Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: setembro 2018 (page 2 of 2)

Dzi Bando inicia a temporada em SP neste fim de semana

dzi 400x

Por Fabian Chacur

Como forma de celebrar os 45 anos da criação dos Dzi Croquettes, um dos grupos teatrais mais revolucionários da história da cultura brasileira, e também de quebra comemorar seus 50 anos de carreira, Ciro Barcelos concebeu o espetáculo Dzi Bando, que inicia sua temporada em São Paulo neste fim de semana. As apresentações começam neste sábado (8) às 21h30 e domingo (9) às 20h30 no Teatro Augusta (rua Augusta, nº 943- Cerqueira César- fone 0xx11-3231-2042), com ingressos custando R$ 40,00 (meia) e R$ 80,00. Eles ficam em cartaz até outubro.

Ciro integrou a formação clássica dos Dzi Croquettes ao lado de seu criador, Lennie Dale (1934-1994), Claudio Tovar, Claudio Gaya e Paulette, entre outros. O grupo atuou entre 1972 e 1976 no Brasil e na França, e se tornou famoso por sua criatividade e também por desafiar os preconceitos e a caretice em plena ditadura militar brasileira. Sua história foi apresentada no excelente documentário Dzi Croquettes (2009), de Tatiana Issa e Raphael Álvarez.

Dzi Bando é um show cênico que traz Barcelos ao lado de uma banda composta por cinco músicos que cantam, dançam e representam. São eles Toi Medeiros (violão, cavaquinho, pad , vocais), Vitor Toledo (percussão, guitarra, baixo, vocais), Rafael Diniz (piano, guitarra, percussão, vocais), Vittor Deamo (baixo, violão, saxofone, percussão, vocais) e Fabricio Bertrami (bateria). Em meio a rock, samba, chorinho, bossa nova, cyber funk e afro punk, Ciro relembra histórias do grupo.

As histórias tem como personagens integrantes do grupo e também amigos e parceiros ilustres, como Elis Regina, Gal Costa e Caetano Veloso. Vale recordar que os Dzi Croquettes contaram com um grande apoio por parte da consagrada atriz e cantora Liza Minelli, e tiveram entre seus fãs astros do porte dos roqueiros Mick Jagger e David Bowie, fascinados com suas coreografias ousadas e criativas.

Dzi Croquettes (documentário em streaming):

Fred Falcão mostra o seu lado regional no CD Ser Tão Brasil

fred falcao ser tao brasil capa 400x

Por Fabian Chacur

Após lançar o antológico álbum Leny Andrade Canta Fred Falcão-Bossa Nossa (leia a resenha aqui), o cantor, compositor e músico Fred Falcão volta com outro trabalho digno de ser devidamente apreciado. Trata-se de Ser Tão Brasil- Canções de Fred Falcão (Fina Flor), no qual traz como mote o lado mais regional de sua inspiração, ele que é pernambucano de Recife e radicado há décadas no Rio de Janeiro. Mais brasileiro, impossível.

Compositor inspirado e versátil, Fred foi gravado por artistas de áreas bem distintas, como Clara Nunes, Boca Livre, Nelson Gonçalves, Luiz Gonzaga e Os Cariocas, entre outros. É exatamente essa capacidade de enveredar por vários estilos musicais com jogo de cintura que ele nos apresenta neste novo CD, no qual também dá vasão ao seu lado cantor e se mostra muito competente nessa área, dando conta do recado.

Inteligente, deu um espaço significativo no álbum para um bom valor da nova geração, a cantora Mariana Brant, sobrinha do grande e saudoso poeta mineiro Fernando Brant, um dos melhores parceiros de Milton Nascimento. Ela marca presença em cinco das doze faixas do álbum, emprestando a elas seu tom doce e bem utilizado, com destaque para as envolventes Valsa Sertaneja, Ser Tão Brasil e Faca de Ponta. A moça prova ter um ótimo potencial que tem tudo para gerar belos frutos.

Além de Mariana, o álbum traz outras presenças importantes. Entre outros, temos aqui Rildo Hora (harmônica), Elias Muniz (vocal), Manno Góes (vocal), Dirceu Leite (flauta e clarinete), Jaime Alem (viola caipira e viola 12 cordas), Lula Galvão (violão e guitarra), Jorge Helder (baixo), Jurim Moreira (bateria) e Marcelo Costa (percussão). Os arranjos e regências foram divididos por João Carlos Coutinho e Geraldo Vianna, com resultado expressivo e classudo.

O repertório passa por bolero, baião, xote, toada, canções e bossa nova, esta última a especialidade de Fred, que assina todas as músicas. Entre seus parceiros, temos aqui Antônio Cícero, Manno Góes, Elias Muiz, Aluizio Reis, Carlos Henrique Costa e Ronaldo Monteiro de Souza.

As envolventes melodias foram aliadas a letras impecáveis, versando sobre as várias vertentes do amor, memórias bacanas e impressões sobre o Brasil, com direito à citação de ícones da nossa música como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Altamiro Carrilho e Ademilde Fonseca.

Ser Tão Brasil equivale a uma deliciosa viagem por um universo musical oriundo da abençoada mestiçagem brasileira, fundindo ritmos e estilos e dando origem a uma sonoridade própria, típica da nossa terra e rica por natureza. E fica o registro: intérpretes talentosos/talentosas e de bom gosto em busca de músicas de qualidade deveriam procurar Fred Falcão urgente, pois o seu songbook não só é repleto de coisas boas, como também se renova e se amplia a olhos vistos.

Ser Tão Brasil– Fred Falcão e Mariana Brant:

Taryn Donath mostra o swing do beatnik blues em Sampa

taryn donath-400x

Por Fabian Chacur

Em 1998, Taryn Donath lançou o seu álbum de estreia, Have Piano Will Travel, com o qual surpreendeu os fãs de r&b, jazz, soul e swing, mesmo tendo apenas 17 anos de idade. Desde então, essa talentosa cantora e pianista californiana ampliou seus horizontes e se consolidou como uma artista de rara consistência musical. Ela se apresenta em São Paulo pela primeira vez nesta quarta (5) às 21h30 no Bourbon Street (rua dos Chanés, nº 127- Moema- fone 0xx11-5095-6100), com couvert artístico a R$ 50,00.

Com 37 anos de idade, Taryn tocou com bandas, mas tornou-se conhecida por se dedicar a um formato não tão comum em seu estilo musical, no qual se acompanha ao piano e tem a seu lado apenas um baterista, um tipo inusitado de duo. Dessa forma, conquistou fãs em seu pais com o que ela apelidou de beatnik blues, mescla de swing, rhythm and blues, soul e jazz no qual se destacam sua voz bem colocada e um balanço contagiante no piano inspirado nos grandes mestres.

No show do Bourbon Street, Taryn terá a seu lado dois músicos brasileiros, o baterista Jaderson Cardoso e o gaitista Marcelo Naves. O repertório deve trazer músicas de CDs como o de estreia e também de Gardenia (2012) e Memories Of Ruth, este último uma homenagem à saudosa e brilhante cantora de rhythm de blues Ruth Brown (1928-2006). Músicas como I’ll Wait For You e The Mess Around, hits respectivamente de Ruth Brown e Ray Charles, são destaques.

I’ll Wait For You– Taryn Donath:

Olivia Gênesi/Raquel Martins cantam juntas em São Paulo

olivia genesi e raquel-400x

Por Fabian Chacur

Embora a grande mídia prefira ignorar, existem inúmeros artistas talentosos no atual cenário musical brasileiro, todos batalhando para solidificar e viabilizar suas carreiras. Olivia Gênesi e Raquel Martins integram uma parte nobre desse time, com trajetórias bem bacanas e trabalhos de primeira. Elas se apresentam em São Paulo nesta quarta (5) às 21h no projeto Talento MPB do Bar Brahma (avenida São João, nº 677- República- fone 0xx11-2039-1250), com ingressos a R$ 30,00.

Juntas, as duas lançaram em 2016 o CD O Mar e Outras Águas, cujo repertório se fará presente neste show, assim como canções de seus discos solo mais recentes, Amor e Liberdade (Olivia) e Percepções Sonoro Poéticas (Raquel). As duas cantarão, sendo que Olivia tocará piano, guitarra, escaleta e percussão, enquanto sua colega de palco se incumbirá de guitarra, violão e baixolão.

Uma canção será lançada precisamente neste show, uma homenagem ao histórico local onde a apresentação será realizada. Trata-se de Lua Paulistana, com letra a cargo de Raquel e melodia feita por Olivia. A faixa será lançada em breve nas plataformas digitais no formato single pelo selo Elefante D. O som delas é uma mistura de MPB, pop, rock, folk e muito mais, com direito a letras consistentes e melodias bacanas.

Saiba mais sobre Olivia Gênesi aqui, e sobre Raquel Martins aqui.

Seiva da Vida (ao vivo)- Olivia Gênesi e Raquel Martins:

Prince terá álbum piano e voz inédito lançado em setembro

Por Fabian Chacur

prince piano & a micofone 1983-400x

Prince teria celebrado 60 anos de idade em junho deste ano. Como forma de relembrar esse seminal cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista que nos deixou precocemente em 2016, a gravadora Warner programou para setembro o lançamento de um álbum inédito dele. Trata-se de Piano & A Microfone 1983, que terá no exterior os formatos CD, LP de vinil, deluxe edition (ainda sem conteúdo adicional divulgado) e digital.

O álbum traz 9 gravações feitas pelo genial astro de Minneapolis no melhor estilo voz e piano. Em um total de aproximadamente 35 minutos de duração, ele interpreta de forma intimista canções que gravou posteriormente com banda, entre as quais Purple Rain, 17 Days, Strange Relacionship e International Lover.

A Case Of You, de uma de suas compositoras favoritas, a brilhante estrela canadense Joni Mitchell, que ele só registrou anteriormente em versão ao vivo no hoje raro álbum ao vivo One Nite Alone, de 2002, é outra faixa presente neste lançamento póstumo.

A única canção nunca antes gravada por ele e incluída em Piano & A Microfone 1983 é Mary Don’t You Weep, composição do gênero spiritual do século 19 que teve sua primeira gravação feita em 1915 pelo grupo Fisk Jubilee Singers e posteriormente relida por diversos artistas, entre os quais Aretha Franklin, Soul Stirrers e Swan Silvertones.

Mary Don’t You Weep, a primeira faixa divulgada deste novo lançamento, faz parte da trilha sonora do mais recente filme do diretor americano Spike Lee, BlackakKlansman, sendo tocada na hora em que os créditos da película são exibidos para o público.

Mary Don’t You Weep– Prince:

Alice Cooper grava CD duplo ao vivo no Olympia de Paris

alice cooper capa novo album 2018-400x

Por Fabian Chacur

Alice Cooper completou 70 anos recentemente, e parece que não deseja diminuir o ritmo de sua bem-sucedida carreira no rock and roll. Ele anuncia para o dia 31 deste mês o lançamento de A Paranormal Evening At The Olympia Paris, álbum gravado ao vivo que chegará ao Brasil no formato CD duplo via Shinigami Records, sendo que a gravadora europeia Ear Music também o lançará no exterior como LP duplo de vinil, com um disco branco e outro vermelho.

O trabalho foi registrado no último show da turnê que divulgou o mais recente trabalho de estúdio do astro do rock, o elogiado Paranormal (2017), realizado no dia 7 de dezembro do ano passado no lendário Olympia, teatro parisiense inaugurado em 1893 e no qual se apresentaram The Beatles, Édith Piaf, Black Sabbath, Janis Joplin, Elis Regina, Amália Rodrigues e outros mitos da história da música.

O consagrado rock and roller foi acompanhado por sua afiadíssima banda, composta por Nita Strauss (guitarra), Tommy Henriksen (guitarra), Ryan Roxiel (guitarra), Chuck Garric (baixo) e Glen Sobel (bateria). No repertório, músicas como Poison (ouça aqui), No More Mr. Nice Guy, Ballad Of Dwight Fry, Pain, Woman Of Mass Destruction e a recente Paranoiac Personality (do CD Paranormal).

Ballad Of Dwight Fry (live)- Alice Cooper:

Cher lançará álbum de covers do grupo Abba em setembro

cher-400x

Por Fabian Chacur

Cher é uma das estrelas do filme Mamma Mia 2- Here We Go Again (no Brasil, Mamma Mia- Lá Vamos Nós de Novo), ao lado de Meryl Streep e extenso elenco. Para quem achou interessante o envolvimento dela com a música do Abba, uma notícia adicional dentro do mesmo universo. A cantora anunciou que lançará no dia 28 de setembro pela gravadora Warner o álbum Dancing Queen, com dez releituras de hits do célebre grupo sueco.

A premiada cantora, atriz, apresentadora e ativista política americana explicou as razões pela qual optou por esse novo projeto, em declaração divulgada em press-release pela gravadora:

“eu sempre gostei do Abba e vi o musical original de ‘Mamma Mia’, na Broadway, três vezes. Depois de filmar ‘Mamma Mia! Here We Go Again’, eu me lembrei novamente das músicas maravilhosas e pensei ‘por quê não fazer um álbum com música deles? As músicas eram mais difíceis de cantar do que eu imaginava, mas estou muito feliz com a forma como saiu. Estou muito animada para as pessoas escutarem. É um momento perfeito. ”

O CD foi gravado e produzido em sessões de gravação realizadas em Londres e Los Angeles por Mark Taylor, o mesmo produtor por trás do megahit Believe, que trouxe a estrela pop de volta às paradas de sucesso de todo o mundo há 20 anos. A primeira faixa a ser divulgada é Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight), que Madonna usou em 2005 como base de seu sucesso Hung Up.

Confirma a tracklist completa de Dancing Queen:

1. Dancing Queen
2. Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)
3. The Name Of The Game
4. SOS
5. Waterloo
6. Mamma Mia
7. Chiquitita
8. Fernando
9. The Winner Takes It All
10. One Of Us

Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)– Cher:

Newer posts

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑