Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: teatro commune

Reteté Big Band faz show em Sampa no Teatro Commune

reteté big band-400x

Por Fabian Chacur

Em um ano repleto de más notícias na área cultural, é admirável ver um projeto como Toda Segunda é Dia de Big Band se consolidar. Como o título já entrega, são shows realizados todas às segundas-feiras em São Paulo com a participação das melhores e mais criativas big bands brasileiras, e com preços bastante acessíveis. Nesta segunda(5) às 21h será a vez da Reteté Big Band, no Teatro Commune (rua da Consolação, nº 1.218- fone 0xx11-3476-0792), com ingressos a R$ 10,00 (meia) e R$ 20,00 (inteira). Um belo programa cultural.

Na estrada desde setembro de 2006, a Reteté Big Band é integrada por Jefferson Rodrigues, Cássio Ferreira, João Paulo Barbosa, Lucas Macedo e Luiz Neto nos saxofones; Paulo Malheiros nas composições e arranjos; Jorginho Neto e Valdemar “Nevada” nos trombones; Jaziel Gomes no trombone baixo; Paulo Jordão, Junior Galante (convidado especial), Sidmar Vieira, Bruno Belasco nos trompetes; Davi Sansão no piano; Carlos C. Iafelice na guitarra, composições e arranjos; Thiago Alves no contrabaixo e Paulinho Vicente na bateria.

Liderada por Thiago Alves e Paulo Malheiros, a banda mescla suas composições próprias com hinos tradicionais e standards de jazz. O time lançou seu primeiro CD, Chama Viva, em 2015, e promete para breve um segundo, com o título Modal Winds. Eles tocam arranjos próprios e também escritos por feras do porte de Thad Jones e Oliver Nelson. Toda Segunda é Dia de Big Band tem a curadoria de Lucia Rodrigues.

Little Paul, Burn!– Reteté Big Band:

Chama Viva– Reteté Big Band:

Johny Alf– Reteté Big Band:

Mereneu Project é atração do projeto de big bands em SP

Mereneu Project - Foto Luis Andre-400x

Por Fabian Chacur

O projeto Toda Segunda é Dia de Big Band continua a todo vapor. Nesta segunda-feira (4/7) às 21h, será a vez de uma formação internacional. Trata-se da Emiliano Sampaio Mereneu Project, formada por três brasileiros na Áustria em 2012 e com um currículo dos mais invejáveis. A apresentação será realizada no Teatro Commune (rua da Consolação, nº 1.218- Consolação- fone 0xx11- 3476-0792), com couvert artístico a R$ 10,00 e R$ 20,00.

No início, era o grupo Meretrio, formado por Emiliano Sampaio (guitarra e composições), Gustavo Boni (baixo) e Luis André (bateria). Em 2012, após uma turnê pela Europa, eles tomaram uma decisão ousada: decidiram se fixar na cidade austríaca de Graz, com o intuito de realizar um mestrado e de também ampliar seus horizontes profissionais e culturais. Não demorou para saírem frutos dessa atitude dos rapazes.

Com a inclusão de mais seis jovens músicos austríacos, todos destacados na cena musical de seu país, o trio se ampliou e ganhou novo nome, Emiliano Sampaio Mereneu Project. Com uma mistura criativa e pouco convencional de música brasileira, jazz e música de câmara, eles participaram de diversos festivais na Europa, entre eles Most Und Jazz (Fehring, 2015), Graz Jazz Natch (Graz, 2014), Kug Redoute (Áustria, 2013), Lamantin Jazz Festival (Hungria) e Jazz Wouche (Graz, 2013). Eles acabam de lançar seu terceiro CD, A Dança Proibida.

Veja três vídeos do Emiliano Sampaio Mereneu Project:

Soundscape Big Band toca no Teatro Commune, São Paulo

SOUNDSCAPE FOTO vanessa oliveira-400x

Por Fabian Chacur

Toda Segunda é Dia de Big Band é um projeto muito interessante que abre espaços para que bandas com trabalhos consistentes e instigantes possam se apresentar em São Paulo, onde os espaços para esse tipo de formação não são dos maiores. Nesta segunda (6) às 21h, a atração será a Soundscape Big Band, e o local, o Teatro Commune (rua da Consolação, nº 1.218- Consolação-S.P. fone 0xx11-3476), com ingressos a R$ 10,00 (meia) e R$ 20,00 (inteira).

Na estrada desde 1999, a Soundscape Big Band investe na estrutura básica de cinco saxofones, quatro trombones, quatro trompetes, baixo acústico, bateria, piano e guitarra. Na sua escalação, músicos experientes que já tocaram com celebridades musicais do naipe de Ivan Lins, Tom Jobim, Lionel Hampton Orchestra, Lee Konitz, Milton Nascimento, João Bosco etc. Eles tocam arranjos e composições de diferentes sonoridades e texturas do jazz contemporâneo.

Em seu currículo, a big band tem os CDs Maybe September (2001),Uncle Charles (2007) e Cores Vol.1 (2011). Seu mais recente trabalho é Paisagens Sonoras. Eis a sua escalação:

Saxofones:
Josué dos Santos (líder) – sax alto/soprano/flauta/flauta alto.
Samuel Pompeo: sax alto/flauta/clarinete baixo.
Vitor Alcântara: sax tenor/soprano/flauta/sax alto.
Jefferson Rodrigues: sax tenor/flauta
Carlos Alberto Alcântara: sax tenor/flauta. (convidado especial)
Luiz Neto: sax barítono/flauta.

Trompetes:
Junior Galante (líder)
Daniel D’Alcântara
Sidmar Vieira
Paulo Jordäo

Trombones:
Paulo Malheiros Jr (líder)
Jorge Neto
Marcelo Boim
Jaziel Gomes – trombone baixo.

Guitarra: Djalma Lima.
Piano: Edson Sant’anna.
Baixo acústico: Bruno Migotto.
Bateria: Cuca Teixeira

Paisagens Sonoras– Soundscape Big Band:

Almirante Nelson– Soundscape Big Band:

Naked Soul– Soundscape Big Band:

Banda Mantiqueira apresenta a sua excelência sonora em SP

BANDA MANTIQUEIRA-400X

Por Fabian Chacur

O excelente projeto Toda Segunda é Dia de Big Band está comendo solto. Com programação a cargo de Lucia Rodrigues, surge um espaço garantido para grandes bandas brasileiras. Nesta segunda (2/5), por exemplo, teremos a excelente e consagrada Banda Mantiqueira, que tocará às 21h no Teatro Commune (rua da Consolação, nº 1.218- fone 0xx11-3476-0792), com ingressos a R$15,00 (meia) e R$30,00 (inteira). Um belo programa.

A sementinha que iria germinar e gerar a Banda Mantiqueira surgiu em 1983, quando o já experiente Nailor Oliveira, o Proveta, começou a se envolver em projetos bacanas como as bandas Aquarius e Sambop Brass, que infelizmente acabaram antes de gravar. Ao lado de Walmir Gil e François de Lima, começou a recrutar aos poucos músicos que topassem investir em uma original e competente mistura de música brasileira e jazz. Assim, nasceu a Mantiqueira.

Após várias temporadas em bares bacanas de São Paulo, eles lançaram Aldeia (1996), seu primeiro CD, que lhes rendeu uma indicação ao Grammy em 1998. A partir daí, eles lançaram vários CDs, fizeram parcerias com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e a cantora Luciana Souza, gravaram um DVD e realizaram shows pelos EUA, Europa e América Latina, conquistando público e crítica com seu trabalho de alto gabarito.

Integram atualmente a Banda Mantiqueira Nailor Azevedo Proveta (sax alto e clarinete, arranjos e composições), Ubaldo Versolato (sax barítono, flauta e piccolo), Josué dos Santos (sax tenor e flauta), Cássio Ferreira (sax tenor, soprano e flauta), François de Lima (trombone de válvulas), Valdir Ferreira (trombone de vara), Nahor Gomes, Walmir Gil e Odésio Jericó (trompete e flugelhorn), Jarbas Barbosa (guitarra elétrica), Edson José Alves (contrabaixo elétrico), Celso de Almeida (bateria) e Fred Prince e Cléber Almeida (percussão).

Linha de Passe (ao vivo)- Banda Mantiqueira:

Segura Ele (ao vivo)- Banda Mantiqueira:

À Procura (ao vivo)- Banda Mantiqueira:

Será inaugurado novo espaço para big bands em São Paulo

jurufrevo-400x

Por Fabian Chacur

Será inaugurado no próximo dia 7 (segunda-feira) às 21h um novo espaço para a música instrumental em São Paulo, mais especificamente para as big bands. O local é o Teatro Commune (rua da Consolação, nº 1.218- fone 0xx11-3476-0792), com entradas a R$ 20,00. Com programação a cargo da produtora Lucia Rodrigues, teremos em todas as segundas-feiras apresentações das mais quentes bandas da atual cena. A Orquestra Jurufrevo foi escalada para abrir os trabalhos.

A inspiração para essa excelente ideia veio da big band criada em 1973 pelo hoje consagrado maestro Nelson Ayres, que na época conseguiu tocar durante sete anos, sempre às segundas-feiras, em São Paulo. Por sua vez, Lucia Rodrigues programou bandas como a Mantiqueira a partir de 1994 e durante dez anos no Supremo Musical, um dos espaços mais badalados pelos apreciadores da música instrumental.

A Orquestra Jurufrevo busca um resgate renovado e com o seu próprio molho de ritmos brasileiros como o frevo, o baião e outros desdobramentos bacanas da música brasileira. Em seu repertório, foram incluídos arranjos e composições de Capiba, Duda, Severino Araújo, Sivuca, Dominguinhos e outros nomes do primeiro time da nossa música, além de algumas obras de autoria de seus integrantes.

A programação de março (com shows sempre às 21h) também incluirá performances da Reteté Big Band nos dias 14 e 28, mostrando um trabalho oriundo de dez anos de estrada. No dia 21, será a vez da Jazzco, formação que desde 1974 apresenta sua versão própria do som instrumental. Vale relembrar: o ingressos para cada show custa R$ 20,00, preço adorável para atrair gente de bom gosto que não está com as carteiras cheias. Tipo do projeto que merece dar certo!

Quebrando Tudo– Jurufrevo Orquestra:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑