuns do SOAD e outros cinco solo no currículo, além de várias colaborações com outros artistas, ele também compôs trilhas para vários filmes. Sua mais recente produção em termos cinematográficos é o documentário Truth To Power, que registra um pouco da sua atuação como roqueiro e ativista político, sempre lutando em nome das minorias e contra ditaduras e políticos opressores e violentos.

Eis as faixas do EP Elasticity:

1. Elasticity
2. Your Mom
3. Rumi
4. How Many Times?
5. Electric Yerevan

Elasticity (clipe)- Serj Tankian:

Bastille lança Goosebumps, parceria com Kenny Beats

bastille 400x

Por Fabian Chacur

O grupo britânico Bastille, que teve participação de destaque na edição de 2015 do Lollapalooza Brasil, está com uma faixa nova nas plataformas digitais. Trata-se de Goosebumps, com uma hipnótica levada midtempo e participação especial do badalado produtor e compositor americano Kenny Beats. A canção, cujo clipe mescla imagens da banda com animação gráfica para divulgá-la, é a faixa-título de seu recém-lançado EP pela Universal Music.

O EP também inclui versões ao vivo de Goosebumps e Survivin’ e outra parceria bem bacana. Trata-se de What You Gonna Do??? (ouça aqui), rock energético com tempero pop que traz o guitarrista e cantor Graham Coxon, conhecido por seu trabalho com a icônica banda britânica Blur.

Com dez anos de carreira, o Bastille é liderado pelo cantor e compositor Dan Smith, e lançou até o momento os álbuns Bad Blood (2013), Wild World (2016) e Doom Days (2019), todos atingindo os primeiros postos nas paradas britânicas e dos EUA. Sua mistura de r&b, rock, pop eletrônico e pop dos anos 1980 já rendeu hits como Pompeii, Of The Night e Happier.

Goosebumps (clipe)- Bastille e Kenny Beats:

Of Monster And Men lança Visitor como prévia de um EP

of monster and men

Por Fabian Chacur

O tempo passa, o tempo voa, e a adorável banda islandesa Of Monster And Men, que já se apresentou no Brasil (leia mais sobre eles aqui), completa dez anos de carreira. Como forma de celebrar essa efeméride bacana, o quinteto acaba de lançar, com um clipe, uma nova canção, intitulada Visitor. É a primeira prévia de um EP ainda sem data definida para sair, mas com título definido, Tiu.

A palavra tiu significa dez, em islandês, explicando a intenção deste lançamento de certa forma precoce, pois o Of Monster And Men costuma lançar novos álbuns aproximadamente de três em três anos. Seu trabalho mais recente, Fever Dream, saiu em 2019, e atingiu o 9º posto na parada americana. O som de Visitor é um pop-rock melódico com tempero de anos 1980 e ecos de bandas legais da época como o A-ha e Talk Talk, por exemplo.

Visitor (clipe)- Of Monster And Men:

Alex Kapranos relê clássico dos anos 1960 com Clara Luciani

alex kapranos summer wine single 400x

Por Fabian Chacur

O cantor, compositor e músico escocês Alex Kapranos, vocalista da banda Franz Ferdinand, aproveitou bem sua quarentena gerada pela pandemia do novo coronavírus. Ele se uniu à cantora francesa Clara Luciani para, juntos, relerem um clássico dos anos 1960. Trata-se de Summer Wine, canção do cantor e compositor country americano Lee Hazelwood gravado por ele em 1967 em um dueto com a cantora Nancy Sinatra, filha de vocês sabem quem.

A primeira vez em que Kapranos e Luciani interpretaram essa música ocorreu durante um show dela no icônico Olympia, em Paris, e o resultado agradou tanto que ficou no ar a possibilidade de um registro em estúdio. Kapranos explica:

“Quando a quarentena começou, nós decidimos gravá-la – mais para nós que para qualquer outra coisa. Queríamos criar uma atmosfera de um mundo imaginário longe do confinamento que estávamos vivendo. Não que estivéssemos infelizes, mas a imaginação é o maior meio de escape e aventura. Foi gravada na minha casa na Escócia e mixada por nossos amigos Antonie e Pierre no estúdio em Paris. Quando tocamos para os nossos selos eles sugeriram um lançamento, então, aí está o single”.

Clara é uma das mais badaladas cantoras da nova geração do pop francês, e, graças à boa repercussão de seu bastante elogiado álbum Sainte-Victoire (2018), ganhou o prêmio Victories de La Musique (uma espécie de Grammy da França) como artista feminina este ano.

Summer Wine voltou às paradas de sucesso em 2017 em sua gravação de 1967 (ouça aqui) ao ser utilizada em um comercial de uma loja de departamentos de cunho mundial. A composição de Lee Hazelwood já foi regravada inúmeras vezes, incluindo versões com Demis Roussos e Nancy Boyd, The Corrs e Bono, Evan Dando e Sabrina Brooke e Lana Del Rey e Barrie-James O’Neill, para citar algumas das releituras mais conhecidas.

Summer Wine (clipe)- Alex Kapranos e Clara Luciani:

Carlos Coelho, do Biquini Cavadão, lança clipe solo

carlos coelho

Por Fabian Chacur

Além de guitarrista há 35 anos do Biquini Cavadão, Carlos Coelho também é cantor, compositor, produtor e diretor de clipes, tendo também trabalhado com jingles e trilhas para filmes, TV e teatro. Ele acaba de lançar um clipe solo, We’ll Roll On, no qual canta, toca guitarra e baixo e de quebra se incumbe da produção e criação. As cenas são todas de animação, com direção de arte e motion design assinadas por Fabio Holtz e ilustrações muito legais de Otávio Bittencourt. O resultado é bastante elogiável.

We’ll Roll On foi composta em 2011 por Coelho em parceria com o neozelandês radicado nos EUA Simon Spire, que tem em seu currículo musical os álbuns All Or Nothing (2008) e Four-Letter Words (2012). Esta canção já havia sido gravada em 2014 pelo Biquini Cavadão em versão ao vivo e em português intitulada Vou Deixar Tudo Pra Traz (ouça aqui), do DVD Me Leve Sem Destino.

Coelho é acompanhado nesta gravação por Diogo Macedo (bateria) e Tay Cristelo (backing vocals), e dá à sua versão da música um clima mais de rock alternativo, sem no entanto perder a energia da gravação em português feita por sua banda. Ele tem mais de 250 composições gravadas pela sua banda e por outros artistas, além de ter participado de CDs e DVDs de Leila Pinheiro, Cidade Negra, Jammil e Uma Noites, Vinny e Buchecha, entre outros.

We’ll Roll On (clipe)- Carlos Coelho:

Alexisonfire lança single soturno e potente, Season Of The Flood

alexisonfire single capa 400x

Por Fabian Chacur

A banda canadense Alexisonfire lançou em 2019 duas faixas inéditas, algo que não fazia há dez longos anos. As energéticas Familiar Drugs (veja o clipe abaixo) e Complicit (ouça aqui) flagraram o quinteto em plena forma. E agora eles nos oferecem um terceiro biscoito fino, Season Of The Flood (ouça aqui), enquanto fazem uma série de cinco shows de hoje (20) a domingo (26) no Canadá e EUA.

Season Of The Sun é bem diferente das outras duas canções, com quase sete minutos de duração, andamento mais compassado e um clima soturno recortado por guitarras pesadas e boas vocalizações. Um belo momento que flagra George Pettit (vocal) e Dallas Green (vocal, guitarra-base e piano) cantando juntos em uma faixa do grupo pela primeira vez.

“Estou muito orgulhoso dessa nova música”, diz Pettit. “Houve algumas primeiras tentativas e todos nós nos reunimos no estúdio para fazer dessa música o que é. Essa também foi a primeira vez que cantei com Dallas em uma música. Eu sei que estou tocando em uma banda com Dal há quase 20 anos, mas caramba, a voz desse cara pode derreter um anjo.”

Criado em 2001 em Ontario, no Canadá, o Alexisonfire também traz em sua formação Wade MacNeil (guitarra-solo e vocais), Chris Steele (baixo) e Jordan Hastings (bateria), e faz um som que mistura hardcore com elementos melódicos e muita energia. No currículo, o quinteto traz quatro álbuns de estúdio e quatro ao vivo, sendo seu CD mais popular Old Crowns/Young Cardinals (2009). Eles tocaram no Brasil em 2012, durante a turnê que marcou sua separação.

Após um retorno em 2015, o grupo agora retoma a carreira com mais empenho. Seus músicos também tem projetos paralelos, sendo o mais bem-sucedido o de Dallas Green, o City And Colour, no qual o artista investe com muita desenvoltura em folk e pop, tendo lançado até o momento seis álbuns de estúdio e três ao vivo. Sua voz é ótima, e se encaixa feito luva nesse repertório mais delicado, em canções como Northern Wind (ouça aqui).

Familiar Drugs (clipe)- Alexisonfire:

Older posts

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑